PÉROLAS DO BRASIL
 

José Messias

Messias, José (1928- ), compositor, apresentador e produtor brasileiro de rádio e televisão, nascido em Bom Jardim de Minas, Minas Gerais, cujo nome completo é José Messias da Cunha. De família pobre e extremamente musical — o pai, o tio e o avô eram regentes de banda —, ainda muito jovem começou a compor músicas para blocos de carnaval.

Mais tarde foi para Barra Mansa, onde aprendeu os segredos do picadeiro em pequenas companhias circenses (ver Circo). Chegou à cidade do Rio de Janeiro em 1945 e participou de inúmeros programas de rádio, entre eles Papel carbono de Renato Murce, além de trabalhar no comércio, até ser apresentado ao compositor Herivelto Martins, de quem se tornou secretário.

As portas então se abriram e ele chegou a substituir Grande Otelo em vários espetáculos. Em 1953, conseguiu ter gravada sua primeira composição para o Carnaval, na voz de Heleninha Costa: a Marcha do Coça Roça. Não parou mais de ouvir suas músicas serem interpretadas por artistas famosos, como Marlene, Emilinha Borba, Quatro Ases e Um Coringa e Francisco Carlos. Em 1954, foi nomeado por João Goulart para o Ministério do Trabalho, no Serviço de Recreação Operária, ficando à disposição da Rádio Mauá.

Em 1955, fez sua estréia como apresentador de auditório, na Rádio Mayrink Veiga. Durante dez anos, acumulou a função pública com a direção e a apresentação de programas em diversas emissoras do Rio de Janeiro (ver Rádio no Brasil). Identificado com a juventude da época, conseguiu modificar o panorama musical com a criação, juntamente com Carlos Imperial e Jair de Taumaturgo, da Jovem Guarda (ver Música popular brasileira). Em seu programa Favoritos da nova geração, lançou então inúmeros cantores ao estrelato, entre eles Roberto Carlos, Clara Nunes, Jerry Adriani e Wanderley Cardoso.

Em 1966, foi contratado pela Rádio Nacional como locutor, apresentador e produtor. Na década de 1970, dividiu seu trabalho na rádio com outros nas duas principais emissoras cariocas de TV: Tupi e Rio. Logo passou a integrar o júri mais disputado da televisão brasileira: o do programa A grande chance, de Flávio Cavalcanti. Em 1972, transferiu-se para a TV Bandeirantes e a SBT e produziu e dirigiu o Clube dos artistas, apresentado pelo casal Aírton e Lolita Rodrigues.

No inicio da década de 1980, ainda sem abandonar a Nacional, tornou-se proprietário de rádios da Região dos Lagos e do Jornal de Negócios, acabando por assumir, em 1990, a superintendência do Sistema Serramar de Comunicações, que abrangia então cinco emissoras, e, em 1998, a Secretaria de Cultura, Educação, Esporte e Lazer de Saquarema.

Tem mais de 200 composições gravadas com cantores como Roberto Carlos, Caetano Veloso, Quarteto em Cy, Sílvio César, Pery Ribeiro, Emilinha Borba, Nelson Gonçalves, Dircinha e Linda Batista, Cauby Peixoto, Clara Nunes e José Ricardo. Recebeu diversos diplomas, troféus e medalhas, entre elas o Prêmio Noel Rosa do Sindicato dos Compositores, o título de Cidadão Benemérito da Cidade do Rio de Janeiro e a Medalha Tiradentes. Na Rádio Nacional, apresentou dezenas de programas, entre eles Show da cidade, Programa José Messias, A hora dos calouros e Viva a Jovem Guarda. Em 2002 virou jurado do Programa de Calouro do Raul Gil.

*Fonte : Enciclopédia Encarta 2000 - Microsoft

voltar