Filó Machado

O cantor, compositor, multi-instrumentista e arranjador paulista Filó Machado com mais de 50 anos de carreira, 15 CDs gravados e 1 indicação ao Gammy Latin Jazz, recebe o merecido título de “mestre da música”.

Ao longo de sua carreira, apresentou-se em dezenas de países. Dividiu palco com: Michel Legrand, Jon Hendricks, Silvain Luc, Dory Caymmi, Gal Costa, João Donato, Raul de Souza, Kenny Barron, Joyce Moreno, Arismar do Espírito Santo, Leny Andrade, Os Cariocas, Tetsuo Sakurai e outros. Nas gravações de discos, parcerias com: Hermeto Paschoal, Andreas Oberg, John Patitucci, Cesar Camargo Mariano, Djavan, Jorge Vercillo, Kenny Barron, SWR Big Band Stuttgard,Warvey Waynapel.

Apresentou-se em importantes teatros e festivais: Teatre de Bercy (Paris – França), Carnegie Hall (New York – EUA), Massey Hall (Toronto – Canadá), Motion Club (Yokohama), Java Jazz Festival (Jackarta), Teatre Flagey (Bruxelles), Teatro Nacional Sucre (Quito), Teatro de Kiev (Kiev), D’izzys Club Coca Cola (New York), Pescara Jazz (Ilhas Canárias), Festival de Jazz de Barquisimeto (Venezuela), Lençóis Jazz & Blues (Brasil), Jericoacoara Jazz (Brasil), Ibitipoca Jazz (Brasil) e SantosJazz (Brasil).

Em 2011, embarcou para a cidade de Boston (EUA), onde ministrou durante 2 semanas, Master Class para alunos e professores da conceituada Berklee College of Music. Em Agosto de 2013 apresentou-se em Moscou e em Outubro retornou pela 5º vez à Ucrânia para mais um show. Em 2014 realizou turnê pela Rússia. Dia 30/09 participou do show em comemoração aos 80 anos de João Donato no Sesc Vila Mariana – SP. Em setembro realizou turnê no Japão (Tóquio/Nagoya) onde participou do Festival de Música Brasileira no dia 28/09 e EUA (Seattle-WA/Portland-OR). Dia 12/10, participou do 1º Festival de Jazz de Porto Alegre – RS. Em 2016 participou do Brazilian Day in Stolcom, na Suécia.

Filó Machado (avô) de Felipe Machado iniciaram um trabalho juntos através de estudos. Avô ensinou os primeiros acordes para o neto em Setembro de 2012. Após dois anos e alguns meses de estudos diários, construíram uma relação que ultrapassa os laços familiares, tornando-se um trabalho sério e muito satisfatório para ambos. Desde o começo de 2014 realizam shows no Brasil e exterior. Em Setembro/Outubro de 2014 realizaram turnê de 21 dias, nas cidades de Tóquio, Nagoya e Yokohama (Japão) no Festival de Música Brasileira. E nas cidades de Seattle, onde se apresentaram em duo na conhecida Triple Door, Olympia (WA) e Portland (OR) nos EUA, onde conquistaram o público e emocionaram, mostrando talento, carisma e entrosamento. Em seguida, participaram do primeiro Festival de Jazz de Porto Alegre (RS) – POA Jazz. O show era Filo Machado e Grupo, mas Felipe participou, acompanhando Filo e interpretando algumas canções para uma plateia de mais de mil pessoas. Dia 23/01 participaram do projeto Circuito Off de Música na cidade de Curitiba (PR).

Em Março, realizaram o show de encerramento do 10° FEM de São José do Rio Preto (SP) e Abril participaram do Composição Ferroviária, em Poços de Caldas – MG e o MPB no Memorial, projeto do Memorial da América Latina em São Paulo. No começo de Junho estiveram em Maringá (PR), participando do 37° FEMUCIC, no qual apresentaram uma música selecionada dentre mais de 10 mil inscritos. Eles fizeram também, um workshop de improvisação com pocket show. Participaram do II São Lourenço Jazz & Blues, realizaram shows em Penedo, Florianópolis e no Clube do choro em Santos. Em Outubro, Felipe Machado realizou seu primeiro show no Centro Cultural São Paulo, fechando a semana da criança com um show maravilhoso. Em seguida, realizou seu primeiro show em SESC, no Sesc Sorocaba – SP.

Em 2016 participaram do Projeto: Concertos Astra Finamax em Jundiaí – SP, do projeto Música pra Gente Miúda em Curitiba (PR). Participou do Santos Jazz Festival 2016, Lençóis Jazz & Blues 2016 e Natal Fest Bossa & Jazz de 2016. 

Segue abaixo entrevista exclusiva com Filó Machado para a  , entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 24.04.2017:

01) Ritmo Melodia : Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Filó Machado : Nasci no dia 03 de fevereiro de 1951 em Ribeirão Preto – SP.

02) RM : Fale do seu primeiro contato com a música?

Filó Machado : Aos dez anos eu comecei atuando em caravanas de shows das Rádios em Ribeirão Preto – SP e no grupo de baile chamado New Boys.

03) RM : Qual a sua formação musical e\ou acadêmica fora da área musical?

Filó Machado : Minha formação musical é totalmente autodidata.

04) RM : Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Filó Machado : As influências vieram de muitos gêneros musicais como: samba, jazz, ro ck, funk, romântico, clássico, folclore nacional e europeu, indígena. Todos os artistas que transitaram e transitam nesses gêneros foram e ainda são de extrema importância para minha carreira musical.

05) RM – Quando, como e onde você começou a sua carreira profissional?

Filó Machado : Comecei minha carreira em 1961 aos 10 anos de idade.

06) RM : Quantos CDs lançados, quais os anos de lançamento (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que entraram no gosto do seu público?

Filó Machado : Até agora 15 CDs gravados e inúmeras participações desde 1967.

07) RM : Como você define o seu estilo musical?

Filó Machado : Meu estilo é o espírito livre buscando o que possa alegrar o meu coração e o coração daquele que me segue ou seja,jamais busquei uma definição.

08) RM : Você estudou técnica vocal?

Filó Machado : Estudei alguns meses de técnica vocal com a professora Madalena de Paula em 1972.

09) RM : Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Filó Machado : Considero o estudo algo extremamente importante principalmente se o cantor tem condições de pagar um ótimo professor. E o cuidado com a voz, naturalmente vem de acordo com responsabilidade de cada um.

10) RM : Quais as cantoras(es) que você admira?

Filó Machado : Admiro varias cantoras e cantores, porém, me reservo no direito de não citar nomes para não cometer injustiça.

11) RM : Como é o seu processo de compor?

Filó Machado : Componho muito e o meu processo de compor vária. Componho ao Piano, Violão, sem instrumento, às vezes saio do meio do sono para compor.

12) RM : Quais são seus principais parceiros de composição?

Filó Machado : Taiguara, Aldir Blanc, Judith de Souza,Fátima Guedes,Sergio Natureza, Michel Legrand, Sergio Ricardo, Djavan, Jorge Vercillo,Catia Werneck, Cacaso, Gil Guido, Francisco Blanco, Rosaly Lima.

13) RM : Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Filó Machado : Sinceramente não conheço os contras, ou melhor,conheço, mas não convivo,sempre tive o meus objetivos voltados para os prós. E essa liberdade de me sentir assim foi e é o que há de melhor no desenvolvimento de minha carreira musical.

14) RM : Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Filó Machado : Verdadeiramente,a minha a minha estratégia em conjunto com minha produção é atingir mais e mais o meu público no exterior com um trabalho bem feito e muito sincero.

15) RM : Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Filó Machado : As ações são muito simples, uma vez que o meu maior trunfo é oferecer um trabalho do qual eu possa interagir de uma forma direta,feliz e amorosa com meu público.

16) RM : O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Filó Machado : De uns anos para cá,o que há de melhor em minha carreira,devo a internet,simplesmente porque,eu a utilizei de uma forma que me rendera ótimos frutos e ainda continuo trabalhando e interagindo dessa maneira. Ela é tudo de bom para mim.

17) RM : Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home estúdio)?

Filó Machado : Até o presente momento, não vi nenhuma desvantagem na tecnologia, não existe nada melhor do que o artista poder usufruir da liberdade de criar lindos sons tendo ao seu dispor, efeitos, plugins e num determinado momento, utilizar um som acústico sem efeito nenhum. Assim faço o meu trabalho, unindo a tecnologia e a simplicidade e pureza de 40 ou 50 anos atrás. Para mim isso é saber dosar para poder curtir.

18) RM : No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Filó Machado : Eu simplesmente faço música, seja ela acústica ou elétrica sem a preocupação se fará sucesso ou não. Eu quero a música bem feita dentro da minha exigência e dentro da minha ótica, mesmo com um mercado super concorrido. Acredito que ainda prevaleça o trabalho feito com carinho e capricho,sempre haverá alguém se sentindo feliz com isso.

19) RM : Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Filó Machado : O cenário musical do Brasil na minha modesta opinião passou por uma grande transformação nas ultimas décadas e uma enorme inversão de valores. E sobre as revelações mais uma vez me reservo no direito de nenhum nome citar.

20) RM : Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Filó Machado : Exemplo de profissionalismo e qualidade eu cito:Michel Legrand, Herbie Hancok, Hermeto Paschoal, Robertinho Silva, Leni Andrade, Jair Rodrigues (já falecido), Dominguinhos (já falecido), Arismar do Espírito Santo, Zizi Possi, Elis Regina (já falecida), Joyce Moreno, Roberto Menescal, César Camargo Mariano e mais alguns que agora fogem a cabeça.

21) RM : Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Filó Machado : Em 1972 trabalhei numa boate, cujo patrão não estava querendo pagar porque havia má fé na conduta dele,então, nós os músicos liderados por mim,expulsamos o patrão da boate e durante dois finais de semana,trabalhamos por conta própria até que boa parte do pagamento fosse pago. Enfim, conseguimos e o restante que faltou do pagamento atrasado, nós quitamos levando bebidas,microfones e aparelhos de som da casa.

Outro episódio tragicômico foi em 1974 numa outra boate, um cliente muito chato,subiu ao palco enquanto eu estava cantando,me abraçou e perguntou: “você sabe aquela canção assim ôh”, e começou assoviar no meu ouvido enquanto eu cantava outra música.

22) RM : O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Filó Machado : Sentir o carinho,o respeito e o reconhecimento em muitos países onde realizo os meus espetáculos. E me entristece muito a total falta de respeito e reconhecimento no meu Brasil. Mas hoje em dia eu sinto menos tristeza, pois o carinho recebido em outros países está preenchendo essa lacuna.

23) RM : Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Filó Machado : A cena musical em São Paulo continua desigual como sempre foi. Faz sucesso a música denominada comercial e a música instrumental continua no ostracismo,embora os músicos lutem com todas as forças tendo pouquíssimos lugares para mostrar seu talento. Eu,não tenho nada contra estilos A,B ou C, o que sinto é que estamos precisando de mais salas,teatros e casas de espetáculos para serem mostrados vários gêneros musicais que no atual momento deixa o público sem opção de escolha.

24) RM : Quais os músicos, bandas da cidade que você mora, que  você indica como uma boa opção?

Filó Machado : Quinteto Vento em Madeira, Arismar do Espirito Santo, Mestrinho, Monica Salmaso, Cibele Codonho, Van Moreno, Naylor Proveta Azevedo, Cast Musical da Famiglia Mancini, Sandro Haick, Michel Freidenson, Renato Braz, Trovadores Urbanos, Elaine Morie, Bia Góes, Ricardo Valverde, Dani e Débora Gurgel Quarteto, Trio D’alma, MetáMetá, Tulipa Ruiz, Banda Mantiqueira, Banda Savana.

25) RM : Você acredita que sem o pagamento de jabá suas músicas tocarão nas rádios?

Filó Machado : Fiz uma música chamada “Arco Iris” de parceria com Jorge Vercillo, que me rendeu ótimas execuções depois de trinta anos sem me ouvir nas rádios do Brasil. Não pagamos o Jabá muito pelo contrário,fomos convidados para fazer o show de aniversário de uma Radio Paulistana,foi lindo. Fiquei muito feliz de ouvir a plateia cantando nossa música uma vez que estávamos fazendo esse show juntos.

26) RM : O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Filó Machado : Estudar, planejar, seriedade, chegar sempre antes da hora nos compromissos e sem bebidas. Não se deixar levar pelos comentários imbecis. Acreditar muito naquilo que pretende realizar, focar em tudo que te cerca. Ser atencioso com os fãs (imprescindível).

27) RM : Quais os prós e contras do Festival de Música?

Filó Machado : Nos dias de hoje,não sou a favor de nenhum tipo disputa musical ainda mais num País como nosso. Jamais reeditarão algo como os Festivais de Música de 1965, 1966, 1967, 1970 em termos de festivais haja vista que, os artistas que participaram daquele momento,estão aí até hoje. E quando nos deparamos com essas picaretagens de hoje em dia, o vencedor já é esquecido em questão de uma semana ou menos.

28) RM : Festivais de Música ainda tem o papel de revelar novos talentos?

Filó Machado : Absolutamente não. O que revela novos talentos em minha opinião é o Youtube. Ali você pode eleger o seu próprio ídolo, ali você sabe quem engana ou quem faz direito, ali você julga sem ter ninguém para te influenciar a gostar mais desse ou daquele.

29) RM : Como você analisa a cobertura feita pela mídia da cena musical brasileira?

Filó Machado : Fraquíssima…

30) RM : Quais os seus projetos futuros?

Filó Machado : Viagem para o exterior(Europa).

31) RM : Quais seus contatos para show e para os fãs?

Filó Machado : contatofilomachado@gmail.com |(11) 9.9986 – 4959 – Camila Machado (Produtora)ww.facebook.com/camilamachado

O que achou? Comente aqui!