Nerilson Buscapé

Nerilson Buscapé

O cantor, compositor e radialista pernambucano Nerilson Buscapé, traz em seu repertório canções autorais que enaltecem o regionalismo do homem do campo, as belezas naturais do sertão e sobre o cotidiano da cidade grande.

Bisneto de João Luiz, um tocador de 8 baixos e sobrinho neto de Amaro Ferreira, repentista, Nerilson não poderia ter uma origem melhor para se transformar num artista inteiramente dedicado ao Forró. É natural de Caruaru – PE e está no caminho da música desde 1996. Custou um pouco a deixar o trabalho formal para se dedicar inteiramente à música. Ao lançar em 2008 o seu primeiro CD – “Forró de pé no chão”, por incentivo de seu irmão, não parou mais.

Em 2014 lançou o terceiro CD – “Parar pra viver” um álbum dedicado inteiramente ao samba e contou com as participações de grandes artistas, dentre eles: Antônio Paulino, Arlindo Moita, Ivan Ferraz, João Lacerda, Genival Lacerda. O samba um ritmo do seu repertório, além do baião, arrasta-pé, xote registrados nas suas músicas autorais que têm influências dos grandes compositores consagrados, como Azulão de Caruaru e Jacinto Silva. Desde que começou seu trabalho como músico, tem se apresentado em diversos eventos, destaque para o período junino em Cabo de Santo Agostinho, Recife, Garanhuns e em algumas cidades do interior da Paraíba.

O seu trabalho como compositor vem se destacando cada vez mais. A música “Me dê o seu wi fi”, (Nerilson Buscapé / João Lacerda), cantada pelo irreverente e saudoso Genival Lacerda (falecido em 07.01.2021 aos 89 anos por complicações da Covid-19, no Recife – PE) tem tocado em rádios e sendo apresentada em vários programas de TV regional e nacional. Outras músicas fazem sucesso nas vozes de outros artistas: Almir Rouche, Ivan Ferraz, João Lacerda, Terezinha do Acordeon, Bernadete França, Bruno Flor de Lótus, Genildo Sousa, Casaca de Couro, Cacau com Leite, dentre outros. Algumas músicas tem sido tocadas em

Itaúnas – ES; cidade que ocorre o FENFIT – Festival Nacional Forró de Itaúnas, que revela novos talentos musicais do Forró Pé de Serra e no Forró London Festival que acontece em Londres – Inglaterra. Em maio de 2019, Nerilson Buscapé recebeu homenagem da Assembleia Legislativa de Pernambuco por sua contribuição ao Forró.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Nerilson Buscapé para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 27.05.2021:

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Nerilson Buscapé: Nasci no dia 05.05.1970 em Caruaru – Pernambuco. Nerilson Sebastião de Lima.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Nerilson Buscapé: Meu primeiro contato com a música foi desde de criança pela a influência do rádio, quando meu pai Sebastião Bezerra de Lima administrava fazenda. Ele pendurava o rádio de pilha na porteira, enquanto desleitava as vacas, ouvia muito repente de Viola, aboio de gado, embolada, misturado com muito Forró. Na década de 1980 para cá, eu imaginava um dia ser um cantador.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Nerilson Buscapé: Minha formação na Faculdade da vida, tenho só o Ensino Fundamental. Minha formação musical autodidata e toco Violão, Ukulele, Triângulo.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Nerilson Buscapé: As minhas influências: Azulão de Caruaru, Genival Lacerda Jacinto Silva, Jackson do Pandeiro, Ivan Ferraz, sem esquecer do rei do baião Luiz Gonzaga, Trio nordestino, Os 3 do Nordeste. Dupla de aboiadores: Vavá Machado e Marculino, Ronaldo Aboiador, Galego Aboiador. Repente de Viola: meu tio Amaro Ferreira. Emboladores: Geraldo Mozinho e Cachinbinho. Da nova geração: Jorge de Altinho, Alcymar Monteiro, etc.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Nerilson Buscapé: Em 1988, eu saí de Brejo da Madre de Deus – PE, com tinha 18 anos de idade para Recife – PE. Mas na capital pernambucana era muito difícil encontrar o trio com: sanfona, zabumba, um triângulo, nessa época o forte era discoteque. Eu tinha vergonha de cantar Forró, de carregar um triângulo, que no interior eu tenho orgulho. A moda era Pagode, Michael Jackson e música Sertaneja que domina até hoje. Eu comprei um violão e comecei cantar e em 1996 conheci o amigo Mané do Rojão, ele tinha o trio Mistura do Nordeste e passei 5 anos no trio. Eu sair do trio sem a pretensão de gravar, foi quando conheci o Lulinha que é filho do poeta, compositor Junior Vieira, ele apresentou ao seu pai. O poeta botou na minha cabeça que eu era um forrozeiro nato, se tornou um irmão e incentivador. Meu irmão Manoel de Lima, quase sem eu saber, pagou o serviço de estúdio de gravação em 2007 e lançado em 2008 o CD – “Forró de Pé no Chão!” e quem também me ajudou muito no início da carreira foi meu primo Mário César, que foi também meu empresário.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Nerilson Buscapé: CD – “Forró Pé de Parede” (2016). Esse álbum foi em dupla com Enok do Acordeon (falecido 24.05.2019 em Paulo Afonso, Bahia) e teve as participações especiais: Beto Hortis, João Lacerda, Bruno Reynox. Gravado no Studio do Tiago Eloy, que fez a mixagem e masterização. Na sanfona: Enok do Acordeon; no Zabumba: Raminho; no Baixo: Adilson Arlindo. CD – “Parar pra viver!” (2014). Participações: Antônio Paulino, Arlindo Moita, Ivan Ferraz, João Lacerda, Genival Lacerda e o saudoso Genival Lacerda. Produção: Chico Botelho e Luizinho de Serra. Estúdio Muvuka Master e Mix Nilton Studio; Sanfona: Luizinho de Serra; Cavaquinho: Chico Botelho; Violão 7 cordas: Niltinho 7 cordas; percussão: Baby; Trombone de vara: Zé Gotinha; Sax: Kebinha. CD – Nerilson Buscapé e convidados (2012). CD – “Quem manda é ela” (2011). Esse álbum foi em dupla com Genildo Sousa. CD – “Feito um besta” (2010), gravado no estúdio de Cicinho do Acordeon e com participação de Joana Angelica, Arlindo Moita, Luizinho Calixto, Jó Silva. CD – “Forró de Pé no Chão” (2008), gravado no estúdio de Cicinho do Acordeon; Neném Oliveira na Zabumba, Triângulo; Chico Botelho no Cavaquinho; Cláudio Almeida no violão de 7 cordas; Arlindo dos 8 baixos na sanfona 8 baixos; convidados especiais: Ronaldo Aboiador, Junior Vieira, Roberto Lins, Ivan Ferraz.

As músicas que se destacaram: “Forró do nego de badu” (com Junior vieira); “Pagode Forrozado” de minha autoria; “Zé bonitinho” (Nerilson Buscapé / Dr. Luiz Pereira); “Caco de cacá” (Junior Vieira); “Que povo” (Nerilson Buscapé); “Olho por olho” (com Abidoral); “Forró pé de parede” (Nerilson Buscapé); “Quem manda é ela” (com Junior Vieira); “Devolva o lenço” (com Severino Pedro), “Feito um besta” (Xico Bizerra / Leninho de Bodocó), “Me dê o seu wi-fi” (Nerilson Buscapé), “Parar pra viver!” (Nerilson Buscapé / Euclides Paiva), “Ser médico” (Dr. Luiz Pereira / Nerilson Buscapé).

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Nerilson Buscapé: Muito próprio estilo, apesar de me inspira em alguns nomes. Eu sou muito razão social, apesar de não ter relação o socialismo pregado por muitos. Tenho muito de Genival Lacerda, Jacinto Silva, Azulão de Caruaru e o rei do baião Luiz Gonzaga. Sou fã de Ronaldo Aboiador, os saudosos Vavá Machado e Marculino!

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Nerilson Buscapé: Nunca estudei técnica vocal. Sei da importância, mas por ter nascido em uma época dos grandes mestres, eu fui cantando na raça. Hoje eu precisaria das técnicas.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Nerilson Buscapé: Mesmo sem nunca ter feito aula de técnica vocal, sei que é importante para o profissional da voz, em ensaio e show. Além dos cuidados para manter a voz saudável.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

Nerilson Buscapé: Azulão de Caruaru, Fagner, Zé Ramalho, Biliu de Campina, Toquinho, Flávio José, Jorge Vercillo, Alceu Valença, Joana Angélica, Elba Ramalho, Bernadete França, Adriana Calcanhotto, Marisa Monte, Simone, Alcione, etc.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Nerilson Buscapé: Meu processo de compor eu começo com melodia, letra e ritmo. Termino de acertar alguns detalhes no estúdio, como escrevo Cordel, fica fácil terminar a história de qualquer tema que vem à cabeça, mais difícil é concluir a música, com começo, meio, fim e caprichar no refrão!

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Nerilson Buscapé: Junior Vieira, Severino Pedro, Ronaldo Aboiador, Márcio Fonseca, Antônio Paulino, João Lacerda, Genildo Sousa, Chico Botelho, Abidoral, Bruno Renoux, Arlindo Moita, Euclides Paiva, Dr. Luiz Pereira.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Nerilson Buscapé: Genival Lacerda, João Lacerda,, Ivan Ferraz Bernadete França, Cacau com Leite, Bando Salvador do Forró, Joana Angelica, Terezinha do Acordeon, Karoline Maciel, Kaká Kantarelli, Genildo Sousa, Antonio Paulino, Bruno Renoux, Arlindo Guia do Forró, Arlindo Moita, Dudu do Acordeon, Márcio Fonseca, Cambará, Cicinho do Acordeon, Adriano Cydeon, Ari de Arimateia Xavier, Ezequiel Silva, Manoelzinho do Acordeon, Roberto Silva, Forró Xinelo Rasgado Pé de Serra, Chá de zabumba, Roxino do Nordeste, Tony Vaqueiro, Raimundo Kareiro, Trio Maracá, Casaca de Couro, Deda do Acordeon.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Nerilson Buscapé: Pela música que faço e defendo no Nordeste, é difícil você impulsionar uma carreira artística. No passado tinha a gravadora que fazia tudo para o artista; tinha as rádios que tocava as músicas e tinha um público totalmente diferente do de hoje. Não vou deixar de tocar e cantar, mas, sabendo que o público de hoje não curte música, essa é a verdade. Temos uma indústria fonográfica no país que compra horário para os seus talentosos artistas. E quem não está no ritmo fica de fora, não tem espaço na grande mídia e nem tem o consumidor do seu produto, que no meu caso é a música que eu escrevo e também as que eu escuto!

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Nerilson Buscapé: A internet é um instrumento muito bom, e ao mesmo tempo ruim, porque meu planejamento é elevar a cultura com todas dificuldades, montar uma rádio online e TV, no palco fazer um bom show.

16) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Nerilson Buscapé: Faço ações de movimento cultural. No mercado estou tentando fazer um Festival de Forró. Tentando criar o teatro mamulengo de rua!

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Nerilson Buscapé: A divulgação é mais batata, facilita o trabalho no dia a dia, mas sem retorno financeiro, uma ferramenta que parece fácil, mas não é.

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Nerilson Buscapé: O home estúdio ajuda muito e não tem mais as dificuldades de antes para gravar música. O problema é que com a tecnologia de home estúdio coloca muitos artistas no mercado e no mais o que o homem não consegui a máquina faz por ele.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Nerilson Buscapé: Uso as redes sociais para divulgar meu trabalho, e vê o que dá, “Caneta azul” foi sucesso de norte a sul, certo que já acabou, mas fez. Eu não compor música para o novo público, eu me acho um cantor caseiro no tempo de hoje!

20) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Nerilson Buscapé: Hoje eu não tenho muito que comemorar sobre o Forró. Na década de 90 foram os últimos Forró autêntico, depois foram misturando e botando o nome de Forró. Hoje não tem mais quadrilhas juninas. Mudou de mais nossa música, hoje só tem presente sem futuro, modesta a parte em 2017 o saudoso mestre Genival Lacerda gravou “Me dê o seu wi-fi” (Nerilson Buscapé / João Lacerda). Flávio José, Jorge de Altinho, Trio Nordestino. Os 3 do Nordeste e tantos outros, perderam o gosto, pois o mercado Sertanejo e outros ritmos invadiram nosso reinado no Nordeste e fomos saqueados.

21) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Nerilson Buscapé: Alcymar Monteiro, João Lacerda, Maciel Melo, Luizinho de Serra, Chico Botelho, Rinaldo Oliveira, em fim são muitos!

22) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Nerilson Buscapé: Primeiro show meu como profissional, criei uma expectativa e não foi ninguém, por conta de muito chuva e o quando abriram a porta do táxi que estava trazendo o zabumbeiro, ele caiu bêbado dentro da lama (risos). No mesmo dia levaram a gente para o camarim a janta foi batata doce, sardinha salgada e um litro de cachaça. E de madrugada dormi em uma rede, uma sede de lascar, uma azia no estômago parecia que eu tinha engolido um gato. E me deram uma nota de um armazém de construção para receber o cachê com o vereador, até ontem não recebi, mas pode ser que hoje eu ainda receba (risos).

23) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Nerilson Buscapé: Quem faz música com amor e respeito tem muito motivo para ser mais feliz do que triste! A tristeza é se dedica a música e botar seu bloco na rua e não acontece nada. Alegria é quando o povo reconhece seu trabalho, sem precisar de apelação!

24) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

Nerilson Buscapé: Do Falamansa para trás foi bom. Eles fizeram um bom papel, mas deixar suas origens para imitar o que estar na moda fica difícil, alguns artistas do Nordeste começaram querer fazer o “Forró universitário”. O “Forró universitário” é um ritmo com o balanço de Forró, mas o Forró autêntico o balanço é diferente. Vamos escutar o Trio Nordestino, Os 3 do Nordeste, Genival Lacerda, Jacinto Silva, Jackson do Pandeiro, Azulão de Caruaru, Zito Borborema, mestre Zinho, tanta gente boa, sem deixar de valorizar os jovens universitária!

25) RM: Quais os grupos de “Forró Universitário” chamaram sua atenção?

Nerilson Buscapé: Falamansa, Arastapé, Trio Virgulino, Bicho de Pé, Dona Zefa.

26) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Nerilson Buscapé: Precisa ter muito prestígio para tocar nas rádios sem pagar o jabá. Os famosos não estão tendo suas músicas tocada, imagina eu. Eu tenho o privilégio de dois grandes radialistas, apresentadores, compositores, cantores: o embaixador do Forró Ivan Ferraz, que tem um programa na rádio universitária “Forró, Verso & Viola” e o Abidoral na rádio folha com o programa “Forró do Abidoral”, são eles que salva os artistas regionais!

27) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Nerilson Buscapé: Se tem vocação vá em frente. O mundo se acaba para quem morre, o segredo é acreditar, vou morrer cantando. Escolha uma música para defender, escolha amigos que queiram o seu bem. A boa música faz a diferença no ser humano, amo o que faço!

28) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Nerilson Buscapé: O festival de música, foi e será sempre a maior vitrine para o verdadeiro talento. Infelizmente, a desonestidade acontece sempre em todos os festivais, já participei de alguns e tive muitas decepções, porque as pessoas escolhem quem vai ganhar, não poderia ser assim. As coisas estão sendo muito maquiada, e isso acaba afastando as coisas úteis para o povo!

29) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Nerilson Buscapé: Festival de música é muito relevante mesmo com tudo que há de negativo por trás.

30) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Nerilson Buscapé: A grande mídia não está nem aí para o que presta ou não presta, vejo coisas na televisão que dar tristeza!

31) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Nerilson Buscapé: Eu nunca participei, é igual a caviar nunca comi e s ó escuto falar, mas são espaços sérios e por não conhecer, não posso falar muito coisa, mas só em apoio o artista merece o meu aplauso!

32) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró das antigas e as atuais do Forró Estilizado?

Nerilson Buscapé: Forró das antigas ajudou muito e foi na época da banda Mastruz com Leite e outras bandas, mas depois veio esse Estilizado, que pegaram uma sanfona e botaram o nome de Forró. Eu sou das antigas, atual e sempre, mas não curto os ritmos atuais!

33) RM: Quais os seus projetos futuros?

Nerilson Buscapé: Meu projeto futuro será no improviso. Não tenho muita coisa a acrescentar, vou até onde der!

34) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Nerilson Buscapé: (81) 99941- 3035 | 98641 – 1698 | [email protected]

| https://web.facebook.com/nerilson.buscape.9

| https://web.facebook.com/Nerilson-buscape-611768402229309

| https://www.instagram.com/nerilsonbuscape/

| https://www.letras.mus.br/nerilson-buscape

Canal: https://www.youtube.com/channel/UC2zOtmHNfDsqKFlZysClQUw

FESTA NA ROÇA R&NBUSCAPÉ: https://www.youtube.com/channel/UClHwvl_OA-SI_i5FrSKTrwg

NERILSON BUSCAPÉ – FORRÓ DE PÉ DE PAREDE – (OFICIAL): https://www.youtube.com/watch?v=EfuNyrEJScU

FORRÓ DE PÉ DE PAREDE: https://www.youtube.com/watch?v=zzGMct_Z2Ao

SHOW AUTORAL – NERILSON BUSCAPÉ – 16.01.2021: https://www.youtube.com/watch?v=qEioK-8H9eQ

Playlist de Vídeo clipes: https://www.youtube.com/watch?v=eZrGr8XTRHs&list=PL7TgBlNlrA_yUvvOIK83ML3002qHDNJs2

Nerilson Buscapé – Rádio Monteiro FM: https://www.youtube.com/watch?v=bWASL6OUvPw

Nerilson Buscapé – Espaço Cultural – Dominguinhos – 2016:https://www.youtube.com/watch?v=zUxLIYyNJVs

Nerilson Buscapé e trio nordestino na sala de reboco: https://www.youtube.com/watch?v=1WcE35SdGvI

ZÉ BONITINHO – NERILSON BUSCAPÉ: https://www.youtube.com/watch?v=k9824TWas4g

Vivendo com Alegria Dr. Luiz Pereira e Parceiros: https://www.youtube.com/watch?v=wQTO2iLiUPQ

NERILSON BUSCAPÉ E CaSoando na sala de reboco: https://www.youtube.com/watch?v=2Qo7vUniLe8


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tagged

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.