More JG LOKO »"/>More JG LOKO »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antônio Carlos da Fonseca Barbosa.

JG LOKO

JG LOKO
JG LOKO

JG LOKO, rapper que está na caminhada desde o ano de 2001. Suas principais influências inspiradoras no RAP são: RZO, Família 4 vidas, DBS Gordão Chefe, Da Guedes, Marechal, Kamal, SP FUNK, Rael da Rima, Criolo, Servidores do RAP, Gez monstrão Du flow, Função RHK, Dina Di, Sabotage, Letul, Sapo, Arsenal de primeira, Iozo, entre outros.

“Minha caminhada é em prol as comunidades de Osasco com o intuito de fortalecer o cenário do RAP através do projeto ‘HIP HOP VEM DAS RUAS’. Realizamos atividades que envolvem a cultura do RAP, com o objetivo de melhorar o cenário em Osasco – SP”.

Atualmente, JG LOKO é MC residente e mestre de cerimônia do projeto HIP HOP VEM DAS RUAS que acontece na comunidade da Zona Oeste de São Paulo.

“O RAP para mim é a resistência! Lutamos pelos nossos direitos e nós somos a revolução microfonada. Podemos falar e passar mensagens de protesto, ideias conscientes pra tirar o jovem do mundo da criminalidade. A música pra mim é como se fosse uma parte do meu corpo. Não vivo sem ela!”

Recentemente, lançou seu CD com quatro faixas produzidas pelo seu parceiro de trampo DJ Marcio Mix e gravou o CD – “HIP HOP VEM DAS RUAS” com 14 faixas com participação de Queg (Ponta Grossa – PR), Estação Alquimia, (Antares), Erick Brouw, JG LOKO faz parte da Família Firma Zica de Curitiba – PR do bairro Alto, por amigos e parceiros de estrada militantes do RAP.

Segue abaixo entrevista exclusiva com JG LOKO para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevista com Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 13.04.2021:

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

JG LOKO: Nasci no dia 20/02/1982 em Osasco – São Paulo. Registrado como Jorge Moraes Antão.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

JG LOKO: Foi em meados de 1995 ouvindo num rádio do Paraguaio, o som do Duck Jam na Metropolitana FM.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

JG LOKO: Sou MC (mestre de cerimônia), mas não tenho formação acadêmica. Já realizei aulas, palestras em C.E.Us em São Paulo e Osasco.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

JG LOKO: Minhas influências musicais vão de Turma do Pagode, Tiee, Belo, RZO, Criolo, Organização Xiita, AR2, Os Ilegais, Pia Realistas, Kanibal, Do Morro pro Asfalto, DBS Gordão chefe, Raphao Alaafin, Emicida, Projota, Haikaiss, Dj Marcio Mix, Tim Maia, Rel Firma Zica, Servidores do RAP, Os Humilds, Dj Tigas.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira profissional?

JG LOKO: Comecei em 1999 no grupo Julgamento de Rua formado por Márcio Mix, Kada 1, JG LOKO. Em 2001 entrei no grupo Arsenal de Primeira, formado por JG LOKO, Mort, MGO, Nardo. Em 2015 segui como JG LOKO Hip Hop vem das ruas.

06) RM: Quantos CDs lançados?

JG LOKO: Lancei um CD com o grupo Arsenal de Primeira. Lancei um CD como JG LOKO Hip Hop vem das ruas. Lancei uma coletânea Hip Hop vem das ruas Vl. 01.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

JG LOKO: Estilo livre no ritmo, da sintonia da música no estilo original JG LOKO de ser…

08) RM: Você estudou técnica vocal?

JG LOKO: Assistindo muitos Rappers, ouvindo muita música brasileira, adquirir a minha experiência vocal.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

JG LOKO: É muito importante a técnica vocal. É fundamental cuidar bem da voz e fazendo exercícios vocais e usar técnicas vocais para se aprimorar cada vez mais no cantar.

10) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

JG LOKO: Criolo, Marcelo D2, Marcelo Falcão.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

JG LOKO: Meu estilo de compor é diferenciado. Eu vou escrevendo o que vivo, o que vejo no país, nas comunidades, nos guetos. Assim defino meu estilo de compor sem limitações.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

JG LOKO: Tenho vários parceiros musicais, entre eles, Ellype Preto F, Pia Realistas, AR2, Kanibal, Nile MC, RMC, Rel Firma Zica, Rabisco MC.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

JG LOKO: A minha forma independente de desenvolver a carreira musical é através de parcerias, usando as ferramentas das plataformas digitais, interagindo em grupos de WhatsApp e redes sociais, etc.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

JG LOKO: Na divulgação no marketing “boca a boca”, nas redes sociais, com os amigos, amigas e nas plataformas digitais, etc.

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

JG LOKO: Participo do mês do Hip Hop de São Paulo; da semana do Hip Hop de Osasco ou outras atividades em outros Estados e cidades voltadas a Cultura Hip Hop com remuneração de cachê.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

JG LOKO: A internet ajuda muito na divulgação. É um mecanismo forte, mas dependendo do que publicamos, pois pode acabar a trajetória musical. Mas as redes sociais e plataformas digitais ajudam os músicos independentes.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

JG LOKO: A vantagem é que é bem mais prático grava nossas músicas, vídeo clipe com o acesso à tecnologia. A desvantagem é que tem muitos que se aproveitam da situação e produzem material conteúdo ruim.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

JG LOKO: Meu diferencial é que lanço meu CD em formato físico e também distribuindo em plataformas digitais e youtube.

19) RM: Como você analisa o cenário do RAP brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

JG LOKO: O cenário RAP nacional Hip Hop cresceu muito de uns anos pra cá. É muito foda, a galera está consumindo muito RAP nacional. As revelações: Salvador da Rima, Djonga, Krawk.

20) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

JG LOKO: Filosofia de rua, DBS Gordão Chefe, Raphao Alaafin.

21) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

JG LOKO: Várias coisas citadas na pergunta acontecem na corrida de quem faz o RAP NACIONAL HIP HOP. Como dormi na rua quando perde a condução (ônibus, trem, metrô). O contratante não paga o valor combinado. Chega no show no evento não ter nem o mínimo, uma água para beber. E assim vai…

22) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

JG LOKO: A conexão com outros manos e minas de outros Estados que também fazem a Cultura Hip Hop. Vejo a cena musical em geral crescer, seja no RAP Nacional Hip Hop, Forró, Samba, Axé music, FUNK. E isso me deixa muito feliz.

23) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

JG LOKO: Nunca. As rádios de grande audiência que toca música RAP Nacional Hip Hop, elas têm um custo operacional, uma logística e funcionários, etc.

24) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

JG LOKO: Siga seu sonho. Siga em frente e mostre é capaz e que pode chegar. A música é livre e tem o poder de ajudar muitas pessoas. A música salva vidas…

25) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

JG LOKO: Tem muitos Festivais de música bacana de se participar, mas tem uns que não abre a oportunidade para nós da cena independente participar e se fecha em uma panela.

26) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

JG LOKO: Sim. Festival de música sem dúvida revela muitos artistas escondidos pelo Brasil…

27) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

JG LOKO: A grande mídia só cobre o que dar audiência e quem pagar o jabá para estar na programação.

28) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI, Itaú, Banco do Brasil e CAIXA Cultural para cena musical?

JG LOKO: Uma oportunidade sensacional, mas teria que melhorar a curadoria, ser cuidadosa. Aqui em Osasco – SP é sempre os mesmos artistas na programação todo ano. Não dão oportunidade para outros artistas e bandas.

29) RM: O circuito de Bar na sua cidade é uma boa opção de trabalho para os músicos?

JG LOKO: O circuito de Bar em Osasco – SP é uma boa opção para músicos de outros ritmos. Agora para o movimento RAP Nacional Hip Hop não abre espaço.

30) RM: JG LOKO, Quais os seus projetos futuros?

JG LOKO: Em 2020 lancei um EP – JG LOKO – “Assim seguimos na missão” e coloquei nas plataformas digitais. É distribuído pelo Dubeco Studio e vamos lançar em 2021 a coletânea Hip Hop vem das ruas Vl.2 e assim caminhamos com eventos show rádios após a pandemia do Covid-19.

31) RM: Quais seus contatos para show

JG LOKO: (11) 98837 – 4538 |[email protected]

| https://www.facebook.com/jorge.moraes.923171

| https://web.facebook.com/JGLOKO

| www.instagram.com/jg_loko

Canal: JG Loko: https://www.youtube.com/channel/UC9sDXdqJ9z7q7AOsNE36jSQ

Playlist JG LOKO HIPHOP: https://www.youtube.com/watch?v=yDDEYaT-iqo&list=PLgnYmVdFGppacJybSJQ6yY0DQH6yyIH11

JG Loko – Só Assim ( Distribuido por Dubeco Studio ): https://www.youtube.com/watch?v=wvliTvWccLk

Fique em casa com arte – Música – JG LOKO – HIP HOP: https://www.youtube.com/watch?v=1wDwakJDcb0

ENCERRAMENTO DO MÊS DO HIP HOP DE SÃO PAULO DE 2019 NO VALE DO ANHANGABAÚ: https://youtu.be/IFamzvICuzM

FOI CONVIDADO DO DBS GORDÃO CHEFE NUM SHOW DP MÊS DO HIP HOP DE OSASCO DE 2019: https://youtu.be/dDDNOfV0rkA

EP JG LOKO ASSIM SEGUIMOS NA MISSÃO: https://open.spotify.com/album/7oCVgD1z50wi2uSm6UpjBV?utm_sq=fo6djm1dro&utm_source=Twitter&utm_medium=social&utm_campaign=corylavine&utm_content=Singles&_php=1


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antônio Carlos da Fonseca Barbosa.