Seja Famoso primeiro na sua Aldeia

famoso aldeia
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Tempo de Leitura: 3 minutos

No mundo globalizado alguns músicos que não estão nas grandes metrópoles não entendem que a estratégia de ser famoso primeiro em sua aldeia traz mais prestigio e respeito para firmar uma carreira com êxito em uma grande metrópole e fora do País.

No novo milênio a comunicação instantânea da Internet e aquisição do microcomputadores por mais pessoas criou um nova cultura antenada. Hoje gravar um CD independente se tornou acessível em custos com benefícios garantidos pelo surgimento de inúmeros estúdios no mais longínquo interior. E com uma qualidade técnica que não deixa a desejar aos estúdios dos grandes centros. Hoje o artista mais descolado e com visão de futuro monta seu próprio estúdio em casa para ensaio e gravação.

Então o grande empecilho de ser famoso em sua cidade, região e país está mais na falta de planejamento comercial e de comunicação. A vantagem de está hoje em uma grande gravadora seria a ampla distribuição do CD e a divulgação paga nas rádios e programas de TV. Mas elas só investem em um artista que já atingiu fama na sua cidade e região.

Então identifiquei ao longo dos cinco anos de atuação jornalística na revista Ritmo Melodia e em contato direto com músicos alguns erros estratégicos que impossibilitam serem famosos na sua terra. Primeiro entendam o dito popular: “Santo de casa não obra milagre”. Saber lidar com a descrença que começa com seus vizinhos, parentes, amigos e inimigos a respeito da sua capacidade de ser artista. Existe uma inveja, inconsciente ou não, por parte deles em saber que um cara que tem as mesmas condições biológicas, físicas e sociais seja diferente, seja artista. Todo mundo quer ser artista, quer ser o foco das atenções, isso faz parte da nossa mais intima ambição e sonho pessoal. Quem não se imaginou está no lugar de um artista, fazer um gol, chegar ao pódio em qualquer esporte. O músico que entende essa rejeição natural ao novo terá avançado para o sucesso.

Seja humilde dentro de sua comunidade, não precisa ser populista, esse é outro ramo de atividade. Mas mostre seu CD para deus e o mundo aberto a criticas com fundamentos ou não. Mire-se no exemplo dos evangelizadores que saem de porta em porta aos domingos confiante da salvação do mundo. Se você não passar confiança quem vai acredita no seu trabalho?. Tenha a dose certa de sabe o valor de sua obra com o bom senso de saber que você não reinventou a roda. Se você já toca nos bares da cidade, é figurinha carimbada, não se esqueça que cada lugar tem seu publico. Em eventos maiores não cante musicas famosas com medo que suas músicas não agradem. Quem tem personalidade acredita até soube vaias no próprio trabalho.

Coloque a meta de vender 1% do CD em relação a quantidade de habitantes de sua cidade, analisando seu publico alvo. Tenha uma boa relação com mídia local(Jornal, Rádio e TV) batendo as portas de todos, dessa forma ninguém lhe acusará de metido. Reserve uma quantidade de CD para divulgação, nunca, jamais venda um CD para jornalista nem que ele implore para comprar. E não creia que essa gratuidade garanta um divulgador. Saiba que existe a possibilidade dele não gostar. Faça seu planejamento financeiro primeiro na confecção do CD (Gravação e Impressão) e depois na divulgação (Se for preciso trate comercialmente com programadores de rádio, faça sem constrangimento, achar que seu CD vai tocar em todas as rádios gratuitamente é sonho). Entenda que seu CD é artístico na concepção lúdica e comercial na visão de produto vendável. Faça tudo dentro de suas possibilidade de tempo e financeira para “vender seu peixe”.

Só assine um contrato com uma gravadora com garantias reais de prensagem, distribuição, plano de divulgação. Elas quando se interessa por um artista compram o fonograma (A matriz do CD), que é o direito patrimonial da obra. Não pense com o coração nem caia no deslumbramento. Pense com a conta bancaria, custos e benefícios, avalie o que foi gasto. Se no futuro a gravadora lhe dê um ponta-pé, terá condições de gravar um novo CD. Pois o fonograma vendido, você não terá direito comercial por um prazo de tempo estipulado em contrato. Crie sua rede de relacionamento, seja ela franciscana (boca a boca) ou com custo. Pesquise e divulgue seu CD usando a Internet, seja espaço gratuito ou com baixo custo (A construção do próprio site). Só saia do torrão natal quando sua imagem e trabalho virar “Carne de Vaca”.

Cair no lugar comum. Mas, saia preparado para a guerra. Venha armado até os dentes para escapar do tiroteio da concorrência selvagem e espaços saturados, disputados à tapa em uma metrópole. Levante-se do muro das lamentações, vire leão na sua própria terra, você ganha, a sua cidade culturalmente ganha e receberá convites para os eventos bacanas nas grandes cidades e fora do País. Seja estrela maior em sua terra, mas sem perder a humildade inicial, se não voltará para estaca zero.
*Esse artigo saiu no Jornal Correio da Tarde 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.