Continua após a Publicidade
Categorias: Entrevistas

Fernandinho do Acordeon


Tempo de Leitura: 5 minutos

O cantor, compositor e acordeonista Fernandinho do Acordeon iniciou a sua carreira artística em 2000 em São Paulo, como vocalista e sanfoneiro de um grupo formado por ele e seus irmãos.

Em setembro de 2014, iniciou a sua carreira solo gravando o seu primeiro CD – “O Filho Do Sertão”. Seu trabalho está voltado à cultura nordestina, inspirado em ícones do forró tais como: O “Rei do Baião” Luiz Gonzaga,  o mestre Dominguinhos, Trio Nordestino, Dorgival Dantas, entre outros. Seu trabalho atende casas de shows,  eventos corporativos e festas particulares.

Disponibiliza de equipamentos de som e iluminação para eventos corporativos e particulares.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Fernandinho do Acordeon para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por da Antonio Carlos Fonseca Barbosa em 01.01.2019:

Índice

01) RitmoMelodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Fernandinho do Acordeon: Nasci no dia 05 Outubro 1978 em Martins no Rio Grande No Norte.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Fernandinho do Acordeon: Eu era menino de 10 anos e perto da minha casa tinha um colégio aonde eram realizadas as festas do sitio. Então, eu acompanhava tudo de perto, e já cantava alguma coisa na igreja, mas foi a partir dos 22 anos de idade que tive um contato mais próximo com a música.

03) RM: Qual a sua formação musical e formação acadêmica fora da área musical?

Fernandinho do Acordeon: Cantor e sanfoneiro. Eletricista e técnico em climatização.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Fernandinho do Acordeon: No passado eram: Forró, Cantadores de Viola, Brega, MPB, lambada e axé. Todas são importantes.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Fernandinho do Acordeon: No ano de 2010 em São Paulo, como vocalista e sanfoneiro de um grupo formado por mim e meus irmãos.

06) RM: Quantos CDs lançados (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que se destacaram?

Fernandinho do Acordeon: Em setembro de 2014 dei inicio a minha carreira solo, gravando o meu primeiro CD – “O Filho Do Sertão”. Músicos que Participaram: Alex Tecla: Produtor; Zito: Percussão e vocal; Tio Joca: Vocal; Tico Rastapé: Guitarra, Mestrinho: segunda sanfona. O CD tem o perfil cultural. Destacaram-se  as músicas: “Cenário Perfeito” e “Paia Dos Artistas”.

07) RM: Como é o seu processo de compor canção?

Fernandinho do Acordeon: E bem natural, geralmente gosto de compor momentos marcantes, que aconteceram comigo ou com segundos e terceiros.

08) RM: Quais são seus principais parceiros musicais em composição?

Fernandinho do Acordeon: Acácio Fernandes, Júlio Santana, Jô Oliveira.

09) RM: Quem gravou as suas músicas?

Fernandinho do Acordeon: Produtor: Alex Tecla.

10) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Fernandinho do Acordeon: Sozinho não se consegue muitos resultados. Mesmo em uma carreira solo e independente temos que ter parcerias. E o principal é ter um público fiel. Temos poucas coisas a nosso favor. E estamos sempre dependentes de tudo e de todos.

11) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Fernandinho do Acordeon: Valorizo e priorizo o meu público e os meus contratantes. Tenho como grande aliada às redes sociais, divulgadores e parceiros que acreditam em meu trabalho. Revista Ritmo Melodia, Blog, TV, Etc.

12) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home estúdio)?

Fernandinho do Acordeon: As vantagens é que se você é um bom músico isso te fortalece no meio musical. As Desvantagens e que se você não e um bom músico isso te enfraquece no meio musical.

13) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Fernandinho do Acordeon: O forró vem enfrentando muitas mudanças. Os artistas estão tendo dificuldades em se manter no sucesso. Tenho como referência musical: Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Santanna – O cantador, Mastruz com Leite, Dorgival Dantas. Em minha opinião todos esses artistas são consistentes. Música e músicos bons, nunca regridem!

14) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado e etc)?

Fernandinho do Acordeon: Tive algumas! Tocar no sol em condições extremas. Brigas? Já presenciei brigas de casal que acabou com o forró. Gafes? Aquela de falar a palavra ou a frase indesejada na hora errada e no lugar errado. Público? Já toquei para todos os públicos que você possa imaginar. Receber cachê? Graças a Deus sempre tive sorte de receber pelos meus trabalhos. Cantadas? Já fui cantado algumas vezes.

Teve dois casos que são mais relevantes e engraçados (risos). Primeiro “causo”: Certa vez eu estava cantando e tocando sanfona, uma moça chegou e começou a se divertir e admirar meu trabalho, ai fizemos um pequeno intervalo, então ela me chamou de canto disse! Eu estava ali observando você cantar e tocar e fiquei pensando, será que você tem essa mesma pegada entre quatro paredes (risos) para não dizer aqui outra palavra! Fiquei pasmo com aquela declaração. Segundo “causo”: Eu também estava cantando e tocando e uma moça invadiu o palco e me beijou na boca me deixando com marca de batom e totalmente sem graça.

15) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Fernandinho do Acordeon: O que me deixa mais feliz é o reconhecimento e o carinho do meu público com o meu trabalho. O prazer de cantar e tocar uma boa música e manter as boas amizades. Eu amo a minha profissão. O que me deixa mais triste, eu vou relatar quando fui vitima de um roubo premeditado do meu Acordeon! Eu não consigo entender como tem pessoas capazes de um ato tão cruel. Mas a polícia conseguiu recuperar os instrumentos musicais que foram roubados.

18) RM: Você acredita que sem o pagamento do Jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Fernandinho do Acordeon: Sim. Acredito! As minhas músicas tocam em rádios de parceiros.

19) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Fernandinho do Acordeon: Que siga em frente, com determinação e perseverança Na vida nada e tão fácil, e nem tão difícil, quando se quer de verdade, e se faz com amor e carinho.

20) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Fernandinho do Acordeon: Não sei. Ainda não participei de Festivais de Música.

21) RM: Na sua opinião, hoje os Festivais de Música revela novos talentos?

Fernandinho do Acordeon: Apresentam grandes talentos.

22) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Fernandinho do Acordeon: A cobertura da cena musical feita pela grande mídia deixa a desejar. Temos bons artistas ainda no anonimato, que merecem ter um destaque nacional.

23) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Fernandinho do Acordeon: Acho bom. Eu já tive a oportunidade de fazer apresentações culturais e só tenho a agradecer.

24) RM: O circuito de Forró na cidade que você mora?

Fernandinho do Acordeon: Em São Paulo tem um movimento de Forró que eu respeito, mas não faço parte ainda, acompanho a distancia!

25) RM: Você teve seu Acordeon roubado. Você acha que alguns músicos são roubados premeditadamente por conta do alto valor do seu instrumento musical?

Fernandinho do Acordeon: Eu acho que quem rouba músicos, são pessoas ruins. Que se infiltram no meio musical para tentar destruir o sonho e a alegria do próximo.

26) RM: Quais os projetos futuros?

Fernandinho do Acordeon: Continua cantando e tocando para o nosso povão. Compor novas músicas. Gravar alguns clipes e fortalecer a nossa cultura Nordestina.

27) RM: Fernandinho do Acordeon, Quais os seus contatos para show e para seus fãs?

Fernandinho do Acordeon: http://www.fernandinhodoacordeon.com.br/ | (11) 98107 – 3706


Continua após a Publicidade
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.

Publicado Por
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa
    Continua após a Publicidade

Artigos Recentes

Companheiro Rock’n’Roll

Por Gladson Morais -  Jornalista, Poeta, Compositor Meu verso se perfumou de naftalina, sentou a…

% dias atrás

Banda Caminho Suave

A Banda Caminho Suave foi criada em 2008 em São Paulo - SP une uma…

% dias atrás

Banda União Rasta

A banda União Rasta já participou de muitos shows e alguns muitos importantes para a…

% dias atrás

Duo Benji & Rita

Em dezembro de 2019, os músicos Benji Kaplan e Rita Figueiredo chegaram ao Brasil, para…

% dias atrás

Tikinho do Brazil e Família Teocratas

O educador ambiental, palestrante cultural, paulistano Tikinho do Brazil que é também diretor da ONG…

% dias atrás

Telo Borges

Telo Borges iniciou sua carreira musical junto aos irmãos Lô Borges, Marilton Borges, Márcio Borges…

% dias atrás
Continua após a Publicidade

Este website usa cookies.