More Esmeralda Frizzo »"/>More Esmeralda Frizzo »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Esmeralda Frizzo


A gaúcha Esmeralda Frizzo é pianista/compositora do grupo de música instrumental Ária Trio, formado no ano de 2000, junto à Ricardo Biga na harmônica e Tomas Savaris ao violão.

Um ano antes, em 1999, fundou em Caxias do Sul – RS a escola Teclas & Cordas – Cursos de Música, sendo sócia/diretora, aonde também ministra os cursos de Piano, Teclado e Musicalização Infantil. Começou os estudos de música ainda pequena com 5 anos de idade, no curso de acordeon e em seguida o de piano. Formou-se em Artes Cênicas (Lic. Plena), pela Universidade Federal de Santa Maria, aonde também cursou Piano Bacharelado.

Atuou na Cia Retalhos de Teatro/RS. Especializou-se em Psicopedagogia, pelo IESDE/Universidade Castelo Branco/RJ, e desde então dedica-se a pesquisa da musicalização e o desenvolvimento infantil.

Em 2016 compôs e produziu a trilha sonora do espetáculo teatral “Um dia, Uma Palhaça” dirigido por Ana Fuchs. Com o Ária Trio, em 2009 lançaram seu primeiro álbum “AD LIBITUM”; em 2015 o “ÁRIA TRIO II” e, 2018, o “O INIMIGO” CD da trilha sonora do curta-metragem homônimo, dirigido pelo recifense Marcos Costa e pelo carioca Alexandre Lima.

Atualmente estão gravando com Ária Trio, um novo álbum – “Presente Perfeito”, com lançamento para 2022.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Esmeralda Frizzo para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 23.05.2022:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Esmeralda Frizzo: Nasci no dia 10 de março em 1975 em Canela – RS.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Esmeralda Frizzo: Meu padrinho Fernando Candiago, que morava no Rio de Janeiro, sonhou que eu estava tocando acordeon e ficou entusiasmado com a ideia. Quando veio me visitar aqui em Caxias do Sul – RS, fomos até a antiga Fábrica de Acordeões Universal e me presenteou com um acordeon de 40 baixos. Era vermelho, lindo! Assim, comecei meus estudos musicais com 5 anos de idade, continuei cursando e me apaixonando por essa arte!

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Esmeralda Frizzo: Sou formada em Educação Artística, Licenciatura Plena -Habilitação em Artes Cênicas, pela UFSM – Universidade Federal de Santa Maria e minha especialização (Lato-Senso) em Psicopedagogia – IESDE/Universidade Castelo Branco – Rio de Janeiro, quando pesquisei a Musicalização e o Desenvolvimento Infantil. Inúmeros cursos de aperfeiçoamento com mestres da educação musical no Brasil, destaco Elvira Drummond, Renato Epstein; Margarete Darezzo, Carmem Metting Rocha; Estevão Marques, Lucas Ciavatta, entre outros.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Esmeralda Frizzo: Meu contato maior com a música foi quando comecei estudar música ainda pequena (5 anos de idade). Minha professora me passava músicas de diferentes estilos (boleros, tangos, música clássica, valsas, música gaúcha). Ao crescer fui me identificando muito com a música erudita, mas aprecio todos estilos.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Esmeralda Frizzo: Comecei a lecionar música ainda muito jovem com 12 para 13 anos, como estagiária, na escola aonde estudava. Em 1994 passei no vestibular para UFSM – Universidade Federal de Santa Maria e em 1995 para Música – Bacharelado em Piano. Por motivos de saúde na família, assim que terminei a primeira faculdade, voltei para Caxias do Sul. Em seguida abri a escola “Teclas & Cordas – Cursos de Música” que está já com 23 anos. Paralelamente às aulas de música, no ano 2000, montamos o “Ária Trio”, grupo de música autoral instrumental. Atualmente a formação do “Ária Trio” conta com o gaitista Ricardo Biga, o violonista Tomás Savaris e eu ao piano.

06) RM: Quantos CDs lançados? Cite os CDs que já participou como Tecladista/Pianista?

Esmeralda Frizzo: Com o grupo Ária Trio lançamos os seguintes: CD – “Ad Libitum”Ária Trio (Como pianista e coprodutora). CD – “Ária Trio II” – Ária Trio (Como pianista e coprodutora). CD – “O Inimigo” – Ária Trio (Como pianista). Também: Trilha sonora do espetáculo teatral “Um dia, Uma Palhaça” (criação e produção). Estamos (o Ária Trio), gravando mais um CD, com lançamento ainda para 2022.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

Esmeralda Frizzo: É uma mistura de minhas influências da infância, com certeza a maior é a erudita.

08) RM: Como é o seu processo de compor?

Esmeralda Frizzo: Para compor deixo-me levar pelas notas, o que quero dizer é que priorizo minhas inspirações, depois vou ver qual é o ritmo, compasso, tonalidade, enfim, os aspectos teóricos musicais.

09) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Esmeralda Frizzo: No Ária Trio, meu grupo, temos como prática entregar as composições e trabalhá-las depois em conjunto. Então meus parceiros são o Ricardo Biga e o Tomás Savaris.

10) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Esmeralda Frizzo: Trabalhar de forma independente dá a possibilidade de você criar suas músicas e seu trabalho musical com liberdade, o que é maravilhoso. Mas por outro lado, tem-se que ter muito planejamento para poder concretizá-lo, visto os custos, ainda mais nesse período em que estamos vivendo.

11) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Esmeralda Frizzo: Tento manter um número específico de alunos, para conseguir viver e administrar a Teclas & Cordas. No Ária Trio, estamos aproveitando esse período para criar, estudar, ensaiar e gravar.

12) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Esmeralda Frizzo: Faço cursos de aperfeiçoamento, principalmente na área de educação musical.

13) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento da sua carreira musical?

Esmeralda Frizzo: Acho que ela permite uma boa divulgação, isso contribui muito para o trabalho musical.

14) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Esmeralda Frizzo: A grande vantagem está no conforto em gravar quantas vezes forem necessárias e também na experimentação.

15) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Esmeralda Frizzo: São as composições instrumentais com a combinação do piano com violão e harmônica de boca; essa formação é incomum diferenciando-se dos outros grupos de música instrumental. Aprecio muito essa sonoridade.

16) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais artistas permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Esmeralda Frizzo: O Brasil tem muitos talentos, por isso a importância da revista “RitmoMelodia”, por exemplo, para destacar grupos e artistas brasileiros. Agora os shows estão sendo retomados e estou feliz em ver artistas consagrados como Ney Matogrosso ainda estarem na ativa!

17) RM: Como você analisa o cenário da música instrumental brasileira. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas e quais permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Esmeralda Frizzo: Existem vários grupos bons, nosso país é muito grande e muito rico culturalmente, porém a música instrumental ainda é menos valorizada do que os outros estilos musicais. Os destaques são passageiros ou conseguem um menor público fiel.

18) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Esmeralda Frizzo: Admiro muito o maestro João Carlos Martins pela sua força e seu amor pela música, e, na educação musical a querida Elvira Drumoond, tem um trabalho exemplar na pesquisa e desenvolvimento de métodos para crianças, jovens e professores.

19) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado, etc)?

Esmeralda Frizzo: Foi em uma apresentação do Ária Trio em Porto Alegre – RS. Após uns 20/25 minutos tocando, algumas teclas do piano que era muito antigo, ao serem acionadas não voltavam para cima, prejudicou-me na execução. Teve outra situação em que iríamos tocar em São João Del Rei em Minas Gerais, estava chegando a hora de começarmos o show e o piano ainda não tinha chegado no local.

20) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Esmeralda Frizzo: Com certeza, poder trabalhar com o que eu amo é o que me deixa mais feliz. Tocar, compor e poder lecionar música se complementam e me dão muita alegria. Fico decepcionada ao ver que ainda existem pessoas que não consideram música como trabalho.

21) RM: Quais os estudos técnicos para independências das mãos? Quais os estudos técnicos para o desenvolvimento da técnica das “três mãos” mão esquerda fazendo a linha do Baixo, a mão direita fazendo acordes e melodia?

Esmeralda Frizzo: Desde Hanon, Beringer aos estudos de J. S. Bach, Chopin e outros. O interessante é conseguir igualar o trabalho das mãos e praticar até conseguir a independência entre elas.

22) RM: Você acredita que sem o pagamento do Jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Esmeralda Frizzo: É pequeno o espaço para a música instrumental, não acredito no pagamento de jabá.

23) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Esmeralda Frizzo: Faça o que ama com dedicação e profissionalismo.

24) RM: Quais os Pianistas e Tecladistas que você admira?

Esmeralda Frizzo: O Maestro e pianista João Carlos Martins, Olinda Alssandrini e Nahim Marum.

25) RM: Quais os compositores eruditos que você admira?

Esmeralda Frizzo: Beethoven, Mozart, Villa Lobos, Bach.

26) RM: Quais os compositores populares que você admira?

Esmeralda Frizzo: Ivan Lins, Nei Mato Grosso, Osvaldo Montenegro, Elton John, entre outros.

27) RM: Quais os compositores da Bossa Nova que você admira?

Esmeralda Frizzo: Carlos Jobim, Noel Rosa, Vinicius de Moraes.

28) RM: Quais os compositores do Jazz que você admira?

Esmeralda Frizzo: Ray Charles, Hermeto Pascoal, Renato Vasconcellos.

29) RM: Nos apresente seus métodos para Teclado? Quais dos seus métodos que estão à venda?

Esmeralda Frizzo: Minhas pesquisas e estudos não foram ainda editados, quem sabe mais adiante…

30) RM: Quais as principais diferenças entre as técnicas de Piano e Teclado?

Esmeralda Frizzo: São estilos muito diferentes em relação a interpretação, visto o piano ser um instrumento que traz uma história de sensibilidade, de controle de força e movimento, inventado em 1709 por Bartolomeo Cristofori, justamente para trazer o “piano” e o forte”; além de que os teclados atuais têm uma infinidade de efeitos para serem aplicados de inúmeras formas.

31) RM: Quais as principais técnicas que o aluno deve dominar para se tornar um bom Pianista/Tecladista?

Esmeralda Frizzo: O entendimento da teoria musical e suas aplicações aliados aos exercícios práticos diários. Mas acredito que a forma correta de estudar traz mais benefício do que ficar horas e horas sobre uma mesma música ou estudo de escalas e arpejos. Saber dosar o tempo, perceber suas dificuldades, praticar com as mãos separadas, observar o melhor dedilhado, isso tudo ajuda muito para que o pianista/tecladista chegue ao seu objetivo.

32) RM: Qual a importância dos conhecimentos tecnológicos para o Tecladista?

Esmeralda Frizzo: É importante o músico estar atualizado, quanto maior for seu conhecimento maior será sua capacitação.

33) RM: Você é adepto ao uso de VST e VSTI? Quais você indica para o Tecladista?

Esmeralda Frizzo: Considero-me mais pianista do que tecladista, não utilizo tais ferramentas (VST e VSTI).

34) RM: Quais os Teclados que você indica atualmente? Quais os Pianos Digitais que você indica atualmente?

Esmeralda Frizzo: A indicação de pianos ou teclados depende muito da intenção do aluno, qual seu objetivo dentro do estudo da música e suas aspirações.

34) RM: Quais os principais vícios e erros que devem ser evitados pelo aluno de Piano/Teclado?

Esmeralda Frizzo: Acho que todos temos algo para melhorar seja na execução técnica ou expressividade, o que não aprecio, é justamente a forma que muitos rotulam ou depreciam o trabalho do outro.

35) RM: Quais os principais erros na metodologia de ensino de música?

Esmeralda Frizzo: Não levar em conta quais são os verdadeiros objetivos do aluno.

36) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Esmeralda Frizzo: Acredito em Gardner quando afirma que todos nascemos com a habilidade musical e que ao passar do tempo, podemos desenvolvê-la ou adormecê-la. Não acredito no dom como as pessoas se referem, acho que o meio em que se vive e o estudo são a resposta para àquelas crianças ou pessoas que mostram uma aptidão musical diferenciada.

37) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical? Qual a definição de Improvisação para você?

Esmeralda Frizzo: É a habilidade de criar musicalmente e dar forma aos seus sentimentos daquele exato momento através do som!

38) RM: Existe improvisação de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Esmeralda Frizzo: O conhecimento auxilia na performance da improvisação, é uma combinação do estudo com a experimentação do momento.

39) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o Estudo de Harmonia musical? Quais os métodos que você indica para o estudo de leitura à primeira vista? Como chegar ao nível de leitura à primeira vista?

Esmeralda Frizzo: Sobre as questões de métodos: Não existe um método perfeito, todos aprendem de formas diferentes assim, manter o mesmo para todos alunos não funciona. O professor deve entender seus alunos e pesquisar a maneira mais adequada para que cada um deles, desenvolva musicalmente levando em conta suas aptidões e suas dificuldades.

40) RM: Quais as principais diferenças entre o Piano e o Teclado?

Esmeralda Frizzo: São muito diferentes, desde a sonoridade, forma de expressividade, recursos; assim como o violão está para a guitarra.

41) RM: Você toca outros instrumentos musicais?

Esmeralda Frizzo: Sim, instrumentos musicalizadores, flauta e alguns de percussão.

42) RM: Quais os seus projetos futuros?

Esmeralda Frizzo: Estou gravando mais um álbum com o Ária Trio, lançamento previsto ainda para 2022.

43) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Esmeralda Frizzo: https://www.instagram.com/esmeraldafrizzo

| https://www.instagram.com/aria.trio

| https://www.facebook.com/esmeralda.frizzo

| https://www.facebook.com/teclasecordascursosdemusica

| https://www.facebook.com/ariatriocxs

Canal do Ária Trio: https://www.youtube.com/channel/UCfiKLU25yrohOnzuHvcEYzg

ÁRIA TRIO – Sob a luz da lua (ao vivo no Teatro Pedro Parenti 01.07.2015): https://www.youtube.com/watch?v=x78rECdA3rg


Comments · 2

  1. Que história linda dessa grande musicista. Parabéns pelo seu lindo trabalho, Esmeralda Frizzo!
    Valeu ilustre jornalista/músico e amigo, Antonio Carlos, pela excelente matéria na Ritmo Melodia!

    1. Obrigada querido Dudé Viana! Fiquei muito feliz e honrada com suas palavras. Um abraço carinhoso!

Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.
Notícias por WhatsApp