Continua após a Publicidade
Categorias: Entrevistas

Fabio Hammerick


O violonista, guitarrista e compositor paulistano Fabio Hammerick, aos 12 anos de idade já demonstrava seu interesse por música, aos 19 anos torna-se professor de Violão do Projeto Guri e também ingressa na Universidade Livre de Música (ULM) cursando Violão Erudito e participando da Camerata de Violões da mesma universidade.

Tocou em diversos lugares como Sala São Paulo, Teatro São Pedro, Memorial da América Latina, Festival de Inverno de Campos do Jordão – SP entre outros e tocando guitarra, integrou a Orquestra do Teatro Amácio Mazzaropi regida pelo maestro Walter Azevedo em que teve seus primeiros contatos com a música brasileira e o Jazz, ali também teve suas primeiras aulas de Harmonia com o próprio maestro Walter e com o baixista Mário Andreotti (Marinho-Jazz Sinfônica). Participou de diversos festivais de improvisação livre contemporânea,

curso ministrado por grandes nomes do cenário de música livre como Thomas Rohrer, Marcio Mattos, Javier Carmona, Rodrigo Montoya, Panda Gianfratti, Jonh Russel, Shefa Alonso, acabou por ingressar em um grupo orquestral que tem como proposta, difundir a música de improvisação livre, a S.P.I.O (São Paulo Improvisers Orchestra).

Teve aulas particulares de guitarra com Valmyr Tavares (cover Guitarra) e logo depois ingressou no Conservatório Souza Lima/Berklee em que teve aulas com grandes nomes como Pollaco, Lupa Santiago, Ciro Visconti, Walter Nery, Márcio Alves, Daniel Maudonnet, Ana Maria Vieira de Mello, Gilberto de Syllos, Carlos Ezequiel, entre outros, graduando-se em seu instrumento. Concluiu o curso de Licenciatura Plena em Música no Centro Universitário Sant’Anna – UniSant’Anna e é formado em guitarra pelo conservatório Souza Lima/Berklee. Atualmente faz aulas de composição.

Fabio Hammerick possui trabalhos em Duo, Trio e Quarteto produzindo releituras de grandes Standards do Jazz e da Música Brasileira além de acompanhar os cantores João Vitor e Edson Rocha (ambos com CDs lançados). Atuais projetos: Guitar Talks e com o Trio Releiturazz com Rafael Aragão (Contrabaixo) e Rafael Carvalho (Bateria). Ele professor de Guitarra particular e da Escola Companhia das cordas.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Fabio Hammerick para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 08.10.2021:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Fabio Hammerick: Nasci no dia 20.06.1980 em São Paulo – SP. Registrado como Fabio Lima Hammerick.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Fabio Hammerick: Acredito que foi ouvindo minha mãe cantando enquanto fazia os deveres de casa (risos). Ela gostava de cantar os sucessos da famosa era dos Festivais de música da TV Record, até hoje ela tem uma bela voz. Eu ficava prestando atenção aos contornos melódicos das músicas, isso já com 6 anos de idade.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Fabio Hammerick: Comecei a estudar violão no Projeto Guri aos 12 anos de idade (1992), depois fiz aulas particulares de guitarra com Valmir Tavares (antigo editor chefe da revista Guitar Class), estudei Violão Erudito na ULM – Universidade Livre de Música Tom Jobim em São Paulo e minhas graduações superiores em Guitarra foram na Faculdade Souza Lima / Berklee e Licenciatura Plena em Música pela UniSantanna. Atualmente meus estudos é com o professor Jack Lima através do seu Sistema Musical Definitivo – SMD. 

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Fabio Hammerick: Acredito que tudo que ouvimos contribui para nossa formação no geral, como todo garoto da década de 80, ouvia muito Ramones, Green Day, Offspring (hoje escutou pouco), os clássicos como Black Sabbath, Led Zepelin, Queen, Beatles, Van Halen, que ainda ouço e incentivo meus alunos a conhecerem até aquelas primeiras bandas que mencionei que não ouço mais. Atualmente escuto mais instrumental, como Jazz, música clássica, e sou apaixonado por nossa música brasileira, mas como disse anteriormente, quanto mais experiências sonoras tiver melhor.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Fabio Hammerick: Em setembro de 2000, foi quando eu comecei a dar aulas no Projeto Guri que é um programa da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo que visa atender pessoas que não podem pagar por um curso de música. Antes eu já me apresentava em diversos palcos de São Paulo tocando numa orquestra de Violões. A minha primeira remuneração veio das aulas.

06) RM: Cite os CDs que já participou tocando guitarra?

Fabio Hammerick: Gravei em novembro de 2019 meu primeiro EP de música instrumental com o Projeto Releiturazz, releituras (não cover) de clássicos do rock e pop numa linguagem jazzística junto com Rafael Aragão (Contrabaixo) e Rafael Carvalho (Bateria). As músicas do EP são: “Satisfaction” (Rolling Stones), “Light My Fire” (Doors), “Come As You Are” (Nirvana), “Californication” (Red Hot Chili Peppers), “Like A Stone” (AudioSlave). O EP foi gravado ao vivo na Fábrica de Cultura em São Paulo. Gravado por Júnior Santos, mixagem e masterização por Rafael Aragão, vídeos gravados por Luciano Amarante.

Participei como guitarrista nos CDs dos cantores: João Vitor que segue uma linha mais rock e que participou do Programa Raul Gil, e também do cantor Edson Rocha, um trabalho autoral voltado para a música brasileira e ritmos nordestinos.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

Fabio Hammerick: Difícil dizer, acredito ser mais fácil perguntar aos outros que me prestigiam tocar.

08) RM: Como é o seu processo de compor?

Fabio Hammerick: Não há apenas um processo, tem momentos que a ideia vem de uma melodia que vem em minha cabeça. Ou vem de uma progressão de acordes ou de uma linha de Baixo, pode ser até mesmo de um assunto que estou estudando no momento onde acaba por surgir um embrião musical.

09) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Fabio Hammerick: Atualmente ninguém. Porém tenho meus parceiros de produção e arranjos do meu projeto Releiturazz.

10) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente? 

Fabio Hammerick: A vantagem é a liberdade de fazer as coisas exatamente do meu jeito, tempo e lugar. A desvantagem atualmente é pela falta de estrutura para o músico se posicionar no mercado. Cenário que vejo que está mudando cada vez mais.

11) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco? 

Fabio Hammerick: Estou começando a estudar muito sobre gestão de tempo, empreendedorismo, marketing digital, oratória; creio que todos os músicos devam estudar esses temas também. Geralmente e infelizmente não vemos esses assuntos numa Faculdade de Música.

12) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Fabio Hammerick: Produzir cada vez mais material: vídeos aulas no meu canal Guitar Talks, vídeos de performance e vídeos com o projeto Releiturazz e divulgo nas mídias sociais.

13) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento da sua carreira musical?

Fabio Hammerick: Não vejo que internet prejudique; ela ajuda muito se usada com inteligência, a se posicionar e se destacar no mercado, o maior palco do mundo está aí… o que prejudica é o mau uso das redes sociais.

14) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Fabio Hammerick: As vantagens do home estúdio são várias, você tem tudo em casa e produz no seu tempo, porém o custo para montar um home estúdio ainda é alto.

15) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Fabio Hammerick: Teve várias situações inusitadas citadas na pergunta, mas uma que me lembro bem foi de tocar sem ensaio com um grupo de dançarinos, imagina só, os coitados nem sabiam sobre as músicas, convenções, breques etc… as vezes, quando parávamos, eles tinham que interromper abruptamente a dança deles.

Outra vez, entrou uma abelha dentro de minha garrafa de Coca-Cola enquanto estávamos tocando numa praça no interior de São Paulo. Minha garrafa estava com a tampa aberta e deixei em cima do amplificador, e vire e mexe, dava umas talagadas, em algum momento a abelha entrou na garrafa, imagina, quando fui tomar ela veio junto, deu uma ferroada na minha língua, tudo isso no meio da apresentação… foi um show inesquecível (risos). 

16) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Fabio Hammerick: O que me deixa triste é ver como é desrespeitada a nossa classe artística brasileira. No início da carreira dessa linda profissão, geralmente existem ideias romantizadas sobre o que é ser um músico ou artista. Essa carreira que me sinto abençoado em ter como sustento, existe uma verdade, que muitas vezes não é nada bonita, mas que é preciso ver, para entender como as coisas funcionam. Eu, digo para meus alunos que estão querendo se profissionalizar, que a música em si, é sublime, eleva o ser humano, o negócio que criamos e fazemos sobre essa arte é que é defeituoso. Minha maior alegria é ver que estamos progredindo aos poucos em ter esse negócio tratando nossa classe de uma forma mais digna. 

17) RM: Você acredita que sem o pagamento do Jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Fabio Hammerick: Infelizmente sempre teve o pagamento de jabá, porém com as novas mídias essa prática já está perdendo força. Claro que com uma gravadora ou selo grande isso se torna muito mais fácil. É preciso uma equipe para que sua obra chegue mais longe sabe? Sozinho é mais difícil, não impossível.

18) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Fabio Hammerick: Dedicação com inteligência a sua imagem e posicionamento no mercado musical. Procure se atualizar e seja sempre sincero, humilde e disposto a aprender com quem realmente pode te ajudar, existe muito picareta por aí.

19) RM: Quais os guitarristas que você admira?

Fabio Hammerick: Pat Martino, Helio Delmiro, Toninho Horta, Ron Afiff, Barry Galbraith, Joe Satriani, entre outros… a lista é gigante.

20) RM: Quais os compositores eruditos que você admira?

Fabio Hammerick: Bach, Haydin, Mozart, Brahms, Beethoven, Heitor Villa-Lobos, Erik Satie, entre outros.

21) RM: Quais os compositores populares que você admira?

Fabio Hammerick: Milton Nascimento, Gilberto Gil, Chico Buarque, Djavan, Fernando Brant, Joyce Moreno, a lista é enorme…

22) RM: Quais os compositores da Bossa Nova você admira?

Fabio Hammerick: Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Ronaldo Bôscoli, Francis Hime, Joao Donato, entre outros.

23) RM: Nos apresente seus métodos de Guitarra.

Fabio Hammerick: Possuo um método chamado Guitarra I em que abordo diversos conceitos, desta técnica, fundamentos (acordes, arpejos e escalas) e repertório.

24) RM: Quais as principais técnicas que o aluno deve dominar para se tornar um bom Guitarrista?

Fabio Hammerick: No geral o aluno deve aprender todas as técnicas, mas depende dos objetivos de cada aluno.

25) RM: Quais os principais vícios e erros que devem ser evitados pelo aluno de Guitarra?

Fabio Hammerick: A guitarra, assim como qualquer outro instrumento, além do próprio estudo da música, requer comprometimento, sinceridade e respeito. De maneira similar ao se comprometer com uma pessoa que amamos, em que precisamos de tempo, dedicação, organização, respeito e principalmente amor, o estudo do instrumento será realmente eficaz se considerar esses itens acima.

26) RM: Quais os principais erros na metodologia de ensino de música?

Fabio Hammerick: O principal erro de metodologia de ensino de música é não mostrar a música como uma linguagem. No geral muitos alunos não param para simplesmente apreciar música e não procuram entender como ela funciona, independente do instrumento que toca.

27) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Fabio Hammerick: O Dom é simplesmente o empenho, disciplina e entrega que a pessoa coloca naquilo que deseja, há algumas pessoas que possuem mais aptidão para música e outras não. Mas onde há comprometimento há obra. Isso para qualquer coisa.

28) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Fabio Hammerick: Esse nome improvisação está perdendo o sentido, eu prefiro usar o termo conversação, o que nos remete a uma nova abordagem sobre o tema.

29) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical?

Fabio Hammerick: Vejo que os métodos não estimulam o aluno a raciocinar sobre o que toca, ele apenas toca, frases prontas.

30) RM: Existe improvisação musical de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Fabio Hammerick: Para mim é algo estudado, como disse antes, já que vejo a música como linguagem, numa conversa normal entre duas pessoas, não tem como

inventar na hora um Alfabeto, sílabas, palavras, frases, a conjugação de tudo isso, essas coisas são aprendidas antes, através de diversos recursos, o mais natural de todos é o da escuta primeiramente.

31) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o Estudo de Harmonia musical?

Fabio Hammerick: A maioria dos métodos visa apenas a ensinar técnicas de Harmonia, vi apenas um livro do Ian Guest (Harmonia Funcional) em que o autor conseguiu com maestria a fusão entre o repertório popular e a aplicação de todos esses conteúdos que precisamos aprender sobre o assunto.

32) RM: Quais os métodos que você indica para o estudo de leitura à primeira vista?

Fabio Hammerick: Tem um livro do Nelson Faria que trata justamente desse ponto e que recomendo.

33) RM: Como chegar ao nível de leitura à primeira vista?

Fabio Hammerick: Com um método, instrutor e muita prática, quanto mais situações que você se colocar para ler, mais proficiência terá.

34) RM: Quais os seus projetos futuros?

Fabio Hammerick: Lançar meu canal de aulas chamado “GuitarTalks”, gravar meu segundo EP do meu projeto instrumental Projeto Releiturazz: Fábio Hammerick (Guitarra), Rafael Aragão (Contrabaixo), Rafael Carvalho (Bateria).

35) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs? 

Fabio Hammerick: https://www.instagram.com/fabiohammerick

| https://www.instagram.com/talksguitar

| https://www.instagram.com/projeto_releiturazz

Escutar o EP do Projeto Releiturazz: https://releiturazz.bandcamp.com/releases

Canal: https://www.youtube.com/channel/UChKMkiddEL97kvEIipUeNSA 

Apresentação Trio: https://www.youtube.com/watch?v=bY8E-wIJsQw 

Fábio Hammerick Trio – Boa Hora: https://www.youtube.com/watch?v=_LuqCivY_Xs 

Playlist: https://www.youtube.com/watch?v=ZDP5Ra62sr0&list=PLn5PovmHKNOuyGGcnafgcWXKBBSlkvupB 

Canal Projeto Releiturazz: https://www.youtube.com/channel/UC6nfpqk0ZEqt8hztahjVBUw 

Satisfaction (Rolling Stones) by Projeto Releiturazz: https://www.youtube.com/watch?v=7sRNTAPEW6s 

Light My Fire (Doors) by Projeto Releiturazz: https://www.youtube.com/watch?v=nngVxjAj0MA 

Come As You Are (Nirvana) by Projeto Releiturazz: https://www.youtube.com/watch?v=CdKDin5s7y8 

Californication (Red Hot Chili Peppers) by Projeto Releiturazz: https://www.youtube.com/watch?v=k7yREIIIEBA 

Like a Stone (AudioSlave) by Projeto Releiturazz: https://www.youtube.com/watch?v=O12AMRex7iw 

Playlist: https://www.youtube.com/watch?v=QyFiy0V8DG8&list=PLnvEJWu8dF3HYl297cdw-MfOwbjWuX4TO 

Canal Guitar Talk’s by Fabio Hammerick: https://www.youtube.com/channel/UC0_TRxrOfulngworifMlbBA


Continua após a Publicidade
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.

Disqus Comments Loading...
Publicado Por
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa
    Continua após a Publicidade

Artigos Recentes

Allan Canon

O músico, cantor, compositor paulista Allan Canon, nascido em 1982, em São Bernardo do Campo,…

% dias atrás

Bilora

Valmir Ribeiro de Carvalho, nome artístico Bilora, nasceu em Santa Helena de Minas, Vale do…

% dias atrás

Oliveira de Panelas

O poeta, repentista, escritor, cantador pernambucano, Oliveira de Panelas (Oliveira Francisco de Melo) aos 08…

% dias atrás

Biah Carfig

Atriz, cantora, produtora, mineira Biah Carfig, fez teatro no Conservatório Carlos Gomes na cidade de…

% dias atrás

Banda Melaninaemsi

A banda Melaninaemsi de Paulo Afonso-BA, teve início em março de 2020 que por sinal…

% dias atrás

Wilson Dias

Quando a vida legitima a arte. Muitos elementos contribuem para a formação e o desenvolvimento…

% dias atrás
Continua após a Publicidade

Este website usa cookies.