Continua após a Publicidade
Categorias: EntrevistasForró

Ilmar Cavalcante


Ilmar Cavalcante, compositor paraibano, nasceu no dia 19 de outubro de 1970, em João Pessoa-PB, mas sempre morou na pequena e musical de Monteiro, no cariri paraibano. Filho de Inácio Vieira da Silva (in memoriam) de Ouro Velho – PB, e Lindalva Cavalcante da Silva de Monteiro-PB, ele teve a infância dividida entre os estudos, as peladas de futebol e passava as férias no sítio angico dos avós maternos Antônio Mendes de Andrade e Maria Cavalcante Mendes.

A admiração de seu pai pela música regional, em especial o Forró do Trio Nordestino, clareou a inspiração de Ilmar e fez surgir os primeiros versos em forma de canção. Com o passar do tempo, entre os 15 e os 20 anos de idade, já com alguns trabalhos desenvolvidos, ele se sentia feliz tocando violão e mostrando as primeiras composições a amigos mais próximos.

Vencendo a timidez, apresentou suas canções a alguns artistas da terra, em especial a Flávio José e a Dejinha de Monteiro. Depois de muito esforço, sentiu grande alegria quando Dejinha gravou em LP seu primeiro trabalho como compositor. A música, “Me deixa entrar no seu mundo”, de 1993, foi bem divulgada e comentada nas rádios da região.

Depois dessa primeira vitória, a inspiração e a dedicação se redobraram e, no ano seguinte, por meio do cantor Flávio José, a cantora Eliane gravou a música “Poucas Palavras” (1994), que seria um dos grandes sucessos executados no Nordeste, naquele ano. A partir de então, as portas se abriram para o jovem compositor.

Em 1994, começa uma parceria única e marcante com o cantor e compositor Nanado Alves. Juntos compõem cinco músicas para ainda pouco conhecida banda Magníficos (“Xote de encomenda”, “Charme especial”, “Todo dia te querer”, entre outras). Em 1995, Flávio José grava dois sucessos (“Um passarinho” e “O bom do amor”) e a banda Magníficos grava o segundo disco, com mais três músicas (“Tenda”, “Alguém”, “Viver uma paixão”), estourando em nível nacional.

Em 1996, o cantor Gláucio Costa grava o xote “Cheiro de nós”, (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante), uma música cheia de poesia em que a letra faz uma pequena homenagem ao grande poeta José Marcolino.

A partir de 1997, vários artistas gravaram canções de Ilmar Cavalcante. Alguns exemplos de músicas que tocaram bastante são “Saudade que mata”, com Gennaro, e “Diálogo”, com Flávio José e Walkíria Mendes com a música “Não foi em vão”. Em 1998, Ilmar Cavalcante participou do primeiro Festival de Música Regional em Monteiro, onde participaram compositores de todo país, sendo campeão com a música “Quando escuto seu Luiz”. Essa canção foi gravada por Flávio José no CD – “Pra todo mundo”, com novo título, passando a se chamar “Sangue nordestino”. Nesse mesmo disco, encontramos o baião “Falta você voltar” da parceria (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante).

Em 1999, com o crescimento das bandas de Forró, a Magníficos grava a música “Muito pra te dar” (parceria com Nanado Alves e Jorge Andrade), que teve grande sucesso. Já em 2000, o cantor Flávio José entra na gravadora BMG e lança um belíssimo CD, que tem como carro-chefe: “Seu olhar não mente” e o xote “A vida é você” (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante), dois grandes sucessos, sempre lembrados pelo público.

No ano seguinte, a música “Amor pra mais de mil” foi gravada por mais de 30 artistas – inclusive o cantor Novinho da Paraíba e as bandas Mastruz com Leite e Raízes do Forró. Com essa canção, vários desses artistas se apresentam em programas de TV (Xuxa Parque, Super POP e A casa é sua, entre outros). No mesmo ano, o cantor Adelmario Coelho grava “Chega de saudade”, que foi carro-chefe do CD e teve grande aceitação popular.

Em 2002, a gravadora BMG lança duas coletâneas: As Melhores do ano e 4 em 1. A música “Seu olhar não mente” (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante), fez parte destes dois discos, que teve a participação de grandes nomes da música popular brasileira: Fábio Jr., Leonardo, Daniela Mercury e muitos outros.

O ano de 2003 não é muito diferente. Os artistas já mencionados continuaram gravando outras canções de Ilmar Cavalcante, vindo o cantor Santanna se juntar a esse seleto grupo. O baiano Adelmario Coelho gravou, em 2004, Farejador de forró, um autêntico pé-de-serra feito “de encomenda”. Nessa música, a parceria foi com o seu compadre João Batista.

Em 2005, a banda Magníficos, o cantor Novinho da Paraíba e Santanna – o cantador gravam em DVD sucessos de Ilmar Cavalcante. Neste ano, ele alcança a marca de quase duzentas músicas gravadas em treze anos de carreira. 2007, o compositor é um dos campeões do Forró fest (2º Lugar) com o baião, “Meu Lugar é meu Nordeste”, interpretado por Osmando Silva.

Em 2012, aniversário de 100 anos de Luiz Gonzaga, a Rádio Liberdade de Caruaru promove um grandioso Festival lotando o Marco Zero com a presença de Petrúcio Amorim, Irah Caldeia e um juri feito por: Onildo Almeida (Parceiro de Luiz Gonzaga), Fátima Marcolino (filha do saudoso poeta Zé Marcolino), Ivan Bulhões, Caxiado e outros. A música “Memórias do Gonzagão” (Ilmar/João Batista), interpretada por Osmando Silva é a grande vencedora e aclamada pelo público presente.

No ano de 2015 o Cantor Flávio José regrava a música “Você”. Com seis CDS lançados onde amigos interpretam suas canções, mais de 350 músicas gravadas, Ilmar se sente feliz em ver seu trabalho reconhecido e com humildade pretende levar sua música e poesia a todos.

Várias músicas do poeta continuam sendo gravadas e regravadas assim como: “Seu olhar não mente” com Elba Ramalho (2020) e “Um não pra saudade” (2021), nas vozes de Flávio José e Estakazero. Em quase 30 anos de carreira, o Compositor contabiliza centenas de músicas gravadas e outras inéditas.

Alguns interpretes que gravam músicas de Ilmar Cavalcante: Flávio José, Elba Ramalho, Santanna o Cantador, Jorge de Altinho, Dominguinhos, Mastruz Com Leite, Mestrinho, Magníficos, Os Três do Nordeste, Maciel Melo, Petrúcio Amorim, Novinho da Paraíba, Nanado Alves, Magníficos, Sandra Belê, Irah Caldeira, Cristina Amaral, Dejinha de Monteiro (in memoriam), Cezzinha, César Amaral, entre outros.

Agradecido a Deus pelos sucessos alcançados, o poeta compõe em meio à vida cotidiana. Em casa ou no trabalho, llmar sempre encontra tempo para ler, buscar inspiração, ouvir e aprender com os grandes mestres da nossa música e poesia, como Luiz Gonzaga o cantor Lindú (Trio Nordestino), Dominguinhos, Guilherme Arantes, Chico Buarque, Jansen Filho, entre outros. Texto de abertura da jornalista Sheyla Raposo.

Segue abaixo a entrevista exclusiva com Ilmar Cavalcante para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 19.10.2021:

01) RitmoMelodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Ilmar Cavalcante: Nasci no dia 19 de outubro de 1970 em João Pessoa – PB. Morei em São Paulo dos cinco meses aos cinco anos de idade e depois viemos em 1975 para Monteiro – PB. Sou cidadão monteirense e aqui encontro inspiração para compor minhas canções. Registrado como Ilmar Cavalcante da Silva e sou filho Inácio Vieira da Silva (in memoriam) nascido em Ouro Velho – PB e de Lindalva Cavalcante da Silva, nascida em Monteiro – PB.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música?

Ilmar Cavalcante: Através do meu pai, comecei tomar gosto pela autêntica música Nordestina. Na minha casa não faltava LPs do Trio Nordestino, Abdias, João Gonçalves, Luiz Gonzaga, Genival Lacerda e outros.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Ilmar Cavalcante: Sou autodidata. Ganhei um Violão de um amigo e aprendi alguns acordes onde faço minhas cantigas.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Ilmar Cavalcante: Sempre escuto bastante Luiz Gonzaga, Chico Buarque, Trio Nordestino, Guilherme Arantes, Jorge de Altinho, Clube da Esquina. Continuo escutando e aprendendo com esses mestres.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira profissional?

Ilmar Cavalcante: Comecei compor com 15 anos de idade aqui em Monteiro. No ano de 1993 tive minha primeira música gravada pelo cantor Dejinha de Monteiro (in memoriam), o baião “Me deixa entrar no teu mundo”.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Ilmar Cavalcante: Tenho seis CDs lançados onde amigos interpretam minhas canções. Lançamentos: 2008, 2010, 2012, 2014, 2016 e 2017. Músicos: Deí, Claudinho de Monteiro (Áudio Brasil Estúdio), Jorge Andrade (Andrade Studio), Marconi Andrade (JM Home Studio), Chiquinho de Belém, Jacqueline Cavalcante, Franklin Dias, Leidjane Tomé, entre outros. Músicas de destaque: “Pras Bandas do Angico”, “Avida é você”, “Seu Olhar não mente”, “Poucas Palavras”, “Sangue Nordestino”, “Muito pra te dar”, “Amor pra mais de mil”, “Você e ninguém mais”, “Na mesma porta”, “Chega de Saudade”, “Meu terreiro tem forró”, “Monteiro Amor Primeiro”, “Papel jogado ao vento”, “Meu lugar é meu nordeste”, “Um não Pra saudade”, “Nem todo Beijo”, “O gosto de tudo”, “Tentação”, “Abre a cancela do seu coração”, “Tanto tempo sem te ver”, “Farejador de Forró”, “Mariany”, “Um rojão Pra Jackson”, entre outras. Esse trabalho é todo voltado para nossa cultura nordestina.

06) RM: Como você define seu estilo musical?

Ilmar Cavalcante: Sempre bebi na fonte da autêntica Música Nordestina. Procuro compor aquilo que vivencio e graças a Deus tem dado certo.

07) RM: Você estudou técnica vocal?

Ilmar Cavalcante: Não! Vivo exclusivamente das minhas composições.

08) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Ilmar Cavalcante: De maior importância, para quem deseja seguir uma carreira como Interprete.

09) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Ilmar Cavalcante: Dominguinhos, Djavan, Roberta Sá, Zizi Possi, Maria Bethânia, Flávio José, Jacqueline Cavalcante, Gilberto Gil, Guilherme Arantes, Roberto Carlos.

10) RM: Como é o seu processo de compor?

Ilmar Cavalcante: Sou um compositor popular! Minha inspiração vem das minhas origens, do cariri paraibano, do cotidiano das pessoas. Amor, saudade e tudo que vivo no meu dia a dia.

11) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Ilmar Cavalcante: Meu grande e principal parceiro é Nanado Alves. Temos um traçado musical importante na música nordestina e estamos fazendo 28 anos de parceria. Fiz também algumas parcerias com grandes poetas/compositores que admiro e tenho o maior carinho.

12) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Ilmar Cavalcante: São quase trinta anos gravando como compositor e vou citar alguns: Eliane, Flávio José, Santanna o Cantador, Elba Ramalho Cezzinha, Mastruz com Leite, Os três do Nordeste, Luiz Mário (Trio Nordestino), Thaís Nogueira, Novinho da Paraíba, Magníficos, Banda Carrapicho, Mestrinho, Dominguinhos, Dejinha de Monteiro, Novinho da Paraíba, Nádia Maia, Joquinha Gonzaga, Jaiminho de Exu, Cristina Amaral. Irah Caldeira, César Amaral, Maciel Melo, Nanado Alves, Ton Oliveira, Gláucio Costa, Mestre Gennaro, Zezo, Flávio Leandro, Josildo Sá, Jorge de Altinho, Petrúcio Amorim, Paulinho Leite, Toinho de Limoeiro, Sussa de Monteiro, Capital do Sol, Bira Marcolino, Adelmário Coelho, Alexandre Pé de Serra, Ítalo Queiroz, João Mossoró, Banda Metrópole, Cláudio Rios, Estakazero, Delmiro Barros, Forró Gente Boa, Banda Skala, Alexandre Tan, Saulo Lacerda, Luiz Wilson, entre outros.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Ilmar Cavalcante: Tem a vantagem de não ficar preso a vontade dos outros. Do contrário, tem a falta de apoio dos meios de comunicação.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco? 

Ilmar Cavalcante: Não tenho nenhuma estratégia. Faço a música e envio para os amigos interpretes.

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Ilmar Cavalcante: Fico ligado no que está acontecendo no mercado e vivo de acordo com minhas possibilidades. 

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Ilmar Cavalcante: A internet é a principal ferramenta para divulgar nosso trabalho. Sabendo usá-la, se torna uma aliada.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Ilmar Cavalcante: A vantagem é a rapidez, praticidade e economia. A desvantagem é o desemprego de muitos músicos.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Ilmar Cavalcante: Sempre usei a simplicidade para fazer meus trabalhos.   

19) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas e quais permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Ilmar Cavalcante: Quem faz o verdadeiro Forró Pé Serra e é seguidor da obra de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, está no caminho certo. Revelação eu sito: Forró Gente Boa, Osmando Silva, Henrique Brandão, Chiquinho de Belém, Ítalo Queiroz, Nonato Lima, Alexandre Pé de Serra, Beto Miranda, Os Fulanos. Só regride na nossa música quem segue o modismo.

20) RM: Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Ilmar Cavalcante: Flávio José, Adelmario Coelho, Cezzinha, Santanna – o Cantador, Jorge de Altinho, Flávio Leandro, entre outros.

21) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Ilmar Cavalcante: Não faço shows! O que acontece são pessoas que gravam minhas músicas e por falta de caráter colocam parceria sem minha autorização. Regravam e também não pagam pelo uso da obra. Isso me deixa chateado, pois sem o compositor não existe interprete e vice e versa.

22) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Ilmar Cavalcante: O êxtase do compositor é ver sua obra na “boca do povo”. Fico feliz quando alguém me para na rua e fala que gosta das minhas composições. O que me faz bem é pegar meu violão e compor uma nova canção. Se o olho brilhar, vem coisa boa (risos). Não tenho tristeza na minha vida de compositor, só gratidão a Deus.

23) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

Ilmar Cavalcante: De grande relevância porque traziam na sanfona, zabumba e triângulo o autêntico Forró Pé de Serra.

RM: Quais os grupos de “Forró Universitário” chamaram sua atenção?

Ilmar Cavalcante: Falamansa, Bicho de Pé, Rastapé, Forróçacana.

24) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Ilmar Cavalcante: Graças a Deus minhas músicas sempre foram bem executadas nas rádios. Vejo muita gente reclamar com suas razões mais da minha parte só agradeço.

25) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Ilmar Cavalcante: Que estude bastante, pois nada é fácil! Procure conquistar seu espaço com humildade e não siga o modismo. Saiba que vai sofrer, mas o sucesso chega na hora certa.

 26) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Ilmar Cavalcante: De grande importância para nossa cultura. Já ganhei alguns festivais de música como também já sai “bravo” de outros (risos) o importante é participar.

27) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Ilmar Cavalcante: Os grandes festivais de música como o da TV Record no final dos anos 60, foi o marco para a música popular brasileira. Chico Buarque, Caetano Veloso, Geraldo Vandré e outros se revelaram nesses festivais. Aqui na Paraíba tinha o Forró Fest, mas acabou. Não tenho conhecimento de outros festivais de tamanha relevância.

28) RM: Como você analisa a cobertura feita pela mídia da cena musical brasileira?

Ilmar Cavalcante: Decadente! Só se divulga o modismo e a boa música não tem mais vez. São raras es exceções e infelizmente é desse jeito. O caminho são as redes sociais e ninguém sabe do futuro da nossa música.

29) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Ilmar Cavalcante: São os verdadeiros espaços da Cultura do País!

30) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró das antigas e as atuais do Forró Estilizado? 

Ilmar Cavalcante: Particularmente eu fiz muitas músicas para essas bandas no começo. Depois começaram a vulgarizar gravando músicas com letras de baixo teor e eu parei.

31) RM: Qual sua relação pessoal e profissional com Flávio José?

Ilmar Cavalcante: A relação com Flávio José é de respeito mútuo! A gente se fala pouco, mas as vezes ele me chama para mostrar alguma coisa relacionada a música. Fiz recentemente em sua homenagem “Um baião pra Flávio” e ele gostou muito. Ele gravou várias músicas minha e no ano 2000 minha música foi carro chefe do seu CD pela BMG e um grande sucesso com duas músicas: “Seu olhar não mente” e “A vida é você”.

32) RM: Quais os seus projetos futuros?

Ilmar Cavalcante: Sou um sonhador! Penso em ter minha própria editora musical e administrar a minha obra. Continuar compondo e aprendendo sempre.  Espero um dia ver alguma música minha na voz de Fagner e outros artistas que admiro.

33) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Ilmar Cavalcante: (83) 9.9999 – 8397 | 9.9602 – 9252 | ilmar.compositor70@gmail.com 

| https://web.facebook.com/ilmar.cavalcante 

| https://www.instagram.com/ilmar_cavalcante 

Canal: https://www.youtube.com/channel/UCLYMJ09xL5HUUzGLHKoeAHQ 

Ilmar Cavalcante – Vídeo- Biografia: https://www.youtube.com/watch?v=pC5ocyO12UY

10 Sucessos de Ilmar Cavalcante: https://www.youtube.com/watch?v=wFWoUDQ7Siw

“Um Passarinho” (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante) Flávio José: https://www.youtube.com/watch?v=DXcmpXtqVW0 

“A Vida É Você” (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante) Flávio José: https://www.youtube.com/watch?v=3vUGXQML1qg 

“Seu Olhar Não Mente” (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante) Flávio José: https://www.youtube.com/watch?v=Qc4UI8kAI4E 

“Diálogo” (Ilmar Cavalcante) Flávio José: https://www.youtube.com/watch?v=uHzttPbiuUc 

“Seu Olhar Não Mente” (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante) – Elba Ramalho: https://www.youtube.com/watch?v=E0GYz2F5ZGU 

“Muito Pra Te Dar” (Ilmar Cavalcante / Jorge Andrade / Nanado Alves) – Magníficos: https://www.youtube.com/watch?v=83gsh7Y-ZUk 

“Viver uma paixão” (Ilmar Cavalcante / Neno / Raimundo Fernandes) – Magníficos: https://www.youtube.com/watch?v=PL10tLOROdY 

Canção Iluminada (Xote De Encomenda) (Ilmar Cavalcante) – Magníficos: https://www.youtube.com/watch?v=bgye27KaxWE 

“Cheiro de Nós” (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante) – Santana, O Cantador: https://www.youtube.com/watch?v=dJwl6ztEJ54 

“Pras Banda do Angico”(Ilmar Cavalcante) – Santanna, o cantador: https://www.youtube.com/watch?v=d_pl-ggUBsM 

“Pingo de esperança” (Ilmar Cavalcante) – Santanna, o cantador: https://www.youtube.com/watch?v=O52Qn5e_G9g 

“Vento solidão” (Nanado Alves / Ilmar Cavalcante) – Santanna, o cantador: https://www.youtube.com/watch?v=NpIjBj82rHw 

“Amor pra mais de mil” (Ilmar Cavalcante): https://www.youtube.com/watch?v=zcqPGPLMLfQ  

“Amor pra mais de mil” (Ilmar Cavalcante): https://www.youtube.com/watch?v=LYJQ-2Xp7XI


Continua após a Publicidade
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.

Disqus Comments Loading...
Publicado Por
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa
    Continua após a Publicidade

Artigos Recentes

Allan Canon

O músico, cantor, compositor paulista Allan Canon, nascido em 1982, em São Bernardo do Campo,…

% dias atrás

Bilora

Valmir Ribeiro de Carvalho, nome artístico Bilora, nasceu em Santa Helena de Minas, Vale do…

% dias atrás

Oliveira de Panelas

O poeta, repentista, escritor, cantador pernambucano, Oliveira de Panelas (Oliveira Francisco de Melo) aos 08…

% dias atrás

Biah Carfig

Atriz, cantora, produtora, mineira Biah Carfig, fez teatro no Conservatório Carlos Gomes na cidade de…

% dias atrás

Banda Melaninaemsi

A banda Melaninaemsi de Paulo Afonso-BA, teve início em março de 2020 que por sinal…

% dias atrás

Wilson Dias

Quando a vida legitima a arte. Muitos elementos contribuem para a formação e o desenvolvimento…

% dias atrás
Continua após a Publicidade

Este website usa cookies.