Anderson Camarada

Anderson Camarada

O cantor, compositor, multi-instrumentista carioca Anderson Camarada é graduado em  musicoterapia pelo Conservatório Brasileiro de Música do Rio de Janeiro. Além de curso de formação de Flauta Doce (Yamaha) voluntário no projeto Turminha do Som em que atende cerca de 50 famílias com crianças especiais, um trabalho gratificante que acontece todos os sábados na instituição localizado no bairro prata em Nova Iguaçu – RJ, além de participar ativamente de um coral com adultos especiais (Coral superação) em que promove autoestima, interação interpessoal para dar voz e vez a quem não tem.

Anderson Camarada aprendeu diversos instrumentos: Cavaquinho, Banjo, Violão, Pandeiro, Tantã, Surdo, Tamborim, Caixa, Reco-reco, Bateria e Flauta doce. Carrega consigo o amor pela música. Como músico acompanhou por mais de 12 anos diferentes artistas em show como Arlindo Cruz, Reinaldo – Príncipe do Pagode em que teve o privilégio de tocar durante um ano, Dudu nobre, Xande de pilares, Marquinho Sensação, entre outros, com apresentações em diversas Casas de show, Bares e eventos públicos.

Anderson Camarada em 2007 gravou um CD com o grupo Senzala “Mundo colorido”, chegou a tocar em algumas rádios como FM O Dia, rádio Mania entre outras, parceria que durou cinco anos, mas acabou por se afastar, em seguida foi convidado para entrar no grupo “Derê”, com quem gravou o CD – “Desperta para Felicidades”, porém por alguns tropeços o trabalho do grupo teve que ser interrompido por conta de falta de união, o grupo durou por cinco anos.

Anderson Camarada  passou a se dedicar a carreira solo e em 2020 gravou a primeira live, em que participou ativamente do projeto montando todos arranjos, a produção feita por ele e a partir daí se encontrou na carreira musical e nesse embalo lançou a primeira música “Algo em Comum” que já está em todas as plataformas digitais, agora segue em estúdio preparando o seu EP. Vem muito coisa boa aí.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Anderson Camarada para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 01.11.2020:

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Anderson Camarada: Nasci no dia 25.04.1981 no Rio de Janeiro – RJ. Registrado como Anderson de Paula de Oliveira.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Anderson Camarada: Sou influenciado pelo meu pai (Abílio de Oliveira Filho) que é músico e compositor, após eu tomar dele um velho Cavaquinho, comecei a aprender sozinho a tocar o cavaco. E daí surgiu o amor pelo Samba e Pagode.

03) RM: Qual sua formação musical e/ou acadêmica fora da área musical?

Anderson Camarada: Cursei Musicoterapia pelo Conservatório Brasileiro de Música – RJ e sou multi-instrumentista e professor de Música.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Anderson Camarada: No passado Fundo de Quintal, Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Reinaldo, Exaltasamba etc. No presente Ferrugem, Clareou etc. Nenhuma deixou de ser importante e todas tem seu peso e respeito a todas as minhas influências.

05) RM: Quando, como e onde você começou sua carreira musical?

Anderson Camarada: Aos 16 anos de idade comecei a minha trajetória musical no grupo “Cadência” que abria o pagode do grupo “100%”, pagode esse que recebia vários artistas do mundo da música, conhecido como segunda sem lei em Nova Iguaçu – RJ. Após passar pelo grupo “Explosão” em que chegou a gravar duas músicas com o grande produtor Bira Havaí e grupo “Senzala”, cheguei ao grupo “Derê”. Em 2020 despertei para felicidade iniciando a minha carreira solo e ao interpretar a minha música “Algo em comum”.

06) RM: Quantos CDs lançados? 

Anderson Camarada: Um CD com o grupo “Derê” – “Desperta para a felicidade”.

Um CD em 2007 com o grupo “Senzala” – “Mundo colorido”. Em 2020 sigo com meu trabalho solo e lancei o single “Algo em comum”.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Anderson Camarada: Samba e Pagode.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Anderson Camarada: Sim.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Anderson Camarada: O estudo de técnica vocal ajuda na dicção certa para alcançar as notas. Requer muito treino, estudo e dedicação. A nossa voz é um instrumento poderoso e temos que cuidar com carinho.

10) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Anderson Camarada: Cartola, Jorge Aragão, Xande de Pilares, Péricles entre outros.

11) RM: Como é seu processo de compor?

Anderson Camarada: Monto a melodia e depois coloco a letra, escrevendo de uma maneira para segurar a melodia depois venho corrigindo.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?  

Anderson Camarada: Maninho Gonzaga, Jorginho Ribeiro e Nael Rodrigues.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Anderson Camarada: Ainda não consegui nenhum grupo, mas já tive o prazer de gravar samba enredo de minha composição com Jorginho Ribeiro, Mocidade de Itanhandu Sul de Minas.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Anderson Camarada: Participo de tudo que está acontecendo, dou opiniões, ponho no papel o que penso. Agora os contras é a parte burocrática, quando se quer chegar em algum lugar é necessário a força de uma equipe.

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Anderson Camarada: Eu penso em fazer shows que divirtam o público, conversar com o público. Eu costumo dizer que faço bagunça, adoro mudar roteiro e repertório no palco e a cabo improvisando grande parte do show.

16) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Anderson Camarada: Tenho um propósito no que faço e faço por etapas, para isso criei minha empresa AC. Produções e passei a administrar por ela toda minha trajetória e em parceria com a Nós imagem que cuida de toda parte de imagem e produção de teaser, de vídeo em shows e fotos.

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Anderson Camarada: Só ajuda. Hoje em dia no mercado musical é tudo digital e aproveito aqui para agradecer ao Facebook e YouTube que tem ajudando muito com isso. 

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia de gravação (home estúdio)?

Anderson Camarada: A grande vantagem é a democratização do processo de produção artística. Muitos nomes e trabalhos interessantes, que simplesmente não surgiriam por falta de estrutura. Por outro lado, vivemos um momento de transição, em diversos sentidos, o mercado musical ainda está se adaptando às novas realidades.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Anderson Camarada: Não é barato gravar música, e continua os mesmos obstáculos para quem quer iniciar uma carreira musical. A música tem espaço para todos, o que importa é fazer um trabalho de qualidade para agradar seu público alvo.

20) RM: Como você analisa o cenário do samba. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Anderson Camarada: A cada dia surge novos talentos e a internet contribui muito com isso e nesse cenário musical existem muitas músicas boas que se destacam e destacar algo fica difícil, pois cada música é composta no seu tempo, lógico que existem clássicos que se eternizam para sempre.

21) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado etc)?

Anderson Camarada: Putz de tudo um pouco que foi citado na pergunta acima, e isso faz parte da carreira de qualquer músico (risos). Agora me fez lembrar do bom e velho lanche (risos) pão com linguiça nos finais de cada show que saudade.

22) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Anderson Camarada: Na carreira musical nada me deixa triste, é gratificante você poder levar um pouco de alegria para as pessoas e isso não tem preço.

23) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Anderson Camarada: Sim existe. Geralmente, este “dom” (inteligência) se manifesta na infância dependendo das oportunidades, estímulos e contatos que a pessoa tenha tido com seu meio social. Podendo com isso, não só descobri-lo, como desenvolvê-lo. O que não impede que por não ter tido cedo, estes estímulos, se manifestar mais tardiamente.

24) RM: Qual é o seu conceito de Improvisação Musical?

Anderson Camarada: O nome já diz tudo, o improviso vem de cada um. O que demanda é um bom momento e inspiração para que tudo se encaixe de maneira correta.

25) RM: Existe improvisação musical de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Anderson Camarada: Existe.

26) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical?

Anderson Camarada: A única coisa que não pode ser tirado é o conhecimento.

27) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o Estudo de Harmonia musical?

Anderson Camarada: Para se estudar harmonia não existe contra, e estudo nunca é demais.

28) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Anderson Camarada: Somente Deus poderá responder.

29) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Anderson Camarada: O limite é o céu e dedicação.

30) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Anderson Camarada: Na minha época que é a de hoje para mim não existe Festival de Música. Fica muito difícil opinar.

31) RM: Hoje os Festivais de Música revelam novos talentos?

Anderson Camarada: Hoje em dia para mim não tem Festivais de Música.

32) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Anderson Camarada: Ainda não tive o prazer de conhecer esses espaços: SESC, SESI e Itaú Cultural.

33) RM: O circuito de Bar na cidade que você mora ainda é uma boa opção de trabalho para os músicos?

Anderson Camarada: Sempre é uma boa opção para os músicos trabalharem  pois existem vários Bares no Rio de Janeiro.

34) RM: Fale sobre a musicoterapia.

Anderson Camarada: “Musicoterapia é a utilização da música e/ou seus elementos constitutivos como objeto intermediário de uma relação que permite o desenvolvimento de um processo terapêutico, mobilizando ações e reações biopsicossociais no indivíduo com o propósito de minimizar seus problemas específicos e facilitar sua integração/reintegração no ambiente social normal” (1982, pp. 2-3).

Assim, temos um arsenal de sons, ritmos, timbres e instrumentos a nos auxiliarem na tarefa inicial de entrar em contato com um paciente para buscar a interação que vai possibilitar o estabelecimento do vínculo terapêutico, sem o qual nada acontece num processo terapêutico.

A meta principal do musicoterapeuta é a melhora da qualidade de vida das crianças com deficiência e suas famílias. O que pode ocorrer a partir do momento em que se trabalha com o paciente com vários tipos de terapias adequadas à clientela. Através de um atendimento que busca minimizar o quadro através da relação terapeuta-paciente, na musicoterapia, tratamento que trabalha com o paciente através da música. Nesse tipo de tratamento o musicoterapeuta e paciente constroem um espaço terapêutico que visa o compartilhamento e interação dos dois e, deste, com os familiares. Também se objetiva um contato mais consistente com os familiares de nossos clientes.

35) RM: Quais os benefícios da musicoterapia?

Anderson Camarada: O principal objetivo da musicoterapia é possibilitar uma melhor qualidade de vida para crianças com deficiência e suas famílias e/ou cuidadores.

36) RM: Quais os prós e contras da área de musicoterapia?

Anderson Camarada: São muitos pontos positivos: conseguir que o paciente tenha um pequeno ganho, qualquer que seja, é muito importante. Os pontos negativos também são muitos, pois existem pacientes muito graves que pode se trabalhar anos e não se consegue muita coisa. Qualquer terapeuta tem que estar preparado para lidar com a frustração de não conseguir aquilo a que se propõe, quando escolhe uma profissão como esta.

37) RM: Quais os seus projetos futuros?

Anderson Camarada: Gravar meu primeiro EP e conto com a gravadora Aikos music que tem me ajudado muito, e aproveito para agradecer a parceria. Acabei de gravar minha live que para minha surpresa alcançamos a marca de 13 mil visualizações, e em seguida lancei minha primeira música “Algo em comum”.

38) RM: Anderson Camarada, Quais seus contatos para show e para os fãs?

Anderson Camarada: (21) 99366 – 2034 / [email protected] /

https://web.facebook.com/anderson.orelha 

https://web.facebook.com/rodadesambadocamarada 

/ https://www.instagram.com/andersoncamarada 

Canal: https://www.youtube.com/channel/UC6uAmJLtfoogmb6uCqWAYCQ 

Anderson Camarada – Algo em Comum: https://www.youtube.com/watch?v=APMKrXH1Fv8 

Live Anderson Camarada em 26 de julho de 2020: https://www.youtube.com/watch?v=tH3e3MmQWe0


Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.