Continua após a Publicidade
Categorias: EntrevistasForró

Banda Cipó Cravo


A cantora, compositora, poetisa mineira Glau Santana, desde cedo demostrava talento para artes, teatro e música. Sempre se atrevia em peças teatrais, musicais e dançava, dançava muito e todos os dias!

Aos 9 anos de idade, fez sua primeira apresentação musical e aos 12 anos começou a cantar com a banda Fya e Cia, formada por sua família, sua mãe Fya Show e seu pai José Dioclécio Santana.

Em 1996 trouxe sua energia para o Forró Pé de Serra. Desde então se dedica a ensinar a dançar e fazer show por todo país. 2009 foi o ano de mostrar a vários países (Alemanha, França, Bélgica, Peru, Argentina, Tel Aviv – Israel) o que o nosso Forró tem de melhor, essa foi a nossa primeira turnê internacional com a banda Cipó Cravo.

Com Mestre Esquilo (seu marido), em 2010 teve trigêmeos e se mudou em 2011 com toda a família para os USA, buscando difundir ainda mais nossa cultura, fora do país. Em 2015 retornaram ao Brasil, e desenvolvem novos trabalhos, que hoje em dia podem ser conferidos pela internet. O Centro de Artes Brasileiras, academia idealizada e montada nos USA, tem hoje cede em 7 Lagoas e a International Capoeira School (ICS) – Mestre Esquilo, que teve início também nos USA, hoje ganhou o mundo, e garante a ela e a sua banda e ao seu marido viagens em todos os contos do mundo a fim de ensinarem as “mandingas brasileiras”!

Glau Santana se formou em Comunicação Social em 2001 pela UniBH – Centro Universitário de Belo Horizonte. Trabalhou em diversas empresas e projetos de comunicação, mas sempre teve os olhos voltados para o trabalho da sua banda Cipó Cravo. Hoje trabalha de casa e ajuda pessoas e empresas no dia a dia da comunicação digital.

Com os conhecimentos na área, e com o desejo de escrever, Glau Santana tem hoje quatro livros publicados e outros três na gaveta, prestes a serem lançados!

Como não poderia faltar, as crianças tem um espaço reservado na vida de Glau Santana. Além de ser mãe de trigêmeos (Bruna, Caetano, Pedro), ela desenvolve um trabalho desde 2009, juntando arte, cultura e psicomotricidade através da capoeira!

Glau estudou e se aprimorou em diversas danças ao longo dos anos. Sua formação em “banda de baile” pedia que ela além de cantar, soubesse dançar vários estilos.
Deu sua primeira aula em 1992, e logo as aulas de dança de salão tomaram o rumo do forró raiz.Fundou no Brasil o GDCC (Grupo de Dança Cipó Cravo), mas ao se mudar para a Carolina do Norte nos USA, desenvolveu um plano de aula, baseado nas aulas de Forró para ensinar vários ritmos brasileiros e as aulas podem ser encontradas hoje em dia como BR Class (classe de ritmos brasileiros).

Ao longo dos anos a necessidade de reter mais conhecimento se fez necessário, uma vez que as multifunções da artista não param! Dos figurinos dos shows aos serviços de casa, das edições audiovisuais ao trabalho incessante de ser mãe (de 3 crianças da mesma idade), Glau Santana além da faculdade de Comunicação Social, se formou também em Educação Física. Tem pós em Arte, Cultura e Educação e em Sociologia das Religiões. Guarda inúmeros cursos, especializações e formação continuada em várias áreas! “As crianças, a música e a arte me mantém na busca por sempre estar atualizada”, afirma Glau Santana.

A banda Cipó Cravo faz parte da cena do Forró em Belo Horizonte – MG desde os anos 90. A banda é precursora do genuíno Forró Raiz, feito em Minas Gerais, a banda toca em todos os cantos do mundo. O repertório, autoral e contemporâneo, mistura o Forró tradicional a diversos ritmos brasileiros, com acentuada tônica para a capoeira e canções populares da cultura brasileira. Em Belo Horizonte, a banda Cipó Cravo estreou nos palcos em 1996.

Idealizada e representada por Glau Santana (voz principal e triângulo), a banda conta com membros de sua família como sua mãe Fya Show (Sanfona), seu irmão Gladson Santana (Zabumba) e seu marido, Bruno Mestre Esquilo (Percussão), além de outros músicos, quando necessário, aumentando ou diminuindo sua formação de acordo com o projeto a se desenvolver.

A banda lançou 5 CDs e 1 DVD. Desde 2006, leva o forró para os quatro cantos do mundo e em 2011 (ao se mudar para os Estados Unidos), a banda desenvolveu trabalhos de divulgação da cultura brasileira. Primeira e única banda a levar o ritmo para Israel, em 2009. O mesmo aconteceu na Índia, em 2014 e se repetiu em 2016. Turnês anuais a Europa e em vários países vizinhos do Brasil!

Em 2022, a banda Cipó Cravo comemora 26 anos de existência, e tem seus vídeos e músicas publicados no YouTube: Glau Santana, e todos os CDs na maioria das plataformas virtuais de música, como Spotify, Apple Music, Deezer, Tidal e muitos outros. Já as compras dos trabalhos podem ser feitos no www.bandcamp.com, pelo link: https://glausantana.bandcamp.com.

Hoje em dia a banda não pertence a lugar nenhum e ao mesmo tempo a todos os lugares do mundo. O trabalho do grupo consiste em levar a música regional brasileira onde for, e devolve ao nosso pais, toda a brasilidade que outros países tanto amam!

Segue abaixo entrevista exclusiva com a banda Cipó Cravo para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 29.05.2022:

1) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana (Vocal) nasceu no dia 29/05/1977 em Viçosa – MG, registrada como Glauciele Santana. Fya Show (Acordeon), registrada como Adir Poleto, nasceu no dia 08/11/1952 em Viçosa – MG. Gladson Santana (Zabumba), nasceu no dia 01/05/1982 em Viçosa – MG. Mestre Esquilo, registrado como Bruno Melo (Percussão), nasceu no dia 30/07/1978 em Viçosa – MG.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Sou filha de uma musicista Fya Show, ou seja, o contato com a música vem ainda no ventre de minha mãe.

03) RM: Qual a sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Musicista popular/prática. Me formei em comunicação Social e sou bacharel em Publicidade e Propaganda UniBH – Centro Universitário de Belo Horizonte. Formou-me também em Educação Física. Tenho pós em Arte, Cultura e Educação e em Sociologia das Religiões. Fiz inúmeros cursos, especializações e formação continuada em várias áreas!

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Desde cedo demostrava talento para artes, teatro e música. Sempre me atrevia em peças teatrais, musicais e dançava, dançava muito e todos os dias!

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira profissional?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Comecei a cantar ainda muito pequena, por volta dos 9 anos de idade (1986), em Curvelo – MG. Minha mãe percebeu meu talento para a música e informalmente fizemos muitas apresentações, porém aos meus 12 anos (1989), em Sete Lagoas – MG comecei a cantar profissionalmente na banda Fya & CIA, junto com a minha mãe Fya Show e com meu pai José Dioclécio Santana.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Em 1999 o álbum – “Origem”. Em 2001 o álbum – “Uai Sô”. Em 2004 o álbum – “Vibrações +’s (vibrações Positivas). Em 2007 o álbum – “Improviso”. Em 2010 o álbum e DVD – Comemorativo de 10 anos da banda Cipó Cravo.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Popular.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Fiz muitos cursos, não apenas de técnicas vocais, mas como fazia teatro, acabei entendo melhor postura no palco, e como utilizar o alcance vocal.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Sou cantora e sem a minha voz, não tenho justamente a minha ferramenta de trabalho, sendo assim, esse cuidado é imprescindível. Outra maneira de entender é a proposta de cada pessoa. Se eu sou cantora o mínimo que tenho que fazer é não desafinar. A técnica e estudo te torna uma pessoa mais precisa e passível de menos erros.

10) RM: Quais as cantoras (es) que você admira? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Eu começo com minha mãe, Fya Show, pois foi a minha escola. Tenho muito orgulho de conhecer pessoalmente as pessoas que admiro, como Anastácia, Janaynna Pereira, Dominguinhos, Alceu Valença (que me inspirou a fazer a primeira música da banda), o Trio Virgulino (Enok, Roerto e Adelmo), que amo demais… E se eu for escrever todos aqui, a gente vai precisar de um HD novo (risos).

11) RM: Como é o seu processo de compor? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Escrevo poemas…depois acabam virando músicas!

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Kuque Malino, Paulinho Mota, Mestre Esquilo.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Algumas músicas foram editadas e como a editora retém os direitos, não sei ao certo quem já gravou.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Eu tenho autonomia no meu trabalho. Toco onde quero, para quem eu quero e não preciso aceitar nenhuma imposição. Ao mesmo tempo, tenho que fazer toda produção e promoção sozinha, o que fica muito caro e dá muito trabalho.

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco? Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Formei-me em comunicação Social e sou Bacharel em Publicidade e Propaganda para administrar a banda. “Quem não é visto, não é lembrado”… E hoje em dia se faz verdade nas redes sociais! Sendo assim, temos um planejamento de marketing, design, e trabalhamos para estarmos sempre crescendo nas redes sociais. Todas as nossas músicas estão nas plataformas musicais na internet. Vendemos nossas músicas pelo site www.bandcamp.com. Temos uma preocupação em sempre ter em nosso repertório músicas autorais. A nossa imagem, seja na internet, cartazes, capas de CDs e em qualquer outra esfera, passa por minha aprovação, ou na maioria das vezes, prefiro eu mesma fazer, para que tenha boa qualidade. Nunca subimos a palco sem ensaiar e nos preparar para aquele determinado show. O figurino também é previamente combinado.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: A internet ajuda a fazer com que meu trabalho chegue a todas as pessoas. Só me senti prejudicada na pandemia do covid-19, onde com o isolamento social, sem trabalho e sem dinheiro, a nossa única opção para os artistas foi a internet e as redes sociais começaram a cobrar para que nossas publicações chegassem ao nosso público.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Não vejo desvantagens. Poder fazer a produção em casa, no meu tempo, sem a pressão de pagar por algumas horas, facilita muito o processo criativo.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Fazer um bom plano de mídia, de divulgação.

19) RM:  Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais artistas permaneceram com obras consistentes e quais regrediram? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Eu acho que estamos sempre progredindo. O movimento popular, tem que se renovar, parar, voltar as suas raízes, inovar, recomeçar, regredir para continuar! E isso é o melhor que temos na arte e cultura brasileira. Ela é como rio, está lá, mas nunca é a mesma “água”!

20) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Trio Virgulino, Alceu Valença, Trio Forrozão e milhares de outros. Esse povo do forró é bom demais de serviço!

21) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado e etc)?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Com mais de 30 anos na carreira artística, já aconteceu de TUDO! Mas inusitado, para mim, era conseguir chegar num show, sozinhos, em outro Estado sem ajuda de GPS. Uma das vezes indo tocar no Malagueta, no Rio de Janeiro/RJ, ficamos perdidos e ao parar para pedir informação, o senhor que veio falar com a gente disse trabalhar no Malagueta! Entrou em nosso carro e nos levou até o local do show! Coincidências boas, que só a energia do Forró pode proporcionar! Inusitado foi andar pela Vila de Itaúnas – ES e ouvir nossa música tocando em cada casa que ia passando até chegar ao hotel! Inusitado é poder dançar até o Sol raiar, sem ver nenhuma briga, sem medo de nenhuma rejeição, sem preocupação de onde deixei minha bolsa ou meu chinelo. Para mim, inusitado é o próprio forró!

22) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Só tenho uma tristeza que é a nossa construção social em desvalorizar a arte, o artista, a nossa cultura. No mais, a carreira musical, cantar, levar minha música, faz parte de quem eu sou e só me faz bem!

23) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Maravilhoso! Um resgate de nossas raízes! Aqui em Minas Gerais, chamamos de movimento de “Forró Pé de Serra”.  O termo “universitário” foi criado em São Paulo, se não em engano.

24) RM: Quais os grupos de “Forró Universitário” chamaram sua atenção?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Banda Alcalyno, Forró Malyno, Trio Bodocó, Trio Zé ferino, Trio Jerimum, Trio Gandaiêra, Trio Lampião, Bicho de Pé, Trio Havengar, Banda Bagana, e muitos outros…

25) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Não sei mais como funciona o “esquema” das rádios. Nossa música está sendo entregue via internet. Mesmo assim, sem pagar, diariamente tenho notícias que tocou em uma rádio ou outra, então, acho que sim pode podem tocar a nossa música sem nos cobrar o jabá.

26) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Nada vem de graça!

27) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: A energia é sempre maravilhosa! No mais, não vejo muitas vantagens…

28) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Hoje em dia a internet é o lugar para descobrir novos talentos. Os festivais de música podem ajudar, mas atingem um número bem limitado de pessoas.

29) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: É triste a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira. A grande mídia nem de longe representa realmente nossa arte e cultura. Estão contribuindo para que a destruição da mesma aconteça.

30) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical? 

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Acho muito válido! Iniciativas que promovem e principalmente, que pagam shows culturais deviam ser incentivados por politicas publicas e privadas, para que mais dessas ações aconteçam.

31) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró das antigas e as atuais do Forró Estilizado?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Não conheço o trabalho do Forró Estilizado, teria que ver e ouvir para dar minha opinião. Mas em geral, gosto muito do trabalho das bandas de Forró, principalmente as que tocam o estilo raiz, ou Pé de Serra!

32) RM: Qual a sua opinião sobre o uso do Teclado no Forró?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Se for bem tocado, não vejo problema nenhum.

33) RM: Quais os seus projetos futuros?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: Temos uma agenda que envolve as festas de São João, que em Minas Gerais começam no fim de maio e seguem até agosto. Além disso, as produções de novas músicas estão nos nossos planos e já começamos a gravar um novo álbum. Vamos entregar as músicas nas plataformas, através de singles. Nossas turnês internacionais finalmente voltaram e esperamos poder tocar e levar o Forró para o máximo de pessoas!

35) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Banda Cipó Cravo | Glau Santana: www.cipocravo.com

| glaucielesantana@hotmail.com

 | https://www.facebook.com/GlauSantana

| https://www.facebook.com/icsmestreesquilo

 | https://www.facebook.com/brclass

| https://www.facebook.com/bandacipocravo

| https://www.facebook.com/centrodeartesbrasileiras

| https://www.instagram.com/glausantanaoficial

| https://www.instagram.com/bandacipocravo

| https://www.instagram.com/centrodeartesbrasileiras

| https://www.instagram.com/brclass

| TikTok: @glausantanaoficial

Canal: https://www.youtube.com/user/glaucielesantana

Banda Cipó Cravo, apresenta: FORRÓ MINEIRO: https://www.youtube.com/watch?v=cUIL9nun3ys

Um pouco mais sobre minha carreira:

https://libertasnews.com.br/a-poesia-cantada-de-glau-santana

https://www.youtube.com/watch?v=1nhBF1p2BF0

https://www.portalsete.com.br/?p=134105


Continua após a Publicidade
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.

Disqus Comments Loading...
Publicado Por
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa
    Continua após a Publicidade

Artigos Recentes

M. Paulino

O cantor, compositor pernambucano M. Paulino, com um estilo pessoal "O Pernambuxé" além de forrozeiro…

% dias atrás

Banda Semente Regueira

Banda Semente Regueira, formada no final de 2000 por músicos amigos e influenciados pela ideologia…

% dias atrás

Músicas de Gilberto Gil mais consagradas, segundo os dados do ECAD

Gilberto Gil: 80 anos, canções mais tocadas e “amor” como a palavra mais repetida em…

% dias atrás

Quinta Essentia Quartet

Com sete álbuns gravados entre participações e trilhas completamente feitas pelo grupo, o Quinta Essentia…

% dias atrás

Gilberto Gil é o “Pelé” da Música do Brasil

Por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa Gilberto Gil, chega aos 80 anos de idade (26/06/2022)…

% dias atrás

Paulinho Akomabu

Há mais de 20 anos, Paulinho Akomabu, iniciou a sua carreira, mais precisamente no Centro…

% dias atrás
Continua após a Publicidade

Este website usa cookies.