O Cordel que virou Música

Cordel virou música por Caca Lopes

O   cantor, compositor, violonista e poeta pernambucano Cacá Lopes escreveu um cordel a partir de um texto – https://www.ritmomelodia.mus.br/carreira-musical/o-canto-do-santo-de-casa/ – da revista do jornalista paraibano Antonio Carlos. O cordel foi batizado com o mesmo nome do artigo: O Canto do Santo de Casa e foi escrito em 24 estrofes em sextilha, publicado pela Rouxinol Rinaré Edições e lançado na Festa Literária Internacional de Paraty – FLIP em 2019.

O tema trata da desvalorização e falta de incentivo privado e público para com o artista ou profissional de qualquer área em começo de carreira. E tem com inspiração o mote bíblico “Nenhum profeta é reconhecido em sua própria aldeia”O Canto do Santo de Casa  se tornou música de 8 minutos e 4 segundos, em ritmo de arrasta-pé (para escutar acesse: https://www.youtube.com/watch?v=tXsr8Xk_C5c). A melodia, a produção musical e interpretação é do paraibano Jailson Silva.  E que sabe um dia pode se tornar um roteiro para um curta-metragem.

Outra música de duração maior com 9 minutos é a toada “A Triste Partida” – https://www.youtube.com/watch?v=Yu0bvuK8s_k . Uma espécie de Vidas Secas no cordel, com 19 estrofes, escrita pelo poeta cearense Patativa do Assaré (Antônio Gonçalves da Silva) e gravada em 1964 por outro grande nome da cultura nordestina, Luiz Gonzaga. A letra de “Triste Partida” retrata a falta da chuva, a dura decisão de deixar o sertão, a penosa recepção em São Paulo, Rio de Janeiro e Sudeste. E a perda da esperança de retornar para seu lugar de origem. Essa música antes de tornar sucesso na voz do Rei do Baião já era cantada nas feiras nordestinas pelos repentistas.

“Faroeste Caboclo”Legião Urbana com 9 minutos e 7 segundos –  https://www.youtube.com/watch?v=sE7Wv0JH2jY que tocou nas rádios, mas como um exceção já que o padrão radiofônico era no máximo 3 minutos de duração para uma música se enquadrar e almejar se tornar sucesso, segundo os especialistas ou programadores da rádio. Mais de 3 minutos seria tida como inadequada para ser lançada como single por uma banda de rock. “Faroeste Caboclo” é um mix de baião, sertanejo raiz, rock, reggae sem refrão se tornou um sucesso e tem maior duração que “A Triste Partida”.  A história de João Santo Cristo virou até filme.

Quem sabe “O Canto do Santo de Casa” pode ter o mesmo destino de sucesso musical e se tornar um filme no século XXI. O poema traz verdades difíceis de serem ditas e relata uma realidade vivida por alguns profissionais que “não fazem milagres em casa” e partem para viverem outras realidade, e desafios em outras cidades.


Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.