More Sistah Mari »"/>More Sistah Mari »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antônio Carlos da Fonseca Barbosa.

Sistah Mari


Sistah Mari, nascida e criada na zona leste de São Paulo, no Jardim Colorado comunidade do Primavera. Artista ímpar que reúne em sua natureza a força de uma mãe preta, deu vazão ao seu dom com as rimas e começou a compor suas primeiras letras em 2008, dando início assim ao seu sonho de espalhar sua mensagem de apoio e compaixão para todos os cenários.

No decorrer de sua carreira, Sistah Mari teve passagem pela banda “Raízes do Bem”, que integrava o projeto Raízes e Culturas, também participou da segunda edição do Feminine Hi-Fi em 2018 e integrou a Crew Original Omega, que teve seu single “O Fogo” lançado em janeiro de 2018. Ainda em 2018 fez parte da Omega Cypher, produzida pelo produtor de longa data Wagner Bagão e lançada em março de 2018. Nesse mesmo ano realizou sua primeira turnê internacional, se apresentando no festival europeu Rotonton Sunsplash e dividindo o palco com artistas de renome como Alborosie, Twinkle Brothers, Protoje, Mad Professor, Aisha, entre outros. Outro papel importa ntíssimo que a artista teve no cenário reggae paulistano foi ao integrar o trio Dawtas of Aya, ao lado de Regiane Cordeiro e Carol Afreekana. Sistah Mari, influenciada por causas e desigualdades sociais, e o empoderamento feminino, continua na luta mostrando sua identidade musical: “Vamos fazer o bem…sem olhar a quem”.

Em 2005 surge o interesse na música e começa a interpretar covers nacionais com bandas independentes, assim despertando as primeiras composições autorais. Em 2009 trabalhou com a “Raízes do Bem”, uma de suas primeiras composições acrescentando a cultura Reggae. Vem com sua carreira solo, com a dificuldade de ser mulher, mãe, mas sempre articulando e trilhando para que a música seja a fonte de resistência nesse diverso e segmentado mercado musical. Suas influências são: Sister Aysha, Queen Ifrica, Queen Ômega, Sister Nancy, Spice, Banda Filosofia Reggae, Denise D’Paula, Miss Ivy, Laila Arruda.

Em 2017, junto a Jah Dartanhan & Dubalizer participou do programa Show Livre com a Crew Original Ômega, e em paralelo esteve com o coletivo Zambol House Sound com a direção do Dj Zambol Gomide, Dj da música reggae inclusive atuante com a programação no programa “Encontro das Tribos” na rádio 105,7 um grande multiplicador da cultura Reggae em São Paulo. Entre esses projetos foi criado Ômega Cypher com cantoras: Sistah Chilli, Regiane Cordeiro, Lenny Fyah, junto a essa parceria com a Dubalizer Produção e Wagner Bagão no comando musical.

No dia 19.01.2018, Sistah Mari, lançou seu single “Fogo”, produção do HiFya Studio com o produtor kNomoh e a parceria da Negguz produções patrocínio Cresposim Oficial, Acessório Mundo da Lua. Em 2018 participou do Festival em Santa Catarina “Tawai Dub Festival” ao lado do coletivo de som formado por mulheres “Sound Systers” e Kibir La Amlak grande produtor musical europeu. Esse festival foi significativo, proporcionou a grande parceria “Dawtas of Aya” com Regiane Cordeiro e Carol Afreekana proporcionou uma das maiores experiências culturais e profissional. Em 2018 participou de um dos Festivais mais conhecidos de toda a Europa Rototom Sunsplash na Espanha, Suíça, Bélgica, Inglaterra, Alemanha e França no total oito eventos. Após sua chegada do Rototom Sunsplash gravou sua segunda música “Somos Todas Maria” no projeto da coletânea Festival de Artistas e Bandas Novas.

Com sua luta e todas as experiências nesta trajetória sua caminhada vem se afirmando. Sistah Mari é dona de uma voz forte e muito bem acentuada, e seu talento a frente dos sistemas de som (Sound System) ecoa com diversos riddims.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Sistah Mari para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 21.09.2021:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Sistah Mari: Nasci no dia 21 de setembro de 1988 em São Paulo – SP. Registrada como Mariana Soares dos Santos Vieira.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Sistah Mari: Meu primeiro contato com a música foi em 2003 no qual tive uma banda que tocava covers de Reggae e “Forró universitário” chamada “Anjos de Jah”.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Sistah Mari: Sou formada em Produção Cultural, Fotografia, audiovisual. A música é o que me mantem viva é um dom.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Sistah Mari: Tenho muitas influencias tanto nacional quanto internacional: banda Filosofia Reggae, Layla Arruda, Miss Ivy, Lei di dai, Sistah Chilli, Denise D’ Paula, Marietta Massarock, Maria Elvira, Queen Ifrica, Queen Omega, Sister Nancy, Sister Carol, Spice, Lilalike, Sevana, dentre várias mulheres.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Sistah Mari: Em 2003, comecei com uma banda que tocava covers de Reggae e “Forró universitário” chamada “Anjos de Jah”. Em 2009 profissionalmente com a banda “Raízes do bem”, que era uma formação do projeto Raízes e Culturas realizado sob a mentoria da família Jahcareggae, eles são minhas referências.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Sistah Mari: Em 2019 lancei meu EP – “Fogo”, com três músicas de minha autoria: “Fogo”, “Consciência”, “Ganja meditação”. Lancei os singles: “Somos todas marias”, produzido por Rodrigo Loli; “Consciência” versão FUNK, produzido por F.A.M.A Crew; “Vem meu amor traz”, produzido por Weedbeats Casa da Fumaça; “Chega no balanço”, produzido pelo Projeto e Consciência com Diego Roots; “Crianças livres”, participação David Hubbard; “Ganja tune”, produzido por Negguz Anbesa.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Sistah Mari: Reggae, Ragga.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Sistah Mari: Estudo sempre técnica vocal.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Sistah Mari: Importante para se chegar aonde almeja com a voz e também é bom cuidar da sua saúde vocal e manter o seu condicionamento físico e ter cuidado com tudo que sai e entra da boca.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

Sistah Mari: Lila Iké, Queen Ifrica, IAMDDB.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Sistah Mari: Depende do meu estado de espírito.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Sistah Mari: Geralmente eu e um teclado ou uso uma instrumental já feita. Faço música sozinha.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Sistah Mari: Os prós é fazer o que você ama e o contra que é um corre, pois não é fácil viver de música.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Sistah Mari: Fora do palco sou focada na família e em estar desenvolvendo sempre um conteúdo para o meu público. Dentro do palco, eu faço o que tenho que fazer em cada momento que é único, vivo aquele momento como se fosse único.

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Sistah Mari: Eu desenvolvo minha função como produtora cultural, sempre em Sarau, Bate papo, vídeo live, singles lançados e vídeo clipe.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Sistah Mari: A internet ajuda na divulgação demais e atrapalha em determinadas redes sociais, pois temos que pagar impulsionamento para um número um maior de pessoa visualizarem.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Sistah Mari: Vantagens do home estúdio temos visto agora com a pandemia do Covid-19. Desvantagem é que o melhor é estar gravando no local apropriado para gravar e realizar o trabalho com a melhor estrutura de equipamentos e profissionais experientes.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Sistah Mari: Eu sempre lanço um single dançante, algo comercial, não sendo do que eu vivo. Eu falo o que muitos queriam falar. Sinto que sou porta voz de outras Marianas, Marias, Joanas, Lucianas, Lauras etc.

19) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Sistah Mari: Natiruts, Planta & Raiz, Tribo de Jah.

20) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Sistah Mari: Já cantei em condições deploráveis, na técnica, microfone osso (risos). Cantar e não receber é o grande dilema dos artistas. Sempre fazemos o trabalho e temos que sempre recorrer aos credores (risos).

21) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Sistah Mari: Feliz de ver várias manas chegando. Triste por ver as pessoas do meio artístico divididas.

22) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Sistah Mari: Acredito que sim, mas tendo dinheiro fica mais fácil.

23) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Sistah Mari: Foco, confie em você e realize.

24) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Sistah Mari: A cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira é cega não veem um todo. O cenário musical é imenso que a grande mídia desfoque do FUNK, Sertanejo e deem uma olhada no cenário do RAP, do Reggae.

25) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Sistah Mari: Belos espaços, mas não contemplam muitos artistas por conta de sua burocracia para contratar.

26) RM: Como você analisa o cenário do reggae no Brasil. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas e quais permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Sistah Mari: O cenário do reggae brasileiro está crescendo e bem diversificado. O que caiu um pouco foram as bandas, antigamente tínhamos muitas bandas em atividade e vários festivais, que hoje estar escasso. Temos boas bandas, mas temos poucas agora. Tem uma nova geração, eu sou parte dessa nova geração, não tão nova (risos).

27) RM: Você é Rastafári?

Sistah Mari: Não.

28) RM: Alguns adeptos da religião Rastafári afirmam que só eles fazem o reggae verdadeiro. Como vocês analisam tal afirmação?

Sistah Mari: Nada a declarar. O rasta não condena e nem julga seu semelhante, então você ouviu essa afirmação de outros tipos de rastas (risos).

29) RM: Na sua opinião quais os motivos da cena reggae no Brasil não ter o mesmo prestígio que tem na Europa, nos EUA e no exterior em geral?

Sistah Mari: Desunião da galera aqui e tudo termina em treta (risos). Artistas brigam demais no cenário do reggae brasileiro, causando uma segregação. Nos dividimos quando era para estarmos unidos.

30) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Sistah Mari: Sim, você nasce para fazer algo, você é bom em algo que te traz paz.

31) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Sistah Mari: Só vejo prós nos Festivais de Música, ajuda a divulgar e lançar artistas.

32) RM: Festivais de Música revela novos talentos?

Sistah Mari: Acredito que sim.

33) RM: Quais os pros e contras de se apresentar com o formato Sound System?

Sistah Mari: Você é uma versão ali pra criar uma intimidade com a base instrumental e deslizar fazendo a versão.

34) RM: Quais as diferenças de se apresentar com banda em relação ao formato com Sound System?

Sistah Mari: Amo me apresentar com banda por me trazer um conforto de não estar sozinha no palco, mas o formato Sound System é minha grande inspiração e foi o que me fez evoluir como compositora.

35) RM: Qual sua opinião sobre o machismo dentro do cenário reggae brasileiro?

Sistah Mari: É lamentável em pleno século 21 ter que ensinar marmanjo que se diz ser “paz e amor”, a tratar bem uma mulher.

36) RM: Qual sua opinião sobre o assédio sexual e moral dentro do cenário reggae brasileiro?

Sistah Mari: Não deveria existir, mas sempre perdemos tempo tentando explicar e ensinar aos homens e mulheres sobre conduta e o respeito mútuo. Respeitar as mulheres em seus locais de trabalho e lazer.

37) RM: Qual sua opinião sobre a violência física e psicológica contra as mulheres pelos seus maridos, namorados?

Sistah Mari: Precisamos de profissionais para ajudar essas mulheres a superar esses traumas. Uma rede de apoio que seja verdadeiro, vivenciais são muitas balelas. Muitas dessas vítimas desistem de trabalhar, da cultura reggae, de falar por medo de coação, de serem zombadas e até mesmo o silenciamento. Como todos nós já vimos ou presenciamos. Apoiar essas mulheres é um grande passo e um passo muito sério e importante a ser tomado. Deixar de falar e praticar mais nas ações é o primeiro passo.

38) RM: Fale como foi sua experiência no Festival de reggae Rototom? Foi em que ano, qual cidade e país?

Sistah Mari: Foi surreal e indescritível. Em 2018, teve o Rototom Sunsplash um festival de reggae em Benicàssim, Espanha. O Rototom foi um sonho realizado e teve outros festivais em outros países da Europa. Trago na bagagem muita coisa dessa experiência que quero deixar e passar aos que estão chegando. Dividir palco com as maiores lendas do reggae (Alborosie, Twinkle Brothers, Protoje, Mad Professor, Aisha) não tem palavra que descreva o quanto sou grata a Jah, sempre em primeiro lugar e ao nosso grande produtor Kibir La Amlak por me convidar a fazer parte desse grande projeto.

39) RM: Quais os seus projetos futuros?

Sistah Mari: Lançar alguns singles e um álbum pós pandemia do covid-19.

40) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Sistah Mari: [email protected] | https://web.facebook.com/marianasoares.dossantosvieira

| https://web.facebook.com/sistahMari

| https://www.instagram.com/sistahmari

Canal: https://www.youtube.com/channel/UCkoMRAgT6nNRk5x0f1QkSOg

Playlist Sistah Mari: https://www.youtube.com/watch?v=-WUZA67xxk0&list=OLAK5uy_kvwfSiAmOQ1p4vn3xHUoE4hAp6E2XzkXk

Sistah Mari | Fogo | Clip Oficial | Negguz Prod.: https://www.youtube.com/watch?v=J5-FcnqIm5g

Quebrada Groove Convida – Sistah Mari: https://www.youtube.com/watch?v=OnlwzUxK0Ms

Sistah Mari – Somos Todas Marias: https://www.youtube.com/watch?v=F1xA0KCmCnA

Sistah Mari – Entrevista ao vivo #004 no Programa Midnite Reggae 24/06/21: https://www.youtube.com/watch?v=t9cGHnF8s58

Omega Cypher – Dubalizer feat. Regiane Cordeiro, Sistah Chilli, Lenny Fya e Sistah Mari: https://www.youtube.com/watch?v=ct2Bz5xnAQc

DaviDariloco e Sistah Mari – Reggamente: https://www.youtube.com/watch?v=4IxDHxiqMkw

Sistah Mari e a Banda DAVI DARILOCO Botando Fogo na OLIDO: https://www.youtube.com/watch?v=ZKTpqWtju3Y

Banda Davi_Dariloco no Centro Cultural Olido – Introdução/Intrumental/Mix Up: https://www.youtube.com/watch?v=5fEAsUm9A6k

Sistah Chilli ,Sistah Mari , Jah Dartanhan & Rasec | GUETTHO SOUNDS meets NEGGUZ INNA D’DANCE 3: https://www.youtube.com/watch?v=QA0IRjXB_XA

Dom Buya & Sistah Mari | Zambol House Sound | Churrots 2017: https://www.youtube.com/watch?v=LNj2JXiFyHM

Sistah Mari – Festival Reggae de Artistas e Bandas Novas – Vitrine da Dança: https://www.youtube.com/watch?v=MnH2IglFSx8

Rude Girls Banda David’ariloco e Sistah Mari: https://www.youtube.com/watch?v=wh71zgAV3jo

AMBULANTES FT SISTAH MARI & REGIANE CORDEIRO (TEMPO RIDDIM): https://www.youtube.com/watch?v=03M-wpL3SSo

Sistah Mari & Jam Riddim Band (Fogo) – Expandindo Mentes: https://www.youtube.com/watch?v=_wPxMJJX51w

Jamaica Nice #12 (Jam Session) | Sistah Mari & David Hubbard – Freestyle Session: https://www.youtube.com/watch?v=hs6RJHHpDbk

Sistah Marihuana Femenine Hi Fi: https://www.youtube.com/watch?v=mBFPqcbx2ns

JAH DARTANHAN E DUBALIZER NO SHOW LIVRE PARTICIPAÇÃO: https://www.youtube.com/watch?v=cqXXttZImkc

OMEGA CYPHER: https://www.youtube.com/watch?v=ct2Bz5xnAQc

DAWTAS OF AYA NO CCJ: https://www.youtube.com/watch?v=8r4nqnKwvDI

DAWTAS OF AYA FEAT KIBIR LA AMLAK NO CCJ: https://www.youtube.com/watch?v=CjvBnfbmE4I

DAWTAS OF AYA FEAT KIBIR LA AMLAK NO CCJ: https://www.youtube.com/watch?v=WXVElk_nhIE

DJANGURU GUARULHOS- KIBIR LA AMLAK FEAT DAWTAS OF AYA: https://www.youtube.com/watch?v=wrZdtK1s7tI

LIVE DUB KIBIR LA AMLAK FEAT DAWTAS OF AYA: https://www.youtube.com/watch?v=DUN3LQtpBRY

FEMENINE HI FI CONVIDA SISTAH MARI: https://www.youtube.com/watch?v=mBFPqcbx2ns

DJ ZAMBOL –ZAMBOL HOUSE SOUND: https://www.youtube.com/watch?v=M0FC4pgeur4


Comments · 1

Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antônio Carlos da Fonseca Barbosa.