More Assini »"/>More Assini »" />
Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.

Assini

Assini
Assini

O cantor, compositor, instrumentista, coprodutor e ativista LGBTQ+ catarinense Assini, sem medo e com muita liberdade abre espaço para revelar seus sentimentos mais íntimos, em um mundo cada vez mais violento.

Em diálogo com o pop Indie, influenciado pelo rock dos anos 1980 e 90, o músico encontrou o ritmo perfeito para exercer seu ativismo LGBTQ+. “Meu sonho é fazer música pro resto da vida. Isso não significa uma monstruosa fama. Se vier reconhecimento, é incrível também.”

Os primeiros versos de Assini, surgiram aos 13 anos de idade, quando a auto aceitação ainda era uma tarefa difícil e dolorosa. Por viver em Brusque (SC), uma cidade do interior, com aproximadamente 4 mil habitantes, a resistência contra os preconceitos é diária. E a resposta dele para isso tudo é “Não deixe ninguém te aprisionar. Seja orgulhoso de quem você nasceu para ser”.

O artista carrega em seu repertório autoral os EPs: “Tragic but Magic” (2018) e “Gênesis” (2020), sendo que, desses trabalhos, duas delas já foram presenteadas em forma de clipe. Segundo suas próprias palavras “Esses primeiros lançamentos foram um teste, para encontrar o próprio sentido da minha sonoridade”.

Assini lançou, nas plataformas de streaming, seu novo single autoral, “dancing alone”, considerado por ele como uma balada pop experimental. Traduzindo para o português, o título “Dançando sozinho” já diz muito sobre o conceito, mensagem e ideia desta música, cuja composição aconteceu em 2020 e expressa, nitidamente, a tristeza e a insegurança, sentimentos intensificados pelo atual momento.

“A música fala sobre estar com sua casa vazia, espaço vago que usualmente era preenchido por alguém. Então é sábado à noite, você está dançando, mesmo que em círculos, corre pra ver o nascer do sol, mas logo volta pra casa, pois você está dançando sozinho. Muitas pessoas estão ‘dançando sozinhas’ hoje. Eu perdi pessoas próximas também. Isso tudo é muito triste. Me coloco no lugar delas”, explica Assini. Produzida por Davi Carturani, “dancing alone” conta com violão, cordas, guitarra e coral, mas mantém, essencialmente, o piano como o instrumento base, característica marcante na carreira de Assini, o que pode ser percebido, também, em “I Would Die For You”, lançado por ele em 2018 no EP “Tragic But Magic”, música que se tornou carro chefe de sua discografia.

Em relação ao futuro, Assini alerta: “Eu acho que a pandemia do Covid-19 não me permite criar muitos planos. Eu quero soltar o que produzi aos poucos e investir na divulgação digital. Torço para que alcance muitas pessoas, é esse meu objetivo final. Se alguém se emocionou e sentiu, valeu a pena”. “Dancing alone” foi gravada em Brusque (SC), no Pistache Estúdio, e já está disponível nas plataformas digitais e com clipe no Youtube.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Assini para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 12.07.2021:

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Assini: Nasci no dia 29.04.1996 em Brusque – Santa Catarina. Registrado como Afonso Carlos Assini.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Assini: Comecei desde muito criança a me interessar pelo Piano. Minha família sempre fez parte de ministérios de música na Igreja, deve ter me ajudado em buscar o interesse no instrumento.

03) RM: Qual sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Assini: Fora da música sou formado em Administração.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Assini: Eu sempre ouvi muito pop internacional, desde sempre. Minhas inspirações vão de Spice Girls a Amy Winehouse. Eu sou muito fã do pop e muito fã de cantoras. A força “girl power” no palco me inspira.

05) RM: Quando, como e onde você começou sua carreira musical?

Assini: Final de 2018 foi quando lancei meu primeiro single “Dance Until I Die”, sem expectativa nenhuma do que viria pela frente. Era apenas uma música que eu tinha escrito e decidi lançar nas plataformas. Eu nem sabia como colocar nas plataformas, tive ajuda de um amigo. A música então entrou para duas rádios da região e tudo começou a dar certo.

06) RM: Quantos CDs lançados?

Assini: Eu lancei dois EPs: Em 2018 “Tragic but Magic” é voltado para o indie pop e em 2020 “Genesis” para o eletropop. As músicas que mais se destacaram em ambos os projetos são: “I would die for you”, “I’ll take my freedom”.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Assini: Eu faço música pop, mais experimental do que comercial, mas continua sendo pop.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Assini: Fiz poucas aulas de técnica vocal.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Assini: Eu realmente devo estudar mais sobre técnica vocal, quando fiz as aulas vi que “cantava errado” e percebi a importância de exercícios e aquecimento.

10) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Assini: A lista é grande: Spice Girls, Kesha, Florence and the machine, David Bowie, Cher, Lily Allen, Shakira… eu ouço música o tempo todo, gosto de muitas coisas.

11) RM: Como é seu processo de compor?

Assini: É indefinível. Às vezes é só sentar na frente do Piano e sai uma música em cinco minutos. As vezes a melodia vem enquanto estou dirigindo, ou na rua… Eu pego o celular e vou gravando para não esquecer. É uma loucura.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Assini: Eu escrevo tudo sozinho, essa é a parte mais legal e desafiadora ao mesmo tempo.

13) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Assini: Os prós é que você é dono de toda a sua arte. Você faz o que realmente quer, escreve o que quer, grava vídeos como quer, é libertador artisticamente falando. Os contras é que números dizem muito na carreira de um artista falando de forma comercial. E para o artista independente conseguir grandes números ele precisa de muito de sorte, pois não tem nenhum investimento milionário por trás.

14) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Assini: Eu procuro sempre dar o passo conforme eu posso. Eu faço o que está ao meu alcance. Eu faço praticamente tudo sozinho, então demanda muita energia, dinheiro e trabalho duro. Mas eu vou fazendo o meu, sempre com muito foco em entregar um material de qualidade.

15) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Assini: Podemos dizer que a ação de marketing para divulgação de single/álbum é essencial. Há erros e acertos, mas é fundamental que haja um planejamento na medida que o artista pode investir.

16) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Assini: A internet ajuda em praticamente tudo. Eu posso fazer tudo estando na minha casa, sem sair da minha cidade. Facilita também alguma pessoa de alguma gravadora, por exemplo, me descobrir e entrar em contato.

17) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Assini: Eu também vejo o home estúdio como algo fantástico. A Billie Eillish, por exemplo, gravou seu álbum do próprio quarto com o irmão e foi incrível à proporção que tomou. Você não precisa estar com um orçamento milionário para entregar um bom material.

18) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Assini: Eu procuro ser eu mesmo sempre e eu já nasci diferente. Eu sempre nadei contra a maré, se é que me entende e eu acho isso lindo. Nossa essência está em nossas diferenças, é o que nos faz únicos.

19) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Assini: Artistas originais, que moldaram algo novo: David Bowie, Cher, Madonna, Gaga…

20) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para sgow, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Assini: Meu piano já caiu durante uma apresentação enquanto eu estava tocando, foi muito engraçado.

21) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Assini: Sou feliz em tudo o que eu faço. Saber que sai da minha gaveta e do nada tem bastante gente ouvindo, é incrível. Eu nasci para isso. O que me deixa triste é a falta de atenção que muitos artistas independentes sofrem. Ninguém precisa se humilhar para ser ouvido. As pessoas deveriam procurar mais o conteúdo e não números.

22) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Assini: Eu acho que existe o dom artístico. A sensibilidade e uma forma diferente de enxergar as situações.

23) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Assini: Acho que é uma junção da prática com um dom.

24) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Assini: Dinheiro move o mundo. Na música não é diferente. Nas rádios locais minha música já entrou e é por isso que eu celebro cada pequena conquista da minha carreira. Minha música entrou no top 4 das mais vendidas do iTunes Brasil no dia que lançou, sem jabá e sem gravadora.

25) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Assini: Eu aconselho a pessoa a seguir o seu sonho independente do que seja. Não ouvir opiniões de quem não está no corre, se blindar e seguir.

26) RM: Assini, Quais os seus projetos futuros?

Assini: Continuar divulgando meu single novo, lançar clipe e futuramente o EP. Ele já está finalizado, mas pretendo dar um passo de cada vez.

27) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Assini: https://web.facebook.com/assinimusic

| https://www.instagram.com/assinimusic

https://open.spotify.com/album/2hZDHhjTu86H3TwKtMBgxs?si=gu4NrrdRRgyAWjiDQGAZlQ&nd=1

https://www.deezer.com/br/album/225557612

Canal: https://www.youtube.com/channel/UCNAAKa1AdOC_Om0_r_WbSEg

dancing alone (visualizer): https://www.youtube.com/watch?v=Z9QSOYm9B9Y

I Would Die For You: https://www.youtube.com/watch?v=KxLMJhoCIOs

I’ll take my freedom: https://www.youtube.com/watch?v=6t3twOKFMb4

Dance Until I Die: https://www.youtube.com/watch?v=apnRfcCwQts

I WOULD DIE FOR YOU (HOME PIANO SESSION): https://www.youtube.com/watch?v=3H9MaAvhqrY

DANCE UNTIL I DIE/TOTAL ECLIPSE OF THE HEART (HOME PIANO SESSION): https://www.youtube.com/watch?v=Zt2UQ2rHXbg

Playlist: https://www.youtube.com/watch?v=6t3twOKFMb4&list=PLQ_Iwf2rUMyqVk39VMdRVM68OxQR17EdL


Deixe um comentário

*

Uma Revista criada em 2001
pelo jornalista, músico e poeta paraibano
Antonio Carlos da Fonseca Barbosa.