Crys Araújo

crys
  • 60
    Shares
Crys Araújo
Avalie esta Entrevista

A cantora, compositora paulistana Crys Araújo teve o seu primeiro contato com a música ainda criança na casa do seu tio Nicanor e depois no Coral da Escola quando começou a ser alfabetizada aos sete anos de idade em 1974, com a professora Dona Leonor.

Em 2005 fez aulas de Canto Popular com Irma Garcia se preparando para entrar na ULM – Universidade Livre de Música – Tom Jobim – Unidade Luz estudou dois semestres. Com influências musicais que vão de: Elvis Presley, Luiz Gonzaga, Zé Geraldo, Ary Barroso, Chico Buarque, Gonzaguinha, Benito Di Paula.

Ela cantou durante quinze anos em cerimônias de casamentos  treze anos no Coral Tânus e por dois anos no Coral Monte Carlo. Onde teve o prazer de cantar junto com: Agnaldo Rayol, Altemar Dutra Jr., Rubens Medina, Jorge Durian na época Adur, Thiago Arancam.

A experiência musical passa por cantar em Bares, Festas Particulares, Festas de Ação Social  e Festas de Empresas. Foi vencedora por Voto Popular no Festival Expo Samba de São Paulo  com a canção: Um Verso e Um Chorinho de Hardy Guedes. As eliminatórias aconteceram no Teatro e a Final na Comedoria e Choperia do SESC Pompéia em São Paulo ano de  2013. Cantou no Evento Troféu Raça Negra em Homenagem a Martinho da Vila no Hotel Maksoud Plaza no dia 20 de novembro de 2015. E no dia 21 de novembro de 2016 no Evento Troféu Raça Negra no Hotel Renascence, evento realizado pela Afro-bras Faculdade Zumbi dos Palmares em Homenagem à Elza Soares.

Em 05 de agosto 2016 participou do Festival de Andradas e cantou em coro juntamente com os outros participantes em Homenagem ao cantor e compositor mineiro Vander Lee, falecido na mesma data.

Lançou em 27 de novembro de 2016 no SESC Piracicaba – SP o seu primeiro álbum – “Eu Sou Latino Americana” que foi produzido e arranjado  por Tiago Stocco  com parcerias de arranjos de  Silvio Zuccolotto . O disco traz o suingue dos gêneros musicas da América latina: Samba Jazz; Samba Choro; MPB; Tango; Regional.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Crys Araújo para a www.ritmomelodia.mus.br , entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 19.12.2016:

01) Ritmo Melodia : Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Crys Araújo : Nasci dia 25/09/1966 às 15:20 em São Paulo. Meu nome de batismo é Teresa Cristina Araújo. Crys Araújo é como meus amigos me chamam.

02) RM : Fale do seu primeiro contato com a música?

Crys Araújo : Começou em casa e na casa de meu tio Nicanor, irmão de minha madrasta Dilza Maria Araújo. E quando entrei para escola para ser Alfabetizada aos sete anos de idade fiz parte do Coral das Escolas Municipais de São Paulo e éramos instruídos pela professora Dona Leonor. Nas escolas: tenente Alípio Serpa próximo ao bairro do Educandário, Amorim Lima na Vila Indiana e Roberto Mange no Jardim Maria Luíza no quilômetro 15 da rodovia Raposo Tavares; todas as escolas, na Região do Butantã, Zona Oeste de São Paulo.

03) RM : Qual a sua formação musical e\ou acadêmica (Teórica)?

Crys Araújo : Não conclui minha formação musical. Em 2005 fui preparada por minha amiga, a Irma Garcia, professora de Técnica Vocal para entrar na ULM – Universidade Livre de Música – Tom Jobim, unidade Estação da Luz, mas só consegui estudar um ano, pois repeti dois semestres da disciplina de Percepção musical, ministrada por Julio Bellodi e perdi a bolsa de Estudos. O Julio se tornou, depois, meu parceiro musical.

04) RM : Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Crys Araújo : Quando criança antes da escola começou com Elvis Presley, por causa dos filmes de Sessão da Tarde, depois Luiz Gonzaga e Zé Geraldo. Luiz Gonzaga pelos ritmos maravilhosos que representavam os nordestinos, meus pais, tios, avós são baianos de Queimadas – BA. Tio Nicanor da Silva gostava de ouvir Zé Geraldo aos finais de semana naquele quintal imenso onde era sua residência no Jardim Isaura em Barueri – SP. Zé Geraldo era o cantor dos trabalhadores da construção civil na época, por causa da música de sucesso Cidadão.  Tio Nicanor colocava a Vitrola para fora da sala na porta de entrada da casa, mirava os falantes para o horizonte e soltava o som. Assim “O Som“ iria acompanhá-lo durante o dia em sua plantação no preparo de seu pequeno Canavial, mandiocas, hortaliças. Tio Nicanor e meu pai Eugênio Araújo trabalhavam na área da construção civil como ajudantes no inicio depois, pedreiros, mestre de obras. E fui também influenciada por Ary Barroso, Chico Buarque, Gonzaguinha, Benito Di Paula; que eram os artistas que a professora Leonor nos apresentava as canções. Eles continuam me influenciando até hoje.

05) RM : Quando, como e onde  você começou a sua carreira musical?

Crys Araújo : Eu cantei durante quinze anos em festas e cerimonias  de Casamentos, treze anos cantando no Coral Tânus, inclusive, Nadir Tânus, que foi durante um tempo meu padrasto casado com minha mãe Dilza e mais dois anos no Coral Monte Carlo, em que ganhei meu sustento e dos meus filhos Lucas Joseph e Evandro Lasakosvitsch nos anos 90.

E como cantora mezzo-soprano em Coral, eu tive o prazer de fazer contracanto com os cantores: Agnaldo Rayol, Altemar Dutra Jr., Rubens Medina, ”Jorge Durian” na época Adur, Thiago Arancam e ser acompanhada por alguns músicos da Banda Mantiqueira: Gericó Trompetista e outros, o trompetista Reginaldo e a cantora Tereza que mais tarde os dois fizeram parte da banda Clube do Balanço e muitos músicos, cantores eruditos e populares maravilhosos. Estas apresentações eram em casamentos nas Igrejas: São José no Jardim América; Nossa Senhora do Brasil; Perpétuo Socorro; Nossa Senhora Aparecida no Ibirapuera, Cruz Torta em Pinheiros; Coração de Jesus no Bom Retiro e outras Igrejas de São Paulo e em formaturas que aconteciam em lugares diversos, mas, na grande maioria aconteciam no Palácio das Convenções do Anhembi.

Sites têm mais informações www.coraltanus.com.br e www.coralmontecarlo.com.br.

06) RM : Fale do seu primeiro disco (quais os músicos que participaram nas gravações).? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que entraram no gosto do seu público?

Crys Araújo : Estou na minha primeira experiência de gravação de disco que foi produzido na Stocco Escola de Musica e Studio com Tiago Stocco como produtor, músico e arranjador. Ele gravou Violão, Contrabaixo, dirigindo e comandando sua equipe de músicos: Hector Fellipe – Violoncelo; Arranjo Cello – Paco Nabarro; Jonecir Fiori – Acordeom; Ricardo Pitchu – Bateria; Alessandra Maria – Percussões: Reco de madeira, clave, sinos, palmas, berimbau, ganzá bongo, Cajon, bumbo leguero.

E Marcos Sabo – Viola Portuguesa na canção O Barqueiro de Lupércio Albano e Edmilson Costa; Juliano Emídio Mends – na percussão das Canções Um Verso e Um Chorinho de Hardy Guedes Alcoforado Filho e Corasamba Paulistano de Lula Barbosa e Julio Bellodi. Juliano também canta, compõe e fez parte da banda Seleta Depois.

Arnaldinho do Cavaco me dá a grande honra de ter arranjado e tocado na canção Um Verso e Um Chorinho os instrumentos: Violão, Violão de sete cordas e Cavaquinho. Tem participação de Mario Lucio Marques nos sopros das Canções: A Dança das Borboletas de João Bá e Vidal França (Flauta), Latino-americano de Flaviano Guerra “Flavito”, Mário Lúcio   toca Saxofone;  Em Um Verso e Um Chorinho de  Hardy Guedes Alcoforado Filho toca Flauta , Corasamba Paulistano, toca Clarinete e na canção O Tempo e o Trem de Crys Araújo e Silvio Zuccolotto, ele toca Saxofone.

Xevi Compte, meu querido amigo, ele tocou Piano na canção Alcance de Antônio Sapiranga. Xevi é musico formado na Catallunã morador em Vidreress, próximo à Girona Barcelona – Espanha. Ele aplica Massagem Sonora, que é um sistema de harmonização pessoal através do som desenvolvido pelo resultado de sua dedicação e pesquisa desde 1997. Xevi é Pianista, compositor, formado em arte-Terapia, estudando o Master of Music Therapy na Universidade de Barcelona e é especializado na harmônica de canto e instrumentos étnicos –www.xevicompte.com.

E um grande prazer de ter a participação de Henrique Santana com seu toque Cigano no Violino nas canções: O Tempo e Trem, A Dança das Borboletas, Os Pássaros de Karan Fernandes e na canção Loucos de Augusto Rabetti e Crys Araújo que creio ser a canção mais popular e mais pedida entre meus amigos.

A ficha técnica do CD – Eu Sou Latino-americana

Produzido por Tiago Stocco; Gravado na Escola Stocco Studio; Arranjos: Silvio Zuccolotto e Tiago Stocco; Mixado e masterizado por Arthur Sabbadin; Fotos Lucíola Zvarick

O Show de lançamento aconteceu  no Domingo 27 de Novembro de 2016 no

SESC Piracicaba as Horas 16h00  na Comedoria Fazendo Parte do

Som de Domingo e tem alguns vídeos no

You Tube , canal do Google Teresa Cristina Crys Araújo

Em Dezembro de 2016 já disponíveis em + de 80 Plataformas Digitais Alguns

Exemplos Spotify, Deezer,  ITunes,  Google Play para ouvir e baixar …

O Perfil do disco permeia pela Energia do Amor. Amor pela natureza, pela Arte, Amor  Por minha Família , pelos Meus Amigos, Amor Sobre Todas às Coisas. Esta é a energia que tenho trabalhado para ele. Em ritmo ele passa por gêneros como: Samba Jazz; Samba Choro; MPB; Tango; Regional. Esse Swing latino-americano de várias influências.

São onze canções, além das que  já comentei. Completa com as canções: Os Quatro Elementos de Costa Senna; Mote Matéria de Karina França e Chico Branco. E com a participação de Osmar Medrado tocando zabumba e triângulo em Os Quatro Elementos e Alfaia em Mote Matéria.

07) RM : Como você define o seu estilo musical?

Crys Araújo : Defino como Música Brasileira.

08) RM : Como é seu processo de compor?

Crys Araújo : Ás vezes a canção me vêm como inspirações se eu me propuser a senti-la, me vêm como livre inspiração quando acompanhada musicalmente. E por isso, preciso gravar no momento, se não o fizer, eu raramente lembrar-me-ei depois. Mas tenho sentido que preciso dar mais atenção a esta questão, estou esperando passar este momento de tensão em que atualmente me encontro. Por conta do lançamento do Álbum. Eu quero me preparar para começar a me dedicar ao aprendizado de tocar Violão.

09) RM : Quais são seus principais parceiros musicais?

Crys Araújo : É meu esposo Silvio Zuccolotto que é Contrabaixista, Violonista, um ótimo arranjador. Ele está sempre me acompanhando musicalmente, meu querido Amigo Flavito Guerra e meu mestre e amigo Julio Bellodi

10) RM : Você estuda técnica vocal?

Crys Araújo : Sim. E sempre que posso dou uma estudada relendo anotações, praticando os exercícios vocais que adquiri com minha primeira mestra de Canto Popular, Irma Garcia e meus mestres da Tom Jobim: Laércio Resende na prática de conjunto onde tive o prazer de estudar com meus queridos Amigos Jhony Guima da banda Nhocuné Soul  e com Pedro Novas o Transformers  Deena Love , Tuca Fernandes mestra na técnica vocal e Roni de Carvalho ao Piano que nos acompanhava na aula em dupla que era com minha querida companheira de estudos vocais Monalisa Neves.

11) RM : Qual a importância do estudo da técnica vocal e os cuidados com a saúde vocal?

Crys Araújo – O Estudo ajuda na melhora e na saúde vocal por me dar noção de como melhor usar a Voz sem forçá-la. Assim utilizando os seus vários recursos sonoros como os médios graves e agudos. Quanto aos cuidados, eu não tomo água gelada; ando sempre com o pescoço protegido por um lenço; não falo quando estou no meio de sons muito altos; como maçã; tomo pelas manhãs em jejum um copo grande de água com um limão sem açúcar batido no liquidificador com casca, mas corto o miolo do limão para o suco não ficar amargo e gosto de tomar mel “uma colher de sopa“, antes de dormir.

12) RM : Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Crys Araújo : Os Prós é que quando se ganha dinheiro com o que se faz, é uma forma divertida de se ganhar. E quando não se ganha dinheiro, foi só mais uma diversão.

13) RM : Quais as estratégias de planejamento da sua carreira musical dentro e fora do palco?

Crys Araújo – Dentro do palco tenho que estar atenta a todos os acontecimentos e fora dele também.

14) RM : Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Crys Araújo : A de dar Atenção e Carinho às pessoas, pois, estou sempre me apresentando para amigos ou por causa deles haverem me indicado algum trabalho.

15) RM : O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Crys Araújo : A internet para mim só ajuda, através dela conheço pessoas, estudo novas canções, comunico-me com músicos, compositores e afins. Através dela no ano de 2013, eu tive o prazer de ter sido convidada por meu querido agora amigo Hardy Guedes Alcoforado Filho a defender no Festival São Paulo Expo Samba nas finais que aconteceram no SESC Pompéia a canção Um Verso e Um Chorinho  no qual foi minha primeira experiência em Festivais e fomos agraciados com o segundo lugar por “voto popular” através da internet. E isso depois de Hardy Guedes ter concorrido inicialmente com mais de mil sambas que foram inscritos no festival. E Também consegui gravar através da internet a canção Alcance de Antônio Sapiranga com meu querido Xevi Compte pianista, compositor, musico terapeuta… Enfim só dou Vivas e agradeço a Deus por ter permitido aos seres humanos esta descoberta “A Internet”…

16) RM : Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia  de gravação (home Studio)?

Crys Araújo : Só vantagem, pois, possibilita um maior acesso á execução das canções e tudo mais nela envolvidos.

17) RM : No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Crys Araújo : São o meu carinho e atenção com as pessoas, com os amigos, pois, sempre é a partir deles que me é dado possibilidades para apresentar o meu trabalho…

18) RM : Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às Revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Crys Araújo : O cenário brasileiro tem melhorado por se ouvir e produzir mais canções brasileiras. Agora quanto ao tipo de canções que eu gosto e dentre eles os que surgiram nas duas últimas décadas são: Skank, Zeca Baleiro, Jota Quest, Rita Ribeiro (agora Rita Benedito), Céu, Vander Lee (infelizmente, falecido esse ano), Vanessa da Mata, EMICIDA. O Grupo RZO e a Negra Li, não que eu ache que sua qualidade caiu, mas, eles andaram sumidos da cena, mas estão retornando agora.

19) RM : Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Crys Araújo : Renato Teixeira, Almir Sater, Zé Ramalho e Zé Geraldo.

20) RM : Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Crys Araújo : Já aconteceram diversas: público pedindo para eu cantar canções que não são do meu repertório; briga entre clientes; um dos moradores do condomínio de festa de final de ano que já embriagado achou ruim que eu estava comendo e bebendo da comida dele; levar cantada e pedir para pessoa se conter, pois, meu marido é um dos músicos da  banda e poderia complicar; não receber cachê que me lembro aconteceram duas vezes; falta de Condições técnicas aconteciam quando era convidada para eventos de amigos no início de carreira ,mas  agora graças a Deus eu levo meus equipamentos necessários…

21) RM : O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Crys Araújo : Me sinto feliz sempre que canto e o que me deixa triste é ficar muito tempo sem cantar.

22) RM : Quais os músicos, bandas que você indica como uma boa opção?

Crys Araújo : Antônio Sapiranga que já está em seu quarto disco, inclusive agora vem com seu novo trabalho A Popular Musica Brasileira com participações de Margareth Menezes, percussionista Papete (infelizmente, falecido esse ano), Zeca Baleiro e Xangai. Ítalo Lenker com seu primeiro CD – Forasteiro, curto muito o trabalho dele; um compositor maravilhoso. Tiago Stocco, eu adorei o seu CD – Palavra Certa. O cantor, ator e poeta Costa Senna curto muito sua arte inspirada nos cordéis. O Lula Barbosa me encanta suas composições e a sua voz. Enfim, tem muita gente boa aqui em Sampa.

23) RM : Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Crys Araújo : Elas só tocarão se for sem pagar o jabá, pois, no momento não tenho condições financeiras para pagar (risos), mas tenho fé e acredito que tocarão sim.

24) RM : O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Crys Araújo : Que antes de tudo que se tenha muito amor por sua arte para suportar a caminhada que é “dura“.

25) RM : Como você analisa o papel da mídia em relação ao mercado musical?

Crys Araújo : O Papel dela no geral seria facilitar a apresentação de todos os tipos musicais, mas ela no geral só mostra quem paga para aparecer.

26) RM : Qual a sua relação pessoal e profissional com Augusto Rabetti?

Crys Araújo : Conheci Augusto Rabetti em 1996 no bar de Rock and Roll do Amadeu na época ainda no Bairro do Mangalôt em Pirituba – SP, Região que moro já há alguns anos desde que saí do Butantã. Ele queria retornar com sua banda, mas tinha que buscar todos os integrantes. Nessa época eu cantava no Coral Tânus e cometei com ele que cantava em coral e ele me chamou pra ser banking vocal na banda, eu aceitei. Foi minha primeira experiência com a música popular brasileira, já que no coral eu cantava canções eruditas. E no bar onde a gente se encontrava, conhecemos o Terry Cardoso que veio a ser o guitarrista da Quarta Banda, nome dado por ser a sua quarta tentativa com banda. Depois vieram a fazer parte da Quarta Banda, o Paulo Amaro na bateria, Roberto Seixas na percussão, Neto Trindade no contrabaixo, dele eu me lembro bem, porque depois passaram muitos baixistas pela banda e Rubens no violão, o “Rubão Toca Raul”. Tocamos em algumas feiras: Feira de Artes do Ipiranga; Feira de Artes de Pirituba, Feira de Arte da Vila Madalena e em eventos diversos em 1997 , se não me engano, gravamos a canção Loucos no CD Coletânea Rock em Pirituba e depois seguiu cada um o seu caminho.

27) RM : Qual a sua relação pessoal e profissional com Lunna Rabetti?

Crys Araújo : Lunna Rabetti é filha de Augusto e como ela já conhecia meu canto por conta da minha passagem pela Quarta Banda, ela pediu para que Augusto me convidasse para fazer banking em suas canções que ela intencionava gravar. Ele fez o convite de forma tímida pensando que eu não aceitaria por conta de serem canções no estilo Hip Hop . Ficou surpreso com a minha resposta positiva e entusiasmada, pois na época achei que seria uma oportunidade maravilhosa de expandir meu canto por outras vertentes musicais. Acho o Hip Hop a nova linguagem musical de dizer as verdades com lucidez e arte assim como foi com a MPB quando ela surgiu.

Pensei que seria só participação nas gravações, mas acabei fazendo parte do Grupo Livre Ameaça; na época eram Lunna e Silene Alves nas levadas (sampler), eu banking vocal, Deejay Simone Lasdenas , Luzia Souza na Performance Teatral , fizemos algumas gravações que vieram duas delas a concorrer como melhor “demo” feminino no Festival Hutúz no ano de 2003 que não vencemos e outra em 2004, em que fomos vencedoras e premiadas com o Troféu Hutúz na noite do dia 11/11/2004 em cerimônia que aconteceu na casa de Show do Canecão no Rio de Janeiro e na noite do dia seguinte tivemos a honra de termos nossa apresentação como Show de Abertura para os Racionais M’Cs no espaço montado para os shows no Armazém do Porto com casa lotada. Foi Maravilhoso!

Depois fizemos mais algumas apresentações, uma delas com Alessandro Buzo em um dos eventos Favela Toma Conta, outra em Ubatuba-SP com o pessoal do Hip Hop da Paz alguns dos organizadores eram DJ e músico Jean Blackin e seu irmão DJ Hickey Araújo.

Fizemos parte de alguns CDs Coletâneas, um deles da Rádio 105 FM no Espaço RAP e outro na canção Ei Mulher esta produzida pelo DJ Raffa Santoro com participação de vários artistas.

28) RM : Quais os seus projetos futuros?

Crys Araújo : Gravar um Álbum de sambas diversos de amigos compositores que conheci no festival Expo Samba 2013. Estudar Percussão, Inglês para dar uma brincada com o Blues e o Rock. E quero aprender a tocar instrumentos de cordas: Violão, Viola, Contrabaixo e afins.

29) RM : Quais seus contatos para show e para os fãs?

Crys Araújo : Eu uso bastante a Face book para contatos de Shows e tudo mais: https://www.facebook.com/cantoracrysaaraujo  | Tem meu Site que a fotógrafa Carina Terra fez: http://cantoracrysaraujo.wix.com/crysaraujo  | (11) 3979 – 5070 | 3483-2379 | 9.9748 – 0457 (Vivo e WhatsApp) | 9.7042 – 8322 (Oi) |  [email protected]

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.