More Edu Ares »"/>More Edu Ares »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Edu Ares


Do Brasil para o Mundo: Artista brasileiro faz sucesso cantando samba nos EUA. Edu Ares tem seu trabalho sendo reconhecido no exterior e já abriu shows de outros grandes artistas nas cidades americanas.

O Brasil é muito conhecido pelos seus ritmos musicais e pelas vozes desses estilos, que são tão acalentadores e precursores de muitas outras vertentes mundo afora. Com a chegada da pandemia e da crise, o setor cultural foi e ainda é um dos que mais sofre com esse contexto, fazendo com que diversos artistas apostem em shows internacionais para voltarem aos palcos.

Um grande exemplo dessa enorme referência que somos para o resto do mundo é o samba, estilo já consagrado e adorado pelos gringos. Foi justamente pensando em levar nossa cultura para o exterior e ir na contramão da situação do Brasil, que o brasileiro e cantor Edu Ares se tornou um marco nos Estados Unidos. “Eu nasci em São Paulo, estudei e cresci em Nova York e hoje vivo em Orlando. Me divido entre um país e outro para visitar amigos e família”, conta o cantor.

Durante sua carreira solo, Edu coleciona boas histórias de shows e artistas que conheceu. Xanddy, cantor do “Harmonia do Samba”, foi um dos primeiros com quem fez uma parceria e a o ajudar em sua carreira. Rodriguinho, ex “Os Travessos”, também é lembrado com admiração e carinho pelo músico.

Quando perguntado sobre suas maiores dificuldades em outro país, é direto: “Acabei abdicando de muita coisa na minha vida, muita coisa para sair do Brasil, para tentar uma luz no fim do túnel. Hoje, mesmo com a situação um pouco melhor, ainda rola alguns perrengues, faz parte da vida”. Já em tom de brincadeira, confessa que tem muita dificuldade para lembrar letras de música: “Misturo amor com ardor, café com pois é, mas agora eu estou usando a tecnologia ao meu favor”.

Essa mistura do Brasil com a terra do tio Sam não poderia resultar em outra coisa: um estilo eclético que mistura o nosso samba com soul music. Quando perguntado sobre suas referências, cita grandes nomes dos dois países que realmente fazem jus à sua personalidade musical. Tim Maia, Fundo de Quintal e James Brown, são algumas das fontes de inspiração de seu trabalho.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Edu Ares para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 12.08.2022:

01) RitmoMelodia: Qual sua data de nascimento e cidade natal?

Edu Ares: Nasci no dia 09/03/1983 em São Paulo – SP. Registrado como Eduardo da Costa.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música?

Edu Ares: Desde criança, meu pai tinha grupo de Pagode, meus tios tocavam, então sempre tive esse contato com a música no seio da minha família.

03) RM: Qual sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Edu Ares: Não tenho formação musical e acadêmica sou formado em Hotelaria e Turismo. Eu, trabalhei no hotel Valência College nos Estados Unidos.

04) RM: Quais suas influências musicais no passado e presente? Quais deixaram de ter importância?

Edu Ares: Grupo Fundo de Quintal, Zeca Pagodinho, Beth Carvalho, Almir Guineto, depois que mudei para os Estados Unidos comecei a ouvir também soul music como: Stevie Wonder, Al Green.

05) RM: Quando, como e onde você começou sua carreira musical?

Edu Ares: Em São Paulo, na escola tinha um grupo aonde fizemos um desafio escolar e ganhamos com uma música de minha autoria. Eu deveria ter por volta de 11 anos de idade (1994) e montamos um grupo, e começamos tocar nas noites.

06) RM: Quantos Céus lançados?

Edu Ares: Lancei três álbuns. O primeiro – “Esse sou eu”, com produção de Helder Celso. O segundo “Paguei pra vê”, com produção de Rogério Lima e David Douglas. O terceiro um EP.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Edu Ares: Samba, porém vamos ramificando e costumo dizer que cada um coloca sua pitada, mas no geral todos cantamos Samba.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Edu Ares: Estudo até hoje, meu professor chama-se Samuel Sabino.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Edu Ares: A importância é tudo na vida do cantor e tudo que você se propôs a fazer você tem que se prontificar, pelo menos entender do assunto, estudar. Então, se você quer compor, deve estudar os compositores de nome, ler partitura, o talento e o estudo andam juntos.

10) RM: Quais são as cantoras (es) que você admira?

Edu Ares: No Samba tinha muito apreço e referência do Mário Sérgio (Grupo Fundo de Quintal), seu timbre de voz da forma como ele cantava, Roberto Ribeiro. Hoje gosto muito de Ed Motta, Jorge Vercillo, são os caras que tem uma voz legal.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Edu Ares: Meu processo de criar canção é basicamente por inspiração. Muitas vezes são histórias dos outros, muitas vezes a minha história, mas sempre vem a melodia na mente, daí chamo um parceiro ou faço sozinho a letra. Eu não tenho uma fórmula ou falo: “vou sentar para compor”. Mas se eu pegar para fazer, eu faço s música, mas não que seja um método, mas a qualquer hora, a qualquer dia ou momento a inspiração vem de todos os lados.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Edu Ares: Eu não diria principal, mas talvez você está andando mais junto com uma pessoa ou com outra, que também gosta de escrever, e acontece a parceria musical, mas não tenho tipo: “é esse cara aqui”. Hoje não tenho um parceiro específico.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Edu Ares: Bom, alguns grupos já gravaram músicas minha, alguns cantores de bairros ou fora do bairro também gravaram algumas músicas minha.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Edu Ares: Todo risco é seu, toda responsabilidade é sua, a cara para bater é sua, então é isso aí. Você não divide responsabilidades, como se você morasse sozinho e tem que pagar luz, água, etc. É a mesma coisa quando falamos de música tudo que tem que ser feito depende de ti, tanto financeiramente como na responsabilidade.

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora dos palcos?

Edu Ares: Eu não tenho uma estratégia pronta ou algo que eu posso dizer “essa é a meta “. Eu sou da filosofia de que cada um no seu quadrado: o cantor canta, o divulgador divulga, produtor produz, eu sou dessa forma. Acredito muito em trabalho em equipe, mesmo que eu tenha um pensamento do que eu quero para a minha carreira, muitas vezes eu fico meio que incluso do que recluso de querer executar por não ser algo que eu tenha muito conhecimento. Muitas vezes eu prefiro ter um profissional que saiba e juntos formamos uma ideia bacana no futuro.

16) RM: Quais são as ações empreendedora que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Edu Ares: Tudo que é necessidade hoje, uma boa assessoria, ter redes sociais ativas e está acompanhando a forma como o mundo está andando.

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira musical?

Edu Ares: Acredito que a internet mais ajuda do que atrapalha. Antigamente você não conseguia gravar um disco com tanta facilidade e muito menos divulgar, hoje em dia não é uma coisa restrita a rádio, a Dj ou lojas de discos ou CDs. A internet só ajudou.

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do fácil acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Edu Ares: Vantagem: é exatamente hoje em dia conseguirmos gravar músicas e depois divulgar. Desvantagem: acabou dando margem a entrada de não profissionais do ramo, muita gente que acha que pode e deve fazer e não faz.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Edu Ares: O grande lance é você ser autêntico, e ter um som único. A ideia que prevalece é você ter uma identidade, independe do gênero que você cante.

20) RM: Quais os artistas já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Edu Ares: O grupo Sorriso Maroto, no nosso gênero é um grande exemplo, de profissionalismo e qualidade, por ser um grupo que se mantém a tantos anos.

21) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Edu Ares: Já aconteceu de tudo citado na pergunta. Fui fazer um show em um casamento em uma cidade e o pessoal da harmonia (Violão e Cavaquinho) não foram tive te tocar só com batucada (percussões) e tive que colocar o noivo para tocar violão. Já tivemos que ir tocar e voltar de madrugada e não ter ônibus circulando e voltarmos a pé com as caixas de som nas costas. Eu, já cai do palco e toquei com a perna quebrada. Já fui cantar e não tinha público, somente um segurança que não gostava do som e me mandou parar e ainda disse: “é por isso que não vai vim ninguém nesse show” (risos).

22) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Edu Ares: O que me deixa mais triste na carreira musical é a luta que travamos para não desistir. Temos que ter muita perseverança, e não é todo dia que temos, o dia a dia não te deixa lutar com tanta facilidade, as oportunidades são poucas ou as vezes não estamos no lugar certo e na hora certa. Acredito que isso seja o que mais me entristece. O que me deixa mais feliz é o aprendizado de cada ano que se passa aprendemos mais e se profissionalizando mais e isso não tem preço.

23) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Edu Ares: Existe o dom, muita gente tem o dom de cantar, de jogar bola, etc, porém não acredito que seja a base ou que seja o único fator para o sucesso. Eu defino como uma dadiva de Deus.

24) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Edu Ares: A gente que é do Samba já nascemos com a improvisação, somos acostumados com a improvisação, desde do grupo Fundo de Quintal, Cartola já veio meio que essa improvisação. Acredito que o Samba tenha esse jeito mais solto, mais largado, mais despojado e muita coisa se criava na hora.

25) RM: Existe improvisação musical de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Edu Ares: Existe, mas muita coisa é estudada, e aplicada depois, a improvisação é natural, mas pensando e aplicado depois.

26) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical?

Edu Ares: Os prós é que legal e gostoso ter uma malemolência e desenrolando melhor para qualquer situação. Contra: acho que as pessoas confundem improvisação com desleixo e achar que não se preparando vai ter êxito, achar que a improvisação vai ser maior que preparação anterior, o estudo.

27) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o Estudo de Harmonia musical?

Edu Ares: Eu não acho que tenha contra estudar Harmonia, é só prós o entendimento, a coordenação, a matemática envolvida e a concentração te ajuda para a vida.

28) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Edu Ares: É difícil dizer, eu acho que quando a pessoa fala de pagar o jabá, eu vejo os dois lados da coisa. A rádio que esteja tocando a sua música precisa de manutenção através do dinheiro, mas deixaram de pensar dessa forma e começaram a pegar como propina e foi aí que a coisa debandou.

29) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Edu Ares: Não faça, que é sofrida em todos os aspectos. Existe preconceito e a família não ajuda, a esposa e será cobrança por 24 horas. Mas se com todos esses contras você ainda conseguir alcançar seu objetivo será uma vida maravilhosa.

30) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Edu Ares: Eu não vejo contra nenhum em Festival de Música. Festivais de música deveriam ter muito mais, inclusive, por se uma porta de oportunidade para muitos músicos mostrarem seu trabalho e termos mais cantores de Rock, de RAP para gente ter mais banda de Forró, etc. O festival musical é uma grande ajuda ao profissional anônimo.

31) RM: Festival de Música revela novos talentos?

Edu Ares: Festiva de música revela novos talentos, eu nunca participei de um, mas acredito que participaria se tivesse oportunidade.

32) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Edu Ares: A cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira é muito grande e muito boa, independente do segmento, acredito que quando a grande mídia quer fazer, ela faz.

33) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Edu Ares: Maravilhosos espaços, é uma coisa que toda empresa deveria fazer.

34) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical no exterior?

Edu Ares: Contra: por ser um cenário diferente e você precisa se adaptar e o prol é só alegria, pois conseguimos expandir nosso trabalho.

35) RM: Quais os seus projetos futuros?

Edu Ares: Projetos para o futuro, é tentar colocar a música na cabeça do povo o máximo que eu puder e enquanto eu tiver força e saúde para fazer, eu continuarei a fazer o que eu amo. E sem muita pretensão de nada, eu já tive muitas expectativas, mas a vida vai ensinando e amadurecemos para saber se tiver que ser, será.

37) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Edu Ares: https://www.instagram.com/eduaresoficial

| https://web.facebook.com/eduaresoficial

Carol Freitas Assessoria: (11) 98110 -6493 | [email protected]

Canal: https://www.youtube.com/c/EduAresOficial

Melodia do Meu Samba – Edu Ares: https://www.youtube.com/watch?v=MZ43V6OMkmA

Playlist do álbum “Esse sou Eu”: https://www.youtube.com/watch?v=Dw6CSelR5hg&list=PL4ORaD2WtGBfC1_pZgmdP9wNI85BNSQs1


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.
Notícias por WhatsApp