Continua após a Publicidade
Categorias: EntrevistasForró

Alquimides Daera


O cantor, compositor, instrumentista, arranjador, produtor musical paraibano Alquimides Daera, em 1970 iniciou seus estudos de Composição e Regência de coral, Violão e Canto. E começou apresenta-se em Bares, Casas de shows, Festas populares, mostrando o que há de melhor da música brasileira.

Em 1977 gravou o CD – “Identidade Nordestina” e fez seus primeiros shows em São Paulo. De 1977 a 1979 participou das bandas: “Os Natos” de Itaporanga – PB; “Os Invictos” de Piancó – PB; “Terraço de Som” de Campina Grande – PB; “Metalúrgica Filipéia” em João Pessoa – PB; “Eucalipto” em São Paulo – SP. De 1979 a 1980 participou do Coral da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo como tenor. E gravou o CD – “Coral das Águias Marinhas” em parceria com Geraldo Vandré. Em 1982 participou do Projeto Pixinguinha, apresentando o show Voz e Violão “Caminho dos Ventos” que foi gravado ao vivo no Teatro Severino Cabral Campina Grande – PB. Em 1988 gravou o CD – “Amor Sublime”. Em 1990 fez shows pelos Bares, Casa de show da Paraíba. Em 1993 gravou o CD – “Geografonauta” em parceria com o poeta Silvestre Almeida Filho. De 1994 a 1998 produziu o CD – “50 canções de Amor e um Poema de Espera” do poeta e político (falecido) Ronaldo Cunha Lima. E dentre essas 50 canções, ele escolheu algumas que mais se identificou reunido elas no CD – “Enigma”. De 1998 a 2001 residiu em Florianópolis (SC) e apresentando o show Fortaleza Interior pelo estado de Santa Catarina. E produziu a banda Fishiman. Em 2001 voltou à Campina Grande – PB e foi o produtor musical e participante do CD – “Conexão 200” / coletânea com artistas do estado da Paraíba. Em 2002 no Clube do Jazz Paraíba Brasil gravou o CD – Jazzbaião. Em 2003 gravou o CD – duplo – “Simples Paz”, com a banda Simples Paz formada por: Irivan Lima, Tupy e Edson Vidigal Filho. Em 2004 gravou o CD – “Um Amor Quase Exemplar” em parceria com o ministro e poeta Edson Vidigal, baseado no livro de poesia Um Amor Quase Exemplar. Em 2005 gravou o CD – “Software do Destino” em parceria com o médico e poeta Ajalmar Maia. Em 2006, 2007 e 2008 foi o produtor e participante dos CDs – Campina Jazz Festival; CD – Campina Jazz Festival ll e CD – Campina Jazz festival III. Em 2010 morando em Londrina – PR gravou o CD – “Memorial”, uma coletânea de clássicos da Bossa Nova, com letra e as mesmas músicas no formato instrumental. E fundou a Associação de autores e compositores do Paraná – PR. Em 2011 voltou à Campina Grande – PB e gravou ao vivo o CD – “Projeto Autoral” com vários compositores paraibanos. Em 2012 gravou o CD – “Amores & Blues” no formato Voz e Violão. Começou em 2013 gravar o CD – coletânea com suas canções.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Aquimides Daera para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa  em 01 de fevereiro 2014:

Índice

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Alquimides Daera: Nasci no dia 27/12/1957 – Itaporanga (PB). Registrado como Ivo Cordeiro de Lima. Geraldo Vandré fez um poema que batizou meu nome artístico: Alquimides Daera.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Alquimides Daera: Foi com o meu pai que era músico.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica (Teórica)?

Alquimides Daera: Cursos de composição e regência de coral, violão e canto.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente.

Alquimides Daera: São muitas, mas a que mais me influenciou foi o Chorinho, mas todas tiveram importância na minha vida.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Alquimides Daera: Em 1970 em Campina Grande – PB.

06) RM: Quantos CDs gravados?

Alquimides Daera: CDs não foram lançados, mas gravados foram:

1977 – CD – Identidade Nordestina.

1980 – CD – Coral das Águias Marinhas em parceria com Geraldo Vandré.

1988 – CD – Amor Sublime.

1993 – CD – Geografonauta em parceria com o poeta Silvestre Almeida Filho.

De 1994 a 1998 produziu o CD – 50 canções de Amor e um Poema de Espera do poeta e político (falecido) Ronaldo Cunha Lima. E dentre essas 50 canções, ele escolheu algumas que mais se identificou reunido elas no CD – Enigma.

2001 – CD – Conexão 200 / coletânea com artistas do estado da Paraíba.

2002 no Clube do Jazz Paraíba Brasil gravou o CD – Jazzbaião.

2003 gravou o CD – duplo – Simples Paz, com a banda Simples Paz formada por: Irivan Lima, Tupy e Edson Vidigal Filho.

2004 – CD – Um Amor Quase Exemplar em parceria com o ministro e poeta Edson Vidigal, baseado no livro de poesia Um Amor Quase Exemplar.

2005 – CD – Software do Destino em parceria com o médico e poeta Ajalmar Maia.

2006, 2007 e 2008 foi o produtor e participante dos CDs – Campina Jazz Festival; CD – Campina Jazz Festival ll e CD – Campina Jazz festival III.

2010 – CD – Memorial, uma coletânea de clássicos da Bossa Nova, com letra e as mesmas músicas no formato instrumental.

2011 – CD – ao Vivo – Projeto Autoral com vários compositores paraibanos.

2012 – CD – Amores & Blues no formato Voz e Violão.

2013 – começou a gravar o CD – coletânea com suas canções.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

Alquimides Daera: Jazz fusion, a mistura do jazz, bossa nova, baião JAZZBAIÃO.

08) RM: Como é o seu processo de compor?

Alquimides Daera: Componho o que acontece todos os dias na minha vida, transformando cotidiano em música. E já coloquei melodias em muitas poesias.

09) RM: Quais são seus principais parceiros musicais?

Alquimides Daera: Geraldo Vandré, Ajalmar Maia, Ronaldo Cunha Lima, Silvestre de Almeida filho.

10) RM: Você estudou técnica vocal?

Alquimides Daera: Sim.

11) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Alquimides Daera: Maria Rita, Elis Regina, Gal Costa, Zizi Posse, Dalva de Oliveira, Leni Andrade, Leila Pinheiro, Marisa Monte.

12) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Alquimides Daera: Prol é ter amor pela música. E Contra, querer ser sucesso de uma cultura de massa, que não sabe o que é musica, faço música para os amigos e familiares.

13) RM: Quais às estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Alquimides Daera: Está sempre compondo músicas com sentimento e alma musical.

14) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Alquimides Daera: As redes sociais e no clube do jazz Paraíba Brasil.

15) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento da sua carreira musical?

Alquimides Daera: Ajuda na divulgação e prejudica porque qualquer um tem o mesmo acesso e ferramenta para divulgar música de qualidade duvidosa.

16) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home Studio)?

Alquimides Daera: Poder gravar em casa é muito bom. A desvantagem é que qualquer um que não estudou música grava qualquer coisa e diz que é compositor.

17) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Alquimides Daera: Tenho os sites de músicas, que me recebe muito bem tenho mais de 15.000 amigos no myspace, etc…

18) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Alquimides Daera: O Brasil está perdido quanto à música de qualidade. A cada dia perde o encanto da canção popular, depois de Gilberto Gil só mesmo Djavan e Marisa Monte.

19) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Alquimides Daera: Egberto Gismonti, Hermeto Paschoal, César Camargo Mariano, Victor Biglione, Nelson Aires, Léo Gandelman.

20) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Alquimides Daera: Adormeci na hora do show.

21) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Alquimides Daera: Só felicidade, a tristeza vai embora quando a música chega.

22) RM: Qual músico que você tem como exemplo profissional?

Alquimides Daera: Geraldo Vandré.

23) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Alquimides Daera: Moro em João Pessoa – PB, e é igual a qualquer capital, temos os mesmos problemas, quem manda é a cultura de massa, nosso público é bem resumido.

24) RM: Quais os músicos, bandas da cidade que você mora , que você indica como uma boa opção?

Alquimides Daera: JP Sax, Quarteto de Trombone, Quinteto da Paraíba, Will Gomes, Roberto Araujo, Gabriel Caminha.

25) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Alquimides Daera: Não.

26) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Alquimides Daera: Só entre na carreira se for mesmo por amor.

27) RM: Qual o seu contato pessoal e profissional com Geraldo Vandré?

Alquimides Daera: Somos amigos e parceiros, temos contato permanente desde 1976.

28) RM: O que é verdade e lenda sobre a pessoa e profissional Geraldo Vandré?

Alquimides Daera: Geraldo inventou Vandré (Geraldo Pedrosa de Araújo Dias) para a sociedade e condenou seu invento, por que a sociedade não sabe o valor que tem a sua invenção.

29) RM: O que falta para a cena musical da Paraíba ser relevante no cenário musical brasileiro?

Alquimides Daera: Produção mais profissional.

30) RM: Como vocês analisam o cenário do Forró. Quais foram as revelações musicais nas últimas décadas? Quais artistas permaneceram com obras consistentes e quais regrediram?

Alquimides Daera: O cenário do Forró está ficando colorido e sofisticado na medida que o tempo passa com a tecnologia de produção e arranjos produtivos. E dentro do contexto Baião outros compositores estão modificando suas formas e modelos de harmonias atualizadas dentro do Forró. O que me fez compor com Ajalmar Maia este novo projeto “ENCONTRO JAZZ & BAIÃO”. Quanto as revelações eu sou a própria, em razão a diversidade cultural da música nordestina, têm outros nomes e bandas de certo valor cultural:^Mestrinho, Zerzinha, banda Falamansa, Capilé, Biliu de Campina, etc…

31) RM: Qual a sua opinião sobre o movimento do “Forró Universitário” nos anos 2000?

Alquimides Daera: O Forró Universitário não existe é só um adjetivo. 

32) RM: Qual a sua opinião sobre as bandas de Forró das antigas e as atuais do Forró Estilizado?

Alquimides Daera: As bandas de Forró das antigas são as mesmas que influenciaram as novas bandas do Forró Estilizadas com um novo modelo rítmico, mas com uma pobreza muito grande da poética das letras. 

33) RM: Qual a sua opinião sobre o Forró tocado por tecladista? 

Alquimides Daera: A sobrevivência do músico faz com que ele seja um instrumento da desigualdade social em que tem que economizar para sobreviver nestes tempos de desvalorização das artes com um todo.

34) RM: Quais os seus projetos futuros? 

Alquimides Daera: Projeto Autoral vocal e instrumental –  http://autores.ning.com/forum/topics/projeto-autoral-vocal

Paraíba Jazz festival: (CD – Caos) em parceria com Ajalmar Maia

(CD – Enigma) em parceria com Ronaldo Cunha Lima

(CD – Amores & Blues) composições inéditas

(CD – Coral das Águias Marinhas) em parceria com Geraldo Vandré. 

35) RM: Quais os seus contatos para show e para os fãs? 

Alquimides Daera: (83) 98889 – 6640 (WhatsApp)

|  clubedojazzpb@hotmail.com.br | alquimidesdaera@hotmail.com

www.autores.ning.com  

Links: https://www.palcomp3.com.br/alquimides  

| https://www.palcomp3.com.br/alquimidesdaera

| Alquimides Daera: https://soundcloud.com/alquimides

| https://www.palcomp3.com.br/jazzbaiao

ENCONTRO JAZZ & BAIÃO – Clube do Jazz Paraíba Brasil: http://autores.ning.com/profiles/blogs/soul-jazz-bai-o

| https://www.palcomp3.com.br/daerablues 

| https://www.palcomp3.com.br/forrodaera/corpos

| https://www.palcomp3.com.br/daerablues/enigma

Soul Baião · Daera · Alquimides Daera · Ajalmar Maia: https://www.youtube.com/watch?v=brEzH3fnl4s

Encontro · Daera · Alquimides Daera · Ajalmar Maia: https://www.youtube.com/watch?v=Hj_IBcnTbks

Mitos do Sertão/ Daera & Ajalmar Maia: https://www.youtube.com/watch?v=BpxswDZRP40

Jazzbaiao/Daera & Ajalmar Maia: https://www.youtube.com/watch?v=FE2cDUTBUL0

Geraldo Vandré / Beatriz Malnic / Alquimides Daera – 19 de maio de 2018: https://www.youtube.com/watch?v=ou37JVXqBxw


Continua após a Publicidade
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor responsável pela revista digital RitmoMelodia desde 2001, jornalista, músico, poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, propaga a diversidade musical brasileira através de entrevistas e artigos. Jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB (1996 a 2000) que lançou um livro de poesia em 1998 e seus poemas ganharam melodias gravadas em três álbuns concluindo a trilogia "reggae baseado em poesia" no seu projeto musical Reggaebelde. Unindo a sensibilidade do poeta, músico com o senso crítico do jornalista e pesquisador musical colocado em prática em uma revista que Canta o Brasil.

Disqus Comments Loading...
Publicado Por
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa
    Continua após a Publicidade

Artigos Recentes

Banda Catarse

O baterista Sergio Mafei é formado por aquela que é considerada a melhor faculdade de…

% dias atrás

Dhalmas

Cauã Dalmas Melim Gomes, mais conhecido como Dhalmas é um cantor de apenas 17 anos…

% dias atrás

Sesc Guarulhos – Programação de agosto

Programação musical de agosto de 2022 traz Arnaldo Antunes e Letícia Sabatella ao Sesc Guarulhos…

% dias atrás

SESC CARMO RETOMA TEMPORADA DE CONCERTOS NO CENTRO HISTÓRICO DE SÃO PAULO

SESC CARMO RETOMA TEMPORADA DE CONCERTOS NO CENTRO HISTÓRICO DE SÃO PAULO Após pausa no…

% dias atrás

PROJETO MÚSICA EDUCA RETORNA ÀS ESCOLAS – CEUs

PROJETO MÚSICA EDUCA RETORNA ÀS ESCOLAS - CEUs Centros Educacionais Unificados Elemento importante na educação,…

% dias atrás

Chico Teixeira

Filho do também cantor e compositor Renato Teixeira, Chico trabalhou em 1999 com o pai…

% dias atrás
Continua após a Publicidade

Este website usa cookies.