More Ras & Tátila »"/>More Ras & Tátila »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Ras & Tátila


O duo Ras & Tátila se formou em 2014 no Rio de Janeiro e desde então eles vêm trabalhando em canções autorais. O primeiro disco promete sair em 2022. Tátila de Souza é Baiana, da cidade de Juazeiro e Bruno Ras é carioca.

Tátila começou bem cedo, tem formação musical com base na igreja desde criança, Bruno foi fundador, tecladista e compositor da banda Yute Lions, participante da primeira edição do reality show Superstar na rede globo em 2014.

O duo Ras & Tátila já tem 6 músicas disponíveis nas plataformas de música, o som passeia por estilos como o tropicalismo, ritmos afro-brasileiros e música negra americana, trabalhando bastante as vozes e texturas originais para compor o conceito sonoro.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Ras & Tátila para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistados por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 09.03.2022:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Ras & Tátila: Bruno Ras (Bruno Alkmin Agricola), nasceu no dia 01/06/1983 no Rio de Janeiro.

Tátila de Souza Silva, nasceu no dia 22/03/1993 em Juazeiro – Bahia.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Ras & Tátila: Tátila, meu primeiro contato com a música foi na igreja ainda muito pequena. Foi lá que comecei o meu amor pela música. Mas já gostava de cantar em casa.

Bruno, meu primeiro contato com a música foi com meu pai Flávio Agricola e avô Zezinho Agricola quando eu era criança, e aos 16 anos de idade tive a minha primeira apresentação com banda.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical? 

Ras & Tátila: Tátila, não tive uma formação musical. Fui muito no instinto, e com o tempo absorvi muita coisa do que ouvi, a formação vem dos palcos.

Bruno, tive aulas na Escola Villa-Lobos no Rio de Janeiro e na Escola Portátil de Choro no Rio de Janeiro.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Ras & Tátila: Tátila, ouvi muito o pop americano, o hip hop, músicas latinas sempre estiveram na minha playlist, a soul music, claro que as cantoras baianas sempre estiveram ali presente.  Hoje tenho escutado rock e de tudo um pouco.

Bruno: o rock clássico sempre esteve presente, junto com o blues, jazz, rap, com o tempo me aprofundei no Reggae, onde trabalho até hoje. Atualmente tenho pesquisado bastante ritmos afro brasileiros. 

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Ras & Tátila: Tátila, só comecei a cantar profissionalmente com uns 19 anos de idade, se não me engano. Quando entrei na banda de reggae dos amigos de Juazeiro – BA.

Bruno: em 1996 em Itajubá – MG.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Ras & Tátila: Tátila, estou trabalhando com Bruno Ras nosso primeiro álbum.  Lançamos cinco músicas que estão disponíveis nas plataformas. Antes gravei algumas músicas com a banda de reggae na Bahia.

Bruno Ras, gravei um EP – com a banda Pangea Reggae. Com a banda Positivamente o álbum – “caiu se levanta”. Com a banda Raízes que tocam o álbum – “O recado”. Gravei com a banda Yute Lions, Banda ZNVG, Daniel Profeta, o EP – “Blessed Sessions” com Hélio Bentes.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Ras & Tátila: Tátila, world music. Nosso som agrega vários estilos.

Bruno: hoje em dia não consigo me definir em apenas um estilo musical.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Ras & Tátila: Tátila, poucas aulas na adolescência.

Bruno: tive algumas aulas em grupo.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Ras & Tátila: Tátila, acredito que a evolução vem com a prática, então é importante alimentar as percepções, o cuidado com a voz é fundamental, uma vez que a voz é meu instrumento de trabalho.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

Ras & Tátila: Tátila, várias… mas vou citar: Elba Ramalho, Elza Soares, Elis Regina, Gal Costa, Aretha Franklin, Milton Nascimento, Gilberto Gil é o amor da minha vida (risos).

Bruno: Gal Costa, Djavan, Bob Marley, Edson Gomes, Dennis Brown, Peter Tosh, Sting, Michael Jackson, Stevie Wonder

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Ras & Tátila: Pode Variar, mas no disco normalmente as melodias estão vindo antes da letra. Trabalhamos muito juntos cada ideia. É um processo muito empolgante.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição? 

Ras & Tátila: nós.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Ras & Tátila: Bruno: Felipe Silva Original Monte Zion, Banda Raízes que tocam, Positivamente, Yute Lions, Pangea Reggae, Rafyah.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Ras & Tátila: não é fácil, mas temos experimentado a delícia e a dor de decidir sobre tudo no nosso trabalho. Por amor e por acreditar na mensagem que passamos em nossas canções.

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Ras & Tátila: estamos traçando esse percurso e buscando parcerias.

16) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Ras & Tátila: nós tocamos em festas particulares, barzinhos, festivais de música e sempre incluímos nossas músicas autorais nos repertórios. Tem sido muito positivo, uma vez que estamos em estúdio gravando nosso disco.

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Ras & Tátila: a internet ajuda nas divulgações, alcance, mas ao mesmo tempo tem aquilo de quem mais investe grana tem mais visibilidade, isso quando você não “viraliza”.

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Ras & Tátila: o home estúdio facilita o trabalho de produção, é um sonho que vamos realizar. Nós hoje estamos trabalhando no estúdio ZAMA, em Itajubá – MG, onde moramos atualmente.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical? 

Ras & Tátila: a nossa divulgação até aqui tem sido orgânica, estamos felizes com as músicas e empolgados para que todos possam ouvir. O diferencial para nós é nossa mensagem, o que nossas músicas dizem, para nós, são coisas importantes para se absorver, como ser humano. Não é à toa que Tátila sempre diz: “nossas músicas, eu sou a primeira a precisar ouvir, elas nos ajudam”. E queremos que as pessoas sintam conosco.

21) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Ras & Tátila: Bruno: Stevie Wonder, Anderson Paak, Koffe, Bob Marley, Djavan. 

Tátila: Djavan, Beyoncé, Edson Gomes, Elza Soares, Elba Ramalho, Ivete Sangalo, Gal Costa, Gilberto Gil, Rita Lee.

22) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Ras & Tátila: ruim mesmo é tocar e não receber o cachê.

23) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Ras & Tátila: feliz quando conseguimos uma troca legal com o público, são várias coisas que contribuem. Triste, é quando acontecem brigas ou fofocas com amigos de profissão.

24) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Ras & Tátila: provavelmente que não.

25) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Ras & Tátila: não é fácil a carreira de músico.

26) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Ras & Tátila: achamos limitadíssima a cobertura feita pela grande mídia da cena musical, uma vez que o peso vai para o artista da vez, sendo massivamente colocado em evidência. E quando se coloca bastante dinheiro em jogo, deixando vários buracos, somos ricos em talentos, porém poucos tem oportunidade. Quem mais tem dinheiro aparece, o que está em jogo nem sempre é a qualidade.

27) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Ras & Tátila: Muito importante, é necessário que grandes empresas apoiem a cultura no nosso país.

28) RM: Como você analisa o cenário do reggae no Brasil. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Ras & Tátila: a cena do reggae no país é muito vasta, as revelações das últimas duas décadas são: Ponto de Equilíbrio, Monkey Jahyam, Monte Zion, Daniel Profeta. Estes permanecem em atividade até hoje. 

29) RM: Vocês são Rastafáris? 

Ras & Tátila: somos.

30) RM: Alguns adeptos da religião Rastafári afirmam que só eles fazem o reggae verdadeiro. Como você analisa tal afirmação?

Ras & Tátila: cada um faz a música da forma que sentir sua verdade. Não concordo com quem tenta limitar, afinal cada um é de um jeito. Liberdade.

31) RM: Na sua opinião quais os motivos da cena reggae no Brasil não ter o mesmo prestígio que tem na Europa, nos EUA e no exterior em geral?

Ras & Tátila: no Brasil temos outros gêneros musicais muito fortes popularmente, o reggae nacional não tem tanta propagação na mídia como deveria, além disso, no exterior eu creio que o reggae é mais valorizado.

32) RM: Quais os pros e contras de se apresentar com o formato Sound System? 

Ras & Tátila: os prós é por ser mais fácil a logística, mas nada substitui um show com banda.

33) RM: Quais as diferenças de se apresentar com banda em relação ao formato com Sound System?

Ras & Tátila: com banda é mais difícil pelos instrumentos, a equipe é maior, é mais caro para contratar, já com Sound System fica tudo mais prático.

34) RM: Como você analisa a relação que se faz do reggae e o uso da maconha? 

Ras & Tátila: uma coisa é maconha a outra é o reggae, não é necessária fumar maconha para fazer reggae.

35) RM: Como você analisa a relação que se faz do reggae com a cultura Rastafári?

Ras & Tátila: reggae tem total ligação com o rastafári.

36) RM: Quais os seus projetos futuros? 

Ras & Tátila: lançar o álbum de músicas autorais em 2022, já temos cinco músicas que irão compor este álbum que já estão nas plataformas digitais.

37) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Ras & Tátila: (35) 98405 – 8708 | 98831 – 6372 | [email protected]

| https://www.instagram.com/rasetatilamusic

| https://pt-br.facebook.com/rasetatilamusic


Comments · 1

Deixe um comentário para Marrone Recarregue Cancelar resposta

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.
Notícias por WhatsApp