More Oliveira de Panelas »"/>More Oliveira de Panelas »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Oliveira de Panelas


O poeta, repentista, escritor, cantador pernambucano, Oliveira de Panelas (Oliveira Francisco de Melo) aos 08 anos de idade, já fazia seus primeiros versos. Aos 12 anos cantou pela primeira vez no Sítio contador em Panelas – PE. Seu pai Antônio Francisco de Melo Filho e sua mãe Maria Virtuoza dos Santos foram seus grandes incentivadores de todo seu trabalho.

Tornou-se profissional aos 14 anos de idade, viajando por todo o Estado de Pernambuco, parte de Alagoas e Paraíba com vários poetas-cantadores, entre eles: João Vicente e Manoel Hermínio naturais de Panelas e Cupira respectivamente.

Como profissional do repente, sempre demonstrou, de forma didática, os seus principais gêneros, a origem e a atuação da cantoria no Nordeste. Divulga desde o início a valorização do cordel como um símbolo de resistência e arte aos costumes de nossa gente, somando-se a total divulgação das canções e das toadas de todo reino do repente nordestino. Atuou, por oito anos, em emissoras de rádio de Garanhuns – PE, tendo participado em dezenas de outras rádios em todo o estado de Pernambuco e fora dele, a exemplo de Caruaru, Belo Jardim, Pesqueira, etc. Viajou pelo Brasil inteiro sempre divulgando a riqueza, a história, a cultura e os costumes do leão pernambucano.

Incorporou-se em inúmeras campanhas de utilidade pública de caráter social promovidas por Ministérios e Secretarias, como: Anistia geral e restrita; Reforma agrária; Campanha de prevenção contra doenças contagiosas; Arte e saúde, etc.

Residiu em São Paulo, sendo sócio fundador de várias agremiações artístico-culturais. Em 1975, gravou seu primeiro disco na Coletânea de Repentistas, na série Brasil Caboclo, cantando em vinte e quatro gêneros do repente. Dono de uma voz forte e afinada foi considerado um renovador da cantoria pelos temas modernos abordados e pela técnica usada na sua arte de fazer versos.

Participou de 298 Congressos de Cantoria do repente, sendo classificado em primeiro lugar em 185 deles. Cantou para presidentes de países estrangeiros a exemplo: de Mário Soares e Fidel Castro e outros presidentes brasileiros, além de várias personalidades do mundo artístico, político e social. Cantou para o Papa João Paulo II. Cantou três vezes para Roberto Carlos. Já se apresentou em todo país, representando o Nordeste, foi jurado convidado pela Rede Globo, no Festival MPB-SHELL, tendo seu nome alinhado aos melhores músicos brasileiros.

Presidiu por 8 anos, a Associação de Poetas Repentistas do Brasil, sediada em João Pessoa – PB. Promoveu do primeiro ao décimo primeiro Encontro Nacional de Poetas Repentistas do Brasil. Abriu espaço para os novos artistas do gênero, sendo considerado, um dos maiores representantes da geração de Poetas Cantadores.

Tem trabalho reconhecido internacionalmente pela imprensa da Portugal, Cuba, França, Estados Unidos, quando esteve se apresentando em 1996, 1997, 1998 e 2001, respectivamente. E em 2005, ano do Brasil na França, a convite das autoridades organizadoras, apresentou-se por duas vezes, em outubro (Poitiers – Paris) e em novembro (Toulouse – Paris). Esteve no mesmo mês de outubro em Quito no Equador, se apresentando a convite da Conferência Internacional: Pela Questão Institucional da Educação para a América Latina.

No ano de 2006 esteve em Vannes e Paris, onde realizou apresentações. Oliveira de Panelas é Conselheiro de Cultura do Estado, em nome da arte, da cultura e da Paraíba e tem os seguintes títulos: Cidadão Paraibano; Cidadão Pessoense; Cidadão Campinense; Cidadão Garanhuense; Medalha Augusto dos Anjos; Membro da União Brasileira de Escritores (UBE).

No ano de 2006, em 09 de novembro tornou-se membro da Academia de Letras e Artes do Nordeste – ALANE, ocupando a cadeira 29, tendo como Patrono Eulajose Dias de Araújo.

Em 1997, foi vencedor do Primeiro Campeonato Brasileiro de Poetas Repentistas, no Memorial da América Latina, em São Paulo, concorrendo com 108 artistas de todo o território nacional e, em 2001, foi o primeiro lugar no Desafio Nordestino, concorrendo com 70 dos maiores cantadores nordestinos, realizado em Recife – PE.

“A poesia e o repente nordestino tem em Oliveira de Panelas seu expoente, e sua forma de expressão que vai muito além do ofício de fazer versos; ela transcende, agiganta-se na missão de levar a evolução do ser humano”, afirma Fábia G. de Oliveira Melo em 2007.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Oliveira de Panelas para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 24.11.2021:

01) RitmoMelodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Oliveira de Panelas: Eu nasci no dia 24 de maio de 1946, no sítio Contador – Recifinho em Panelas, agreste meridional de Pernambuco. Sou filho de Antônio Francisco de Melo Filho e sua mãe Maria Virtuoza dos Santos. Registrado como Oliveira Francisco de Melo.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com o Cordel e com o Cantador Repentista.

Oliveira de Panelas: Em 1958, quando eu tinha doze anos de idade. Nesse mês eu cantei pela primeira vez com Josué Rufino na casa que eu morava.

03) RM: Qual a sua formação musical e escolar?

Oliveira de Panelas: Eu tenho conhecimentos de teoria musical. Tenho oficializado o Ensino Médio, mas tenho por bancas examinadoras, o currículo de autodidata de conhecimentos universitários.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Oliveira de Panelas: Tive influências com músicas dos grandes cantores do meu tempo e músicas da linhagem romântica. Hoje mantenho o mesmo gosto, desde que a música e a letra sejam boas. As que deixaram de ter importância são aquelas que não contribuíram em nada.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira artística?

Oliveira de Panelas: Em 1958 aos doze anos de idade. Nesse mês eu cantei pela primeira vez com Josué Rufino na casa que eu morava.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Oliveira de Panelas: Já lancei 20 e tantos CDs, alguns LPs. Já gravou 11 Lps e 22 CDs. Participou da trilha sonora de quatro filmes e seriados nacionais:

07) RM: Quantos livros lançados?

Oliveira de Panelas: “O Comandante do Planeta Médio” pela Tipografia Alvorada (1977); “Poesia Liberdade” pela Editora Jagurá (1979); “Poemas iluminados” pela Editora A União (1983); “Poemas Alternativos” pela Unigraf (1984); ”Na Cadência do Martelo” pela Gráfica Boa Impressão (1993); “Dois Poetas do Povo e da Viola” pela Funesc (1996); “O Poeta Gozador” pela Editora A União (1998); “Vida de José Lins do Rego” pela Funesc (2001); “Cordel” pela Editora Edra (2001); “Um Tributo à Nossa Senhora – A Tecelã das Flores” pela Editora Ideia (2002); “Os Maristas na Bahia” pela Editora Bargaço (2002); “Cantando a História” pela Editora Bargaço (2002); “Os Irmão Maristas em Taguatinga” pela Editora Edições Bagaço (2003); ”O Legado de Uma Maria” pela Gráfica Santa Marta (2003); “…E Deus Me Fez Cantador” pela Editora Manufatura (2005). E vários cordéis, entre eles destacando-se: “Nas Pegadas de Champagnat”; “Setenta Anos dos Maristas no Brasil”; “Quem Trabalha tem Direito”; “Gigante dos Pés de Barro”; “Lugar de Criança é na Escola”; “Estatutos da Criança e do Adolescente”.

Tem nove livros inéditos e seis projetos em CDs e DVDs. Ministra palestras e simpósios sobre o cordel e a história da cantoria e do repente, faz cantoria-espetáculo e apresentações didáticas para eventos, escolas e universidades, é mestre cerimonial animador.

08) RM: Como você define o seu estilo como repentista?

Oliveira de Panelas: Defino como: lírico-romântico-sócio-cultural.

09) Você estudou técnicas de como tocar Viola?

Oliveira de Panelas: Não foi preciso estudar técnicas de como tocar Viola, desenvolvi métodos próprios, tendo alguma ajuda dos primeiros cantadores com quem cantei.

10) RM: Qual a importância para o repentista estudar técnicas de como tocar a Viola?

Oliveira de Panelas: Há poucos cantadores do repente que tenham estudado técnicas para tocar viola. São mais por criatividade própria. No repente a grande importância é a criatividade da improvisação, sem desconsiderar que quem for mais habilidoso será melhor beneficiado.

11) RM: Quais os (as) repentistas que você admira?

Oliveira de Panelas: São vários, atualmente frisando alguns dos valorosos: Lourinaldo Vitorino, Edimilson Ferreira, Antonio de Lisboa

12) RM: Como é o seu processo de compor versos?

Oliveira de Panelas: Escrevendo ou improvisando quando a inspiração aflora, mas ela sempre está constantemente em minha alma.

13) RM: Quais são seus principais parceiros de composição de versos?

Oliveira de Panelas: Eu hoje tenho um leque diversificado. No início da carreira fiz dupla com Voador da Paraíba e depois com Otacílio Batista, Lourinaldo Vitorino e muitos outros.

14) RM: Quem já gravou as suas músicas seus repentes?

Oliveira de Panelas: Foram muitas cantoras: Teca Calazans (está morando na França) Socorro Lira, Flávia Wenceslau, são oito cantoras ao todo, que gravaram minha música “Amor cósmico”, Zé Ramalho, Quinteto Violado, Rolando Boldrin, entre outros.

15) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Oliveira de Panelas: A Internet pode ser uma boa ferramenta, dependendo do uso que fazemos dela. Para mim não atrapalha em nada.

16) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Oliveira de Panelas: Não vejo nenhuma complicação.

17) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Oliveira de Panelas: No passado eu achava muito mais difícil gravar um disco. Hoje se grava música até no quintal de casa, mas para vender nunca foi fácil. Procurei fazer com amor e o melhor com muito cuidado.

18) RM: Como você analisa o cenário do Repente e do Cordel. Em sua opinião quais foram as revelações no Repente e no Cordel nas últimas décadas e quais permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Oliveira de Panelas: O Repente e o Cordel deram um grande impulso trazendo assim um bom resultado profissional. As revelações foram muita, não dar para mencionar aqui.

19) RM: Quais os repentistas que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Oliveira de Panelas: Temos ótimos profissionais: Rogério Menezes, Lourinaldo Vitorino, Hipólito Moura, Edivaldo Zuzu, Ivanildo Vila Nova, Geraldo Amâncio, Antonio Costa, Luciano Leonel, etc.

20) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Oliveira de Panelas: Quando fiz a primeira cantoria, quando cantei em Rádio e Televisão pela primeira vez. Quando ganhei o primeiro Campeonato no Memorial da América Latina em São Paulo e quando cantei quatro vezes na França, nos Estados Unidos, Portugal, Cuba, Equador, Colômbia, etc.

21) RM: O que lhe deixa mais feliz na carreira artística?

Oliveira de Panelas: Ter vencido com dignidade.

22) RM: Atualmente o que lhe deixa mais triste na cantoria de Viola?

Oliveira de Panelas: Essa alienação cultual que chega com um forte odor.

23) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá seus repentes tocarão nas rádios?

Oliveira de Panelas: Nem pagando o jabá as rádios comerciais vão tocar as minhas músicas.

24) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira de Repentista ou Cordelista?

Oliveira de Panelas: Se tiver o dom, a coragem e a paixão pela arte é seguir em frente.

25) RM: Quais os prós e contras do Festival de Repentistas?

Oliveira de Panelas: Sempre existiu os prós e os contras no Festival de Repentistas e defini-los, seria muito difícil.

26) RM: O Festival de Música revela novos talentos?

Oliveira de Panelas: Os Festivais do Repente revelam muitos talentos.

27) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Oliveira de Panelas: Nenhuma cobertura é feita pela grande mídia do cenário musical brasileiro.

28) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena do Repente e Cordel?

Oliveira de Panelas: Pouquíssima coisa é feita por esses espaços para o Repente e Cordel.

29) RM: Qual a diferença do Violeiro para o Repentista?

Oliveira de Panelas: Não existe nenhuma diferença entre o Violeiro para o Repentista, só muda o nome. No repente nordestino nós temos estes mesmos sinônimos, são vários.

30) RM: Fale das lendas e verdades do mundo dos repentistas.

Oliveira de Panelas: Real e fictício, sendo muito mais o fictício.

31) RM: Defina o conceito da disputa ou desafio dos repentistas?

Oliveira de Panelas: São inúmeras para mencioná-las aqui.

32) RM: Fale dos versos feito em casa que o cantador leva para os salões.

Oliveira de Panelas: Só os poemas e canções, vezes por outra um pequeno “balaio” versos feitos. Isso raramente.

33) RM: Fale das duas formas de se apresentar do Repentista.

Oliveira de Panelas: Cantoria de Pé de Parede e Apresentações.

34) RM: O que você dias para os novos e veteranos repentistas?

Oliveira de Panelas: Vamos somar nossa fé, nossa força, pela solidariedade.

35) RM: Comente um pouco a sua opinião sobre Elba e Zé Ramalho que usam o Cordel nas suas obras?

Oliveira de Panelas: Uma enorme contribuição só de Zé Ramalho, que é meu amigo e que gravou minha obra.

36) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Oliveira de Panelas: Tem que haver criatividade e renovação, sem perder o alinhamento da tradição.

37) RM: Existe improvisação musical de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Oliveira de Panelas: São pouquíssimos repentistas que fazem isso: no meu caso, Lourinaldo Vitorino e mais alguns.

38) RM: Quais seus projetos futuros?

Oliveira de Panelas: Aprimorar e criar cada vez mais. Tenho oito projetos incríveis e vou realizá-los.

39) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Oliveira de Panelas: (83) 99984 – 3560 | [email protected]| https://web.facebook.com/oliveira.depanelas

| https://www.instagram.com/oliveiradepanelas | http://oliveiradepanelas.blogspot.com

Discografia Oliveira de Panelas: https://www.discogs.com/pt_BR/artist/4088806-Oliveira-De-Panelas

Oliveira de Panelas – 50 anos de cantoria – 22 de dez. de 2016: https://www.youtube.com/watch?v=IuiC13NHBLY

Oliveira de Panelas – Tema: https://www.youtube.com/channel/UCbYVlCFVopnrEZQ-I9yvELw

Amor Cósmico – Oliveira de Panela: https://www.youtube.com/watch?v=aBwMbzkowgw

Oliveira de Panelas – Esses Discos Voadores me Preocupam Demais: https://www.youtube.com/watch?v=Hd0kKsC5EgA

Esses Discos Voadores Me Preocupam Demais (Oliveira de Panelas) – Zé Ramalho: https://www.youtube.com/watch?v=J189BPb-SjQ

Zé Ramalho – Oliveira de Panelas: https://www.youtube.com/watch?v=X5to9JgYGX0

Oliveira de Panela – Completo: https://www.youtube.com/watch?v=fG_rretGqiY

Oliveira de Panelas – O Perguntador – 1981: https://www.youtube.com/watch?v=-K6c_7nv__0

Lourinaldo Vitorino & Oliveira de Panelas – 1999 | Cantoria: https://www.youtube.com/watch?v=MsWUO8ywh04

OLIVEIRA DE PANELAS – 60 Anos de Arte no Reino da Cantoria: https://www.youtube.com/watch?v=i3GOM1cpqBY

CD Oliveira de Panelas – Bardo Cantador: https://www.youtube.com/watch?v=qu6i9CnhZqk

Conversando miolo-de-pote: Jessier e Oliveira de Panelas: https://www.youtube.com/watch?v=Ja8Pc_CazgI

Álbum de Oliveira de Panelas: https://open.spotify.com/artist/1cb8cyCmzzHGjXtElA9EJP


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.