Continua após a Publicidade

Telo Borges

Telo Borges


Tempo de Leitura: 9 minutos

Telo Borges iniciou sua carreira musical junto aos irmãos Lô Borges, Marilton Borges, Márcio Borges e conviveu desde cedo com os músicos do Clube da Esquina.

Telo Borges participou como músico das bandas de Wagner Tiso e Lô Borges. Em 1978, teve pela primeira vez gravada uma música de sua autoria: “Vento de maio” (com Márcio Borges), incluída no LP – “A Via Láctea”, de Lô Borges. A canção foi também gravada por Elis Regina em 1979 no LP – “O trem azul”.

Telo Borges em 1980, atuou, ao lado dos irmãos no disco “Os Borges”, que contou com a participação de Elis Regina, Milton Nascimento, Gonzaguinha, Guilherme Arantes e a da sua irmã Solange Borges que após aparecer nos álbuns ”Via-Láctea” de 1979 do Lô Borges e ”Os Borges” de 1980, gravou seu primeiro álbum – “Bom dia Universo” em 1984, com um repertório típico de canções mineiras e com as participações de: Gerdson Mourão, Maurinho Rodrigues, Esdras Neném, Laércio Villar, Maurinho Rodrigues, Nico Borges, Telo Borges, Marilton Borges e Chico Moura.

Telo Borges em 1980 passou a integrar a banda de Beto Guedes, com quem trabalhou durante mais de dez anos. Também em 1980, teve sua música “Voa bicho” (com Márcio Borges), gravada pelo cantor Biafra. Em 1982 participou do disco “Nuvem cigana”, de Lô Borges, na música “Ritatá”, de sua autoria. Em 1987, Beto Guedes gravou “Alma de borracha” (Telo Borges / Márcio Borges), escolhida também para ser o título do disco. Telo Borges apresentou-se na Eco-92, ao lado de Milton Nascimento. Ainda na década de 1990, Flávio Venturini regravou “Vento de Maio”, no CD – “Trem azul” (1998), e Beto Guedes no CD – “Dias de paz” (1999) gravou “Tristesse” (Telo Borges / Milton Nascimento).

Telo Borges lançou, em 1997, o CD – “Vento de maio” e, em 2000, o CD – “O poder mágico”. Em 2003 “Tristesse” foi gravada por Milton Nascimento com a participação de Maria Rita, no CD – “Pietá”. A música foi contemplada com o Grammy Awards, na categoria Melhor Canção Brasileira do ano.

Telo Borges em seguida, viajou em turnê de shows com Milton Nascimento, com quem se apresentou em Portugal, Espanha, França, Mônaco, Itália, Alemanha, Eslovênia, Dinamarca, Suécia, Noruega, Japão e Angola. Em 2003, sua canção “Voa bicho” (com Márcio Borges), em interpretação de Maria Rita, fez parte da novela “Chocolate com pimenta” (Rede Globo).

Segue abaixo entrevista exclusiva com Telo Borges para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 01.07.2020:

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Telo Borges: Nasci no dia 22 de janeiro de 1958 em Belo Horizonte – MG. Fui registrado como Marcelo Wilson Fragoso Borges.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Telo Borges: Foi aos 8 anos de idade através dos ensaios que eram feitos na minha casa por meu irmão Marilton Borges e o Bituca (Milton Nascimento) além da influência dos meus outros irmãos Lô Borges e Márcio Borges.

03) RM: Qual sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Telo Borges: Sou musicalmente um autodidata e academicamente fiz seminário Teológico Presbiteriano.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Telo Borges: Bossa Nova, Tropicália, Rádio, Beatles, JOHN MCLAUGHLIN, Janis Joplin etc. Todas elas seguem igualmente importantes.

05) RM: Quando, como e onde você começou sua carreira Musical?

Telo Borges: Em 1975 fazendo a trilha musical da peça infantil “Viagem ao faz de conta” do grupo de teatro Reticências em Belo Horizonte – MG.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Telo Borges: Em 1973 o LP – “Milagre dos peixes” pela Odeon. Em 1980 um LP pela EMI-Odeon. Em 1982 o CD – “Nuvem Cigana” pela EMI-Odeon. Em 1997 o CD – “Vento de maio” pela Tom Music. Em 2000 o CD – “O poder mágico”. Em 2012 o CD/DVD Telo Borges – “O que me consola”.

Em 2016 o CD ColetâneaTelo Borges. Tem harmonias ricas, criatividade e inovação marcam esse álbum. Desde muito cedo tenho contato com a música e minha primeira canção, “Voa Bicho”, fiz aos 14 anos de idade. Neste álbum meu lado compositor está em evidência. “Tristesse” (Telo Borges/Milton Nascimento), uma das faixas desse álbum foi a vencedora da categoria de “Melhor Canção Brasileira” no Grammy Latino 2003.

Em 2019 o CD – Telo. Esse álbum conta com participações especiais de Samuel Rosa, Guilherme Arantes, Integrantes do Roupa Nova, Beto Guedes, Lõ Borges, Toninho Horta, Cláudio Venturini dentre outros. Algumas das minhas canções: com Márcio Borges são “Ainda”, “Alma de borracha”, “Bom sinal”, “Voa, bicho”, “Vento de maio”; “Amor virtual” (com Cláudio Venturini e Suely Mesquita), “Por mim agora” (com Cláudio Venturini); com Milton Nascimento são “Meninos de Araçuaí”, “Tristesse” e de minha autoria exclusiva “Ritatá”, “Tempestade” entre outras mais.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Telo Borges: se define como música universal, popular, brasileira, Clube da Esquina.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Telo Borges: Sim.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Telo Borges: Como em qualquer área de uma vida profissional o estudo e o conhecimento são sempre importantes e enriquecedores. A Voz como um instrumento de trabalho precisa, também, de todos os cuidados possíveis.

10) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Telo BorgesElla Fitzgerald, Billy Holiday, Janis Joplin, Elis Regina, Mílton Nascimento, Michael Jackson, Paul Macartney.

11) RM: Como é seu processo de compor?

Telo Borges:  O meu processo se inicia através da inspiração de uma célula musical que por si mesma suscita ora uma melodia, ora uma harmonia (acordes) e depois disso é trabalho e transpiração para de alguma maneira completar ou mesmo justificar a célula matriz.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Telo Borges:  Meu principal parceiro é o meu irmão Márcio Borges.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Telo Borges: Meu irmão Lô Borges, Beto Guedes, 14Bis, Flávio Venturini, Elis Regina, Milton Nascimento, Seu Jorge, Maria Rita, Padre Fábio de Mello, entre outros.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Telo Borges: A favor temos a liberdade de desenvolvermos os conceitos que quisermos dentro do tempo também que quisermos. Contra nós o que temos é a velha dificuldade financeira e falta de patrocínios e mecenas culturais.

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira musical dentro e fora do palco?

Telo Borges: Dentro do palco é conseguir apresentar o trabalho de uma forma profissional e que se aproxime ao máximo da concepção original da criação. Fora do palco é tornar possível que o máximo de portas possam ser abertas para que o trabalho seja conhecido e reconhecido.

16) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Telo Borges: Um planejamento de gravações das composições realizadas e a seguir a maior exposição possível do trabalho seja pela internet ou por outros meios.

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira musical?

Telo Borges: Ajuda na proporção de que o trabalho pode ser mundialmente: divulgado, exposto e distribuído e atrapalha porque a concorrência se torna muito grande.

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Telo Borges: As vantagens é que você economiza no aluguel de grandes estúdios e nas pré-produções e até mesmo grandes produções que você pode adiantar boa parte dentro de casa com o home estúdio. Não vejo desvantagens.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Telo Borges: O que considero um diferencial dentro da concorrência em qualquer nicho musical é a qualidade e originalidade.

20) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Telo Borges: Como o Brasil é um país continental tem muita coisa boa e ruim pintando no cenário musical. Revelações nas duas últimas décadas posso citar com destaque o meu parceiro saudoso Vander Lee, Maria Rita, Vanessa da Matta, Jorge Vercillo. Quem permanece com obras consistentes são: Milton Nascimento, Caetano, Djavan, Guilherme Arantes, Lô Borges, Beto Guedes, Flávio Venturini Roupa Nova.

21) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Telo Borges: Samuel Rosa, Flávio e Cláudio Venturini, Guilherme Arantes, Lô Borges, Roupa Nova.

22) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Telo Borges: No começo da minha carreira cheguei em uma cidade do interior de Minas Gerais e o lugar tinha um microfone rosa do Karaokê da Xuxa e eu voltei pra casa. Um show que fiz em Praça Pública no interior de São Paulo mataram uma pessoa no começo do show na frente do palco. Briga de gangues. O Show terminou na segunda música.

Cantar e não receber o cachê aconteceu a última vez em 2015 pela prefeitura de uma cidade no interior mineiro. Uma vez toquei dois dias em uma cidade e uma menina linda foi nos dois dias e ficou na primeira mesa em frente ao palco me olhando e como era linda e estava sozinha, eu também olhava. No último dia no fim do show, chegou um cara mau encarado e tirou ela a força pelo braço enciumado dos olhares que ela me dava e eu não pensei duas vezes; acabou o show eu nem passei no hotel. Entrei no carro e vim embora pra casa.

23) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Telo Borges: A maior felicidade é ver e saber que algumas das minhas músicas fizeram e fazem parte de momentos únicos nas vidas das pessoas. A maior tristeza é perceber que diante de tantas bizarrices e pobrezas a nossa música é algumas vezes colocada junto, misturada com todo o lixo musical e como uma música descartável e sem importância.

24) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Telo Borges: Existe o Dom Musical. Ele como qualquer outro dom é dado por Deus e nos facilita alcançarmos estágios que muitas vezes pessoas não alcançam nem com muito esforço e estudo.

25) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Telo Borges: É atingido pelo conhecimento e experiência que você possui e o dom natural que você já tem.

26) RM: Existe improvisação musical de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Telo Borges: Uma coisa não anula a outra. A improvisação pode ser intuitiva como estudada ou as duas juntas.

27) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical?

Telo Borges: A favor que, como já disse, todo estudo e conhecimento é muito importante e contra temos a possibilidade de a pessoa desprezar a intuição e ficar gessado só com teorias.

28) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o Estudo de Harmonia musical?

Telo Borges: A favor que, como já disse, todo estudo e conhecimento é muito importante e contra temos a possibilidade de a pessoa desprezar a intuição e ficar gessado só com teorias.

29) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Telo Borges: É pequena a possibilidade de uma música tocar na programação de uma rádio de grande audiência sem pagar o jabá. Mas existe sim.

30) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Telo Borges: Primeira coisa é checar com sinceridade se você leva mesmo jeito pra coisa. A partir daí estude, dedique-se, invista e se arrisque.

31) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Telo Borges: A favor é a oportunidade de muitos trabalhos serem mostrados e contra são as panelas dentro das organizações e juris deixando autores de bons trabalhos decepcionados e desistentes.

32) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Telo Borges: Sim.

33) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Telo Borges: A grande mídia está ligada aos grandes selos e gravadoras e tudo isso passa pelo dinheiro e é aí o grande problema. Mas ainda sim tem lá a sua importância.

34) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Telo Borges: De extrema relevância e são como resistência onde sobrevive boa parte da cultura nacional que não é vista dentro da grande mídia.

35) RM: Qual sua relação pessoal e profissional com Milton Nascimento?

Telo Borges: É uma relação de amigo, irmão e mestre que tive a honra de fazer parte da sua banda por quase cinco anos viajando pelo mundo e ainda como parceiro vencendo o Grammy Latino com uma composição nossa “Tristesse”.

36) RM: Qual sua relação pessoal e profissional com Beto Guedes?

Telo Borges: É uma relação de amigo, irmão que tive a honra de fazer parte da sua banda por 12 anos viajando pelo Brasil e pelo mundo e ainda ter músicas minhas gravadas por ele em alguns dos seus discos.

37) RM: Qual sua relação pessoal e profissional com Flávio Venturini?

Telo Borges: É uma relação de amigo e mestre que tive a honra de fazer parte da sua banda por quase dois anos por ocasião do lançamento do seu disco “Andarilho” viajando pelo Brasil e ainda ter música minha gravada por ele em um dos seus discos.

38) RM: Qual sua relação pessoal e profissional com Lô Borges?

Telo Borges: É meu irmão querido, mestre, grande incentivador e quem mais gravou as minhas músicas. É uma vida inteira dividindo os palcos, discos e praticamente a mesma casa.

39) RM: Qual sua relação pessoal e profissional com Márcio Borges?

Telo Borges: É também meu irmão querido, mestre e meu grande e mais constante parceiro e com quem mais componho. É uma vida inteira dividindo os palcos, as oficinas, discos e como irmão, praticamente a mesma casa.

40) RM: Qual sua relação pessoal e profissional com Toninho Horta?

Telo Borges: Grande amigo e mestre e participa de quase todos os meus álbuns. Durante um show seu, no circo Voador no Rio de Janeiro, certa vez me tirou da plateia para cantar com ele um dos seus maiores sucessos; “Beijo Partido”. Um querido!

41) RM: Quais os seus projetos futuros?

Telo Borges: Fazer em breve a turnê do meu mais recente álbum “Telo” e começar a gravação do novo álbum.

42) RM: Telo Borges, Quais seus contatos para show e para os fãs?

Telo Borges: telobor@hotmail.com

| https://www.youtube.com/channel/UCNHLkLVpirXugea21P4j2ZQ

Link do CD Telo:

http://www.deezer.com/album/109488732

https://geo.itunes.apple.com/br/album/id1478414668?at=1000lpDm&mt=1&app=music

http://open.spotify.com/album/4wqoVf7SAyNSKRqnlEFSgz

Link do CD Coletânea – Telo Borges:

https://www.deezer.com/pt/album/12740754

https://music.apple.com/br/album/1097260569?app=music&mt=1

https://open.spotify.com/album/61Fh6ujcSJsm5I60BXSOjb


Continua após a Publicidade
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa: Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.
Continua após a Publicidade
Post Relacionado

Este website usa cookies.

Continua após a Publicidade