Andréa Costalima

andrea costalima
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Cantora, compositora e professora de canto baiana Andréa Costalima. Ela em 1995 deu um largo passo na carreira com o show The Man I Love – Canções de Gershwin, no qual vestia as maravilhas do genial compositor norte-americano com elementos brasileiros.

Entre 1998 e 2003 integrou o grupo vocal Apsitri. Em 2004 ganhou o prêmio de Melhor Intérprete no II Festival da Rádio Educadora FM, defendendo a canção Mais Uma Vez (Gigi). No ano seguinte montou o show Jóia Singular, espetáculo que mostrava forte presença cênica. Em 2007 teve a oportunidade de abrir shows de Arnaldo Antunes no projeto MPB Petrobrás, mostrando repertório autoral.

E a partir de 2007 passou a fazer o show SUA PRESENÇA. Todas essas experiências resultaram em SUA PRESENÇA, o disco, resultado do amadurecimento musical ao longo desses anos. Desde então lançou o CD – SUA PRESENÇA em show dirigido por Fernando Marinho no teatro Módulo (Salvador – BA) em agosto de 2008, apresentou-se em todo circuito de Salvador, e em janeiro de 2009 radicou-se em São Paulo para fazer seu canto correr o mundo. Neste ano apresentou um pocket show de lançamento do CD – SUA PRESENÇA na Livraria Cultura(Market Place) e no Sarau Diverso Politeama. Em abril de 2010 apresentou o show SUA PRESENÇA no Ao Vivo Music Bar e em julho o show especial de lançamento do CD no Café Paoncom participação do artista Max de Castro, gravou o programa de TV Vitrolla da All Tv e Rádio Papo de Músico, ambos apresentado pelo renomado jornalista Toninho Spassoto (falecido em dezembro de 2010). Apresentou-se em Pocket show na 22º bienal do livro de São Paulo e na Biblioteca de São Paulo. Em outubro apresentou-se novamente no Café Paon com a participação especial da cantora Jannu Bastos, seguindo em turnê de lançamento nas cidades de Brasília, Fortaleza e Campinas. O CD – SUA PRESENÇA está sendo distribuído pela Tratore, vendido em todo Brasil e em sites internacionais sendo muito bem recebido pela crítica especializada. Um trabalho feito com segurança, consciência e muito, muito talento.

Se você é daqueles que pensam que toda menina baiana faz axé, vai tomar um belo susto ao ouvir o CD – SUA PRESENÇA. Produzido por Yacoce Simões e Tércio Guimarães, o disco gravita entre samba, jazz, bossa nova, pop, baião numa mistura sonora surpreendente e bem elaborada. As variações estilísticas recebem força ainda maior em se tratando da qualidade vocal da cantora.

Além de uma presença belíssima, canta como poucas. Não caindo nos chavões da música de sua terra natal, a Bahia. A Bahia está impressa na alma, no afeto de suas interpretações, no charme e na exemplar divisão rítmica que impõe nas canções. A cada canção, imprime cores fortes e próprias. O show traz grandes canções, algumas assinadas por ela própria e outras de autoria de grandes novos nomes da música da Bahia como Jorge Zarath, Gigi, Tito Bahiense e Tenison Del Rey. O repertório mostra algumas músicas inéditas do CD – Sua Presença como: “Tempo Sereno” (Anderson Cunha), “Beija Flor” (Andréa Costalima), “Imâ” (Ricardo Guimarães) entre outras, além de releituras de clássicos da musica brasileira como: “Eu quero um xodó” (Dominguinhos/ Anastácia), “Que nem Jiló” (Luiz Gonzaga/ Humberto Teixeira); “Lobo Bobo” (Carlos Lyra/ Ronaldo Bôscoli); “Choro Bandido” (Edu Lobo/ Chico Buarque) entre mais algumas. Ela é acompanhada por músicos de primeiro time como: Tércio Guimarães – arranjos, saxofones, violão, piano, além de assinar a direção musical; Sidiel Vieira – baixo acústico; Sérgio Reze – bateria; Jelber Oliveira – piano e acordeom.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Andréa Costalima para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa  em 16.03.2013:

01) RitmoMelodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Andréa Costalima: Nasci em Salvador – Bahia, no dia 23 de agosto de 1974.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Andréa Costalima: Não sei datar com exatidão do primeiro contato. Sempre cantei. Em casa com meus irmãos, na escola participando de festivais estudantis, brincando com amigos… A música sempre esteve muito presente na minha vida, me desenvolver profissionalmente nesse seguimento foi muito natural.

03) RM: Qual a sua formação musical e acadêmica fora música?

Andréa Costalima: Estudei (desde os 15 anos idade) e ainda estudo canto erudito e popular. Fiz master class e workshops de canto. Fiz oficina de Fonoaudiologia para canto popular e erudito. Estudei piano e no momento voltei para a faculdade de licenciatura em música que havia deixado para trás quando os compromissos profissionais ficaram apertados. Hoje tento conciliar para concluir minha graduação acadêmica. Fora a música, eu tenho formação em artes plásticas, que hoje é meu hobby.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente? Quais deixaram de ter importância?

Andréa Costalima: Cresci ouvindo muita música brasileira como Tom Jobim e Chico Buarque. Ainda na infância conheci The Beatles, na adolescência conheci o jazz e o rock progressivo. Todos me influenciaram muito, nenhum deixou de ter importância. Ainda escuto, sempre. Cantoras como Ella Fitzgerald, Elis Regina, Jane Monheit, Kate Bush, Diana Schurr, Diana Krall, Rosa Passos, grupos como Yes, Deep Purple, Mutantes, cantores como Bob McFerrin, Michael Bublé, Michael Jackson, Steve Wonder entre tantos outros.

05) RM: Quando, como e onde  você começou a sua carreira musical?

Andréa Costalima: Com 15 anos de idade comecei a fazer apresentações em barzinhos e bailes de carnaval, mas me sentia ainda despreparada para assumir a responsabilidade profissional, então esperei sair do colégio. Já estava na faculdade de Artes Plásticas quando decidi cantar profissionalmente. Tinha então 18 anos. Cantei em bares, fazia eventos culturais. Comecei a acompanhar artistas baianos como backing vocal e em paralelo fazia shows solo. Em 1995 fiz um show tributo ao compositor norte-americano George Gershwin, em que misturei o jazz e ritmos brasileiros. Esse é um show que vou remontar. O trabalho autoral veio alguns anos mais tarde, após muitas experiências, cantando um pouco de tudo, quando senti muita tranquilidade e certeza do que queria gravar. Acho que o CD veio na hora certa, com mais maturidade. Toda essa história começou em Salvador-BA.

06) RM: Fale do seu primeiro CD (quais os músicos que participaram nas gravações). Qual o perfil musical do CD? E quais as músicas que se destacaram no CD?

Andréa Costalima: Participei de alguns projetos, CDs e DVDs de artistas nacionais. Porém o CD – SUA PRESENÇA é o meu primeiro CD autoral. Tive a felicidade de ter comigo neste disco músicos que admiro muito, que só enriqueceram as músicas. Foram eles: Tércio Guimarães (Produção, arranjos, direção musical, piano, rhodes, pad, saxofones e coro), Robson Cunha(bateria), Eduardo Cubano (percussão), Alex Mesquita (violão), Ronaldo Borges (Baixolão), Alexandre Montenegro (Baixo Acústico e fretless) Yacoce Simões (Produção e acordeon), Kabo Duca (Percussão) Jelber Oliveira (Piano), Orquestra de cordas de Campinas, Tito Bahiense (coro e voz). As músicas mais executadas desse CD foram: “Mais uma vez” (Gigi),“Ciranda” (Tito Bahiense), “À Vontade” (Daniela Tourinho) – canção do meu primeiro vídeo-clipe.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

Andréa Costalima: Música brasileira, música do mundo.

08) RM: Como você se define como cantora/interprete?

Andréa Costalima: Uma artista que canta com muita alma e sentimento, que procura aprimorar seus conhecimentos constantemente, que respeita a música acima de tudo.

09) RM: Você estudou técnica vocal?

Andréa Costalima: Sim. E ainda estudo, desde os 15 anos de idade.

10) RM: Você como professora de canto quais as principais técnicas que se deve aprender e dominar no estudo de técnica vocal?

Andréa Costalima: A técnica vocal é uma só, o que difere é direção (erudito e popular). Deve-se aprender tudo que acerca o instrumento (Voz), da sua fisiologia à interpretação. Deve-se ter critério e conhecimento para manter a voz saudável e aumentar sua vida útil. E continuar praticando os exercícios elementares sempre para manter a musculatura em forma, sempre pronta.

11) RM: Quais os principais cuidados que o cantor deve ter com a saúde vocal?

Andréa Costalima: Beber muita água, dormir bem, exercitar a musculatura vocal corretamente. E evitar esforços inúteis como a competição sonora, aquecer a voz antes de usar e desaquecer depois, cuidar da saúde do corpo e da mente, evitar tossir, gritar, sussurrar, falar em volume adequado e com inflexões crescentes, não fazer uso de fumo, drogas e bebidas alcoólicas, evitar pastilhas e alimentos ácidos. Estes são alguns cuidados básicos. Para quem já tem alguma disfonia deve-se procurar um profissional (Otorrinolaringologista e fonoaudiólogo) para avaliar e corrigir possível patologia.

12) RM: Quais os principais erros cometidos por cantores que não estudando a técnica vocal?

Andréa Costalima: Esforço vocal desnecessário, compensação do som agravando possíveis disfonias, vícios estilísticos, limitação da tessitura, falta de apoio respiratório, desafinação.

13) RM: Quais as cantoras que você admira?

Andréa Costalima: Ella Fitzgerald, Elis Regina, Barbra Streisand, Jane Monheit, Mônica Salmaso, Zizi Possi

14) RM: Você compõe? Quem são seus parceiros musicais?

Andréa Costalima – Sim. Meu parceiro (esposo) é o Tércio Guimarães.

15) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Andréa Costalima: Quando se faz música independente, se tem maior liberdade de ação, mais autonomia. Desde a escolha do repertório ao controle do direcionamento do trabalho, porém é mais difícil o acesso às grandes mídias, o que torna a divulgação mais lenta. A internet aparece neste momento como alternativa para os independentes.

16) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Andréa Costalima: O cenário musical brasileiro é bastante eclético. Têm muitos gêneros e níveis de qualidade. O Brasil é um país muito grande, multicultural, o que justifica essa diversidade. Nas últimas duas décadas surgiram muitos artistas e bandas. A Marisa Monte, para mim, foi a grande revelação: como cantora, como artista, como empreendedora. Surgiram outras ótimas cantoras como a Roberta Sá, mas a Marisa abrangeu muitos âmbitos dentro da profissão (artístico e empresarial), ela conseguiu uma autonomia admirável.

17) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Andréa Costalima: Marisa Monte, a Zélia Duncan, a Rosa Passos, o Michael Jackson, a Barbra Streisand.

18) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Andréa Costalima: Uma vez durante uma apresentação, eu tive uma crise de riso no meio da música e depois de muitas tentativas de parar de rir, percebi que o público estava também com crise de riso. Acho que foi contagiante.

19) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Andréa Costalima: Cantar e fazer música por si só já me faz muito feliz. É um momento em que eu me sinto plena, completa. Infelizmente encontramos muitos obstáculos para exercer nossa música por causa da ignorância e desonestidade alheia. Há uma desvalorização da profissão. Não temos leis específicas para nossa classe que nos assegure direitos trabalhistas. Há muita informalidade, o que gera muitos casos de calotes e descumprimentos dos acordos.

20) RM: Nos apresente a cena musical na cidade que você mora?

Andréa Costalima: A cena musical em São Paulo é cara da cidade, está sempre em movimento, diversificada com todos os estilos e gêneros.

21) RM: Quais os músicos ou/e bandas que você recomenda ouvir?

Andréa Costalima: Na Bahia a Orkestra Rumpilezz, Banda de Boca. E em São Paulo a cantora Tatiana Parra. Esses são as novidades. Recomendo ouvir sempre: Tom Jobim, Ivan Lins, Edu Lobo, Joyce, enfim são enumeras as opções.

22) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Andréa Costalima: Acho improvável, mas gosto de acreditar que tudo é possível.

23) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Andréa Costalima: Estude muito, se profissionalize. Qualquer carreira é difícil para quem não tem conhecimento. Tenha pé no chão. Trilhe seu caminho com consciência e determinação, seja persistente.

24) RM: Quais os seus projetos futuros?

Andréa Costalima: Estou em pré-produção do meu 2º álbum. Em paralelo estou estudando a remontagem do show tributo a George Gershwin.

25) RM: Quais os seus contatos para show?

Andréa Costalima: (11) 97212 – 7595 | [email protected]  | www.andreacostalima.com


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.