Continua após a Publicidade
Categorias: Entrevistas

Banda Raízes que Tocam


A Banda Raízes que Tocam foi formada em 2002, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Com a proposta de levar através da música reggae, músicas que retratam a realidade em que vivemos como um todo, com críticas ao sistema e amor ao próximo, com o intuito de despertar a consciência do público.

A parte musical impressiona por um som dinâmico e consistente, que utiliza os elementos tradicionais do reggae raiz para criar um som marcante, de forte pegada e altamente envolvente. As grandes influências jamaicanas e brasileiras são condensadas numa musicalidade extremamente original. As canções retratam o cotidiano e são facilmente assimiladas pelo público, que canta junto do começo ao fim de cada show.

A banda já se apresentou em diferentes estados e cidades do Brasil, dividindo o palco com grandes bandas nacionais e internacionais do reggae, participou de importantes eventos, conquistou lugar de destaque no cenário reggae brasileiro, apresentando um som forte e impactante, com uma marca própria, autoral e independente.

O primeiro CD da banda “Jah Irá Fazer Valer a Verdade”, foi lançado em meados de 2006 e se tornou um clássico entre os amantes da música reggae brasileira. Em 2011, lançou seu segundo CD “O Recado”. Em 2012, foi eleita pelo público, banda Revelação do Reggae Nacional.

De lá pra cá, a banda passou por algumas mudanças de integrantes, e hoje em dia conta com a voz potente de Lázaro Cruz, que junto com os demais músicos, vem trabalhando em novas composições, novos arranjos e um novo show que promete chegar com tudo! Atual formação: Lázaro Cruz (vocal), André Fontes (guitarra rítmica e vocais), Caio Peixoto (teclado), Bruno Sueiro (guitarra solo), André Gonçalves (bateria), Juan Maricato (baixo).

Segue abaixo entrevista exclusiva com a banda Raízes que Tocam para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 11.04.2022:

01) Ritmo Melodia: Qual a data de nascimento e cidade natal dos músicos da banda?

Banda Raízes que Tocam: André Fontes (guitarra rítmica e vocais), nasceu no dia 11/08/1973 em Manaus – AM. Lázaro Cruz (vocal), nasceu no dia 10/01/1983 no Rio de Janeiro – RJ. Caio Peixoto (teclado), nasceu no dia 05/08/1988 no Rio de Janeiro – RJ. Juan Maricato (baixo), nasceu no dia 24/03/1989 no Rio de Janeiro – RJ. André Gonçalves (bateria), nasceu no dia 14/03/1991 em Mogi das Cruzes – SP. Bruno Sueiro (guitarra solo), nasceu no 15/09/1982 em São João de Meriti – Rio de Janeiro.

02) RM: Fale do primeiro contato com a música dos músicos da banda.

Banda Raízes que Tocam: Ras André Fontes, o primeiro contato com a música foi desde criança de colo, sua mãe colocava músicas de MPB para ele ouvir, aos 13 anos entrou na aula de violão numa igreja católica, quando passou a ter um contato mais presente com a música. 

Lázaro Crúz, teve seu primeiro contato com a música quando seu tio Shelton, lhe ensinou os primeiros acordes, num encontro na casa de uma de suas tias. 

Caio Peixoto, seu primeiro contato com a música foi compondo e tocando percussão em 2010. Ao ganhar um teclado se apaixonou pela diversidade de timbres e sua função no reggae Music e outros ritmos.

Juan Maricato, seu primeiro contato com a música foi quando aos 12 anos de idade, ele achou um instrumento que havia sido jogado no lixo. Levou a uma igreja próximo de sua casa. Lá descobriu que o instrumento era um contrabaixo. Aceitou como sendo o seu destino. 

André Gonçalves, o seu primeiro contato com a música foi na infância, em uma igreja em Mogi das Cruzes – SP, onde nasceu. 

Bruno Sueiro, seu primeiro contato com a música foi ainda criança, ficava fascinado com os LPs das bandas de rock que ouvia em casa, as capas dos discos chamavam tanta atenção quanto a música. Aos poucos, esse interesse aumentou e aos 12 anos de idade, um violão de família veio parar as suas mãos e daí para frente a música nunca mais o deixou.

03) RM: Qual a formação musical e\ou acadêmica fora da área musical dos músicos da banda?

Banda Raízes que Tocam: Ras André Fontes, estudou na escola de música de Nilópolis na Baixada Fluminense, e escola de música da Faetec em Quintino – RJ. É Técnico em elétrica.

Lázaro Cruz, músico autodidata, fez aulas de canto, participou do coral da Villa-Lobos.

Caio Peixoto, músico autodidata.

Juan Maricato, músico autodidata, é formado em Francês, possui graduação em Filosofia e mestrado em Filosofia Antiga, ambos pela UFRRJ – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

André Gonçalves, músico autodidata, teve aulas com alguns bateristas para apurar seu talento.

Bruno Sueiro, quando jovem fez a Escola de Música Villa-Lobos, no Rio de Janeiro, e mais tarde ingressou em um curso de música popular brasileira na UNIRIO. Fora da música, é bacharel e licenciado em Ciências Biológicas com pós-graduação em Meio Ambiente pela UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Banda Raízes que Tocam: Todas as influências são importantes e fazem parte da formação e do que a banda se tornou, nenhuma deixa de ser importante, temos influências de Bob Marley e The Wailers, Twinkle Brothers, Black Uhuru, The congos, Israel Vibration, Burmimg Spear e outros grandes artistas Jamaicanos.

05) RM: Quando, como e onde você começou a banda? Qual o significado do nome?

Banda Raízes que Tocam: A banda foi formada em 2002 na casa de Ras André Fontes no município de Nilópolis na Baixada Fluminense – RJ, o significado do nome já diz, trazer a importância das nossas raízes, sempre se mantendo firme e forte na luta por um mundo melhor.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Banda Raízes que Tocam: Temos dois álbuns lançados, “Jah irá fazer valer a verdade” (2006) e “O Recado” (2011).

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Banda Raízes que Tocam: Nosso reggae é raiz.

08) RM: O cantor da banda estudou técnica vocal?

Banda Raízes que Tocam: Lázaro Cruz fez parte do Coral da Villa-Lobos.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Banda Raízes que Tocam: Com o estudo da técnica vocal se consegue compreender como usar melhor a voz, e o cuidado que precisa ter, conseguir atingir aquilo que você idealiza para a música.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira?

Banda Raízes que Tocam: Don Carlos, Gregory Isaac, Bob Marley, Dennis Brow, Alpha Blondy, entre outros. Judy Mowatt, Cedela Marley, Dezarie, Jah9, entre outras.

11) RM: Como é o processo de compor letra e melodia dentro da banda?

Banda Raízes que Tocam: Cada componente tem seu próprio método de composição, e tem liberdade para apresentar suas letras, com temas variados.

12) RM: Quais são os compositores da banda?

Banda Raízes que Tocam: A maioria dos músicos da banda compõem: Ras André Fontes, Juan Maricato, Caio Peixoto, Lázaro Cruz, Bruno Sueiro.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Banda Raízes que Tocam: Os contras são as muitas dificuldades na caminhada, muitos custos, muitas burocracias, estratégias a serem desenvolvidas para chegar ao resultado final que se almeja. O lado positivo, é que temos liberdade de decidir as coisas.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Banda Raízes que Tocam: Nós estamos com uma produtora que visa elaborar essas estratégias para deixar a marca RQT ainda mais forte e conhecida, sempre visando e respeitando a história da banda, passando as decisões pelos componentes. Fora do palco, nos preparamos para quando chegar às oportunidades estarmos prontos.

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Banda Raízes que Tocam: Essas ações estão a cargo de nossa produtora que visa uma linguagem para atrair mais ouvintes para a música que estamos fazendo e visar uma interação pessoal com cada fã da banda.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Banda Raízes que Tocam: A internet é uma ferramenta indispensável para os artistas, quem não está lá, não está sendo visto. Sendo usada de forma certa só se tem benefícios.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Banda Raízes que Tocam: Hoje se tem a facilidade de fazer gravações em home estúdio, tudo vai do profissional que está fazendo o trabalho, do tipo de ferramentas que ele está usando e a experiência que ele tem no estilo musical que está gravando, já vimos muitos trabalhos bons feitos em home estúdios e trabalhos ruim feitos em estúdio grandes e vice-versa, tudo depende do profissional que está realizando o trabalho.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Banda Raízes que Tocam: Ainda hoje há grande dificuldade para gravar, quando se trata de bandas independentes. Fazemos tudo com originalidade, com verdade, um som de fácil entendimento e que envolva, aliado a um áudio visual que visa passar tudo que se diz nas melodias, para que público possa sentir nosso diferencial, e com isso se interessar e disseminar nossas canções a outras pessoas.

19) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado, etc)?

Banda Raízes que Tocam: Essas situações citadas na pergunta fazem parte de todas as bandas e ainda mais no início da carreira, onde se quer apresentar o trabalho, calotes, som ruim, a maioria delas já passamos no início de carreira, mas uma em especial nos marcou, quando fomos tocar em Itaúna – ES, acabou nosso show e fomos embora, no caminho pro aeroporto um carro bateu na nossa van, e os ocupantes do carro estavam bêbados todos errados e ainda queriam brigar com a gente achando que estavam certos, não caímos na provocação, porque vimos o estado deles, resolvemos o problema da van que estava amassada e fomos embora, quase perdemos o voo.

20) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Banda Raízes que Tocam: Tristes é ver que cada dia a música vem empobrecendo com letras que alienam e não contribuem em nada na nossa vida. E mais felizes quando recebemos mensagens que dizem que nossas canções ajudaram em certos momentos da vida. Ver uma transformação verdadeira em cada um que é tocado pelas nossas canções, isso não tem preço e dinheiro que pague.

21) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios? 

Banda Raízes que Tocam: Hoje graças a Jah não se tem mais esse domínio radiofônico, com a chegada da internet houve um enfraquecimento das rádios, com isso não se tem mais essa necessidade de pagamento de jabá comum nas épocas passadas.

22) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Banda Raízes que Tocam: Se preparar, estudar e ter um produto de qualidade para apresentar, com isso já é meio caminho andado, e ter sorte é claro.

23) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Banda Raízes que Tocam: É boa para a própria mídia, e para os artistas que estão na moda, vendendo, a mídia quer se aproveita de tudo que atrai multidões, tudo que possa agregar valor para si, e quando acaba o produto (artista) vem outro e o ciclo se renova, simples assim. No nosso estilo musical reggae raiz é mais difícil de furar esse bloqueio, não cantamos besteiras, são músicas conscientes que visam alertar o povo, é mais difícil de ter uma cobertura da mídia.

24) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Banda Raízes que Tocam: Já tocamos em SESC é uma estrutura boa para o artista que consegue aprovar seu projeto nessas entidades, mas hoje com a cultura sucateada pelo atual desgoverno (Jair Bolsonaro), está cada vez mais difícil de conseguir. Tem que ter mais incentivo para os artistas que estão há muito tempo na luta.

25) RM: Como você analisa o cenário do reggae no Brasil. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais artistas permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Banda Raízes que Tocam: O Cenário reggae no Brasil já foi mais forte, hoje está fraco, sem incentivo, poucas bandas fazem sucesso e vivem realmente da música reggae, Natiruts, Tribo de Jah, Planta & Raiz, Ponto de Equilíbrio, Mato Seco, Raízes que Tocam, são alguns trabalhos consistentes e já foram revelações, para nós cada trabalho tem seu valor, nenhum é, fraco se é feito de verdade.

26) RM: Vocês são Rastafáris?

Banda Raízes que Tocam: Alguns membros da banda são rastas e outros não.

27) RM: Alguns adeptos da religião Rastafári afirmam que só eles fazem o reggae verdadeiro. Como vocês analisam tal afirmação?

Banda Raízes que Tocam: Essa afirmação só gera polêmica. O reggae e o reggae rasta se cruzam em um determinado momento e se misturam, e quem saiu ganhando com isso foram os ouvintes.

28) RM: Na sua opinião quais os motivos da cena reggae no Brasil não ter o mesmo prestígio que tem na Europa, nos EUA e no exterior em geral?

Banda Raízes que Tocam: A falta de investimento, que não se tem no reggae nacional e também o preconceito com o ritmo por causa da “ganjah”, pois acham que todo adepto do reggae fuma e é marginal, um pensamento totalmente preconceituoso com o regueiro e o ritmo reggae.

29) RM: Como você analisa a relação que se faz do reggae e o uso da maconha?

Banda Raízes que Tocam: No meio reggae é normal, mas nem todo regueiro obrigatoriamente tem que fumar, mas o uso não é exclusivo do reggae, isso é informação por parte da grande maioria das pessoas, acharem que só no reggae se fuma. O reggae e a “ganjah” tem seu lado espiritual que deve ser respeitado, mas isso depende do tipo de entendimento que cada pessoa tem pela cultura reggae. É um assunto polêmico.

30) RM: Como você analisa a relação que se faz do reggae com a cultura Rastafári?

Banda Raízes que Tocam: Como dissemos, em um certo momento o reggae e o reggae rastafári se encontram e se misturam, com Bob Marley trazendo um lado mais espiritual para o ritmo reggae, que se expandiu mundo afora, por isso essa confusão de acharem que o reggae é só rastafári, mas o reggae é uma música do gueto, música de libertação e de protesto também, não só espiritual.

31) RM: Quais os seus projetos futuros?

Banda Raízes que Tocam: Estamos em uma nova fase, com um novo vocalista (Lázaro Cruz), vamos gravar músicas novas, falar de amor, de vários assuntos atuais, além do protesto e da conscientização.

32) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Banda Raízes que Tocam: (21) 981705804 (com Anderson nosso produtor) | producaoraizesquetocam@gmail.com

| https://www.instagram.com/raizesquetocamoficial

| https://web.facebook.com/bandaraizesquetocam

Raízes Que Tocam: https://www.youtube.com/c/Ra%C3%ADzesqueTocamOficial 

Raízes Que Tocam – Raízes Que Tocam (Clipe Oficial): https://www.youtube.com/watch?v=xNKIqFEH7-k

A RESPOSTA VEM DE JAH – RAIZES QUE TOCAM: https://www.youtube.com/watch?v=3u72mAz0nDI

Raízes Que Tocam – O Recado [2011]: https://www.youtube.com/watch?v=mS51trf4BO0

Raízes Que Tocam – Jah Irá Fazer Valer a Verdade [2006]: https://www.youtube.com/watch?v=8roLGhF09M0


Continua após a Publicidade
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.

Disqus Comments Loading...
Publicado Por
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa
Tags: DUBreggaeSKA
    Continua após a Publicidade

Artigos Recentes

M. Paulino

O cantor, compositor pernambucano M. Paulino, com um estilo pessoal "O Pernambuxé" além de forrozeiro…

% dias atrás

Banda Semente Regueira

Banda Semente Regueira, formada no final de 2000 por músicos amigos e influenciados pela ideologia…

% dias atrás

Músicas de Gilberto Gil mais consagradas, segundo os dados do ECAD

Gilberto Gil: 80 anos, canções mais tocadas e “amor” como a palavra mais repetida em…

% dias atrás

Quinta Essentia Quartet

Com sete álbuns gravados entre participações e trilhas completamente feitas pelo grupo, o Quinta Essentia…

% dias atrás

Gilberto Gil é o “Pelé” da Música do Brasil

Por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa Gilberto Gil, chega aos 80 anos de idade (26/06/2022)…

% dias atrás

Paulinho Akomabu

Há mais de 20 anos, Paulinho Akomabu, iniciou a sua carreira, mais precisamente no Centro…

% dias atrás
Continua após a Publicidade

Este website usa cookies.