More Banda Tribo Guaru »"/>More Banda Tribo Guaru »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Banda Tribo Guaru


Conscientização, igualdade, amor e paz são mensagens transmitidas na sonoridade e letras marcantes da banda guarulhense Tribo Guaru.

Formada em 2014 por músicos amantes do Reggae Music e suas vertentes, a Tribo Guaru em 2019 lançou seu primeiro álbum “Eterno Aprendiz” em parceria com renomado produtor musical e arranjador Luizinho Nascimento, que também compõe o projeto como baixista.

O álbum “Eterno Aprendiz” conta com a participação dos músicos Dani (da banda Nazireu Rupestre), João Paz (da banda Mato Seco), Danilo Correa, Gabriel Arrais, Mis Ivy, Zila (da Nazireu Rupestre) e Rodrigo Lolli.

Todo estudo musical e de concepção da Tribo Guaru é inspirado no reggae brasileiro e jamaicano de artistas como Edson Gomes, Mato Seco, Ponto de Equilíbrio, Abyssinians, Bob Marley, Steel Pulse, Israel Vibrations e quem já pode conferir o show desta jovem banda pode ver a qualidade e personalidade que eles levam ao palco.

A Tribo Guaru já se apresentou no Festival Reggando a Quebrada, Festival Forro da Lua Cheia, Galeria Olido, Rasta Beer, São Jorge Bar, Arrastão Cultural Apresenta, Mostra Cultural Reggae Guarulhos, fez participação nos shows das bandas: Nazireu Rupestre, União Rasta, Mis Ivy, Semente Regueira, entre outros e estão na coletânea “Reggae de Artistas e Bandas Novas”.

Segue abaixo entrevista exclusiva com a banda Tribo Guaru para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada com Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 15.11.2021:

01) Ritmo Melodia: Qual a data de nascimento e cidade natal dos membros da banda?

Banda Tribo Guaru: Luiz Trujillano (guitarrista) nascido no dia 07.06.1987 em Guarulhos – SP. Ale Oliveira (trompetista) nascido no dia 31.01.1987 em Guarulhos – SP. Junior Oliveira (tecladista) nascido no dia 05.04.1982 em Mossoró – RN. Bill Barros (trompetista) nascido no dia 23.01.1987 em Guarulhos -SP. Thiago Dias (vocalista) nascido no dia 24.06.1987 em Guarulhos – SP. Luizinho Nascimento (baixista) em 11.03.1982 no bairro de Tucuruvi – SP.

02) RM: Como foi o primeiro contato dos membros da banda com a música.

Banda Tribo Guaru: Luiz Trujillano, na infância nas festas de família.

Ale Oliveira, na banda Marcial do Colégio Conselheiro Crispiano.

Thiago Dias, no Samba em 1999 e já no ano de 2000 veio o primeiro contato com a banda de Reggae “Raiz Tribal”.

Bill Barros, na banda Marcial da escola.

Junior Oliveira, foi aos 12 anos de idade em um grupo de Samba na escola.

Luizinho Nascimento, através dos meus irmãos e através da banda e fanfarra da escola.

03) RM: Qual a formação musical e acadêmica fora música dos membros da banda?

Banda Tribo Guaru: Luizinho Nascimento, estudei na ULM – Universidade Livre de Música e fiz muitas aulas particulares com professores de trompete, baixo, teclado, violão, Harmonia e Arranjo.

Luiz Trujillano, autodidata na música e cursei o Ensino Médio.

Thiago Dias, Circo-escola e cursei o Ensino Médio.

Junior Oliveira, autodidata na música e cursei Técnico em Informática.

Bill Barros, autodidata na música e cursei Técnico em Informática.

Ale Oliveira, Cursei Licenciatura em Educação Matemática); Eletricista Industrial e residencial; cursando teoria e prática musical no Conservatório Municipal de Guarulhos.

04) RM: Quais as influências musicais no passado e no presente dos membros da banda? Quais deixaram de ter importância?

Banda Tribo Guaru: Luiz Trujillano, música brasileira em geral, Samba, RAP, Soul, FUNK, Blues. Vejo todas minhas referências sendo importantes, elas continuam me moldando como músico.

Ale Oliveira, as minhas influências foram a música brasileira como um todo, e algumas internacionais como Black music e reggae music. Nenhuma deixou de ter importância, todas foram e ainda são essenciais para formação e manutenção da minha evolução como músico.

Thiago Dias, minha influência foi Bob Marley, Alfa Blond, Ponto de Equilíbrio, Mato Seco, Peter Tosh.

Bill Barros, Banda Groundation.

Junior Oliveira, minhas influências são: Bob Marley, Fundo de Quintal, Tribo de Jah, Edson Gomes.

05) RM: Quando, como e onde começou a carreira musical da banda? E qual o significado do nome da banda?

Banda Tribo Guaru: Luiz Trujillano, no final de 2013 em um luau eu e Alex trocamos as primeiras ideias sobre ter uma banda. E alguns meses depois conversei com o Thiago Dias que aceitou na hora (risos). Começamos os ensaios em julho de 2014 na casa do Solange (mãe do Thiago) e nosso primeiro show foi na Escola Mauricio Nazar no Parque Santos Dumont. E o nome é em homenagem a nossa cidade Guarulhos.

06) RM: Quantos discos lançados?

Banda Tribo Guaru: Em 2019 lançamos o primeiro álbum – “Eterno Aprendiz”. Em 2022 lançaremos o segundo álbum – “Ao Topo”.

07) RM: Como define o estilo musical da banda dentro da cena reggae?

Banda Tribo Guaru: Reggae Raiz de protesto e crítica social.

08) RM: Como você se define como cantor/intérprete dentro da cena reggae?

Banda Tribo Guaru: Thiago Dias (vocalista) sou ativo na cena reggae e promovendo o reggae em Guarulhos – SP.

09) RM: Quais os cantores e cantoras que vocês admiram?

Banda Tribo Guaru: Judy Mowatt, Lauren Hill, Bob Marley, Gilberto Gil, Chico César, Edson Gomes, entre outros…

10) RM: Como é o processo de composição musical dentro da banda? Quem faz a letra e melodia?

Banda Tribo Guaru: Luizinho Nascimento, sobre a produção musical e melodia são baseadas no verdadeiro reggae old school jamaicano com o reggae brasileiro e influências do Samba, Rock, Jazz, Salsa, Soul music e música clássica. Thiago Dias escreve a letra e a melodia quem cria é Luiz Trujillano. É um hábito está compondo e escrevendo (risos). Nas produções contamos com nosso produtor musical Luizinho Nascimento e assimproduzimos em conjunto.

11) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Banda Tribo Guaru: Prós são a Internet e o trabalho que banda desenvolve internamente. Os Contras: o Reggae pelo fato de ser uma música de protesto, e conscientização e realidade política, acaba sendo rejeitado por uma parte da sociedade.

12) RM: Quais as ações empreendedoras que vocês praticam para desenvolverem a carreira musical?

Banda Tribo Guaru: Investimento em produção musical, produção áudio visual, e interação com outras bandas de outros gêneros.

13) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento da carreira musical?

Banda Tribo Guaru: A internet ajuda na divulgação e prejudica conforme o conteúdo que você expõe, se for ruim o resultado é ruim.

14)RM: Como vocês analisam o cenário reggae? Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Banda Tribo Guaru: O cenário do reggae brasileiro é forte e consistente. Nas revelações têm: Mato seco, Ponto de Equilíbrio, Nazireu Rupestre, Jah Live, Planta & Raiz, entre outros. Regredi quem para de trabalhar.

15) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (Home Studio)?

Banda Tribo Guaru: Vantagens é que hoje em dia você pode gravar um álbum dentro da sua casa, já as desvantagens é se o seu canal ou sua rede de divulgação não tiver a mesma visibilidade que tem um produtor de nome ou estúdio de nome.

16) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado e etc)?

Banda Tribo Guaru: Fizemos Um show no aniversário no bairro do Jaçanã na zona norte de São Paulo, tínhamos um horário marcado em contrato e no contrato dizia que não podíamos falar mal de políticos e nem dos organizadores do evento. Mas o horário não foi cumprido pela parte do contratante e a parte de falar mal dos políticos e dos contratantes foi descumprido pela banda e quase fomos expulsos do palco. Quando cantamos “Oh Jah” e no trecho que diz: “E cuidai dos inocentes que ainda correm da polícia”, depois que cantamos essa parte os policias começaram a cercar o palco.

17) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Banda Tribo Guaru: Mais feliz é ver a galera cantando nossas canções e sendo influenciado por ideias positiva, a união na cena reggae, ver as bandas trabalhando juntos torcendo um pelo o outro. Triste no cenário do reggae é ver que uma música de paz, amor e conscientização não existe a conectividade e parceria com outras bandas que estão engajadas no cenário. A competição no meio musical nos entristece.

18) RM: Vocês acreditam que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Banda Tribo Guaru: Luiz Trujillano, as rádios também tem seus custos e eles também precisam se manter como empresa. Acredito que nossa música possa tocar sem o jabá (risos), tem que ser bom todos, é um corpo só, rádio e banda um depende do outro.

Junior Oliveira, depende da rádio. Hoje temos vários meios de comunicação em web rádio e outras rádios independentes. Em rádios maiores tem que ter o jabá.

19) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Banda Tribo Guaru: Bill Barros, foco, disciplina e muita força de vontade.

Junior Oliveira, fé em Deus e acredita em você e não dar ouvidos a quem te coloca para baixo.

Thiago Dias, tenha Fé, que a estrada e longa, música é para poucos.

20) RM: Como vocês analisam a relação que se faz da música reggae com o uso da maconha?

Banda Tribo Guaru: A erva cannabis sativa tem relação com todos os tipos de música. Temos fãs e artistas do reggae que não fazem o uso da planta. São poucas pessoas que enxergam como se isso fosse uma regra, “tem que fumar pra ser do reggae”.

21) RM: Como vocês analisam a relação que se faz da música reggae com a religião Rastafári?

Banda Tribo Guaru: A ligação é muito forte, porém tem rastafári que não escuta reggae. O rasta não se define só ao reggae, como o reggae não se define somente ao rastafári.

22) RM: Alguns adeptos da religião Rastafári afirmam que só eles fazem o reggae verdadeiro. Como vocês analisam tal afirmação?

Banda Tribo Guaru: Luiz Trujillano, o que é feito de coração é verdadeiro.

23) RM: Na sua opinião quais os motivos da cena reggae no Brasil não ter o mesmo prestígio que tem na Europa, nos EUA e no exterior em geral?

Banda Tribo Guaru: A Desunião e a falta conectividade das bandas e produtores de eventos.

24) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Banda Tribo Guaru: Luiz Trujillano, existe o dom e também a vocação. Como trabalho sem trabalho o dom fica escondido.

25) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Banda Tribo Guaru: Thiago Dias, a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira é totalmente manipuladora e o reggae de conscientização e protesto está totalmente fora da grande mídia brasileira.

26) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Banda Tribo Guaru: Thiago Dias, muita burocracia e poucos eventos.

27) RM: Quais os seus projetos futuros?

Banda Tribo Guaru: Lançar em 2022 o álbum – “Ao Topo” e um DVD.

28) RM: Quais os seus contatos para show e para os fãs?

Banda Tribo Guaru: (11) 91022 – 6446 (Thiago Dias) | (11) 94952 – 1119 (Luiz Trujillano) | (11) 94451 – 7259 (May Roots) | [email protected]

|https://www.facebook.com/1515755565357981/posts/2808644806069044

|https://instagram.com/triboguaruoficial?igshid=bupd3stwux99

Canal: https://www.youtube.com/channel/UCPZti4EDwEcvvWaIxgAw2ag

Oh jah – Tribo Guaru: https://www.youtube.com/watch?v=xFrxNexO6II

Tribo Guaru – Álbum completo: https://www.youtube.com/watch?v=88huxcZb_YQ&list=PLIR_d7IIbMk19_JOi4xJko114YXcSo7A2

Tribo Guaru – Pé do Morro (clipe oficial): https://www.youtube.com/watch?v=xeT88As_xoQ

Tribo Guaru e Nazireu Rupestre (Linha da Vida) Clipe Oficial: https://www.youtube.com/watch?v=WcwsneFijzw

Respeite o Verde (Tribo Guaru ao vivo no Sesc 6 de agosto de 2020): https://www.youtube.com/watch?v=Qt3AsPP72qQ

Playlist Live 29 de junho de 2020: https://www.youtube.com/watch?v=LhYyDCnPwUg&list=PLIR_d7IIbMk0Vf1gFR1tVvePHltDMwbfZ

Playlist Galeria Olido: https://www.youtube.com/watch?v=gMY_e7O2Npo&list=PLIR_d7IIbMk3GoF_uTn0SgVX7p6n8bprY


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.