More Clayton Gama »"/>More Clayton Gama »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antônio Carlos da Fonseca Barbosa.

Clayton Gama


Clayton Gama é filho de nordestinos, seu pai Antônio é tocador de sanfona por hobby. Clayton começou a tocar sanfona com 12 anos de idade pegando dicas com seu pai, já no ano seguinte aos 13 anos começou a se apresentar em bares e casas de shows em São Paulo.

Desde pequeno foi influenciado pela música de Dominguinhos, Sivuca, Oswaldinho do acordeon, Hermeto Pascoal, Jacob do Bandolim, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Frank Marocco, Art Van Damme, Djavan, Tom Jobim, entre outros. Aos 15 anos, Clayton Gama fez sua primeira turnê em Aracaju, Sergipe com o cantor João da Passarada. Retornando a São Paulo foi convidado a integrar o conceituado Trio Araripe, de 2005 a 2010, nesse período teve a honra de tocar com grandes nomes da música como Dominguinhos, Elba Ramalho, Jair Rodrigues, Flávio José, Arismar do Espírito Santo, entre outros, percorrendo o Brasil de norte a sul. De 2007 a 2013 integrou também na banda do cantor, compositor e multi-instrumentista Duani Martins, que resultou também no projeto Forró da Samba com a cantora Mariana Aydar.

Clayton Gama acompanhou Dominguinhos em diversos shows e programas de TV, como Sr. Brasil, Inezita Barroso, SPTV e participou da sua premiação do Prêmio Tim. Clayton, participou de diversos programas de TV como, Jô Soares, SuperPop, Programa do Ratinho, Fátima Bernardes, Raul Gil, Gilberto Barros.

Clayton, em 2014 entrou na banda Bicho de Pé e em seguida já participou do reality Show Super Star da Rede Globo ficando dois meses no ar, impulsionando muito o grupo a realizar grandes eventos e turnês nacionais e internacionais, influenciando também o grupo a tocar com grandes nomes da música brasileira como Ivete Sangalo, Zeca Baleiro, Fagner, entre outros.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Clayton Gama para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 01.10.2021:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Clayton Gama: Nasci no dia 17.02.1988 em Mauá – SP. Registrado como Clayton Sobrinho Gama.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Clayton Gama: Meu primeiro contato foi através do meu pai Antônio que também é sanfoneiro, cresci ouvindo o som da sanfona.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Clayton Gama: Estudei seis anos em um Conservatório Musical.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Clayton Gama: Minhas referências musicais é Dominguinhos, Sivuca, Osvaldinho, Luiz Gonzaga, Djavan, Elis Regina, Hermeto Pascoal. No presente ouço bastante Jaco Pastorius, alguns Rocks, Jazz. Nenhum deixou de ser importante.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Clayton Gama: Aos 15 anos de idade (2003) de fato comecei a tocar Brasil à fora com o trio Araripe, antes disso era mais barzinhos e restaurantes.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Clayton Gama: Gravei inúmeros CDs, mas integrando a banda foi dois com Trio Araripe, dois com a banda Bicho de Pé, um com o Forrobodó.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Clayton Gama: Forrozeiro.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Clayton Gama: Não.

09) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Clayton Gama: Marinês, Elis Regina, Alcione, Elba Ramalho, Carla Casarim.

10) RM: Como é o seu processo de compor?

Clayton Gama: Pego o instrumento e saio tocando, deixo sempre o celular gravando.

11) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Clayton Gama: componho mais sozinho, uma vez ou outra que trabalhei com alguém para produzir algo.

12) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Clayton Gama: Bicho de pé, Forrobodó, Trio Araripe.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Clayton Gama: Ter a liberdade de gravar e tocar o que realmente você gosta, a dificuldade seria mais em relação ao estilo que hoje em dia o Forró Pé de Serra está em baixa, se tivéssemos a oportunidade de ter uma aceitação em massa seria um pouco mais fácil.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Clayton Gama: Sempre estar preparado tanto musicalmente e psicologicamente.

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Clayton Gama: Fazer parcerias de shows com artistas de nome como Fagner, Zeca Baleiro.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Clayton Gama: A internet ajuda a divulgar bastante, mas é tanta informação que as pessoas veem nas redes sociais que acaba que as coisas se tornam descartáveis.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Clayton Gama: Só vejo vantagem em home estúdio, antes precisava atravessar toda a cidade para gravar uma música, porém no conforto de casa você grava com mais calma e dedicação.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Clayton Gama: Com o tempo você cria uma indenidade musical natural, isso imprime nas músicas que são gravadas.

19) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas e quais permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Clayton Gama: Existem muitos artistas com carreiras consistentes no Forró, uma coisa que não vemos no Forró é a união, parcerias que vemos no Sertanejo, uma banda grande dando oportunidades para as pequenas é o que está faltando.

20) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Clayton Gama: Marcelo Mimoso, Mariana Aydar.

21) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Clayton Gama: Tocar e não receber o cachê, quem nunca (risos). Equipamento de som com defeito, tocando com o som péssimo (risos). Esse foi engraçado, estava tocando de olhos fechados e uma menina subiu no palco e me deu um beijo na boca (risos).

22) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Clayton Gama: Feliz é estar tocando e sentindo cada nota e as pessoas recebendo essa energia ao vivo. O que me deixa triste é a supervalorização em estilos musicais novos e a depreciação do Forró.

23) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

Clayton Gama: O movimento do Forró Universitário foi ótimo para atingir a grande massa.

24) RM: Quais os grupos de “Forró Universitário” chamaram sua atenção?

Clayton Gama: banda Falamansa, Bicho de Pé.

25) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Clayton Gama: Jamais tocarão músicas nas rádios sem pagar o jabá.

26) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Clayton Gama: Força (risos).

27) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Clayton Gama: Acho muito bom o Festival de música, incentiva muito as pessoas a estudarem e evoluir.

28) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Clayton Gama: Sem dúvidas.

29) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Clayton Gama: A cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira acho pobre, só estão dando valor a músicas banais sem conteúdo literário.

30) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Clayton Gama: Acho ótimo, podemos tocar para diversos públicos.

31) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró dos anos 90 e as atuais do Forró Estilizado?

Clayton Gama: A diferença é muito grande, tiraram muito a característica real do Forró, a expressão forró de plástico se encaixa perfeitamente.

32) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com os músicos do Bicho de Pé?

Clayton Gama: Todos são meus amigos, hoje eu sou integrante da banda.

33) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Janayna Pereira?

Clayton Gama: Já acompanhei Janayna Pereira em muitos shows pelo Brasil e fora também, porém hoje não tenho mais contato.

34) RM: Quais os seus projetos futuros?

Clayton Gama: Gravar novos CDs, viajar muito e fazer shows em lugares que nunca fiz. Mas já tive o prazer de tocar com o mestre Dominguinhos.

35) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Clayton Gama: (11) 95889 – 8423 | [email protected] | https://web.facebook.com/clayton.gama

| https://www.instagram.com/claytongama | Canal: https://www.youtube.com/user/gamaclayton

DOMINGUINHOS NO Sr. BRASIL 2010 – SABIÁ: https://www.youtube.com/watch?v=qYZEZzB6X_0

DICAS PARA ACORDEON: https://www.youtube.com/watch?v=CnCFgx6RDoY&list=PLdJWtemjxCpmbRq7cJu4bgD3CNNZsPIIv

Playlist: https://www.youtube.com/watch?v=cB2sGMr5h24&list=PLdJWtemjxCplmJVvS7aISnBAWguLoj8MT


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antônio Carlos da Fonseca Barbosa.