Scurinho Zabumbada

Scurinho Zabumbada

Scurinho Zabumbada, já nasceu ouvindo o som do seu pai Ararão do Nordeste, grande tocador de sanfona e um exímio compositor.

Viver a música sempre foi seu destino, e aos 8 anos de idade já compreendia alguns acordes pelas mãos da zabumba, instrumento esse que de corpo e alma, leva com sabedoria pelas rodas de Forró mundo a fora. Músico respeitado no Brasil e com turnê internacional na Europa, Scurinho Zabumbada sempre foi presença marcante em grandes palcos da música popular brasileira. Já acompanhou grandes artistas como Elba Ramalho, João Silva, Dominguinhos, Tiziu do Araripe, entre outros grandes mestres. Ao longo dos anos transformou sua batida de zabumba em um toque valente e potente nos olhos dos amantes da cultura brasileira. Bom conselheiro e um verdadeiro ritmista, que durante longos anos fez parte de um dos grandes trios de Forró do país, o “Trio Juriti”, um dos grandes projetos do país. Anos estes vividos juntos com a grande cantora Thaís Nogueira e o cantor e compositor Mestrinho. Participou em 2006 do consagrado FENFIT – Festival Nacional de Forró de Itaúnas – ES com o “Trio Juriti”.

O Brasil é um país recheado de ritmos em sua vasta extensão territorial, sendo assim na América do Sul o país que engloba grandes artistas e músicos. Pra termos uma ideia, o Nordeste é um celeiro de geniais mestres da arte em tocar Zabumba, que no passado era chamada de “melê”. Diferente de uma banda de Fanfarra, os grandes músicos tocam a Zabumba com uma espécie de bacalhau entrelaçados aos dedos, e conseguimos escutar diversos compassos musicais.

Scurinho Zabumbada mestre na arte de tocar Zabumba, oferece um curso excepcional e mágico para quem gosta de Forró e música. Com a atual crise da pandemia do Covid – 19, ele desenvolveu o primeiro curso de ensino a distância de Zabumba, sendo pioneiro na metodologia EAD, em que ministra cursos on-line para estudantes da Europa, Rússia, Japão, Austrália e Brasil. Sistema desenvolvido para estudantes iniciantes que queiram dar seu primeiro passo no instrumento, e para alunos intermediários e avançados, em que conhecem a história profunda na metodologia do instrumento. O aluno ouve os primeiros passos dos ritmos: Baião, Xaxado, Xote, Arrasta-pé e suas variações. Aprendemos as variações dos ritmos nordestinos, como Samba de Latada, Maracatu, Frevo e suas diferenças. Ao longo da jornada, o professor ministra técnicas que diferenciam a célula rítmica do Nordeste e a diferença dos tempos e compassos dos outros estados brasileiros e suas variações. O professor Scurinho Zabumbada nos remete a grandes artistas que fizeram história, onde aprendemos o jeito peculiar de sons ao longo da palestra educativa. Interessante ao sabermos da liturgia clássica na arte da zabumba, a forma peculiar como o educador trata seus alunos varia em módulos. No primeiro módulo educacional, o aluno tem contato com os artistas e seus primeiros ritmos musicais, artistas no início do século XX como: Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Sivuca, Oswaldinho do Acordeon, Marinês, Jackson do Pandeiro, Anastácia, Trio Nordestino, Genival Lacerda, Os 3 do Nordeste, Marinalva, Messias Holanda, Ary Lobo, e outros grandes mestres.

No segundo módulo, o aluno conhece as técnicas e variações musicais na zabumba a partir da década de 60 com os grandes artistas: Gilberto Gil, Geraldo Azevedo, Alceu Valença, Elba Ramalho, Fagner, trazendo em suas bandas grandes mestres da arte educacional na zabumba como: Borel, Azeitona, Quartinha, Dió de Araújo, Durval Pereira, e outros grandes artistas da MPB.

No quarto módulo, o aluno tem início as técnicas desenvolvidas com o surgimento assíduo das bandas, sendo assim as células rítmicas e suas variações desenvolvidas pelo zabumba, em cima do toque do bumbo da bateria. Técnicas assim desenvolvidas por grandes músicos da década de 90 e bandas como Mastruz com Leite que cantavam a história de Luiz Gonzaga.

No quinto Módulo, o aluno aprenderá técnicas inclusivas e celestiais com o surgimento do Forró Universitário nos anos 2000. Nesse módulo o aluno conhecerá a fundo as técnicas dos músicos sudeste, suas técnicas desenvolvidas com o reaparecimento de instrumentos como o Cavaquinho dentro da célula rítmica do Forró.

Ao longa da jornada desta palestra educacional sobre a arte de tocar zabumba, o aluno conhece a fundo seus fundamentos teóricos, rítmicos, tem acesso a harmonia e a forma peculiar de cada ser humano. O conhecimento adquirido com as técnicas do educador Scurinho Zabumbada, renova a pulsação e a postura antes de se portar em um teatro ou um grande concerto. Ao longo do trajeto educacional, o aluno vai poder entender as vertentes e variações de ritmos dentro do gênero Forró. No subgênero baião, a didática das variações e células rítmicas são divididas em Batidas Por Minuto, aonde o aluno aprende a estudar com o metrônomo. Metrônomo, um aparelho aonde damos ênfase a velocidade do som. No subgênero Arrasta-pé, o aluno aprende a utilizar corretamente sua postura ao tocar o grande ritmo das festas Juninas, velocidade, suas vertentes tradicionais e festeiras.No subgênero xote, o aluno aprende a desenvolver técnicas conjuntas com o educador e saborear a dinâmica rítmica, o compasso, a diferença no jeito de tocar do músico nordestino, e do músico sudeste. No subgênero samba de latada, o aluno aprenderá técnicas de zabumba, o modo de aprender com grandes artistas vocais do ritmo, como o grande maestro Josildo Sá. No subgênero xaxado, o aluno aprende a desenvolver variações como velocidade, compasso, dinâmica, e fontes ligadas ao famoso “bacalhau”, assim chamado uma madeira fina que os músicos a utilizam para tocar o instrumento. Cada artista tem seu modo peculiar de utilizar o “bacalhau ” e sua natureza na hora de manejar o instrumento. No gênero baião, este difundido pelo mestre Luiz Gonzaga e outros grandes mestres como Humberto Teixeira, João Silva, Zé Dantas, o aluno aprende a diferenciar o toque da zabumba e as diferenças entre o andamento da música na aula.

Sendo assim, as técnicas serão aprendidas com embasamento nas melodias criadas pelos mestres. A fisiologia contemporânea do ritmo Forró, aprenderemos de acordo com a cronologia do tempo no início do século passado, até os primórdios da música contemporânea. O professor Scurinho Zabumbada com sua matéria escolar educativa, promove os ensinos da mitologia nordestina com embasamento em todas as técnicas absorvidas ao longo de mais de 30 anos de estrada. Os participantes aprendem nesse workshop a teoria musical junto com a prática individual, podendo exercer os estudos em grupo.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Scurinho Zabumbada para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 30.05.2021:

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Scurinho Zabumbada: Eu nasci no dia 08.09.1978, Aracaju – SE. Registrado como Gilton Santos Lima.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Scurinho Zabumbada: Meu primeiro contato com a música aconteceu aos 9 anos de idade.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Scurinho Zabumbada: Concluí o Ensino Médio e na música sou autodidata.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Scurinho Zabumbada: Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, Trio Nordestino, Alceu Valença, Gilberto Gil. Nenhuma influência deixou de ser importante.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Scurinho Zabumbada: Comecei me apresentar nos anos 90 com meu pai Ararão do Nordeste, um sanfoneiro que tocava nos leilões de interior nem tinha energia elétrica no Forró era a luz de Candeeiro nos povoados de Sergipe. Em 1995 iniciei profissionalmente com o sanfoneiro Erivaldo de Carira (pai de Mestrinho).

06) RM: Quantos CDs lançados?

Scurinho Zabumbada: Tenho participações em álbuns de vários artistas: Santanna o Cantador, Adelmario Coelho, Trio Nordestino, Erivaldo de Carira, Antonia Amorosa, Thais Nogueira, Marcos Farias.

Em 2017 lancei o álbum – “Na Batida Do Seu Coração”, músicos que participaram: Missinho Acordeon, Marcos Farias, Rudson Batera, Scurinho Zabumbada, Silas Bass, Claudeir. O perfil um CD que fala das coisas do nosso Nordeste, variado com Xotes, Baiões, Forró, Arrasta-pé, com um pouco de romantismo. Em 2021 estarei lançando um EP pela Lei Aldir Blanc com músicas inéditas em parcerias com: Mestrinho, Eliezer, Setton, Gavião.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Scurinho Zabumbada: Forró Pé de Serra.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Scurinho Zabumbada: Não estudei técnica vocal, fui observando os outros cantores do circuito do Forró.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Scurinho Zabumbada: É essencial o estudo de técnica vocal e cuidado com a voz. Quem puder, estude bastante, em 2021 vou começar minhas aulas de canto.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

Scurinho Zabumbada: Marinês, Luiz Gonzaga, Elba Ramalho, Dominguinhos, Mestrinho, Mestre Zinho e tantos outros.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Scurinho Zabumbada: Meu processo de compor minhas músicas vem naturalmente e não tenho um ritual.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Scurinho Zabumbada: Todos aqueles que estiverem vibrando na mesma energia da coisa boa serão os principais parceiros, Mestrinho, Gavião compositor, Thaís Nogueira, mas amo todos meus parceiros musicais.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Scurinho Zabumbada: Assim como em toda área a parte boa é a independência para guiar a carreira da forma que pensamos ser o melhor e contra é a falta de dinheiro que é um fator determinante em diversas situações de uma carreira.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Scurinho Zabumbada: Foco nas interações através das redes sociais para ter um contato constante com meu público fora dos palcos. No palco durante o show tento interagir com meu público cantando canções populares, convidando a todos para cantar e atender pedidos musicais que as pessoas fazem!

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Scurinho Zabumbada: No momento ministro um curso de ritmos variados na Zabumba, que me permite ter esse contato mais próximo com meu público. Assim mantenho sempre aquecido meus projetos musicais gerando conteúdo didático com músicas próprias.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Scurinho Zabumbada: A internet ajuda mais que atrapalha, pois me aproxima do meu público, me mostra quem são as pessoas que curtem meu trabalho e assim consigo entender melhor os resultados do meu trabalho. Talvez a internet prejudica me tomando tempo para acessa-la, tempo esse que poderia estar compondo ou gravando mais aulas para meu curso de Zabumba.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Scurinho Zabumbada: As vantagens são diversas, a principal é poder fazer uma gravação com calma e repetir quantas vezes precisar sem aumentar o custo financeiro. A desvantagem são os custos dos equipamentos que são importados em sua maioria e o dólar não estar perdoando.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Scurinho Zabumbada: Cada artista já é diferente, sendo eu mesmo me diferencio.

19) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Scurinho Zabumbada: O cenário do Forró está estagnado em um patamar não muito ruim, foram diversas revelações nos últimos anos, alguns cansaram pela dificuldade de retorno financeiro, não vejo regressão de ninguém.

20) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Scurinho Zabumbada: Marinês, Luiz Gonzaga, Elba Ramalho, Dominguinhos, Mestrinho, Mestre Zinho e tantos outros.

21) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Scurinho Zabumbada: Praticamente tudo citado na pergunta já aconteceu, eu não sou doido de dar pista aqui onde foi (risos).

22) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Scurinho Zabumbada: Tocar é a maior alegria, a tristeza é não ver o Forró explodido no mercado musical brasileiro.

23) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

Scurinho Zabumbada: Acho maravilhoso e agradeço por ter existido o movimento do “Forró Universitário”.

24) RM: Quais os grupos de “Forró Universitário” chamaram sua atenção?

Scurinho Zabumbada: Para mais de 100 grupos, todos são bons. O Falamansa contribuiu bastante para que o Forró Pé de Serra fosse visto mais amplamente na grande mídia e agradeço a eles!

25) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Scurinho Zabumbada: Hoje em dia penso que não dependemos mais dessas rádios, basta uma música estourar na internet, nas redes sociais, e estas mesmas rádios tocarão a música só por estar “na boca do povo”.

26) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Scurinho Zabumbada: Festivais de música são de suma importância para diversos artistas, pois revelam grandes nomes no cenário. E quem se propõe a colocar seu trabalho artístico em julgamento para vencer ou não pode colher uma boa carreira, pois o público está ali para vê-los. O que me incomoda um pouco ser o vencedor sabendo que tem um perdedor, daí acho melhor não participar.

27) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Scurinho Zabumbada: Festivais de música não podem deixar existir, eles são de suma importância.

28) RM: Como você analisa a cobertura feita pela mídia da cena musical brasileira?

Scurinho Zabumbada: A Chamamos de mídia empresas que dependem de números para gerar a receita que os mantém no mercado, então não posso exigir que tenham uma cobertura ampla e não o que lhes tragam a maior renda, talvez alguém possa apresentar um plano que funcione para ambos os lados, mas hoje primeiro vem o dinheiro depois a música na mídia.

29) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Scurinho Zabumbada: São grandes parceiros da música desde muito tempo, acho massa.

30) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró das antigas e as atuais do Forró Estilizado?

Scurinho Zabumbada: Música é felicidade, se um estilo leva alegria a quem o consome está tudo bem, minha opinião vai ser sempre a favor da good vibe.

31) RM: Quais os seus projetos futuros?

Scurinho Zabumbada: Estou lançando um EP agora com 5 músicas, tenho mais algumas gravadas prontas para lançar logo mais graças a lei Aldir Blanc, e voltar a tocar logo que possível!

32) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Scurinho Zabumbada: (79) 99139 – 1973 | https://web.facebook.com/scurinho.zabumbada

| https://web.facebook.com/scurinhoezabumbada

| https://www.instagram.com/scurinhozabumbada/

Canal: https://www.youtube.com/channel/UC72ualk2H82f-h_cBcVp-9w

Sambaiãozar: https://www.youtube.com/watch?v=9RaLaefYmdg

Scurinho Zabumbada Lançamento EP Zabumbeiro Do Amor: https://www.youtube.com/watch?v=n27tgeVTpig

Scurinho Zabumbada Conta Sua História Suas Origens: https://www.youtube.com/watch?v=FYnuDee3C1M

Forró no Escuro (Quarentena): https://www.youtube.com/watch?v=w3aa1MYSYwY

https://open.spotify.com/album/3wAtU5X7WWAkSIUYST7gkS

https://soundcloud.com/scurinhozabumbada/sets/na-batida-do-seu-coracao-1

http://www.forroemvinil.com/cds/cd-scurinho-zabumbada-na-batida-do-seu-coracao

https://music.apple.com/tt/album/na-batida-do-seu-cora%C3%A7%C3%A3o/1400642961

https://br.napster.com/artist/scurinho-zabumbada/album/na-batida-do-seu-coracao

Playlist Na Batida do Seu Coração: https://www.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_nmkgQ-dNhHIhrBBGq1oBFQkiCFl7RNB3I


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tagged

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.