More Coletivo Filme Zero – Reggae »"/>More Coletivo Filme Zero – Reggae »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antônio Carlos da Fonseca Barbosa.

Coletivo Filme Zero – Reggae


O Projeto Filme Zero – https://www.youtube.com/filmezeroreggae – é um coletivo que visa a documentação audiovisual com a finalidade de construir um processo histórico. Trabalhando com manifestações culturais e populares.

Com o reggae e o rastafári são anos de registros em imagens, a partir de 2003 por intermediados da Associação Cultural Reggae e a loja Johnny B Good, principais fontes de divulgações de bandas e eventos em São Paulo na época. Por fazer parte de uma cultura Etíope -Jamaicana, o rastafarismo no Brasil não é tão popular como o samba, o frevo ou o maracatu, e outras manifestação culturais regionais do país, ou seja cada região aderiu o reggae de uma forma e as suas sincretizações foram peculiares de cada estado ou região. Mas é em São Paulo uma grande metrópole do sudeste onde diversos músicos e artistas migram de todo o país para mostrarem seus trabalhos. Neste cenário diversificado de “rastafáris brasileiros” atua o projeto Filme Zero. Registrando com imagens, entrevistas e apresentações esses personagens que carregam a bandeira do reggae.

Em geral, conhecimento sobre rastafarismo perante a sociedade, se limita a música, desconhecendo crenças, rituais, alimentação, literaturas e opiniões. O projeto pretende não só pretende desmistificar como esclarecer algumas questões aproximando assim, o público de uma forma geral. Hoje com o fácil acesso da internet e as redes sociais o Projeto Filme Zero/reggae cumpre sua verdadeira função, construir o processo histórico e poder interagir o acervo com o público. Desde então o Filme Zero registra os principais eventos em São Paulo, nacionais e internacionais, acreditando ser de fundamental importância as novas gerações da cultura rastafári em São Paulo e no Brasil.

Renato Moraes do Filme Zero – (11) 99523 – 9992


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antônio Carlos da Fonseca Barbosa.