More Oséias Araújo »"/>More Oséias Araújo »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Oséias Araújo


Oséias Araújo é guitarrista, produtor musical, natural de Porto Velho – RO, estudou com vários professores da capital. Lecionou na escola de música Jorge Andrade, Thomas Jefferson e aulas particulares.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 2006, onde estudou e atuou profissionalmente e intensamente em Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo. Como músico foi muito requisitado no Rio de Janeiro, atuou tocando, gravando, cantando, lecionando e produzindo shows. Participou no Brasil de vários trabalhos entre gravações e shows com inúmeros artistas, alguns de renome nacional.

Na música instrumental interagiu com muitos dos grandes músicos do Brasil em diversos eventos. Lecionou no Conservatório Brasileiro de música, na “Life Music” freguesia, ICI) “Tocando em você” Tijuca, Projeto social “Espaço Logos de Educação e Cidadania” na Usina, Projeto “Fome Zero” no Morro do Cantagalo em Copacabana, além de aulas particulares.

Em 2012 retornou a Porto Velho, dando continuidade com sua atuação musical, produzindo e participando de shows e eventos, gravações com vários artistas além de atuar como professor de música.

Oséias Araújo foi coordenador do curso em nível superior Bacharelado em Música- Cordas, das faculdades FIMCA/Metropolitana de 2016 a 2020.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Oséias Araújo para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 03.06.2022:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Oséias Araújo: Nasci no dia 16/01/1979, em Porto Velho – RO. Registrado como Oséias Araújo da Silva.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Oséias Araújo: Em nossa casa sempre tivemos música de qualidade, meus pais tinham uma quantidade enorme de discos e eles eram sensacionais. Meu pai Adalberto Moraes tinha uma guitarra em casa, eu fiquei olhando, peguei o instrumento e foi incrível, eu aprendi a tocar o básico sozinho, desenvolvi até os primeiros shows, como um presente divino.

03) RM: Qual sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Oséias Araújo: Sou bacharel em música, possuo graduação com habilitação em Guitarra pelo Conservatório Brasileiro de música – Centro Universitário, CBM/CEU, Rio de Janeiro/RJ, Graduação em Educação Artística também pelo Centro Universitário, CBM/CEU e Pós-Graduação em Educação Musical pela Universidade Candido Mendes, UCAM, Rio de Janeiro/RJ.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Oséias Araújo: A resposta seria longa, pois são tantas influências boas, vou citar algumas, sendo que eu vivi fases da minha vida que eu ouvia só rock, ou só jazz, ou só fusion etc… e dentre as influencias a primeira foi Djavan, logo que comecei a aprender guitarra comprei uma revista só com músicas do Djavan, eu aprendi e comecei a aplicar as dissonâncias em outras músicas e fazendo pequenos arranjos. Havia uma banda chamada Conexão C que também foi uma grande inspiração, pois os músicos eram tão criativos que, a cada ensaio os arranjos mudavam totalmente para melhor, entre estes músicos cito Carlos Pial (Brasília) que hoje é um dos grandes nomes da percussão no Brasil. Também tive influência de Frank Solari, Chick Corea, Paul Gilbert, Lee Retenour, Frank Gambale, Steve Vai, Joe Satriani, Miles Davis, Jaco Pastorius, Arthur Maia, Nelson Faria, George Benson, Michael W. Smith, Pat Metheny, Toninho Horta, João Gilberto, Tom Jobim, João Donato, entre outros.

05) RM: Quando, como e onde você começou sua carreira musical?

Oséias Araújo: Eu comecei a tocar em casa com estudo autodidata e fui aos poucos praticando na igreja (1998 a 2000), nos primeiros dias eu precisava esperar o guitarrista faltar e o segundo pastor faltar, pois ele também sabia tocar (risos) quando os dois faltavam eu tocava e com a evolução assumi o posto de músico principal. Algum tempo depois entrei em uma banda e depois daquele início, aconteceu uma sequência muito grande de shows.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Oséias Araújo: Eu gravei CDs para muitos artistas, foram muitas participações como guitarrista, mas nunca gravei um CD autoral, apesar de já ter tido portas abertas de alguns estúdios para gravar sem custo. Acredito que eu servi mais às pessoas do que a mim mesmo em relação a gravações, e isso também é sensacional especialmente quando você participa de trabalhos com pessoas de qualidade.

08) RM: Como você define seu estilo musical?

Oséias Araújo: Eu procuro não me rotular porque o rotulo pode ser uma limitação ao artista, é interessante em alguns casos, mas acredito apenas que existe música boa e ruim em qualquer gênero. Se tivesse que me rotular eu seria um músico POP, de música instrumental, rock e Jazz, estas seriam as vertentes predominantes.

09) RM: Você estudou técnica vocal?

Oséias Araújo: Estudei técnica vocal durante alguns anos, estava desenvolvendo bem, mas acabei me lesionando devido a quantidade de exercícios que fiz em um determinado tempo e parei de cantar e estudar técnica vocal.

10) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Oséias Araújo: É importantíssimo ter esse conhecimento que adquirimos quando estudamos técnica vocal, pois assim podemos cuidar melhor de nosso aparelho vocal que é muito frágil.

11) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

Oséias Araújo: São muitos, Michael Jackson e Whitney Houston foram incríveis, Stevie Wonder com aquela musicalidade impressionante, poderia citar muitos, tenho muitos amigos que cantam demais mesmo.

12) RM: Como é seu processo de compor?

Oséias Araújo: Eu gosto quando a música flui naturalmente, eu começo a cantar ou pensar em uma melodia e a música flui. Eu, gosto também de usar técnica, de tentar extrair algum sentimento observando uma pessoa ou lugares, as vezes isso funciona muito bem, consigo inspiração para letras, melodias etc.

13) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Oséias Araújo: Tive poucas composições em parceria, Mauro Araújo é o melhor e a gente compõe fácil. Meu amigo Leo, do Rio de Janeiro, é um excelente letrista, já fizemos algumas músicas e pretendo lançar um trabalho com algumas destas músicas.

14) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Oséias Araújo: Ninguém gravou ainda (risos). Tenho umas 60 músicas ou mais guardadas que a qualquer momento eu posso gravá-las.

15) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Oséias Araújo: Você ter a possibilidade de fazer aquilo que você gosta, seja um arranjo ou uma produção, é algo incrível, muitos artistas grandes são totalmente manipulados por seus empresários e até mesmo grupos quase secretos que atuam na sociedade, isso é fato, estar nas mãos destes caras é muito complicado. Assim como em qualquer profissão para você ter um bom retorno é preciso que você tenha um bom investimento. E gerenciar uma carreira de forma independente sem grande investimento talvez seja o ponto mais difícil.

16) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Oséias Araújo: Hoje eu penso que a melhor estratégia é fazer o possível para estar de bem comigo mesmo e com as pessoas que tenho contato, no mundo da música as coisas acontecem muito rápido, tem gente que você só vai ter a oportunidade de interagir uma vez em toda sua vida, então o ideal é valorizar todos os momentos sejam simples ou não e fazer o seu melhor, quando você faz o seu melhor com certeza você deixa sua marca no coração das pessoas.

17) RM: Quais as ações empreendedoras que você prática para desenvolver a sua carreira?

Oséias Araújo: Hoje não me preocupo em ter uma grande carreira, me preocupo apenas em fazer bons trabalhos onde eu estiver e ter uma boa interação com as pessoas isso abre as portas suficientes para viver de música de forma satisfatória.

18) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Oséias Araújo: A internet tem o lado bom e ruim ao mesmo tempo, as possibilidades de alcance, divulgação, interação são enormes, abrindo portas e oportunidades a pessoas com talento que estão distantes da grande mídia.

Por outro lado, a liberdade de expressão, liberdade financeira, entre outras liberdades estão seriamente ameaçadas por um sistema que é comandado por poucos, a cada dia aparece com mais restrições e isso é muito grave.

19) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Oséias Araújo: A possibilidade de se gravar música com poucos equipamentos em um home Studio é muito boa, ajuda muitos músicos que não tem condições financeiras, por outro lado tem muita produção realizada em home Studio sem o devido cuidado com o processo musical e de produção. Muitos músicos que por dominar um software de gravação já se intitulam produtores colocando em risco muitas gravações e até carreiras musicais. O mercado tem muita gente que não estuda música, mas se intitula produtor musical.

20) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Oséias Araújo: Você vai estudando a música que é por sinal um estudo infinito e chega um ponto em que você encontra um lugar dentro deste universo que é só seu, só você pode entrar lá e explorar e se desenvolver naquele ambiente. Quando você chega a esse ponto de amadurecimento musical você encontrou o caminho para se tornar diferenciado. Isso pode ou não ter vínculo com o sucesso midiático, você escolhe seu caminho.

21) RM: Como você analisa o cenário da MPB. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais artistas permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Oséias Araújo: Tem muita gente boa e de qualidade inquestionável tanto dos mais antigos quanto os novos. Não gostaria de citar nomes, mas muitos dos novos artistas da MPB apresentam em suas músicas algo que eu não gosto, na forma de se expressar eles apresentam traços de depressão, talvez isso seja realmente um reflexo de nossa sociedade e especialmente o que a grande mídia faz com nossas crianças e adolescentes.

21) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Oséias Araújo: O Michael Jackson foi um exímio artista, qualidade técnica excepcional.

22) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado, etc)?

Oséias Araújo: Uma vez fui tocar em uma festa na mansão de um dos maiores jogadores de futebol do mundo. A correia de guitarra Gibson não estava bem fixada, a guitarra caiu e eu em um ato desesperado de puro reflexo aparei com o pé e comecei a fazer embaixadinha com a guitarra (risos). Isso foi surreal.

23) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Oséias Araújo: Fico extremamente feliz quando percebo que pude contribuir significativamente em um trabalho musical ao ponto de emocionar as pessoas ou a pessoa, algumas vezes logo após eu tocar as pessoas emocionadas me agradecer por aquele momento de felicidade.

24) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Oséias Araújo: Acredito que Deus deu ao ser humano diversos tipos de inteligências, a inteligência musical é uma delas, se você consegue perceber os elementos musicais de uma forma fácil e se sua fisiologia favorece o fazer musical proporcionando qualidade a este, você tem um Dom musical, mas acredito que quem não tem o este Dom pode desenvolver com estudo sistemático, cada pessoa a seu nível pessoal.

25) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Oséias Araújo: Improvisação é o ato de criar algo novo mesmo se utilizando de elementos já amplamente explorados como escalas, acordes e harmonias. A verdadeira improvisação pode ser algo raro de acontecer ou não.

26) RM: Existe improvisação musical de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Oséias Araújo: As fórmulas musicais são extremamente sutis ao ponto de você ter, por exemplo, dez pessoas cantando a mesma música e cada uma vai cantar de uma forma diferente. Essa diferença faz parte da própria composição que fisiologia do ser humano entre tanto toda essa ciência pode ser estudada a ponto de ser manipulada musicalmente.

27) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical?

Oséias Araújo: Os métodos de improvisação musical em minha opinião são de grande relevância para o desenvolvimento da improvisação. Mas para bom aproveitamento e desenvolvimento técnico intelectual é importante que haja um acompanhamento de um profissional músico, pois caso contrário corre se o risco de ter um resultado apenas mecânico e não musical. Ouvi falar muitas vezes de escolas até renomadas como por exemplo a Berklee College of Music nos Estados Unidos onde os alunos saíram tocando de forma similar.

28) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o Estudo de Harmonia musical?

Oséias Araújo: Os métodos de Harmonia musical são importantíssimos para a formação do músico, visto que a Harmonia é fundamental para a construção da estrutura básica de qualquer música. E, resta apenas o estudante procurar os bons métodos de Harmonia, pois alguns deles apresentam um conteúdo de forma mais complexa a ponto de apenas músicos mais experientes poderem entender completamente.

29) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Oséias Araújo: Acredito que rádios pequenas podem até tocar a sua música, as rádios maiores da grande mídia, acredito que não tocam sem o famoso jabá. Então não é a música que faz sucesso é o investimento o que faz o sucesso acontecer, independente se a música é boa ou não o público vai gostar apenas pela sua vinculação exaustiva.

30) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Oséias Araújo: Procure bons músicos, um bom professor de música que lhe direcione caminhos corretos dentro do âmbito musical. O estudo e o cenário musical são enormes se você não tiver uma boa orientação você pode se perder entre tantas e boas possibilidades você pode não encontrar o caminhão que é adequado e compatível com a sua identidade musical.

31) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Oséias Araújo: Um festival de música nem sempre é indicador correto em relação a qualidade musical do participante, dependendo da situação, se a pessoa ou a banda não estiver em um bom dia seu rendimento pode não ser muito bom. O que resulta em uma colocação ruim no festival, por exemplo: eu já vi músicos que tiveram problemas técnicos, outros tiveram que se apresentar após uma sequência de shows, cansados, já com a voz falhando. Etc. O festival é apenas um momento que pode ser muito bom ou ruim, a pessoa precisa estar preparada para um momento como este e saber que carreira musical independe exclusivamente de um festival e é bem diferente de uma apresentação onde você está sendo avaliado.

32) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Oséias Araújo: Os festivais de música são importantes, pois eles incentivam o estudo e o desenvolvimento musical além da interação que é diferenciado por parte do público levando a um contato imediato. O que proporciona um importante suporte para a carreira de qualquer músico, a exemplo muitos dos principais artistas brasileiros vieram dos grandes festivais.

33) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Oséias Araújo: Isso é um assunto bastante complexo, pois nós temos uma indústria que não está preocupada necessariamente com a música, mas, se utiliza dela para outros fins, nós vivemos em um país de uma multiplicidade e riqueza musical impressionante, mas se você fizer uma pesquisa vai constatar que as pessoas consomem e conhecem pouco desta riqueza. A grande mídia é limitada na cobertura da cena musical brasileira talvez até pelo volume de produções.

34) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Oséias Araújo: Esses espaços são muito importantes, pois eles proporcionam ao público brasileiro diversidade musical com apresentações de alto nível sem deixar de privilegiar os novos talentos. Os shows em teatro são uma das riquezas de nosso Brasil. Entrar em um ambiente acusticamente preparado para audição musical, vendo e ouvindo a boa música brasileira com artistas de alta performance é algo incrível.

35) RM: O circuito de Bar na cidade que você mora ainda é uma boa opção de trabalho para os músicos?

Oséias Araújo: Temos muitas casas de shows em Porto Velho – RO, percebo que os músicos são responsáveis por levar alegria e alto astral em forma de música. Mas em muitos casos ainda há uma desvalorização ao trabalho do músico, horários de apresentações muito prolongados, cachês ruins, entre outras coisas, muita das vezes a desvalorização vem por parte dos próprios músicos que não tem consciência de sua importância para sociedade.

36) RM: Quais os seus projetos futuros?

Oséias Araújo: Estou lançando o álbum – “Casa da música”, é um trabalho de música instrumental, após o lançamento pretendo seguir realizando outros projetos sejam shows, gravações. O Projeto álbum “Casa da Música” foi contemplado no Edital Marechal Rondon, Prêmio de Produção Literária, fonográfica e digital para difusão de expressões culturais da Lei Aldir Blanc.

37) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Oséias Araújo: (69) 99310 – 9458 | [email protected]

| https://web.facebook.com/oseias.araujo.5

| https://www.instagram.com/oziguitar

Canal: https://www.youtube.com/user/guitarozi

Projeto Casa da Música (Vídeo): https://www.youtube.com/watch?v=wAdnIBst-IQ

Projeto Casa da Música (áudio): https://www.youtube.com/watch?v=5M-O97nVATk


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.
Notícias por WhatsApp