More SESC POMPEIA RETOMA PRATA DA CASA COM ARTISTAS DA NOVA CENA MUSICAL BRASILEIRA »"/>More SESC POMPEIA RETOMA PRATA DA CASA COM ARTISTAS DA NOVA CENA MUSICAL BRASILEIRA »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

SESC POMPEIA RETOMA PRATA DA CASA COM ARTISTAS DA NOVA CENA MUSICAL BRASILEIRA


Com retirada de ingressos gratuitos, semanalmente às quintas-feiras, 32 shows no Sesc Pompeia apresentam sonoridades de diversas partes do país

Na programação, de agosto até dezembro de 2022, sobem ao palco da Comedoria: Brisa Flow, Bia Doxum, Jéssica Caitano, Cronixta, Sexteto Sucupira, Berra Boi, Fabriccio, Luiza Brina, Jadsa, Larissa Conforto, Ctrl+n, The Raulis, Nego Bala, Nath Rodrigues, Troá, Lívia Nery, Anna Suav + Bruna Bg, Seu Pereira, Dandara Manoela, Marissol Mwaba, Arquétipo Rafa, Martins, Victor Xamã, Andre Prando, Karol de Souza, Una, Obinrin, Janine Mathias, Ziminino, François Muleka, entre outros.

Após um processo de seleção que começou em 2019 com um chamamento para inscrições, o Prata da Casa retoma a sua programação, a partir do dia 4 de agosto, e abre as portas do Sesc Pompeia para apoiar e promover novas e novos artistas da cena musical brasileira. Até dezembro de 2022, sempre às quintas-feiras, serão realizados dois shows por noite, no palco da Comedoria, totalizando 32 shows gratuitos de artistas selecionadas e selecionados pela equipe curatorial desta edição.

Desde 1999, ano da primeira edição, algumas centenas de artistas já passaram pelo projeto, incluindo nomes hoje conhecidos como Ceumar, Romulo Froes, Vanessa Da Mata, Karol Conka, Filipe Catto, Iara Rennó, Fabiana Cozza e mais. São vozes que ecoam Brasil afora e que, no momento em que subiram ao palco da Comedoria, estavam dando os primeiros passos. Para esse retorno, que celebra 23 anos de contribuições à música brasileira, o Prata da Casa recebe, na primeira noite de shows, duas potências da nova geração musical: a MC Brisa Flow, artista ameríndia, que pesquisa e defende a música indígena, e a rapper paulista Bia Doxum.

Ainda em agosto, grátis com retirada de ingresso com uma hora de antecedência na bilheteria do Sesc Pompeia, a pernambucana Jéssica Caitano e o paraense Cronixta, se apresentam em 11 de agosto. No dia 18, os paraibanos do trio instrumental Berra Boi dividem a noite de shows com o Sexteto Sucupira, composto por músicos radicados no Rio de Janeiro, que mescla o universo do forró e jazz com as heranças culturais ibéricas, africanas e da música caribenha. Já no dia 25, o capixaba Fabriccio e a mineira Luiza Brina apresentam o repertório dos seus trabalhos “Selva” e “A Toada Vem É Pelo Vento, respectivamente, para encerrar a programação de agosto.

PROGRAMAÇÃO

4 de agosto, Brisa Flow e Bia Doxum

Brisa de la Cordillera, nome completo de Brisa Flow, apresenta o repertório de “Janequeo”, seu mais novo trabalho. No show, a MC, apresenta a mescla do hip-hop com a cultura dos povos andinos, influencia que receber da criação de seus pais artesãos araucanos, em Minas Gerais.

Dona de um timbre belo e diferenciado, a cantora paulistana Bia Doxum tem se destacado no cenário do rap nacional e explora muito bem as nuances sonoras que envolvem o universo da música negra. Suas canções enfatizam a luta feminista e enaltecem a cultura de matriz africana. E ela faz isso de forma muito doce, enquanto celebra o amor e as conexões que podem surgir desses encontros.

11 de agosto, Jéssica Caitano e Cronixta

A Jéssica Caitano é de Triunfo, no Sertão do Pajeú de Pernambuco, terra de lendários repentistas nordestinos. Em parceria com o produtor Chico Correa, ela assina o projeto “Surra de Rima”, em que desenvolve sua poesia com flow agressivo e empoderado. A narrativa de Jéssica representa a mulher nordestina, suas lutas e a conexão com a terra. No show que ela apresenta no Prata festa e terreiro são apresentados como lugares de consciência. Uma poderosa celebração!

O rap também é o fio condutor de Cronixta. Nascido e criado em Belém, no Pará, os gêneros latino-brasileiros e as sonoridades amazônicas dão o tom e o groove do seu trabalho. Cronixta vai apresentar reflexões sobre mudanças climáticas, negacionismo e desmatamento no show intitulado “Maiandeua”.

18 de agosto, Sexteto Sucupira e Berra Boi

Berra Boi é um trio instrumental da Paraíba que mistura sonoridades urbanas e nativas da América Latina e da África, passeando por beats de funana, ragga, dub, cumbia e baião. Essa mistura bebe em diversos estilos festivos dos guetos do planeta. O trio formado por Lucas Dan, Chico Correa e João Cassiano Silva vem atuando em palcos de música instrumental, festas e projetos de artes experimentais.

Sexteto Sucupira traz a cultura regional nordestina com seus baiões, xaxados, xotes e ijexás. O grupo reside no Rio de Janeiro, mas faz uma mescla do universo do forró e jazz com as heranças culturais ibéricas, africanas e da música caribenha. Guitarras incendiárias, bandolins acelerados, saxofones, pifes e apitos loucos se misturam com a percussão, contrabaixo e bateria numa verdadeira alquimia musical!

25 de agosto, Fabriccio e Luiza Brina

Acompanhado de sua banda, o capixaba Fabriccio vai apresentar no Prata um show exclusivo do disco “Selva”. Esse trabalho abre caminhos para falar sobre leveza e afeto; e o amor cantado por um homem negro em tempos de violência. Fabriccio Oliveira é de Vitória, Espírito Santo, e o contato muito presente que ele teve com o mar cria a sintonia vital que se reflete em sua musicalidade. A construção musical do álbum mescla elementos da MPB com referências do reggae, rock, R&B e soul, drum and bass e jazz. Um show de afetividade preta, sensibilidade masculina, espiritualidade e autoconhecimento.

Luiza Brina é cantora, compositora, arranjadora, produtora musical e multi-instrumentista. Ela está em turnê com o show do último disco, “A Toada Vem É Pelo Vento”. A artista mineira revisita a obra, mesclando em seu repertório composições próprias e em parceria com nomes como Luizga, César Lacerda e Thiago Amud. No palco, assumindo voz, violão e guitarra, Luiza se une a cinco instrumentistas, permeando sua sonoridade com baixo acústico, percussões e sintetizadores, levando suas toadas para um novo contexto. Um espetáculo pra cantar junto!

Demais artistas

Nos meses seguintes, semanalmente às quintas-feiras, os shows gratuitos com retirada de ingressos com uma hora de antecedência, na bilheteria do Sesc Pompeia continuam e até dezembro de 2022, o público, amantes de música, poderá conhecer o trabalho de Jadsa, Larissa Conforto, Ctrl+n, The Raulis, Nego Bala, Nath Rodrigues, Troá, Lívia Nery, Anna Suav + Bruna Bg, Seu Pereira, Dandara Manoela, Marissol Mwaba, Arquétipo Rafa, Martins, Victor Xamã, Andre Prando, Karol de Souza, Una, Obinrin, Janine Mathias, Ziminino, François Muleka, entre outros.

O Prata da Casa: A primeira edição do projeto aconteceu em 1999, como um dos grandes eventos realizados na ocasião da reabertura da Comedoria do Sesc Pompeia – então chamada de Choperia, após um período de reformas. Assim, o Prata da Casa nasceu com uma vocação: abrir espaço para novos artistas da música brasileira.

“Foi a primeira oportunidade que eu tive de cantar para um público grande, pra uma plateia que já tinha certa frequência no Sesc Pompeia. Isso me marcou por ser minha estreia em um espaço onde eu desejava muito cantar e onde, depois, tive a oportunidade de me apresentar muitas vezes. Sigo acreditando que o Prata da Casa desvele uma série de talentos que merecem ser conhecidos”, conta Fabiana Cozza, que cantou no projeto em 2004.

Em suas duas décadas de existência, o projeto tornou-se uma programação presente na agenda do paulistano. Curtir um show nas noites de terças-feiras no Sesc Pompeia virou um programa frequente. Mas o Prata mudou muito mais do que a história dos artistas.

Desde então, o projeto mantém a essência de desbravar o país em busca de artistas de diferentes gêneros, sempre em seus primeiros passos da carreira, e lhes oferece o palco de uma das casas de shows mais tradicionais da cena musical em São Paulo. “Para mim, lá de Porto Alegre, chegar a São Paulo graças ao Prata da Casa foi uma grande oportunidade e me abriu muitos caminhos. Hoje, é um prazer imenso fazer parte desta família formada por tantos talentos”, diz Filipe Catto, que se apresentou em 2010.

O requisito para participação no Prata da Casa é de que musicistas, músicos, compositoras, compositores ou intérpretes apresentem novos projetos e propostas artísticas. O pressuposto faz com que possam surgir trabalhos musicais inéditos, com questionamentos estéticos pessoais, influências regionais visíveis e soluções artísticas renovadoras e reveladoras. Ao valorizar a autoria, um novo cenário musical começa a ganhar os palcos e projetar-se Brasil afora.

PRATA DA CASA 2022

Entre os dias 26 de setembro e 3 de outubro de 2019 foram recebidas aproximadamente 2.000 inscrições de artistas interessados em participar do projeto Prata da Casa 2020. Por conta do contexto pandêmico, o processo foi interrompido e a retomada do projeto foi adiada para 2022, inserido no projeto de retorno das atividades presenciais do Sesc Pompeia.

A seleção contou com um período de avaliação e triagem realizada por uma equipe de curadoria interna, formada por técnicas e técnicos de programação do Sesc Pompeia, da Gerência de Ação Cultural do Sesc São Paulo e de outras unidades do Sesc em São Paulo. Em seguida, já com um olhar curatorial para a programação, o Sesc São Paulo convidou três profissionais externas, com experiência no mercado musical, para trabalhar em conjunto com a equipe interna e assim definiu-se a programação para edição de 2022.

Curadoras convidadas

Fabiane Pereira: Jornalista, apresentadora, curadora, roteirista e pesquisadora musical. Apresentadora e curadora do programa de rádio FARO, que tem como premissa a democratização do espaço radiofônico. Além do FARO, Fabiane é apresentadora e idealizadora do PAPO DE MÚSICA, um dos raros canais de entrevistas no Youtube que tem a MÚSICA como protagonista. No Youtube, Fabi entrevista semanalmente artistas dos mais variados gêneros musicais num tom tão intimista que os artistas se abrem de um jeito raro. Fabi também assina uma coluna semanal sobre música e comportamento no site da Veja Rio. Fabiane ainda atua como jurada de prêmios e seleções de melhores músicos do ano em vários veículos, dá mentorias em projetos que têm a arte como foco e participa de algumas comissões de especialistas de editais, festivais e eventos ligados à cultura. É pós-graduada em “Jornalismo Cultural” pela ESPM; em “Formação do Escritor” pela PUC-Rio, em “Jornalismo Contemporâneo” pelo Instituto Universitário de Lisboa e mestre em “Comunicação, Cultura e Tecnologia da Informação” também pelo Instituto Universitário de Lisboa, Portugal. Fabiane levou o prêmio de melhor jornalista de música do ano pelo WME Awards, em 2019.

Brisa Marques: Formada em artes cênicas pela Universidade Federal de Minas Gerais e em jornalismo pelo Centro Universitário de Belo Horizonte, Brisa já trabalhou na Rede Minas, entre 2012 e 2013, e na BH News TV. Foi coordenadora de comunicação da Cria! Cultura e secretária-executiva da Casa África, além de ter atuado como jornalista também em Portugal. É autora do livro “Entre as Veias de Fato” e é coautora dos títulos “Me Conte a Sua História 1” e “Me Conte a Sua História 3”. Ela está em fase de finalização de um novo volume que deverá sair neste primeiro semestre.

Melina Hickson: Melina Hickson é diretora da Fina Produção; diretora e criadora do PORTO MUSICAL, Convenção Internacional de Música e Tecnologia em parceria com a Astronave Iniciativas Culturais e WOMEX. Empresária do cantor e compositor SIBA, desde 2007; Empresária da cantora, compositora e escritora, Karina Buhr, desde 2015; Empresária do cantor Gui Amabis, desde 2015; Produção local do Circuito Cultural Banco do Brasil, Projeto COVERS, com shows de Maria Bethânia, Sandy, Lulu Santos, em 2012, e Dado Villa-Lobos, Maria Gadú, Zeca Baleiro, em 2013; Produção do Nívea Viva Tom com Vanessa da Mata , Recife- PE, 2013; Sócia dirigente da Astronave Iniciativas Culturais de 1999 a 2010; Direção Executiva do Festival Abril Pro Rock da 5ª edição em 1997 até a 17ª edição em 2009; Produção Executiva de discos de diversos artistas brasileiros, com trabalhos de 1999 até 2015; Gerenciamento do Projeto Recife: The PLayable City para o British Council e Porto Digital.

SERVIÇO:

Prata da Casa – Agosto de 2022:
4/8 (quinta-feira), 20h30, Brisa Flow e Bia Doxum
11/8 (quinta-feira), 20h30, Jéssica Caitano e Cronixta
18/8 (quinta-feira), 20h30, Sexteto Sucupira e Berra Boi
25/8 (quinta-feira), 20h30, Fabriccio e Luiza Brina

Comedoria Sesc Pompeia
Grátis. 18 anos
Sesc Pompeia
Rua Clélia, 93 – Pompeia – São Paulo/SP
Não temos estacionamento.

Protocolos de segurança
O uso da máscara, cobrindo boca e nariz, é recomendado. Se você apresentar os sintomas relacionados à Covid-19, procure o serviço de saúde e permaneça em isolamento social.

Para informações sobre outras programações, acesse o portal: sescsp.org.br/pompeia

Instagram.com/sescpompeia
facebook.com/sescpompeia
youtube.com/sescpompeia

Para credenciamento, encaminhe pedidos para: [email protected]

Informações para a imprensa:
Assessoria de Imprensa Sesc Pompeia
Supervisora de Comunicação: Lilian Ambar
Coordenador de Comunicação: Silvio Basilio


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.
Notícias por WhatsApp