More João Araújo »"/>More João Araújo »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

João Araújo


João Araújo é pernambucano e desde cedo atua no campo artístico, tendo já produzido trabalhos diversificados nas áreas da música, poesia, conto, ensaio e crônica.

Como compositor e letrista, caracteriza-se pelo ecletismo, trazendo para as suas obras tanto as influências das sonoridades regionalistas quanto uma atitude mais universal. Participou da produção fonográfica de alguns CDs a exemplo do CD – “Valsas Pernambucanas” e o CD – “Verso e Canção”. Tem mais de uma centena de canções gravadas por vários intérpretes entre os quais Maciel Melo, Ivan Ferraz, Leninho de Bodocó, Jesuíno, Toinho Vanderlei, Irah Caldeira, Benil, Osmando Silva, Coral Edgard Moraes, Dalva Torres, Silvério Pessoa, Aldemar Paiva, entre tantos outros.

Seu percurso acadêmico também foi trilhado de forma a investir na interdisciplinaridade entre as Ciências e as Humanidades: formou-se bacharel e mestre em Física Teórica pela Universidade Federal de Pernambuco e especializou-se em Literatura Brasileira pela mesma Universidade. Em Portugal, no ano de 2008, concluiu uma segunda pós-graduação ao realizar o curso de mestrado em Criações Literárias Contemporâneas na Universidade de Évora.

A facilidade na escrita já lhe rendeu importantes prêmios, tanto na área lítero-musical, quanto no domínio científico. É autor de duas teses de mestrado, uma Monografia, mais de uma centena de canções, diversos livros, crônicas, contos, poemas e artigos científicos.

Segue abaixo entrevista exclusiva com João Araújo para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 14.02.2022:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

João Araújo: Nasci no dia 13 de março de 1975 em Recife – PE. Registrado como João Eduardo Farias de Araújo.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

João Araújo: Foi na remota infância, apesar dos meus pais, João Araújo da Silva e Rute Maria Farias da Silva não serem músicos profissionais. Meu pai tinha um violão, escutava muito disco Vinil: Luiz Gonzaga, Cartola, Nelson Cavaquinho, Lupicínio Rodrigues, Nelson Gonçalves, Roberto Carlos, etc. Minha avó, Edite Mota Pavão e minha mãe cantavam muito dentro de casa, enquanto arrumavam e cozinhavam. Paralelo a isso, meus pais perceberam um pendor meu para o ritmo e me matricularam na Banda do Colégio, para tocar caixa e tarol. A partir desta base, fui trilhando uma longa jornada lítero-musical. Muito tempo depois, eu viria falar um pouco sobre essas referências musicais na canção “Recife Amanheceu em Mim” que tive a oportunidade de compor em parceria com Luciano Magno: https://open.spotify.com/track/7JU86c4xpRqx1S6kBLiU5Z?si=7fa564e3d777484b

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

João Araújo: Minha formação musical é uma mistura entre o autodidatismo e alguns estudos sob a orientação de tutores. Tive aulas de violão, flauta, piano, cavaquinho e canto. Cheguei a estudar violão no Conservatório Pernambucano de Música, mas não prossegui no Curso. Na formação acadêmica, concluí um Mestrado em Física Teórica pela Universidade Federal de Pernambuco e um Mestrado em Criações Literárias Contemporâneas pela Universidade de Évora, em Portugal.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

João Araújo: Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Alceu Valença, Cartola, Nelson Cavaquinho, Noel Rosa, Paulinho da Viola, Elton Medeiros, Zé Keti, Edgard Moraes, Raul Moraes, João Santiago, Maestro Duda, Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Chico Buarque, Lenine, Elba Ramalho. Acredito que todos são importantes quando se está construindo uma bagagem artística individual.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

João Araújo: Eu já compunha antes e já havia tocado em palcos, sendo assim, sobre isso fica difícil definir uma data precisa. Aqui, considerarei profissional o momento quando gravei e produzi oficialmente a primeira composição em Estúdio. Foi no CD de frevos-de-bloco intitulado “Um Bloco em Poesia” concluído em 2000 e lançado em 2001 no Estúdio, localizado no Centro do Recife – PE. Esse tal Bloco em poesia a que me refiro é uma homenagem a todos os Blocos Carnavalescos Líricos de Pau-e-Corda que abrilhantam o Carnaval pernambucano: https://open.spotify.com/track/144H0OknCQIKVpRYptNAwa?si=6b7b2e286a0643e6

06) RM: Quantos CDs lançados?

João Araújo: Até o momento são sete álbuns lançados com minhas composições. Mas também, produzi álbuns para outros artistas, quanto tenho composições minhas gravadas em fonogramas de outros grupos. Hoje, tenho trabalhado também com lançamentos em Plataformas Digitais de Streamings (Perfil no Spotify: https://spoti.fi/3qnMsSC ). Os sete álbuns que eu lancei com composições minhas são:

CD – “RIVAL DO DESTINO” – João Araújo (2016), celebração dos meus 20 anos de carreira como compositor. CD – “UM BLOCO EM POESIA” – 15 ANOS (2015), comemorativo dos 15 anos da Trupe Lírico Musical Um Bloco em Poesia. CD – “10 ANOS DE POESIA” (2010), comemorativo dos 10 anos da Trupe Lírico Musical Um Bloco em Poesia. CD – “VALSAS PERNAMBUCANAS” (2005), valsas de autores como Nelson Ferreira, Capiba, Levino Ferreira, Edgard Moraes e outros. CD – “VERSO & CANÇÃO” (2003), coletânea de xotes, baiões e toadas de João Araújo e Adalberto Cavalcanti. CD – “PERNAMBUCARNAVAL” (2003), apoio cultural: Info House e Venturi Moda Masculina. Uma coletânea de ritmos tradicionais do carnaval pernambucano de vários autores. CD – “UM BLOCO EM POESIA” (2001), apoio cultural: Shopping Tacaruna. Uma coletânea de frevos-de-bloco inéditos de vários autores.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

João Araújo: Eclético. Gosto de explorar as diversas possibilidades de estilos, gêneros musicais e ritmos.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

João Araújo: Estudei técnica vocal, sempre que tenho tempo, tento reciclar meus conhecimentos e estudar mais. Entretanto, não me considero intéprete. Em geral, prefiro que grandes profissionais da voz gravem minhas músicas. Quando me apresento cantando, costumo dizer que se trata de uma performance de “cantautor”.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

João Araújo: A importância do estudo da técnica vocal é fundamental porque mesmo que você não se considere intérprete, a voz é o primeiro instrumento musical com o qual o ser humano tem contato. Como compositor, utilizo a voz mais como uma ferramenta auxiliar no processo criativo.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

João Araújo: São muitos e fica difícil omitir alguns nomes, portanto irei sugerir uma lista incompleta. Cantores: Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Jackson do Pandeiro, Expedito Baracho, André Rio, Ed Carlos, Lenine, Frank Sinatra, Michael Bublé. Cantoras: Elizeth Cardoso, Elis Regina, Elza Soares, Dalva Torres, Elba Ramalho, Nena Queiroga, Irah Caldeira, Nádia Maia, Cláudia Beija, Valéria Moraes, Naná Moraes.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

João Araújo: Por vezes pode ser o mais amplo possível: sem hora, sem local, sem planejamento prévio. Mas, de outras vezes, pode também ser um processo milimetricamente calculado. Atuo nas três vertentes: como compositor fazendo tudo (letra e melodia); como letrista, colocando palavras em frases melódicas de parceiros musicais e também posso elaborar apenas a melodia e enviá-la a um amigo.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

João Araújo: Luciano Magno, Bráulio de Castro, Jesuino, Leninho de Bodocó, Xico Bizerra, Toinho Vanderlei, Dalva Torres, Márcio Resende, Fátima de Castro, Domingos Sávio, Samuel Valente, Nuca Sarmento, Bozó 7 Cordas, Pedro F. Sousa, Francisco Fidelis, Walmir Chagas, Kayto, Adalberto Cavalcanti, João Araújo (de Minas Gerais), Walter Marques, Romero Amorim e cada um foi o meu parceiro principal em um momento criativo da minha vida.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

João Araújo: Temo também aqui ser injusto ao esquecer nomes, mas vamos lá: Maciel Melo, Dalva Torres, Bubuska, Almir Rouche, Jesuíno, Nena Queiroga, Inajá Moraes, Ivan Ferraz, Aldemar Paiva, Som da Terra, Kelly Rosa, Geraldo Maia, Irah Caldeira, Expedito Baracho, Cláudia Beija, Ed Carlos, Luciano Magno, André Rio, Gonzaga Leal, Gustavo Travasso, Silvério Pessoa, Renato Phaelante, Benil, Sonnia Aguiar, Valéria Moraes, Fátima de Castro, Vadka Sedícias, Osmando Silva, Toinho Vanderlei, Leninho de Bodocó, Kelly Oliveira, Emerson Sarmento, João Araújo, Juliano Muta, Macaco, Fio da Meiota, Alessandra Cavalcanti, Nuca Sarmento, Voz do Capibaribe, Claudya, Diego Reis, Ana Roque, Adriana B, Cinderela, Walmir Chagas, Daniel de Caruaru, Coral Edgard Moraes, Coral Um Bloco em Poesia, Coral Cordas e Retalhos, Coral do Bloco Amantes das Flores de Camaragibe, Coral do Bloco Eu Quero Mais, Coral Pernambucaneando.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

João Araújo: Prós: a liberdade de planejar e realizar cada etapa de um projeto artístico (desde a concepção, criação, produção, marketing, divulgação e venda). Os erros que possivelmente pode-se cometer também são importantes, pois podem se converter em aprendizado valioso para Lançamentos futuros. Mas atenção, vamos aos “Contras”: Um dos pontos contras é que os “palcos digitais” (chamemos assim) estão muito pulverizados e inflacionados. Para ser “visto” e “ouvido” é preciso um trabalho de divulgação constante e forte. Isso se torna demasiado cansativo e, por vezes, sobre-humano, tirando a energia criativa do artista. Aprender as diversas ferramentas também pode trazer essa carga pesada e desgastante para o artista. É preciso encontrar pontos de equilíbrio entre o que eu disse nos “Prós” e “Contras” e tentar otimizar da melhor forma o tempo de trabalho.

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

João Araújo: Dentro do Palco: agenda de ensaios e elaboração de arranjos, produção de shows para os concertos, divulgação dos eventos. Fora do Palco: processo de criação de novas canções, letras, equilibrando sempre entre aquilo que se entende por “inspiração” e “transpiração”. Elaboração de planos de Marketing para cada projeto concebido.

16) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira? 

João Araújo: Trabalhar com as diversas Mídias Sociais. Divulgar através de tráfego orgânico e pago. Realizar parcerias diversas: parceiros de composição, cantoras e cantores, produtores, músicos, equipes de marketing, etc.

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

João Araújo: A Internet ajuda mais na fase da divulgação de um novo lançamento. E ao fazer isso, nos coloca em contato com o nosso público e com possíveis futuros parceiros. A Internet prejudica quando o uso dela passa a “roubar” muito tempo da sua rotina, e isso é terrível para o processo criativo do artista. 

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

João Araújo: Vantagens: para “tudo” que você queira fazer, existirá sempre um aplicativo para resolver. A praticidade e comodidade são também vantagens. Desvantagens: trabalhar com essas tecnologias, requer investimento de tempo de aprendizado e manipulação e Tempo ou é “a sua nova composição que está na gaveta esperando para sair” ou é “dinheiro”.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

João Araújo: Concentremo-nos naquelas pessoas sérias e talentosas. Há muitas delas e os seus talentos são diversificados. Procuro reparar quando um trabalho é bom e aprender com os caminhos propostos e as soluções criativas. O trabalho artístico é beber em várias fontes, navegar por vários mares e trocar ideias. O diferencial está quando você processa tudo isso dentro da sua personalidade e coloca a sua impressão digital com “sinceridade”, “paixão” e “verdade” num novo trabalho. 

20) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

João Araújo: Eu gosto do trabalho de muita gente. Permita-me citar apenas alguns nomes, novamente apenas para ilustrar. Acho que na revelação nas últimas décadas temos, por exemplo: Mestrinho e Luizinho de Serra, entre outros. No caso das obras consistentes, podemos citar, como exemplo: Elba Ramalho, Flávio José, Santanna – o cantador, Petrúcio Amorim, Flávio Leandro, Nando Cordel, Xico Bizerra, Leninho de Bodocó, entre outros.

21) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

João Araújo: Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, Elba Ramalho, Petrúcio Amorim, Luciano Magno, André Rio, Xico Bizerra, Bozó 7 Cordas.

22) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado, etc)?

João Araújo: Compor, gravar e inscrever uma música num Festival de Música, tudo isso num espaço de tempo de dois dias e ainda conseguir ganhar o terceiro Lugar. Tocar num palco ao ar livre (palco sem teto) e começar a chover.

23) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

João Araújo: Mais feliz: ver uma música nova nascer. Mais triste: a falta de respeito de alguns Contratantes, sejam eles públicos ou privados, em não pagar ou atrasar o pagamento do artista.

24) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

João Araújo: Creio que eles ficaram muito focados apenas no xote e nós sabemos que o manancial rítmico do Forró é muito mais variado. Entretanto, reconheço que esse movimento “Forró Universitário” foi bom e útil para chamar a atenção para o Forró em regiões brasileiras fora do Nordeste.

25) RM: Quais os grupos de “Forró Universitário” chamaram sua atenção?

João Araújo: Banda Falamansa.

26) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

João Araújo: Sim, minhas músicas tocaram em Rádios sérias.

27) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

João Araújo: Se este é mesmo o seu sonho, seja persistente e em tudo que fizer coloque honestidade, seriedade e respeito.

28) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

João Araújo: Prós: a disponibilidade de toda uma estrutura de Produção, a possibilidade de ter a sua música gravada, a chance de ganhar um prêmio em dinheiro. Contras: quando a comissão demora vários meses para pagar a premiação.

29) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

João Araújo: Eu acredito que hoje é muito raro Festival de Música revelar algum talento.

30) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

João Araújo: O Brasil é um dos países mais ricos e diversificados do planeta. A grande mídia é muito deficiente ao lidar com esse nosso tesouro cultural.

31) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

João Araújo: Eu acho que quanto mais espaços como esses nós tivermos, melhor.

32) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró das antigas e as atuais do Forró Estilizado?

João Araújo: As bandas de Forró das antigas criaram os alicerces conceituais do gênero e propagaram esse estilo para o mundo. Se as bandas de Forró Estilizado fizerem o seu trabalho com um resultado estético satisfatório, está valendo.

33) RM: Quais os prós e contras em desenvolver uma carreira musical no exterior?

João Araújo: Prós: não vejo diferença aqui entre desenvolver uma carreira musical no exterior ou no Brasil. Contras: para projetos específicos, por vezes é difícil encontrar músicos qualificados que saibam tocar determinados estilos musicais.

34) RM: Cite alguns prêmios que você já ganhou.

João Araújo: 3º lugar da Categoria Frevo-canção do Concurso “FESTIVAL NACIONAL DO FREVO em 2021” com a “Biscuit de Elefante” em parceria com Fátima de Castro. Arranjador: Fábio Valois e Intérprete: Ed Carlos, realizado em Recife, Pernambuco.

1º lugar da Categoria Frevo-canção do Concurso “FESTIVAL NACIONAL DO FREVO de 2018” com a “Claudionor, o Menino do Frevo” em parceria com Bráulio de Castro. Arranjador: Fábio Valois e Intérprete: Ed Carlos, realizado no dia 13 de julho de 2018, no Teatro Santa Isabel, Recife, Pernambuco.

2º lugar da Categoria Frevo-canção d o Concurso “MÚSICA CARNAVAL DE PERNAMBUCO” com a “Turbina no Tendão”. Arranjador: Luciano Magno e Intérprete: Benil, realizado no dia 14 de fevereiro de 2014, no Teatro Tabocas, Centro de Convenções, Recife, Pernambuco. Direção Geral de André Rio e Direção Musical de Luciano Magno. Link para esta música: https://open.spotify.com/track/4Ocyr2lauFr6WduD4GJcBC?si=1608f8165fc94a3a

Prêmio de Melhor Intérprete do I Festival do Frevo da Humanidade de 2013-2014 vencido pela cantora Dalva Torres ao defender a música “Carta para Romero Amorim” de João Araújo”. O Festival foi realizado nos dias 25 e 26 de outubro de 2013, no Parque Dona Lindu, Boa Viagem, Recife, com a Orquestra Banda Sinfônica do Recife, sob a direção, produção musical e regência do maestro Nenéu Liberalquino. A música teve arranjo de Parrô Melo. Link para esta música: https://open.spotify.com/track/41iXA36HSPnDXtBtiNLte8?si=63db8c06cdaf4a4b

2º lugar da Categoria Caboclinho do Concurso de Música Carnavalesca Pernambucana 2010/2011 com a “Caboclo D’Água” – em parceria com Luciano Magno. Arranjador: Dadá Malheiros e Intérprete: Benil.

3º lugar da Categoria Caboclinho do Concurso de Música Carnavalesca Pernambucana 2006/2007 com a “Senhora das Águas” – em parceria com Dalva Torres. Arranjador: Dadá Malheiros e Intérprete: Edy Carlos.

1° Lugar do concurso nacional “Prêmio Agostinho de Cultura de 2012”, na categoria Série Infanto-juvenil, promovido pela Editora Adonis (Americana/SP), com o conto “Os Destinos de Sofia” (João Araújo); Prêmio JABUTI de 2011 na Categoria Ciências Exatas: João Araújo et al é autor do 21º capítulo intitulado Ontologia de Fourier, Análise Local por Onduletas e Física Quântica, que compõe o Livro TEORIA QUÂNTICA: ESTUDOS HISTÓRICOS E IMPLICAÇÕES CULTURAIS organizado por OLIVAL FREIRE JR., OSVALDO PESSOA JR., JOAN LISA BROMBERG que foi agraciado com o Prêmio Jabuti 2011 na Categoria Ciências Exatas.

Menção Honrosa na Categoria Nacional do CONCURSO MUNICIPAL DE CONTOS “MIGUEL SANCHES NETO” 2011 com o conto Um banquete (João Araújo).

35) RM: Quais os seus projetos futuros?

João Araújo: Estou trabalhando num projeto que consiste em produzir EPs com músicas inéditas no gênero Forró. O primeiro desta linhagem está saindo agora, “Petisco de Forró”, eu conto também com as parcerias de Xico Bizerra, Jesuino, Leninho de Bodocó, Toinho Vanderlei, Osmando Silva. São dois xotes e dois baiões: Link Spotify: https://open.spotify.com/album/6JzpS7XsNgwr3PV0xNzyIF

Outros Links: https://album.link/7ktq5cjqgtr9f

Petisco de Forró: “A Fechadura e a Chave” (Jesuíno, Leninho de Bodocó, João Araújo); “A Cantiga e o Cantador” (Xico Bizerra e João Araújo); “Fungado, Acocho e Umbigada” (Toinho Vanderlei e João Araújo); “Cuida Coração” (Leninho de Bodocó e João Araújo).

36) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

João Araújo: https://poetajoao.com | [email protected]

Facebook: https://www.facebook.com/toquepandeiro

Instagram: https://www.instagram.com/joaopoeta123

Twitter: https://twitter.com/JoaoPoesia 

Link para escutar as músicas: https://poetajoao.com/musica

| https://album.link/7ktq5cjqgtr9f

Spotify: https://spoti.fi/3qnMsSC

Deezer: https://bit.ly/3EoreZk

Apple Music: https://apple.co/3lwmBoi

Amazon Music: https://amzn.to/3rveb4q

Outros: https://poetajoao.com/links 

Link Spotify: https://open.spotify.com/album/6JzpS7XsNgwr3PV0xNzyIF

Outros Links: https://album.link/7ktq5cjqgtr9f 

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCgp998p7iEFCkHItib26snQ 

Playlist do novo EP: https://www.youtube.com/watch?v=eo7o7gyPYDo&list=PLoUZlDnHPzzlO4j4vTiUjuqa27BW6LYMv 

Playlist Poemas e Canções: https://www.youtube.com/watch?v=bU-TR7quugI&list=PLoUZlDnHPzznEf2G4bV1S3DFY5nGpAU-P


Comments · 1

Deixe um comentário para Marrone Recarregue Cancelar resposta

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.
Notícias por WhatsApp