More Nédson Augusto »"/>More Nédson Augusto »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Nédson Augusto

O cantor, compositor, músico baiano Nédson Augusto, nasceu em uma família de músicos. Seus pais eram proprietários da banda baile “Brilho Solar”, que realizada apresentações em todo Recôncavo Baiano. Cresceu acompanhando a performance dos pais nos palcos. Gal, sua mãe, atuava como cantora e seu pai Neilson, baterista.

Sua trajetória musical teve início em Filarmônicas, do Manoel Clemente Caldas e do Erato Nazareno, onde Nédson desenvolveu sua habilidade com instrumentos de sopro (clarineta e sax).

Aos 12 anos de idade começou a viajar tocando percussão e bateria na banda de seus pais, mas foi aos 14 anos que o talentoso Nédson Augusto assumiu os teclados da banda, instrumento que aprendeu de forma autodidata. Toca bateria, percussão, baixo, violão, sax, acordeon e o seu principal instrumento é o Teclado.

De 2003 a 2007 cantou ao lado do seu irmão Neânder, formando a dupla Nédson e Neânder. Entre 2005 e 2007 atuou como educador no curso de canto e coral e musicalização no projeto social da TIM, em parceria com governo do Estado da Bahia, o ArtEducação que assistia crianças da rede pública de ensino, em NazaréBA.

Com seu talento musical e natural, considerado por onde passa como um músico talentoso, dedicado, companheiro e amigo, passou a ser requisitado em diversas bandas da região, dentre elas: Saia de Baixo, Magia Tropical, Arcanjos do Reggae, Maria Chic, Pedro Henrique e Luziel, os saudosos Kalebah, Tim Tim Gomes, Eddie Brown.

Atualmente faz parte da banda de um dos maiores nomes do cenário do reggae do Brasil, Edson Gomes e Banda Cão de Raça e desde 2015 toca órgão na banda de Isaque Gomes, filho de Edson.

Atualmente acompanha a sua esposa, a cantora Renata Rios cumprindo agenda nas igrejas e eventos Gospel, também divide seu tempo entre o palco e estúdio, fazendo diversas produções musicais.

Desde de 2017, Nédson também faz parte de um projeto paralelo, o DNA Nazatrio. Um grupo de instrumental com seus amigos conterrâneos Adson Calleu e Danilo Sampaio.

Um artista de múltiplos talentos, que vem construindo uma história de importantes conquistas no cenário musical, levando sua alegria de viver por onde passa através do seu dom. É um dos orgulhos de Nazaré viajando todo Brasil levando seu talento musical.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Nédson Augusto para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 27.04.2022:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Nédson Augusto: Nasci no dia 26 junho de 1984 em Nazaré – Bahia. Registrado como Nédson Augusto Santos Pereira.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Nédson Augusto: Meus pais são músicos, eram donos e tocavam na banda de baile “Brilho Solar”. A minha mãe Gal Graça era a cantora e o meu pai Neilson Augusto era o baterista da banda. Tive contato com a música ainda na barriga de minha mãe, ainda pequeno na sede da banda, sempre acompanhei os ensaios de perto.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Nédson Augusto: Sou autodidata, comecei tocando bateria, em 1994 toquei bateria em um trio na praça de minha cidade, em 1996 toquei percussão no Micareta na cidade de Iaçú- BA, entre 1994 a 1997 estudei música na Lira Filarmônica Clemente Caldas e Lira Erato Nazarena. Em 1997 iniciei aulas particulares com o saudoso Professor Ricardo Bandeira em Nazaré, em 1998 assumir os teclados na banda Brilho Solar de meus pais. Fora da área da música estudei na Faculdade Zacarias de Góes em Valença Bahia, tranquei no quinto semestre o curso de ADM com ênfase em Marketing.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Nédson Augusto: Dire Straits, Charlie Parker, Herbie Hancok, Core Henry, Djavan, Edson Gomes e Banda Cão de Raça, nenhum deixará de ser importante.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Nédson Augusto: Iniciei a carreira profissionalmente em 1998 aos 14 anos de idade na banda de baile “Brilho Solar” dos meus pais ao assumir os teclados. Hoje toco órgão e sou backing vocal da banda Cão de Raça que acompanha Edson Gomes, Isaque Gomes. Toco teclado acompanhando Renata Rios, que é minha esposa e cantora Gospel e no grupo Instrumental “DNA Nazatrio”.

06) RM: Cite os CDs que você já participou tocando Teclado?

Nédson Augusto: Em 2001 no CD – Arcanjos do Reggae de Nazaré – BA. Em 2002 no CD da Banda Brilho Solar ao vivo. Em 2007 no Dalmo, um CD Evangélico de Nazaré – Bahia. Em 2014 no CD em Homenagem aos 30 anos de carreira Edson Gomes, gravado em Santo Antônio de Jesus – BA. Em 2016 no CD de Edu Vasconcelos. Em 2019 na gravação da canção “Reinvenção da experiência” – The Voice Brasil de Edyelle Brandão. Em 2020 no CD de Elisângela Veiga. Em 2022 no CD do Pastor Ênio Daniel. Em 2022 no EP de Renata Rios. Em 2022 no CD de Isaque Gomes.

07) RM: Como é o seu processo de compor?

Nédson Augusto: Primeiramente tento esvaziar a mente de todos os pensamentos externos no momento, penso na melodia e harmonia primeiro e depois vem surgindo o contexto.

08) RM: Quem tem a ideia de criar um grupo no WhatsApp e canal do YouTube reunindo os tecladistas que atuam na cena reggae? Quais os projetos que já foram realizados e quais os projetos futuros?

Nédson Augusto: Em 2020 no início da pandemia do covid – 19 fui convidado a participar do maior grupo de tecladistas de reggae do Brasil em que reúnem diversos profissionais da cena nacional e também internacional, pois alguns membros do grupo atuam com artistas internacionais. É uma satisfação em fazer parte desse grupo.

09) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento da sua carreira musical?

Nédson Augusto: A internet facilita a divulgação de todos e todos têm a oportunidade de mostrar seu trabalho diretamente aos fãs e amigos de forma imediata e ampla.

10) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Nédson Augusto: Para mim é uma grande vantagem, pois temos grandes oportunidades de criarmos e desenvolvermos excelentes trabalhos, os quais na maioria das vezes podemos fazer parcerias e obter resultados com ótima qualidade.

11) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado, etc)?

Nédson Augusto: São inúmeros casos que listados aqui não teria espaço para tantos. Mas tocar e não receber acho que todos os músicos já passaram por isso, infelizmente (risos). Um fato marcante foi no meu início, ainda nem tocava na banda “Brilho Solar” do meu pai e o tecladista dele me “mafiava” desativando as teclas do Teclado. E toda vez que eu chegava na sede da banda e ligava o Teclado não saia som, mas quando o tecladista ia tocar funcionava. Meses depois peguei o manual do Teclado JV90 e descobri como ele desativada às teclas com uma função MIDI (Risos). Esses tipos de acontecimentos só nos encorajam a cada vez mais a procurarmos o aprendizado e evoluir mais e seguir em frente.

12) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Nédson Augusto: Feliz com o reconhecimento do público e saber que o que fazemos chega bem aos ouvidos, quando uma obra produzida por você é apreciada com carinho e amor, recebemos em troca a maior satisfação que é um sorriso, um aplauso, uma emoção ao ouvir sua obra. Triste com aqueles que infelizmente fazem o mal ao próximo como tem alguns que por trás tentam falar mal criticam tentam derrubar o outro fazendo coisas negativas.

13) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Nédson Augusto: Como em toda área profissional, o músico deve estar sempre atualizado, estudar se esforçar sempre, focar no objetivo, dar o seu melhor e suar a camisa. O caminho não é fácil, mas as conquistas são gratificantes quando se ama o que faz.

14) RM: Quais os tecladistas que você admira?

Nédson Augusto: Core Henry, Jesus Molina, Bruno Wambier da banda Natiruts. Meu parceiro de trabalho Scooby da banda Cão de Raça. Ninho Júnior da banda Vibrações.

15) RM: Quais as principais técnicas que o aluno deve dominar para se tornar um bom Tecladista?

Nédson Augusto: Dominar o Campo Harmônico e conhecer algumas escalas, são pontos essenciais.

16) RM: Quais os principais vícios e erros que devem ser evitados pelo aluno de Teclado?

Nédson Augusto: Posicionamento das mãos, tocar com o pulso alto demais ou baixo demais, já cometi esse erro no início, tocar uma música inteira com apenas um dedo geralmente o indicador, não conhecer o instrumento, querer tocar rápido demais sem ter habilidade pra isso, estudar de qualquer forma.

17) RM: Quais os principais erros na metodologia de ensino de música?

Nédson Augusto: É querer aprender conceitos avançados sem ter o domínio o conhecimento das técnicas básicas. Não fazer exercícios suficientes.

18) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Nédson Augusto: Existem pessoas que tem o dom natural, DEUS é o doador deste dom, és enorme diante de diversos dons. Quem tem o dom musical tem uma grande facilidade em aprender e executar. É perfeito esse dom.

19) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Nédson Augusto: A improvisação é a manifestação de algo natural espontâneo que o indivíduo sente no momento. Óbvio que vem carregado de vivências e experiências.

20) RM: Existe improvisação musical de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Nédson Augusto: Com a vivência, experiência, estudos e sentimentos, é uma junção, tanto de estudo, bem como espontâneo no momento.

21) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical?

Nédson Augusto: Existem métodos e padrões de improvisação que desenham uma linha pré-definida para tal. Há também quem conseguem liberar no momento de uma improvisação o seu sentimento. Uma verdadeira bagagem de informações e emoções.

22) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o Estudo de Harmonia musical?

Nédson Augusto: Dominando o conhecimento da Harmonia, tudo se torna fácil. Até o improviso.

23) RM: Quais os métodos que você indica para o estudo de leitura à primeira vista?

Nédson Augusto: A leitura diária, é como você escrever bem o português, com um hábito de leitura diária você acaba aperfeiçoando a escrita e leitura, assim também é uma dica para leitura à primeira vista.

24) RM: Quais os prós e contras do uso de VST (Virtual Studio Technology) e VSTi (Virtual Studio Technology Instruments) pelo Tecladista?

Nédson Augusto: Eu já usei muito VST e VSTi. São ótimos, há muito tempo eles são de qualidade com o som bem definidos, porém tem que ter um computador com uma ótima configuração para os programas não travar. Pois tenho alguns parceiros que ainda usam e reclamam dessas interferências que as vezes os deixam na mão.

25) RM: Quais são os melhores Teclados para tocar música reggae?

Nédson Augusto: Tem o famoso Teclado M1 da Korg, o JV90 da Roland com um piano tradicional dos anos 90. O TX5 da Tokai que estou namorando para pegar um (risos), é um órgão muito bacana. Eu uso um órgão CX3 da Korg que é muito bom, e o Mx61 da Yamaha que também é top. Muitos amigos usam o D50 da Korg. Tem o VR730 da Roland com timbres tops. O Motif XF7 da Yamaha que é top. Os Nords Stage e o Electro 6.

26) RM: Como você analisa o cenário do reggae no Brasil. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais artistas permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Nédson Augusto: Edson Gomes, um dos pioneiros, o qual tenho a honra de trabalhar na sua banda Cão de Raça, está entre os tops. Nengo Vieira com um trabalho muito top. Banda Tribo de Jah. Grandes nomes hoje no cenário do reggae são: Isaque Gomes, Jeremias Gomes, Vibrações com trabalho massa, e Natiruts.

27) RM: Você é Rastafári?

Nédson Augusto: Sou cristão.

28) RM: Alguns adeptos da religião Rastafári afirmam que só eles fazem o reggae verdadeiro. Como vocês analisam tal afirmação?

Nédson Augusto: Fazer uma afirmação nesse sentido, seria como dizer que só o baiano sabe tocar o berimbal. Acho que como todos os ritmos são acessíveis a qualquer instrumentista estudando conseguem executar tranquilamente.

29) RM: Na sua opinião quais os motivos da cena reggae no Brasil não ter o mesmo prestígio que tem na Europa, nos EUA e no exterior em geral?

Nédson Augusto: Em alguns casos são as letras dos artistas do reggae nacional que batem de frente com o sistema e recebem um bloqueio do sistema. E no Brasil é a união. Acho que outros gêneros musicais que fazem sucesso no Brasil hoje são mais unidos, infelizmente o reggae não tem união.

30) RM: Festivais de Música revelam novos talentos?

Nédson Augusto: Sim, dos festivais de música já foram revelados grandes sucessos que temos hoje.

31) RM: Quais os pros e contras de se apresentar com o formato Sound System?

Nédson Augusto: Com banda você tem diversos músicos executando uma música tocados simultaneamente diferente do Sound System com discos sons gravados com DJs, programações e VST.

32) RM: Quais as diferenças de se apresentar com banda em relação ao formato com Sound System?

Nédson Augusto: Com banda você tem diversos músicos executando uma música tocados simultaneamente diferente do Sound System com discos sons gravados com DJs, programações e VST.

33) RM: Quais os pros e contras de fazer música usando riddim?

Nédson Augusto: Riddim é na sua natureza pulsante e repetitivo, existem pessoas que não gostam, digamos dessa atualização desse subgênero. Por um lado, eu já falei que sou totalmente a favor de todas as vertentes que surgem em torno de um ritmo.

34) RM: Quais os seus projetos futuros?

Nédson Augusto: Tenho um Power trio instrumental chamado DNA Nazatrio, DNA porque trata-se do DNA musical em nossas veias e Nazatrio por sermos nascidos em Nazaré – BA, também conhecida como Nazaré das farinhas, terra do nosso conterrâneo pentacampeão Vampeta (Marcos André Batista Santos). Estou produzindo artistas locais e artistas que já tem um espaço no cenário artístico, recentemente tive a honra de gravar com Edyelle Brandão, ex The Voice Brasil em sua primeira canção solo para as plataformas digitais. Estou produzindo: a cantora gospel Renata Rios; Isaque Gomes (o filho de Edson Gomes), o Pastor, cantor e compositor Ênio Daniel; o cantor de samba do Recôncavo Baiano Sinho Bernardo, a cantora gospel Elisângela Viegas e o cantor de Reggae Gospel Edu Vasconcelos. E está vindo mais parcerias por aí.

35) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Nédson Augusto: (75) 98103 – 2198 | http://instagram.com/nedsonstudio

| http://instagram.com/nedsonaugustooficial

Canal: https://www.youtube.com/c/N%C3%A9dsonAugusto

Edson Gomes e Banda Cão de Raça BASTIDORES DO SHOW EM CRATO CE 11-07-2017: https://www.youtube.com/watch?v=o_0nk78cQIU

Edson Gomes e Banda Cão de Raça em Cajazeiras Paraíba 2022: https://www.youtube.com/watch?v=4A-z-uSuntc

Os fãs querem saber! @Edson Gomes responde em uma entrevista exclusiva ao @BahiaCast: https://www.youtube.com/watch?v=jI63SsIy0Q8

Comments · 6

  1. Tenho muito orgulho de vc meu amigo…
    Lembra do que te falei… vc vai chegar longe, em um cenário maravilhoso, onde Deus sempre estará com vc. Te amo meu amigo, continue sendo essa pessoa encantador que és…

  2. Que artista imenso. Grande admiração, grande Nedson ! Parabéns irmão 👏🏿💛👏🏿

  3. Que maneira entrevista, exímio jornalista e amigo Antonio Carlos, com o grande figura Nédson Augusto, uma vida inteira nos caminhos da música desde criança. Parabéns, saúde e paz, e sempre sucesso Nédson! E viva a revista Ritmo Melodia pelo bom nível das entrevistas!

  4. Parabéns por sua gigante batalha musical, grande Nédson Augusto! Você é show com o talento que Deus te deu! Sucesso sempre amigo músico!
    Valeu Ritmo Melodia pela brilhante entrevista!

Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.