Sócrates Gonçalves

Sócrates Gonçalves 1 Entrevista - Música - Revista Ritmo Melodia
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Tempo de Leitura: 6 minutos

O cantor, compositor, violonista e jornalista cearense Sócrates Gonçalves, iniciou sua carreira musical nos já famosos saraus e calouradas do curso de Comunicação Social em Campina Grande-PB.

A partir daí passou a se apresentar nos barres e restaurantes da cidade, com amigos que seriam os futuros integrantes de um de seus trabalhos mais significativos, a banda “Nois”, formada nos bastidores da Fetec Jovem (Feira de Tecnologia e Ciência) do ano de 1999. Na banda, Sócrates era um dos cantores e o compositor, além de tocar violão e gaita.

A “Nois” trilhou um caminho de sucesso no cenário campinense, dando roupagens novas aos clássicos da MPB, os fundido aos mais variados estilos musicais, fazendo surgir o estilo que os jornais locais chamaram de “sambareaggaerockfunquiado”, que era a maneira como os integrantes da banda definiam o seu estilo.

Depois de quatro anos de formação, Sócrates seguiu em uma carreira solo, se afastando um pouco do panorama musical da cidade, para ressurgir em 2008 como interprete nos principais projetos musicais da cidade, como o Projeto 7 Notas do SESC, Projeto 6 e meia (nacional), Projeto Duetos do Picanha 200 e o Show Entre Eles e Elas. Hoje faz shows com um repertório tão diverso quanto as histórias (e/ou estórias) que recheiam suas composições.

Lançou em 2011 seu primeiro CD – Atemporal, com dez composições suas e cinco releituras repletas de “sambareaggaerockfunquiado”. Está disponível na internet as onze faixas (www.socratesgoncalves.palcomp3.com.br), das quais uma é um poema de Cleilson Ribeiro, poeta e amigo e conterrâneo de Sócrates. “A musica dele soa como algo novo e ao mesmo tempo antigo. É bom”. Diz Flaw Mendes – Artista plástico e poeta. “O CD Atemporal, assim como os shows, é tão diversificado que contempla todas as tribos”, afirma Tiago França – Jornalista. “Seu estilo faz com que o público se prenda e veja o quanto à arte pulsa forte em seu ser”, Comenta Alexandre Tan – Cantor.

Segue abaixo entrevista exclusiva de Sócrates Gonçalves para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 15.02.2013:

01) RitmoMelodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Sócrates Gonçalves: Eu nasci no dia 01.04.1982, em Barro no interior do Ceará.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Sócrates Gonçalves: Eu lembro da minha mãe cantando para mim as músicas do Luiz Gonzaga que ela escrevia em um caderninho de capa verde. E de ouvir os elogios que os amigos do papai faziam ao meu irmão, Edimar Gonçalves, que também é cantor e compositor, porém meu contato profissional com a música se fez nos corredores do curso de Jornalismo na UEPB, em Campina Grande – PB. Eu peguei emprestado para sempre o violão do meu tio (Ivanildo), que mora em Barro – CE. Eu estava começando a aprender e andava com o Lucine (violão) de debaixo do braço para todos os lados (risos).

03) RM: Qual a sua formação musical e acadêmica fora música?

Sócrates Gonçalves: Sou formado em Comunicação Social/jornalismo e a minha formação musical foi ouvindo muito rádio e aprendendo a tocar as músicas pelas revistas de cifras.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente? Quais deixaram de ter importância?

Sócrates Gonçalves: Hoje, uma das maiores influencias do meu trabalho é o Lenine, mas já escutei e escuto de tudo que acho bom, desde Edmar Gonçalves a Back Street Boys. Não creio que as influencias deixam de ter importância, creio que elas estão impregnadas em mim e na minha música.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Sócrates Gonçalves: Com a Banda “Nois”, em 1999, nos bastidores de uma feira de tecnologia. Eu fazia parte da organização e junto com Katharine Nobrega, Virna Brilhante e Elton fizemos uma apresentação para um público de mais de 300 pessoas que esperavam um show de rock(risos), muito tenso.

06) RM: Quantos CDs lançados (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que se destacaram em cada CD?

Sócrates Gonçalves: Cheguei a gravar um CD com a banda “Nois”, mas não lançamos, ele se espalhou de mão em mão entre os amigos. Vira e mexe aparece alguém nos shows ou pela internet, dizendo que tem o CD, geralmente essas pessoas não são daqui de Campina Grande, mas são de lugares diversos do Brasil. Acho massa como a nossa música vai onde nem imaginamos que poderíamos ir. Em 2011 lancei o meu CD – “Atemporal”, que não por acaso tem esse nome, ele é uma coletânea de músicas de todas as épocas da minha história musical, tem músicas de 99, músicas da época da banda e músicas feitas minutos antes da mixagem. Gosto de todas.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

Sócrates Gonçalves: Faço de tudo para não defini-lo, acho que um rotulo limita as possibilidades e a música não tem fronteiras.

08) RM: Como você se define como cantor/intérprete?

Sócrates Gonçalves: Feliz (risos), tento compor e interpretar as músicas que de alguma forma me emocionam, para que eu possa passar essa emoção para quem estiver ouvindo.

09) RM: Você estudou técnica vocal?

Sócrates Gonçalves: Não, infelizmente. mas já tentei, no começo deste ano, fiz duas aulas(risos). O meu tempo é corrido e não deixou fazer mais que dois dias. Mas valeu, reaprendi o que é uma miníma e uma semínima.

10) RM: Quais os cantores e cantoras que você admira?

Sócrates Gonçalves: Poderia passar o dia listando aqui, pois, além dos que estão na mídia, tem um balaio de artistas locais e regionais que admiro, como o meu irmão, Edmar Gonçalves, por exemplo.

11) RM: Você compõe? Quem são seus parceiros musicais?

Sócrates Gonçalves: Sim, até hoje só tive parceria com a minha esposa Thalita Oliveira, que também é cantora e meu amigo e multi-artista Faw Mendes.

12) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Sócrates Gonçalves: A coisa boa é está livre para fazer o que gosta e a coisa ruim é que não temos a força do capital de uma gravadora ou de um selo. Acho que só isso.

13) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro?

Sócrates Gonçalves: Creio que a musica brasileira continua sendo uma das mais ricas do mundo, porém a mídia brasileira dá mais espaço as manifestações artísticas de rima pobre.

14) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Sócrates Gonçalves: Admiro a postura do Lenine, quando ele diz que é um trabalhador como qualquer outro.

15) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Sócrates Gonçalves: Dentre muitas tem uma que adoro, antes de me apresentar em um determinado evento o locutor disse: “Senhoras e Senhoras hoje temos a presença do Cantor e compositor Sócrati”, aí eu disse: “Sócrates”, Ele: “Sócrati’’, eu: “Sócrates”, ele: então, “Sócrati”, aí eu: é no plural querido, ele deu uma risadinha e disse: com vocês “Os Sócrati” (risos).

16) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Sócrates Gonçalves: O que me deixa mais feliz é ver que ainda se faz boa música e que a internet esta sendo o canal de divulgação dessas músicas e o que me deixa triste é exatamente o fato de a internet, parecer ser o Único meio de divulgação dessa música “boa”. E quando eu digo Boa, não estou falando na questão de gosto, afinal isso é muito amplo, quero dizer rica harmônica, rítmica e poeticamente falando.

17) RM: Nos apresente a cena musical na cidade que você mora?

Sócrates Gonçalves: Campina Grande é um celeiro de artistas dos mais variados estilos e graças a Deus, tenho orgulho de dizer que o cenário musical de Campina Grande está “acontecendo” e graças a Deus estou dentro dos projetos que este ano irão, tentarão, revolucionar este cenário musical.

18) RM: Quais os músicos ou/e bandas que você recomenda ouvir?

Sócrates Gonçalves: Val Donato, Edmar Gonçalves, Lenine, Chico César, Caetano Veloso, Chico Buarque, Djavan, A Valsa de Molly, Gabriel Caminha, Toninho Borbo, Cabruêra, Maria Gadú, Luis Kiari, Daniel Cahudon, Nuria Malena, Nicole Pinheiro, Ellen Oléria, Dani Black, Gilberto Gil… nossa, são tantos.

19) RM: Você acredita que sua música tocará nas rádios sem o jabá?

Sócrates Gonçalves: Tenho uma história boa sobre isso. Um músico de Campina Grande começou uma campanha online, para que as rádios tocassem a produção musical local. Eu aderi de pronto e compartilhei nas minhas redes sociais e tal, porém minutos depois, locutores das rádios, três, para ser mais preciso, falaram comigo via rede: “poxa Sócrates, você está reclamando de quê, cara? Sua música toca aqui na rádio”. A ficha caiu imediatamente e eu parei de compartilhar. Sei que o jabá existir, mas tive a sorte de não precisar pagar, AINDA.

20) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Sócrates Gonçalves: Boa sorte (risos). Não se iluda, o glamour fica do palco para a frente, pois do palco para trás é trabalho e trabalho e trabalho, seja compondo, cantando, tocando, afinando ou batalhando por espaço para mostrar o trabalho.

21) RM: Quais os seus projetos futuros?

Sócrates Gonçalves: Além de um segundo CD, que já está na fase de escolha de repertório, estou me arriscando na área da produção cultural, com projetos que logo, logo procurarei a Ritmo Melodia para contar as novidades. E uma exposição, antes de tudo fui e sou artista plástico (risos), de sete telas chamada Tons, cujos detalhes também direi depois.

22) RM: Quais os seus contatos para show e com seus fãs?

Sócrates Gonçalves: www.socratesgoncalves.com | [email protected] | www.socratesgoncalves.palcomp3.com.br | https://soundcloud.com/socratesgoncalves | (83) 99622 – 9194 | 98847 – 3291

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.