Dimi Zumquê

dmim zumque
Dimi Zumquê
Avalie esta Entrevista

O músico, cantor e compositor ribeirãopretano Dimi Zumqê, atua profissionalmente há mais de 14 anos.

Apresenta-se em várias casas da noite paulistana, carioca, interior de São Paulo e Minas Gerais. Fez abertura dos shows de Luís Melodia, Beto Guedes, Roupa Nova e Leny Andrade. Estreou em disco em 1992 com o LP Ritmos. Participou com 4 faixas do 1°Prêmio Incentivo de Música da Secretaria Municipal de Cultura de Ribeirão Preto. Em 1.998 Dimi lançou o CD – “Flora Caju” – Ao Vivo, com composições próprias e releituras de “Um Girassol da cor do seu cabelo” (Lô e Márcio Borges) e “Aquele Abraço” (Gilberto Gil). Esse disco deu origem ao show homônimo, que já foi apresentado no SESC Ipiranga, SESC Consolação, SESC Rio Preto, SESC São Carlos, SESC Ribeirão, SESC Araraquara, SESI Av. Paulista, Crowne Plaza, Supremo Musical, Café Piu Piu, Feitiço de Áquila Bar, etc.

Atualmente apresenta seu show nos vários CEUs da cidade de São Paulo, num projeto da Secretaria Municipal de Cultura daquela cidade, ao lado de nomes como Chico Saraiva, “Caboclada”, Mauricio Pereira, etc, tendo sido selecionado pelo musicólogo Zuza Homem de Mello. Prepara-se também para lançar novo disco. A partir de 2002 iniciou participação em festivais, com destaques para:1° lugar no I Festival SEMP TOSHIBA Transamérica, em Dezembro de 2002 no DirecTV Music Hall , São Paulo, com a música “Meninos do Morumbi” (Dimi Zumquê). 1° lugar, melhor letra e melhor intérprete no 4° festival de Música de Jundiaí, dezembro de 2002, com a canção “1,2,e…” ,( Dimi /Josias Damasceno). 1° lugar no XX FAMA (festival de Música de Alegre –ES), junho de 2003, se apresentando para um público de 25.000 pessoas, com a canção “1,2,e…”. 2° lugar e melhor intérprete na XXI FAMPOP ( Feira de Música de Avaré), setembro de 2003, com a canção “1,2,e…”. 1° lugar no 5° Festival de Música de Jundiaí, dezembro de 2003, com “Morro” (Dimi/Márcio Coelho). 3° lugar no Serra Musical (Serra Negra) e também no Paraíso Festival. 1° Lugar no 30° Festival Nacional MPB de Ilha Solteira (2004). E ainda finalista do e-festival IBM (2002 e 2004).

Segue abaixo entrevista exclusiva com Dimi Zumquê para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 01 dezembro 2005:

01) RitmoMelodia: Fale do seu primeiro contato com a música. Cidade de origem e data de nascimento?

Dimi Zumquê: Sou de Ribeirão Preto – SP. Nasci no dia 23/01/1967 e meu nome de batismo, Edmilson, se deve a um sanfoneiro que acompanhava uma companhia de Folia de Reis. Meu pai gostou do rapaz tocando e, deu o mesmo nome ao filho que iria nascer. Depois vieram os “pagodes”, festas regadas à música caipira, onde meu pai empunhava o violão  e eu batucava na caixa vazia da sanfona, demonstrando desde cedo muito ritmo.

02) RM: Quais foram as suas principais influências musicais? E quais permanecem presentes no seu trabalho?

Dimi Zumquê: Meu pai, já citado, sempre me influenciou. Mas me lembro bem que foi num show do Gilberto Gil, mais precisamente o “UMBANDA UM” que decidi realmente me enveredar pelo mundo da música. Engraçado é que estava trabalhando, vendendo sorvete no ginásio, não conhecia o trabalho do artista, mas quando ele “atacou” com aquela energia e ritmo, uma luz se acendeu na minha cabeça: é isso! O sorvete derreteu.

03) RM: Qual a sua formação musical? E quando iniciou a sua carreira musical?

Dimi Zumquê: Tive as primeiras aulas de Violão aos 11 anos, mas logo abandonei e parti para o autodidatismo. Depois só aos 17 com um professor local, que foi quem me colocou para trabalhar na noite. Depois me aprimorei com cursos de harmonia.

04) RM: Quantos discos lançados? Em que anos e títulos? Defina cada obra?

Dimi Zumquê: Lancei meu primeiro disco, Ritmos, ainda no formato vinil, em 1992. Todas as canções próprias, e, como o próprio nome diz, com vários ritmos:samba, funk, bossa, baião. Em 1998 participei com 04 faixas no CD I° PRÊMIO INCENTIVO DE MÚSICA DE RIBEIRÃO PRETO ao lado de dois outros autores. Um disco mais profissional e que lançou luz ao meu trabalho. Ainda em 1998 gravei CD – “FLORA CAJU”, o primeiro disco gravado ao vivo na cidade, com ótima repercussão. Esse trabalho me permitiu mudar para São Paulo, fazer shows, e obter uma boa resposta do público. Em 2005 lancei do CD – Dimi Zumquê – Vol 03 – Com canções próprias com destaque para “1, 2, e…” parceria com Josias Damasceno e “Meninos do Morumbi”, canções vencedoras de vários Festivais de Música, além da participação do cantor Lula Barbosa em “Amor Incondicional” (Dimi e Lula).

05) RM: Fale sobre o seu show.

Dimi Zumquê: Sempre gostei de apresentações ao vivo. Gosto do palco, e muitas vezes o show supera o disco. O ecletismo reina em composições próprias e releituras. No show atual, mesclo canções do último disco e outras do próximo, a ser lançado no 1° semestre desse ano (2005). Interpreto ainda Lenine, Carlos Dafé e Gilberto Gil.

06) RM: Como analisa a produção musical dos anos que está sendo feita a partir da década de 90?

Dimi Zumquê: Bem, sempre tivemos um ritmo reinante: axé, pagode, rock; mas não eram os únicos, apenas os que mais apareciam. Isso dificultou, mas não impediu o aparecimento de novos artistas. Gosto do momento atual em que a Internet democratiza um pouco o acesso de todos nós

07) RM: Quais os prós e contras de fazer um trabalho na cena independente?

Dimi Zumquê: Como pró, ser dono do próprio trabalho. Gravar o que quer e ter a exata noção da divulgação. Contra: a falta de grana, estrutura e acesso aos canais de mídia.

08) RM: Como você analisa a atuação cultural e musical dos seus contemporâneos?

Dimi Zumquê: Vejo a minha geração se interessando cada vez mais no processo de criação. Não apenas nas composições, mas nos arranjos, mixagem, possibilidades de divulgação. Acho que isso se deve ao advento do computador que através de programas de gravação e edição de música possibilitam fazer um disco dentro de casa (home studio)  sem muito custo.

09) RM: Quem são seus principais parceiros musicais?

Dimi Zumquê: Josias Damasceno, Márcio Coelho e Lula Barbosa.

10) RM: Quais são os projetos futuros?

Dimi Zumquê: Em 2006 pretendo divulgar meu CD novo, me apresentar em quantos palcos for possível e participar de alguns festivais, além de continuar compondo mais e mais…

11) RM: Quais são os seus contatos?

Dimi Zumquê: (16) 3617 – 8203 |  [email protected]

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.