Elino Julião Júnior

  • 62
    Shares
Elino Julião Júnior
Avalie esta Entrevista

O cantor, compositor Elino Julião Júnior, “Eu vivia neste universo artístico, e foi justamente observando toda a criação artística de meus pais que o gosto, o encanto e paixão pela arte musical fluíam cada vez mais dentro de mim”, comenta.A primeira gravação de Elino Julião Júnior foi em 1998. Na oportunidade ele, ao lado de sua mãe, a cantora Lucymar e também de seus irmãos: André Julião e Priscila Julião criaram a banda “Brisa”, que em seu repertório tocava forró pé de serra. Mais tarde no ano de 2000, novamente em família, Elino Julião Júnior participou do projeto “A família do forró”, outro trabalho fonográfico voltado para gênero musical forró. Já em 2002, dando continuidade a sua produção artística e musical, o jovem forrozeiro criou com os irmãos a banda “Os manos”. Durante todos estes primeiros trabalhos, Elino Julião Júnior conseguiu conciliar a vida artística com os estudos, e com o apoio incondicional de sua mãe formou-se em Educação Física e mais tarde se Pós-graduou em Psicomotricidade, ambos os cursos pela Universidade Estadual da Paraíba – UEPB.

No ano de 2004 Elino Julião Júnior entrou em uma nova fase artística e decidiu cantar em carreira solo. Mais tarde, no ano de 2008, após dois anos do falecimento do pai, o jovem forrozeiro abraçou a responsabilidade de dar continuidade à história musical de Elino Julião, gravando seu primeiro trabalho solo – “Elino Julião Júnior e forrozão Relampiou” Vol. I. Este primeiro trabalha de Elino Julião Júnior traz 11 regravações de músicas do pai e uma música inédita composta pelos irmãos Elino Julião Júnior e André Julião.

Em suas apresentações artísticas Elino Julião Júnior canta sucesso do pai, como as músicas: “Puxando Fogo”, “Vou pra Tamarineira”, “O Rabo do Jumento”, “Na Sombra do Juazeiro”, “A festa do Senhor São João”, “A Deusa do Mercado São José” e muitos outros sucessos. Durante o ano, e principalmente no período junino, este jovem forrozeiro realiza shows que trazem um repertório musical que dá ênfase as músicas do pai, isto por terem nas letras o compromissado com a cultura popular nordestina e consequentemente com o autêntico forró. As músicas cantadas por Elino Julião Júnior são verdadeiras crônicas sobre o cotidiano da vida do nordestino, que representam a cultura popular da região e que foram imortalizadas na voz de seu pai, Elino Julião. Além de cantar em seus shows as músicas do pai, mantendo viva a obra do mestre Elino Julião, o jovem forrozeiro também canta nos shows músicas de outros artistas, como: Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, do Trio Nordestino, Lucymar, além de músicas compostas em parceria com o irmão André Julião.

Em carreira solo Elino Julião Júnior já lançou quatro CDs, e dando continuidade a sua produção artística neste ano de 2018 acaba de lançar um novo single, “Preciso Te Ver”, um xote romântico composto em parceria com o irmão André Julião que está embalando os corações apaixonados no São João de 2018.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Elino Julião Júnior para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 25.10.2018:

 01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Elino Julião Júnior: Eu nasci no dia 15.05.1982 em Recife (PE) e moro atualmente em Campina Grande (PB).

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Elino Julião Júnior: O meu primeiro contato com a música foi de uma forma inesperada e de certo modo engraçada. Meu pai Elino Julião estava compondo uma música para um candidato para uma campanha política em Campina Grande (PB). Eu ainda criança estava brincando com meu irmão André correndo pra lá e pra cá no corredor da nossa casa, meu pai de posse de um gravador, um balde servindo de instrumento de percussão estava cantando e gravando a música e disse assim: “Vem cá meninos gravar com papai”. Eu e André achamos aquilo o “maior barato”, meu pai cantava e a gente repetia o refrão da música. E na introdução a gente servia como naipe de metais já que criança tem o timbre de voz agudo né? (risos).  Mas só que como ele era muito perfeccionista sempre repetia a gravação até chegar à perfeição no seu entendimento. Depois de muitas repetições conseguimos finalizar a gravação e meu pai liberou a gente para continuar brincando, mas já era tarde e nossa mãe Lucymar tinha acabado de chegar do supermercado com as compras e se deparou comigo e André sentados no sofá um do lado do outro e chorando. Ela perguntou ao meu pai o motivo do “chororô”. Ele respondeu rindo: “Estão cansados de cantar comigo”. Eu e André dissemos que a gente cantou, mas não deu tempo de continuar a brincadeira, minha mãe sorrindo mandou a gente tomar banho pra ir jantar. Esse foi o meu primeiro contato com a música. E depois vieram as participações na banda acompanhando meus pais em shows tocando percussão e fazendo vocal, também participei de escolas de Samba na cidade, bandas marciais  e agradeço até hoje essa gravação produzida pelo meu pai.

03) RM: Qual a sua formação musical e formação acadêmica fora da área musical?

Elino Julião Júnior: Na música o meu conhecimento adquirido nos palcos devo a minha mãe a cantora e compositora Lucymar. De técnicas vocais, performance de palco. Ela foi minha professora que me ensinou os primeiros acordes no violão, até nos dias atuais, ela é minha inspiração e continua me ensinando a cada gravação ou shows que faço. E fora da área musical, sou graduado e pós-graduado em Educação Física pela UEPB – Universidade Estadual da Paraíba.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Elino Julião Júnior: Minha influência musical está na minha casa, graças a DEUS. E digo sempre, sou um ser privilegiado de ter meus pais (Elino Julião e Lucymar) como inspiração na música, cresci acompanhando, aprendendo, observando eles. São para mim artistas completos, cada um com sua marca e contribuição para nossa música Nordestina. Até os dias atuais continuo escutando e cantando Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Lindú e o Trio Nordestino, mas Elino Julião e Lucymar são as minhas base e referência musical e nunca deixaram de serem importantes para mim.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Elino Julião Júnior: Comecei acompanhando em shows meus pais fazendo parte da banda como percussionista ainda criança e depois já adolescente como backvocal sempre viajando com meus pais.

06) RM: Quantos CDs lançados (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que se destacaram?

Elino Julião Júnior: Tenho quatro CDs gravados, participaram nas gravações desses CDs grandes músicos aqui da região. E cada álbum tem como característica o forró autêntico nosso do nordeste, uma herança que vem dos meus pais e que está dentro do meu coração, do meu sangue, da minha voz. Em cada álbum gravado, eu sempre regravo os sucessos do meu pai Elino Julião e da minha mãe Lucymar. Eles que são as minhas referências. Incluo também músicas autorais em parceria com meu irmão André Julião. E por ser um processo realizado com muito amor e carinho gosto de todas as músicas gravadas nesses álbuns, e o público é quem se encarrega de gostar mais de uma que outra.

07) RM: Como é o seu processo de compor canção?

Elino Julião Júnior: Meu processo de compor não tem explicação. É um dom Divino, vem à inspiração e tudo flui de forma surpreendente, melodia, letra, arranjos básicos. A sintonia é a mesma estando compondo ao lado do meu irmão André, a gente se conhece e nossas ideias se juntam fazendo nascer uma música, por isso somos parceiros em composições.

08) RM: Quais são seus principais parceiros musicais em composição?

Elino Julião Júnior: Meu principal parceiro em composições é o meu irmão André Julião, 90% das músicas que componho é em parceria com ele.

09) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Elino Julião: Hoje em dia a carreira musical de um artista principalmente na música só é construída se ele estiver amparado por um forte poder financeiro próprio ou de alguém que resolva investir em tal artista. Hoje em dia, isso está infelizmente acima do talento. A música movimenta e faz muito dinheiro, e para o artista é melhor ele ser patrocinado que tentar gastar ou investir muita das vezes o que ele nem tem. E isso é o que faz despontar um artista hoje em dia, ter dinheiro para acontecer acima de tudo.

10) RM : No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Elino Julião Júnior: Eu permaneço fiel com meu estilo musical. A minha proposta é fazer arte, não me preocupo em primeiro plano com a busca do sucesso, isso é consequência do trabalho. O mais importante para mim é fazer algo que gosto e me faz bem para que as pessoas também possam entender e apreciar a minha música.

11) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia  de gravação (home estúdio)?

Elino Julião Júnior: Vejo apenas vantagens onde tem tecnologia. Na área musical a qualidade de som em gravações e shows vem a cada momento avançando e isso abrilhanta mais o trabalho do artista no que se diz respeito a sonoridade musical com qualidade.

12) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Elino Julião Júnior: A internet a meu ver só ajuda o trabalho do artista independente. Seja, na divulgação, gravação até shows consigo fechar com empresários e produtores de eventos à distância. Em outra época era uma grande barreira que hoje em dia praticamente não existe. O acesso à internet beneficiou e simplificou tudo.

13) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Elino Julião Júnior: Eu invisto dentro da minha realidade financeira em propagandas em redes sociais de músicas e vídeo clips gravados por mim. E gravo minhas músicas e viajo para divulgar em rádios e faço apresentações em programas de TV.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Elino Julião Júnior: Tanto fora dos palcos ou dentro dos palcos a minha estratégia é divulgar a minha imagem e musicalidade. Eu participo da seleção de repertório, do figurino e dos músicos. E cuido da logística de viagens para shows e das entrevistas em programas de Rádio, TV, Jornais e Revistas.

15) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Elino Julião Júnior: A nossa música se divide em quem tem acesso à grande mídia através do poderio financeiro e quem não tem. A grande maioria dos artistas que tem acesso a grande mídia, não generalizando, mas grande parte faz uma arte com pouca essência, riqueza. Faz pelo sucesso e ganhar milhões está acima do ser artista e fazer arte verdadeira. A falta de um conteúdo que contribua com um algo positivo para o crescimento ou formação, valorização das pessoas está com pouca ou quase nenhuma oportunidade de visibilidade na grande mídia. Mas, por outro lado a internet propicia aos artistas com pouco ou nenhum poderio financeiro expandir a sua arte. Existem muitos artistas com propostas musicais ricas, interessantes, mas grande parte dos empresários não se interessa em apoiar, divulgar, dar chances. Mas acredito no talento e isso é o que pode fazer o artista acreditar e continuar a sua caminhada e chegar a alcançar o reconhecimento ou sucesso. Muitos artistas vêm aparecendo e mostrando música com uma proposta rica e com conteúdo salutar. Seria pretensão demais apontar quem regrediu, mas prefiro afirmar que tem muita gente boa, independente do gênero ou estilo musical, se destacando com boa musicalidade.

16) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

 Elino Julião Júnior: Aprecio a competência, talento, humildade de Dominguinhos. O fenômeno Sivuca. Meu pai Elino Julião um grande cantor e compositor com inúmeros sucessos no romantismo e forró, na voz singular da minha mãe a cantora e compositora Lucymar. O maravilhoso Lindú do Trio Nordestino com sua voz de ouro. Zito Borborema outro grande cantor. A capacidade inimitável de Jackson do Pandeiro com seu canto afinado e ritmado. O maior de todos, em cantar e tocar, o nosso “Rei do Baião” Luiz Gonzaga por sua contribuição com seu talento primordial ao nosso forró, a nossa música, aos nossos artistas.

17) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Elino Julião Júnior: Acontece de às vezes algum fã do meu pai Elino Julião me confundir com ele e sem saber que ele é falecido falar dá última vez que toquei em sua cidade, é divertido e embaraçoso também.

18) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Elino Julião Júnior: O que me deixa mais feliz é o carinho do público fiel, que não abandona o artista, independente de modismo musical da atualidade. As pessoas que cantam as músicas nos shows, que vem ao camarote conversar, tirar fotos, pode ser apenas uma pessoa, mas me proporciona uma alegria infinita e isso é o que me faz continuar e acreditar que estou fazendo a coisa certa. O que me deixa triste é a situação atual da nossa música em ver vários empresários criarem da noite pra o dia artistas que fazem sucesso. Artistas impulsionados por um esquema que empurra goela abaixo das pessoas uma proposta musical muita das vezes sem nenhum sentido real. Músicas com apologia a consumo de drogas, desvalorização da mulher e também do próprio homem, isso para mim não é arte musical ou qualquer arte.

19) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Elino Julião Júnior: A cena musical em Campina Grande (PB) mesma da maioria das cidades do nosso país, artista da terra com pouco espaço, a festa maior da nossa cidade feita com artistas que nada tem haver com a temática da festa junina e por aí vai.

20) RM: Quais os músicos e bandas locais que você recomenda ouvir?

Elino Julião Júnior: Artistas como, por exemplo, Jeito Nordestino, Amazan, Capilé, os 3 do Nordeste, são artistas que recomendo.

21) RM: Quais os fatores que faltam para uma cidade universitária e de forte comércio como Campina Grande, ter um mercado melhor para a profissão de músico?

Elino Julião Júnior: Falta ter uma valorização financeira mais digna para com os artistas de Campina Grande, por parte dos que fazem os eventos públicos e dos proprietários de espaço de música ao vivo para os clientes. Falta os próprios músicos se imporem, se organizarem, se respeitarem, e se valorizarem.

22) RM: Campina Grande que realiza o Maior São João do Mundo gera de fato um mercado profissional para os músicos locais?

Elino Julião Júnior: O mercado para quem é artista de forró em Campina Grande só existe ou existia durante a época junina. Agora com os prefeitos privatizando as festas juninas quem menos lucra ou tem espaço é o artista do forró autêntico. E Campina Grande que é um celeiro de grandes artistas, isso é prejudicial demais para a nossa cultura do forró.

23) RM: O que falta para o Festival de Inverno ter o mesmo destaque que o Maior São João do Mundo?

Elino Julião Júnior: Incentivo maior em todas as esferas de empresários e o poder público.

24) RM: Campina Grande que faz o Maior São João Mundo, tem espaços para dançar forró fora do mesmo de junho?

Elino Julião Júnior: Em alguns poucos estabelecimentos, por exemplo, restaurantes de comida típica nordestina dão espaço aos trios de forró.

25) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

 Elino Julião Júnior: Sim, pois não tenho poder financeiro para bancar uma divulgação pagando para tocarem minhas músicas em rádios. E, quem toca minhas músicas tocam por gostarem da minha proposta musical e acreditarem no meu talento musical.

26) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Elino Julião Júnior: Acredite em você, acredite no seu talento. Acredite que Deus está do seu lado sempre lhe protegendo e abençoando sua vida profissional, pessoal. Não prejudique nada e ninguém, respeite o seu colega artista que também merece espaço e busca esse espaço. E, enfrente as dificuldades com muita garra, pois sem as dificuldades, você não estará preparado e forte o bastante para continuar a caminhada árdua da música.

27) RM: Você estudou técnica vocal?

Elino Julião Júnior: Não.

28) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal para a saúde vocal?

Elino Julião Júnior: Esse conhecimento de cuidados com a voz, eu adquiri com meus pais durante a minha vida acompanhando eles. Até hoje sigo esses conselhos e cuidados.

29) RM: Quais os prós e contras de ter uma carreira profissional paralela a carreira musical?

Elino Julião Júnior: No meu caso não vejo problema algum, pois sou pós-graduado em Educação Física pela UEPB. Sou funcionário público efetivo da Prefeitura Municipal de Campina Grande. E consigo conciliar o show, ensaio, viagem sem nenhum problema de choques de horários com a profissão de professor.

30) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com João Gonçalves?

Elino Julião Júnior: Conheço-o através dos meus pais (Elino Julião e Lucymar). Ele é um grande amigo dos meus pais, já tive com João Gonçalves em alguns Eventos. É um grande artista do nosso forró.

31) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Capilé?

Elino Julião Júnior: Capilé é um amigo da família, carismático, já regravou e canta as músicas de Elino Julião. Participou cantando uma música com minha mãe Lucymar no recente CD gravado por ela e que foi produzido por mim.

32) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Lindú?

Elino Julião Júnior: Lindú para mim é um dos grandes artistas do nosso forró. Lindú é o passado, o presente e o futuro da nossa música com sua linda e poderosa voz. Desde criança escuto e canto as músicas de Lindú. Minha mãe Lucymar teve disco produzido na Copacabana discos no Rio de Janeiro por Lindú. Ela era amiga dele e de sua esposa Mariazinha. Ela sempre colocava os discos dele para nós escutarmos. É uma linda lembrança da minha infância. Até hoje nos meus shows eu canto as músicas do Trio Nordestino por ser fã incondicional.

33) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Lucymar?

Elino Julião Júnior: Lucymar (Mainha) é a pessoa mais importante da minha vida. E falar da artista Lucymar que tem uma linda historia na nossa música Nordestina é motivo de alegria para mim. Ela é uma grande cantora e compositora, um espelho constante em tudo que faço na música, na vida. Ela me incentiva sempre, aconselha, participa dos meus projetos de forma direta e indireta. Ela me ensinou os primeiros acordes no Violão. Ela me colocou para tocar em banda marcial na escola, na bateria de escola de samba no carnaval. É minha professora de canto. E recentemente produzi os seus dois recentes CDs. Ela participou do meu CD vol.3 cantando comigo o seu Sucesso “Tenha Dó” e cantou seu outro sucesso “Deixa de Besteira”. Lucymar é uma mãe amável, carinhosa, protetora. E sempre proporcionou para mim e para meus irmãos o caminho do estudo e deu essa condição para nós com muito esforço. E se realiza e se emociona em ver eu e meus irmãos caminhando na música.

34) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Elino Julião?

Elino Julião Júnior: Elino Julião (painho) partiu o homem por um chamado do nosso Deus e dele ficou as lembranças, não só de um grande artista, mas de um pai carinhoso e amável.  Ele deixou uma obra concreta e rica, uma história de sucesso que se renova com um público fiel e gigante em todas as faixas etárias de idade. E para mim como filho de sangue e herdeiro musical, levo não só o seu nome escolhido por ele, mas também o seu forró por onde passo nos palcos do nosso Brasil forrozeiro. É uma honra e responsabilidade que me deixa feliz, orgulhoso em carregar e defender essa bandeira chamada Elino Julião no nosso forró. Nos meus shows os seus fãs e contratantes sempre se emocionam quando canto as suas músicas, seja no Nordeste ou Sudeste, é muito emocionante a presença enorme do seu público e fãs.

35) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Alcymar Monteiro?

Elino Julião Júnior: Um grande cantor e compositor, um defensor da nossa música autêntica, da nossa arte, dos nossos forrozeiros, do nosso Nordeste. Amigo dos meus pais (Elino Julião e Lucymar). E meu pai já gravou músicas do Alcymar Monteiro. Eu admiro o seu trabalho.

36) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Dominguinhos?

Elino Julião Júnior: Dominguinhos, outro grande amigo dos meus pais (Elino Julião e Lucymar). E quem é forrozeiro autêntico e não escutar, cantar, Dominguinhos não sabe o que é forró. Grande artista, ser humano simples e humilde.

37) RM: Quais os projetos futuros?

Elino Julião Júnior: São vários, mas o que posso adiantar é que vem vídeo clip novo, CD novo, participações em trabalhos de outros amigos cantores, tudo isso para 2019.

38) RM: Quais os seus contatos para show e para seus fãs?

Elino Julião Júnior: [email protected]  | As pessoas que se interessam em me contratar para alguma apresentação podem me encontrar nas redes sociais buscando por Elino Julião Júnior.

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.