More Ananias do Acordeon »"/>More Ananias do Acordeon »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Ananias do Acordeon


Ananias do Acordeon é nome artístico de Carlos Ananias Medeiros, que nasceu no dia 22/10/1983 em Esperança – PB, filho de Maria do Socorro Nascimento e Severino Medeiros (um dos melhores sanfoneiros da Paraíba).

Ananias do Acordeon vem de uma família de músicos, o pai, Severino Medeiros (sanfoneiro, cantor, compositor e professor de sanfona); o tio, José Medeiros (cantor e guitarrista); os irmãos: Ailton Medeiros (cantor, compositor, tecladista e produtor), Adriano Medeiros (cantor, tecladista, técnico de som e produtor),

Adilson Medeiros conhecido como Dilsinho Medeiros (cantor, compositor e percussionista), Amilton Medeiros (sanfoneiro); as sobrinhas cantoras: Deisy Medeiros e Gleyce Medeiros; os primos: Geovane Júnior (cantor e compositor); Soni Medeiros (cantor, compositor e tecladista), Nilsinho Medeiros (cantor e compositor), Clayton Medeiros (cantor e compositor), Luiz do Acordeon (cantor, sanfoneiro e compositor).

Ananias do Acordeon, começou a carreira aos 17 anos de idade (em 2000) tocando teclado, depois foi tocar acordeon e não largou mais, aos 20 anos foi para o Rio de Janeiro tocar na banda Nordestinidade, depois retornou para a Paraíba e formou o trio “Amados do Forró” em 2003, um trio formado pelos irmãos, Adilson Medeiros, Adriano Medeiros, Ananias Medeiros, depois cada um seguiu sua carreira e Ananias do Acordeon continuou com trio “Amados do Forró”.

Em 2010 junto com suas sobrinhas Deisy Medeiros e Gleyce Medeiros participaram do primeiro festival de trios em Campina Grande – PB, e ficaram em segundo lugar e Dilsinho Medeiros ficou em primeiro lugar. Em 2012 no segundo festival participaram e ficaram em primeiro lugar, tocando na final as músicas “Ave Maria Sertaneja”, “Sanfona sentida”, “Paraíba”, “Qui nem jiló”. Nesse mesmo ano participou da quadrilha junina Tradição da Serra do bairro Santa Rosa, a qual ganharam vários festivais. Ainda em 2012 participou do Fenfit – Festival Nacional de Forró de Itaúnas – ES junto com seu irmão Adilson Medeiros e Franklin Moral, ficaram em quarto lugar.

Em 2013, participou do grupo folclórico raízes, em que fizeram várias apresentações levando a nossa cultura para todo lugar. Em 2014, com uma nova formação do trio “Amados do Forró”, o qual gravou um CD que homenageia Luiz Gonzaga e Dominguinhos.

Em 2015 participou do trio “Cabras de Lampião” juntos com os colegas Tiago e Wiliam. No qual participaram do primeiro festival de trios realizado pela prefeitura de Campina Grande e foram os campeões, entre mais de 90 trios de Forró. Sempre buscando levar as músicas regionais por todo Brasil.

Em 2017 participaram do Arretado Star, dessa vez com o “Os cabras de Lampião”, onde ficaram em segundo lugar. Em 2018 criou a banda “Forró Gente da Serra”, com parceria do cantor Amaro Neto, no mesmo ano participaram do Festival Arretado Star em Campina Grande e ficaram em segundo lugar. Em 2019 mais uma vez com a banda “Forró Gente da Serra” conseguiram o primeiro lugar no Festival Arretado Star.

Ananias do Acordeon, acompanhou vários artistas, entre eles: João Gonçalves, Mestre Marron, Poeta Amazan, Ton Oliveira, Deusa do Forró, Gitana Pimentel, etc.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Ananias do Acordeon para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 27.12.2021:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Ananias do Acordeon: Nasci no dia 22/10/1983 em Esperança – PB. Registrado como Carlos Ananias Medeiros. Sou filho de Maria do Socorro Nascimento e Severino Medeiros.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Ananias do Acordeon: Sou filho de Severino Medeiros (sanfoneiro, compositor e professor de sanfona) desde cedo comecei a observar meu pai tocar e isso despertou o interesse em seguir seus passos na área musical.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Ananias do Acordeon: Sou sanfoneiro, tecladista, cantor, compositor e professor de sanfona. Fora a área musical sou: Técnico em Segurança do Trabalho e Bombeiro Civil.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Ananias do Acordeon: Minha principal influência sempre foi e será meu pai Severino Medeiros, entre outros tem Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Sivuca, Jackson do Pandeiro, dessa nova remessa de músicos de 2000 até hoje, não tenho influência.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Ananias do Acordeon: Comecei no final da década de 90 tocando triângulo no trio do meu pai Severino Medeiros, depois pegava a sanfona para ele descansar um pouco. Em 2000 comecei a tocar teclado em uma banda de Forró, logo em seguida comecei a tocar acordeon e não larguei mais a sanfona.

06) RM: Quando, como e onde você começou grupo “Forró Gente da Serra”?

Ananias do Acordeon: Tudo começou com a minha vontade de formar um grupo de forró autêntico. O cantor Amaro Neto tinha o projeto Forró da Serra e eu (Ananias do Acordeon) fazia parte do grupo Os Caras de Lampião. O destino colaborou, fazendo com que nós dois virássemos vizinhos. Bastou uma conversa e surgiu a parceria, que foi completa com a participação de Cristiano zabumbeiro, Gleyce Kelly Medeiros no vocal e João Alves Neto no triângulo e produção. Inspirados no LP – Marinês e sua Gente criamos em 2015 o grupo Forró Gente da Serra. Já em 2018 conseguimos gravar o primeiro CD com músicas autorais e regravações, o grupo tocou em vários lugares pelo Brasil, no mesmo ano 2018 a grupo participou do FENFIT FESTIVAL NACIONAL DE FORRÓ PÉ DE SERRA DE ITAÚNAS/ES, representamos a Paraíba entre 24 grupos escolhido de todo Brasil, ficamos em sexto lugar, levando o nosso verdadeiro Forró e participamos também do Arretado Star Festival de Forró em Campina Grande – PB, dessa vez ficamos em segundo lugar. Em 2019 gravamos mais uma música autoral “Se voltasse o tempo” (Ananias do Acordeon / Hedran Barreto), participamos mais uma vez do Arretado Star, mas dessa vez fomos o campeão, nosso intuito é resgatar o Forró raiz, Forró Pé de Serra, seguindo os passos de Luiz Gonzaga e Os 3 do Nordeste. Nossos planos em 2020 era a gravação do DVD, porém veio a pandemia do Covid-19. Em 2021, estamos realizamos lives e pequenas apresentações, principalmente para amigos e conhecidos. Estamos compondo músicas novas e separando um material para gravar mais um álbum em 2022.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Ananias do Acordeon: Tenho alguns CDs gravados com o grupo “Amados do Forró” e em 2018 gravei com o grupo “Forró Gente da Serra”, mas na carreira solo ainda não gravei um álbum, estou em busca de recurso para gravar um só com músicas autorais.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Ananias do Acordeon: Meu estilo musical é o Forró Pé de Serra conhecido popularmente, aquele Forró, Xote, Xaxado, Baião e Arrasta-pé, porém um pouco estilizado.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Ananias do Acordeon: Não estudei técnica vocal, mas pretendo um dia estudar.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Ananias do Acordeon: É importante o estudo da técnica vocal, pois através do estudo aprendemos como usar as técnicas e alcançar as notas certas, nós que já tocamos algum instrumento se torna um pouco mais fácil. É sempre é bom aquecer a voz antes de qualquer apresentação.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

Ananias do Acordeon: Além de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Jackson do Pandeiro, admiro muito Marinês e Elba Ramalho, pela a força da mulher acredito que pra chegar onde elas chegaram passaram por muitas coisas como críticas, preconceito e outras coisas. Hoje um artista novo que admiro pela sua simplicidade e humildade o João Gomes.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Ananias do Acordeon: Gosto sempre de primeiro buscar a história que irei transformar em música, depois da letra feita crio a melodia e sequência de acordes.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Ananias do Acordeon: Meu irmão Dilsinho Medeiros, Hedran Barreto e Josy Nascimento.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Ananias do Acordeon: Os 3 de Campina, Forró Gente da Serra, Deisy Medeiros.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Ananias do Acordeon: O bom é criar seu próprio estilo, cantar o que você gosta e parte ruim é a falta de apoio e espaço para o Forró Pé de Serra.

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Ananias do Acordeon: Eu começo pelo repertório, sempre busco um que agrade todas as idades, depois vem a questão do figurino e no palco independente do público sempre procuro passar alegria através da música.

16) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Ananias do Acordeon: Investir em música novas, autorais, criar um novo padrão que possa concorrer com o Forró Estilizado.

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Ananias do Acordeon: A internet ajuda muito, rede sociais e outros aplicativos de músicas ajudam a divulgar e expandir a nossas músicas pelo Brasil e pelo exterior.

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Ananias do Acordeon: Ajuda muito na facilidade e na qualidade, porém, perdemos um pouco da originalidade.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Ananias do Acordeon: Sempre procurar algo que seja diferente e que desperte o interesse dos ouvintes, músicas de fácil compreensão e de decorar.

20) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas e quais permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Ananias do Acordeon: O Forró teve uma caída no Nordeste abrindo muito espaço para a música Sertanejo, mas pelo Sudeste existe uma nova geração de adoradores de Forró que dizem que é igual a vinho quanto mais velho melhor, atualmente tivemos poucas revelações no Forró Pé de Serra, mas, destaco entre elas: Banda Falamansa, Lucy Alves, Dorgival Dantas, Mestrinho.

21) RM: Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Ananias do Acordeon: Mestrinho que é grande sanfoneiro, compositor e arranjador, vem se destacado por sua tocada, gravando com vários nomes da MPB.

22) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado, etc)?

Ananias do Acordeon: O pior de tudo é essa nova geração pedindo para tocar essas músicas novas, além disso quando o contratante desvaloriza meu cachê por conta do estilo musical.

23) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Ananias do Acordeon: A minha felicidade é ver crianças cantando Forró Autêntico. É saber que ainda temos espaço e que podemos continuar erguendo a bandeira do Forró. A tristeza é quando vejo grupos de Forró se desfazendo por conta da dificuldade encontrada no espaço musical.

24) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

Ananias do Acordeon: É sempre bom atualizar, mas, não esquecer das nossas raízes onde tudo começou, foi muito bom o “Forró universitário”, pois abriu o caminho para o Forró Pé de Serra em grandes eventos e na grande mídia.

25) RM: Quais os grupos de “Forró Universitário” chamaram sua atenção?

Ananias do Acordeon: Dente eles são: banda Falamansa, Bicho de pé, Arrasta-pé.

26) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Ananias do Acordeon: Creio que a dificuldade maior não seja o pagamento de direito autorais e sim o gosto musical que de 2000 para atualidade mudou bastante.

27) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Ananias do Acordeon: Que o caminho é bom, mas nem sempre é flores, pois toda flor tem seus espinhos, mas que não desista e siga em frente que a música pode estourar de um dia para o outro.

28) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Ananias do Acordeon: Os festivais de música podem revelar novos talentos, porém podem desacreditar aqueles que não ganharam, deixando muitos de acreditar no seu potencial.

29) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Ananias do Acordeon: Sim, já participei de vários Festivais de Música, inclusive o mais recente foi em 2019 em Campina Grande – PB no Maior São João do Mundo, o “Arretado star” da prefeitura, além de ganhar o 1° lugar, ganhei uma data no Palco Principal do Parque do Povo e muito divulgação em emissoras de Televisão.

30) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Ananias do Acordeon: A grande mídia visa sempre a parte financeira, ou seja, o que mais dar dinheiro é o que eles querem divulgar. Hoje a música sertaneja e o Forró Estilizado ganharam seu espaço na grande mídia e é o que o Forró Pé de Serra precisa para expandir nosso Forró.

31) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Ananias do Acordeon: Apesar de muitas prefeituras optarem pelo o que estar na grande mídia, o Sesc e o Sesi têm buscado resgatar o tradicional, o regional, a nossa cultura. E sobre o Itaú cultural não tenho conhecimento.

32) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró das antigas e as atuais do Forró Estilizado?

Ananias do Acordeon: As Bandas de forró mudaram seu estilo musical para buscar espaço na grande mídia e com o tempo tudo foi atualizando e o Forró mudou muito. Hoje mesmo ouvimos um tal de piseiro que muitos acham que é Forró, eles cresceram e evoluíram e ganharam força na atividade musical. Eu creio que para o Forró Pé de Serra não foi bom, mas, também não foi tão ruim, pois as bandas muitas vezes gravam músicas do estilo Pé de Serra.

33) RM: Quais os seus projetos futuros?

Ananias do Acordeon: Pretendo gravar um CD só com música autorais e alguns vídeos para divulgar em rede sociais. Criar um estilo próprio e seguir os passos do meu pai Severino Medeiros, sendo sanfoneiro até morrer.

34) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Ananias do Acordeon:

(83) 98619-8202 | [email protected]

| https://www.instagram.com/ananias.tst/

| https://www.facebook.com/carlosananias.medeiros

Canal de Ananias do Acordeon: https://www.youtube.com/user/ananias102233

“Trem bom” Os Cabras de lampião: https://www.youtube.com/watch?v=yqGZsVbEA44

Trio Os Cabras de Lampião – Campeão do Arretado Star: https://www.youtube.com/watch?v=mfoqtR1Zu1w

Espumas Ao Vento (Accioly Neto) por Forró Gente da Serra: https://www.youtube.com/watch?v=BXLl7wLo5tA

Meu Cenário (Petrúcio Amorim) por Forró Gente da Serra: https://www.youtube.com/watch?v=XaS8LS5jDcw

Arraial Itararé 2019 – Forró Gente da Serra: https://www.youtube.com/watch?v=axFhRUDYqtI

SOM AO VIVO -Deisy Medeiros – São João do Carmela Veloso – 26/06/2020 – TV Nordestina: https://www.youtube.com/watch?v=K4R3gTO06uc

Deisy Medeiros convida as Divas do Forró. Participações: Anne Karolinne (poetisa), Eloisa Olinto, Anna Barros, Verônica Ryos, Julia Lima, Stella Alves e Nicácia Brasil. SOM AO VIVO – Arraiá da Ceas – 11/07/2020 – TV Nordestina: https://www.youtube.com/watch?v=S4aHWd66aqs

Encontro com Fátima Bernardes – São João de Campina Grande deve acontecer em outubro: https://globoplay.globo.com/v/8648171

‘Forró Gente da Serra’ vence a 3ª edição do concurso Arretado Star, em Campina Grande: https://globoplay.globo.com/v/7703606

Escadaria, Severino Medeiros e Duduta e seu regional: https://www.youtube.com/watch?v=ym2HMZtLne8


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.