More Mano Vine »"/>More Mano Vine »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Mano Vine

Mano Vine
Mano Vine

Mano Vine, está na caminhada desde de 2002, suas principais influências musicais inspiradoras são: Racionais MC’s, Consciência Humana, GOG, MV Bill, RZO, De Menos Crime, Gangster, Pete Rock, WU Tang Clan, B.B King, Aretha Franklin, James Brown, Rock brasileiro, Chorão Charlie Brown, Tim Maia, Cazuza, Zé Ramalho.

Em 2002 era do grupo MDSmanos de sempre, criado no bairro Altino de Osasco – SP, onde se apresentavam em locais como: Oásis Barueri, Igreja Batista de Altino, Ginásio do Jd. Silveira. O grupo, infelizmente, acabou, mas o Mano Vine não parou de escrever, só de cantar nos palcos, mas sempre participando de roda de freestyles como diversão.

Em 2021 está a frente do projeto Barueri em Cena, o objetivo do evento beneficente é promover MC’s de FUNK, RAP e fixar um espaço cultural para ter evento todo mês. Mano Vine faz parte da família Adm mcs que significa: Aliados do morro e tem seu trabalho solo. Montaram esse projeto social, em que organizam live beneficente, na intenção de arrecadar roupas, alimentos, brinquedos alimentos para doação e mostrar para criança, jovens músicas de bom conteúdo, poesia, dança e ajudar famílias carentes com doação de alimentos. E mostrar que RAP pode mudar vida, como ocorreu com a do Mano Vine.

Mano Vine ficou um tempo sem correr atrás do seu sonho musical por causa de vários fatores da vida. Hoje pai de família com dois filhos (de 8 e 14 anos de idade). Ele busca ajudar a mudar seu cotidiano através da música, assim como ela mudou a sua própria realidade. Sua primeira música gravada “Por aqui não é diferente” com a participação de Mano Índio.

Atualmente está em estúdio e lançará em 2021 um EP em parceria com CAELI BEATS. Teve a oportunidade de dividir palco com: Grupo Exodos, JG LOKO, Osternack, Adm mcs, Mano Índio, Sónois, Ton mc, Decentes da favela, Fabinho rappers, Aliados das ruas, MC dom, MC Amandinha ZO, Tribo das ruas, Dj Tigas, Raça mc, ente outros.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Mano Vine para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 20.04.2021: 

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Mano Vine: Nasci no dia 09.04.1986 em Osasco – SP. Registrado como Marco Vinicius da Silva.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Mano Vine: Meu primeiro contato com música foi em 1994 com a alta da MTV assistia muito videoclipe, mais americano que brasileiro, pop rock até que um dia meu irmão trouxe uma fita dos racionais que era o top do momento com rap homem na estrada fim de semana no parque. Assim passei a ter contato na zona leste.com um amigo que conhecia muito mais rap que eu logico. Aí conheci Gog, Consciência Humana, DRR, entre outros.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Mano Vine: Concluí o Ensino Médio. Não tenho nenhuma formação musical, infelizmente, mas é importante o conhecimento para a desenvoltura do artista.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Mano Vine: Racionais MC’s, Consciência Humana, GOG, MV Bill, RZO, De Menos Crime, Gangster, Pete Rock, WU Tang Clan, B.B King, Aretha Franklin, James Brown, Rock brasileiro como Chorão Charlie Brown, Tim Maia, Cazuza, Zé Ramalho. A minha influência é vasta se for falar de tudo (risos).

Atualmente escuto muito Reinaldo A286, Akira, Marechal, Emicida, Sant, BK, Fabio Brazza, Sid, Tribunal MC’s, Facção Central, sempre ouvi muito isso a partir dos anos 2000. Agora uma influência que não pode ficar de fora: Dexter, Coruja BC1, Sabotage (o melhor de todos pena que se foi muito cedo), era um maestro.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Mano Vine: Na época de escola tinha meus amigos que ouvia muito RAP nacional, então ficávamos olhando carro na pracinha zoando um ao outro, daí comecei a rimar. Em 2001 conheci o grupo Êxodos e eles deram oportunidade para meu grupo MDS, manos de sempre. Viemos lembro como se fosse hoje no Ginásio do Silveira em Barueri – SP, onde moro. Ai depois disso fizemos vários shows.

06) RM: Quantos CDs foram lançados?

Mano Vine: Estou em trabalho no Studio do meu amigo Caeli Beat produzido um EP com sete faixas. Lanço em 2021. E participei de uma coletânea do Ibotirama Records do João Basílio, título “Time dos sonhos”, um especial de final de ano de 2020.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Mano Vine: Meu estilo é simples, objetivo. Meu RAP é agressivo contra o sistema, contra a desigualdade social e a falta de respeito com povo brasileiro. Faço RAP para mudar o mundo, as pessoas, mas sei que é impossível. Eu tenho um sonho de mudar o cotidiano de vários jovens perdidos nas drogas e no crime. Eu encontrei no RAP uma lição de vida e perspectiva de sonhar e alcançar uma vida melhor para a minha família e minha humildade comunidade. E poder espalhar boas mensagens na nossa periferia.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Mano Vine: Ainda tenho vontade de aprender a usar melhor minha dicção, meu diafragma e outras técnicas.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Mano Vine: Eu acredito que o estudo em cima do que temos como profissão, eleva a qualidade para o público. E da mesma maneira que o público admira seu trampo, você tem que ter o respeito de forma recíproca.

10) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Mano Vine: Reinaldo A286, Edi Rock, Os Racionais MC’s, Sabotage, Tim Maia, Cazuza, Zé Ramalho, Notorious Big, 2PAC, Lauryn Hill, Negra Li, Chaka Khan, Guru Gangstars, Gog, WGI Renan, Maurício DTS, Charles Bradley, Lee fields, B.B King, Tom Waits, Amy Winehouse, Stronger Walter, Pink Floyd, vocalista do Metallica, Marcelo Falcão, O Rappa, entre outros. Amo a música independente e admiro muitos músicos, Caetano Veloso, Cassiano, Adoniran Barbosa, Cartola, Fundo de Quintal, Zeca Pagodinho, MC Marcinho Cidinho e Doca, Arnaldo Tifu, Síntese, Sant, Marechal, Mahal Reis.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Mano Vine: Escrevo atualmente muito em média umas sete letras ao mês, devido ter ficado um tempo sem escrever, estou muito inspirado. E na hora de escrever me espelho no que acontece no mundo, na rua de casa, na minha família, nas letras de outros artistas que escuto, uma música que gosto e que me dar inspiração e quando escuto um beat que acho foda aí quero escrever.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Mano Vine: Mano Índio, que mora em Brasília (DF), Adm MC’s, meu amigo e o meu companheiro em um projeto social que realizamos aqui em Barueri – SP.

13) RM: Quem já produziu suas músicas?

Mano Vine: Caeli Beat, Barraco do Del Estúdio, Pequeno Soul, mas quero aumentar meu repertório de gravação em estúdio. Mas infelizmente a música é um investimento alto.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Mano Vine: Primeiro que você não deve satisfação ou verba a alguém. Mas é difícil para arrumar lugar para apresentação. 

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Mano Vine: Busco fazer cada vez melhor para agradar meu público, sempre melhorar, escrever, ensaiar e treinar voz em casa. Diminuir com bebida gelada, com cigarro. Por isso, olho os que conseguiram alcançar êxitos e me espelho. É difícil correr sozinho, mas tenho Deus e o meu projeto social.

16) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Mano Vine: Divulgar meu trampo nas plataformas digitais, entre meus amigos, cantando para mostrar meu trampo em rádio, revista, tv e onde eu poder levarei meu RAP.

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Mano Vine: A internet ajuda, mas infelizmente, ela limita muito o acesso do público, um exemplo, fiz uma live que deu 2.500 acessos e outra que fizemos deu 800 acessos. Entendi que o canal quer que você pague impulsionamento e faz seus anúncios na live voltado a arrecadação do canal. O YOUTUBE é muito bom, mas para você poder fazer live tem que ter mais de 1000 inscritos.

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Mano Vine: No home estúdio vejo a pena vantagem, pois conseguimos gravar nossa música em casa com um custo baixo e fazer dessa ferramenta uma profissão secundária ou a própria profissão. Hoje o artista grava uma música por 100 reais e na minha época era 500 reais ou pagava hora de ensaio para gravar 50 vezes a mesma música. A tecnologia ajuda demais.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Mano Vine: Tudo na vida tem seu tempo certo para acontecer, tem muitas pessoas de qualidade no RAP e se for a hora de sua Estrela brilhar vai alcançar sua luz.

20) RM: Como você analisa o cenário do RAP brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Mano Vine: Hoje o RAP está muito mais apurado e bem mais inteligente nas letras, no passado era mais lírico, agressivo, realidade nua e crua. Hoje consiste em manter o tema da realidade, mas com uma forma diferente de escrita. Hoje é muito dividido essa questão, mas quem é raiz não muda, não adianta RAP Gangster, Trap, lado B. Não muda, não adianta. Admiro o crescimento de Djonga, Nocivo Shomon, Filipe ret, Big da Godoy, Coruja bc1, Rashid, Rael, Salvador da Rima, Síntese, SNJ, Edi Rock, SLC, Cacife Clandestino, Gigante no Mic, Cesar MC, Sid. Existe muita coisa boa na cena Hip Hop, mais infelizmente, sempre tem uns que deixa a desejar, mas é vida que segue.

21) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Mano Vine: Mano Brown, Eduardo Tadeu, Criolo, Kamau, Ricon Sapiência, Emicida, Flora Mattos, Ice Blue, Gog, Thaíde, Xis, Wgi, Dexter, Maurício DTS, entre outros.

22) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Mano Vine: Não passei por quase nenhuma das situações citadas na pergunta, mas tem uma cena aqui que ficou marcado na minha vida. JG Loko, que fecha comigo nos projetos me chamou para participar do programa TV Favela Brasil do mano Mitcho, ex grupo Travessos e coloquei meu pen drive para a base da minha música rolava na hora que eu peguei o microfone para cantar a voz cortava. No estúdio ninguém entendia nada. Eu pegava outro microfone e nada.

Na primeira live que participei no Society Meninos da Vila em Barueri – SP, como é época de pandemia Covid-19 fiz um som sobre o assunto, mas eu não tinha memorizado e quando subi no palco para cantar passei nervoso, suava, um frio na barriga. E cantei a primeira parte e não errei, mas a segunda deu um branco e pedi desculpa (risos). Hoje é engraçado falar, mas na hora estava muito nervoso e suava igual bode veio (risos).

23) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Mano Vine: Triste é ver a falta de compromisso com o trampo, quem foca mais em status do que em responsabilidade. No compromisso chega atrasado, não está nem aí. Eu, faço campanha para arrecadar alimento para pessoas carentes, tem artista que nem leva, acho muito triste. O ser humano não ama mais o próximo como antes. Fico feliz quando vejo que a “mulekada” gostou da minha música, entende, coloca em prática tudo que está na letra e arruma um trampo, volta a estudar.

24) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Mano Vine: Creio em Deus e não preciso manipular para apresentar meu trampo, mas quem tem como pagar para incentivar seu próprio sonho, já que as rádios precisam manter seus gastos operacionais e de funcionários. Eu levo a música por amor e não foco tanto no dinheiro. E se conseguir alcançar meus sonhos que pouco a pouco estou alcançando está bom. E seria hipocrisia da minha parte falar que não quero viver do RAP, fazer turnê vários shows, tv, viagens e etc.

25) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Mano Vine: Nunca desista do seu sonho. Eu demorei 16 anos para gravar uma música no estúdio. Não paguei nem um real na música produzida, ganhei de presente e sou grato até hoje. Então, foco, força e fé que tudo vai dar certo. No caminho do sucesso tem vários obstáculos, mas nenhum é insuperável quanto a sua fé em Deus.

26) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Mano Vine: Festival de Música é legal para divulgar seus trampos, mas o foco não fica só em um artista devidos ter muitos artistas, mas se o evento foi grandioso para o seu currículo musical é muito importante.

27) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Mano Vine: Acredito que não, pois a primeira coisa que o artista faz é lançar suas músicas em plataforma musicais. Hoje em dia o festival serve mais para divulgar um pouco mais seus trampos em relação a visibilidade no evento.

28) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Mano Vine: O RAP no geral continua fora da programação da grande mídia. O RAP quando mostrado é de uma maneira diferente. O RAP feito por quem ainda mora em barraco de madeira, passa fome, chuva frio, mas que nunca deixou de escrever e de fazer seu freestyle na quebrada e sempre buscando um lugar para cantar. A mídia só mostra o rapper que está lá em cima e não dar visibilidade para quem está em baixo. 

29) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI, Itaú, Banco do Brasil e CAIXA Cultural para cena musical?

Mano Vine: É muito importante, mas deveria ser feito um projeto com governo onde levasse mais cultura para periferia, pois nem todos têm acesso ao SESC, SESI, Itaú, Banco do Brasil, CAIXA Cultural. A carência cultural está na periferia onde tem tráfico, homicídios, abuso policial, etc, vamos ocupar com cultura a mente do jovem, da criança que não tem condições de locomoção, as vezes não é falta de vontade e falta de conhecimento. Quando é investido a verba corretamente sem desvio o projeto evolui, mas quando a corrupção falar mais alto tudo vai tudo por água abaixo.

30) RM: O circuito de Bar na sua cidade é uma boa opção de trabalho para os músicos?

Mano Vine: Sim, mas para alguns gêneros musicais e por conta da pandemia do Covid-19 os bares são obrigados a fechar.

31) RM: Mano Vine, Quais os seus projetos futuros?

Mano Vine: Tenho um projeto sendo realizado “BARUERI RAP EM CENA”, com live beneficente em que arrecadamos alimentos para famílias carentes. Em 2021 contamos com alguns apoiadores para doação de roupa, alimento e brinquedo.

32) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Mano Vine: (11) 94854 – 3197 | [email protected]

| https://web.facebook.com/profile.php?id=100009156193098

| www.instagram.com/manovine86 

Canal Mano Vine: https://www.youtube.com/channel/UCVhXiUlj14qz1Kru3J5Crmw 

FILME REAL / MANO VINE PRODUÇÃO CAELI DOGS BEAT: https://www.youtube.com/watch?v=Sc6A-erTSKI 

“Por aqui não é diferente” com a participação de Mano Índio: https://youtu.be/TJYPaNrQVtE 

MAX E SHOW /ENTREVISTA +SOM MANO VINE /PRODUÇÃO FLEX STUDIO: https://www.youtube.com/watch?v=hrrO1huW0R4 

RAP NACIONAL É A FIRMA/MANO VINE ENTREVISTADO DA SEMANA: https://www.youtube.com/watch?v=YV39xpVZQ6U 

RAP BOMBER ENTREVISTA COMPLETA MANO VINE APRESENTAÇÃO PAULO SALES PRODUÇÃO ÁGUIA BLACK.: https://www.youtube.com/watch?v=mylYmegSM3I 

RADIO BLACK SAMPA ENTREVISTA MANO VINE COMPLETA ,APRESENTAÇÃO CESAR TEX. PRODUÇÃO NIKKO ANTUNES: https://www.youtube.com/watch?v=f6nm5_fJMkE 

RAP EM CENA /PROJETO SOCIAL PARTE 1: https://www.youtube.com/watch?v=nBrPGnxMmVQ 

RAP EM CENA/ PROJETO SOCIAL PARTE 2: https://www.youtube.com/watch?v=agyLSO1Dw3I 

Coletânea RAP A FÚ Vol.1:  https://www.youtube.com/playlist?list=PLEtjgjTzrBj9-YmMhL1uZ1U0EU1JzII2O

DA COLETÂNEA DO MEU MANO JOÃO BASÍLIO DO IBOTIRAMA RECORDS: https://www.youtube.com/playlist?list=PLEtjgjTzrBj8z7b7dRunfUJsXNbve4_Li 

MÚSICA MANO VINE FEAT MANO INDIO: https://youtube.com/playlist?list=PLEtjgjTzrBj8z7b7dRunfUJsXNbve4_Li 

APRESENTAÇÃO MANO MITCHO CHORÃO EX TRAVESSOS PROJETO FAVELA SHOW: https://youtu.be/Nk0B7rLq748 

MANO VINE ENSAIO BÁSICO: https://youtu.be/2D-jDlLZt-g 

MANO VINE RECANTO PHRYNEA ENSAIO BÁSICO: https://youtu.be/Sp_GOgr7jZo 

LIVE MANO VINE & ADM MCS  MAIS CONVIDADOS: https://fb.me/e/26eFg7AiZ 

Live dia 8 novembro: https://fb.me/e/1NFD4DILE 

Live dia 29 novembro: https://fb.me/e/1JHlQrtnJ 

Live dia 10 outubro: https://youtu.be/Ga9r0hBEpU4 

https://youtu.be/YOfUgzxe_Ys 

https://youtu.be/cOs_h1qvZ8U 

Live dia 12 dezembro: https://youtu.be/Ce760w6LZuc 

Live dia 12 dezembro: https://youtu.be/dYs2k-h6ytQ


Comments · 2

  1. Slc maravilhoso poder fazer parte desse grande projeto ,da ritmo melodia,tem nem palavras mais uma coisa e certa gratidão sempre e respeito obrigado meu amigo carlos e todos envolvidos com a revista. Deus abençoe sempre.

Deixe um comentário para Marco Vinicius da silva Cancelar resposta

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.