Thaís Nogueira

Thaís Nogueira

A cantora e compositora sergipana Thaís Nogueira, faz parte da mais pura e tradicional família de Carira – SE, uma cidade que fica na região sertaneja de Sergipe.

Ela é de uma família de forrozeiros: meu avô Manezinho de Carira, meu pai Erivaldo de Carira (Erivaldo Cícero de Oliveira), meus irmãos Mestrinho (Edivaldo Junior Alves de Oliveira)e Erivaldinho do Acordeon (Elizaldo Santos de Oliveira) e do mais puro do Forró Pé de Serra de Sergipe. Vindo o dom; primeiro do seu avô, Manezinho de Carira; um grande sanfoneiro da região, que passou para seu filho, Erivaldo de Carira, a herança do tradicional Forró. Hoje Erivaldo de Carira é um dos maiores ícones e referência do Forró em Sergipe e passou a tradição para seus três filhos: Erivaldinho do Acordeon, Mestrinho e Thaís Nogueira. Todos participaram por muitos festivais pelo Brasil: Festival de Forró Rootstock em Belo Horizonte – MG e FENFIT – Festival Nacional de Forró de Itaúnas – Espírito Santo.

Thaís Nogueira também viajou para o exterior levando e representando sua música com muito com muita competência e amor. Ela levou o Forró na Rússia, Portugal, França, Amsterdã, entre outros países. Ela é sinônimo de Forró Tradicional!

Segue abaixo entrevista exclusiva com Thaís Nogueira para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 09.04.2021:

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Thaís Nogueira: Nasci no dia 22 de fevereiro de 1991 em Aracaju – Sergipe. Registrada como Thaís Nogueira Alves de Oliveira.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Thaís Nogueira: Eu já nasci no berço musical por conta dos meus pais. A minha mãe Dina Nogueira que é compositora e já foi empresária/produtora de shows e meu pai Erivaldo de Carira que é cantor e sanfoneiro e meu avô Manezinho de Carira que era sanfoneiro. E meu primeiro contato com a música profissionalmente foi aos 12 anos de idade quando eu entrei como vocalista da banda do meu pai.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Thaís Nogueira: Na música sou autodidata.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Thaís Nogueira: Meu pai Erivaldo de Carira sempre foi minha principal influência musical, também a cantora pernambucana Marinês. Hoje foco na referência da Elba Ramalho.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Thaís Nogueira: Em 2003/2004 eu comecei a cantar na banda do meu pai Erivaldo de Carira (Erivaldo Cícero de Oliveira) ao lado do meu irmão Mestrinho (Edivaldo Junior Alves de Oliveira). Iniciamos em nosso Estado natal Sergipe.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Thaís Nogueira: Tenho cinco CDs lançados.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Thaís Nogueira: Sou cantora popular brasileira, enraizada no Forró Tradicional Pé de Serra.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Thaís Nogueira: Sou autodidata.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Thaís Nogueira: Mesmo eu não tendo a oportunidade de estudar, aconselho a todos a estudarem.

10) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Thaís Nogueira: Eu admiro Elba Ramalho, Nana Caymmi, Dominguinhos, Luiz Gonzaga.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Thaís Nogueira: Vem ao mesmo tempo letra e melodia naturalmente, muitas vezes componho na madrugada.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Thaís Nogueira: Tenho composição com meu irmão Mestrinho e com meu esposo, sanfoneiro e cantor Marcos Giva.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Thaís Nogueira: O artista mesmo cuidar da carreira é incrível, mas requer 100% do mesmo, tornando muitas vezes cansativo, mas vale muito a pena.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Thaís Nogueira: Procuro sempre mostrar as minhas raízes, meu jeito de ser em forma de canção. tem dado muito certo!

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Thaís Nogueira: Nada específico. Tudo fluindo naturalmente.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Thaís Nogueira: Só tem ajudado e muito. Tenho bons seguidores e faço tudo por lá e é só crescimento.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Thaís Nogueira: Principalmente no momento atual de pandemia do Covid-19 em que nos encontramos, vale muito a pena, pois não perdemos a criação, mas gravar no estúdio profissional com uma acústica melhor, teremos um resultado bem gratificante.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Thaís Nogueira: Eu sempre levantei a bandeira do Forró tradicional que é uma herança de família, meu público sabe porque canto Forró. O que me segue ama isso em mim.

19) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Thaís Nogueira: Forró é um gênero tão especial para pouco conhecimento, mas nunca morre. Hoje em dia temos a Elba Ramalho como grande referência.

20) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Thaís Nogueira: Admiro muito meu irmão Mestrinho, o bicho toca tudo (risos).

21) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Thaís Nogueira: Uma vez fui a um programa de televisão e o apresentador antes de gravar, me perguntou se eu tinha alguma história para contar que fosse até mais atraente que minha musicalidade. Isso para mim foi o oh!

22) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Thaís Nogueira: O que me deixa mais feliz é realmente poder cantar, viver da arte. O mais triste é que não sei até quando vou conseguir viver só da música.

23) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

Thaís Nogueira: Tenho total gratidão a banda Falamansa, eles só engrandeceram nossa arte.

24) RM: Quais os grupos de “Forró Universitário” chamaram sua atenção?

Thaís Nogueira: Falamansa, Bicho de pé, Rastapé.

25) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Thaís Nogueira: Talvez por amizade, alguns radialistas coloquem a minha música na programação.

26) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Thaís Nogueira: Humildade e paciência, sempre.

27) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Thaís Nogueira: Participar de um festival de música é uma vitrine. O contra é quando o artista não ganhar alguma premiação, pode mexer com o psicológico do mesmo.

28) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Thaís Nogueira: Sim, conheço muita gente boa, eu já participei do festival de Forró em Itaúnas no Espírito Santo – ES.

29) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Thaís Nogueira: A grande mídia deveria falar mais sobre Forró, que é tão rico quanto outros gêneros musicais.

30) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Thaís Nogueira: Super importante, não deve acabar nunca.

31) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró das antigas e as atuais do Forró Estilizado?

Thaís Nogueira: Forró só tem um que foi propagado por Luiz Gonzaga.

32) RM: Thaís Nogueira, Quais os seus projetos futuros?

Thaís Nogueira: Gravar um DVD com o título “Disparada” e aguardar a pandemia do covid-19 acabar para cair em campo.

33) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Thaís Nogueira: [email protected]

| https://web.facebook.com/thaisnogueiraoficial

| https://web.facebook.com/officialthaisnogueira |www.instagram.com/oficialthaisnogueira

Canal Thaís Nogueira: https://www.youtube.com/channel/UCH5sHgadscG1rhrqd6NzjWA

Thais Nogueira no Release Showlivre: https://www.youtube.com/watch?v=YZLoLRY9HJE

Thais Nogueira e Mestrinho – No Festival de Forró de Carira: https://www.youtube.com/watch?v=eWXLaDSTSV4

Playlis: https://www.youtube.com/watch?v=0KY1K7VajVo&list=PLTEYdGM5qUeQFGlWGOgVzdX6KLi6u0Zha


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tagged

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.