Yamandú Costa

yamandu costa
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Yamandú Costa
5 (100%) 1 voto[s]

O violonista gaúcho Yamandú Costa depois de ganhar o premio Visa e gravar o seu primeiro CD solo virou uma sensação na música instrumental brasileira por popularizar um gênero considerado hermético e de público seleto.

No repertório músicas regional brasileira; desde nordestina a gaúcha. Apresenta-se em teatros a praças públicas. No seu show o público é heterogêneo que não lembra as salas eruditas. A música instrumental deixa para trás o estereótipo de ser uma música “chata” ouvida por nossos bisa-avôs que ficaram presos na poeira do tempo. Yamandú, por tocar nos shows canção conhecida na voz de artistas populares trazendo nas suas próprias composições influência direta desses artistas.  Ele é “formado” na boemia dos bares e tendo em casa os primeiros aprendizados com a música instrumental regional e dosou aos elementos alegres do povo.

A formação que se apresenta pode ser Violão, Baixo, Bateria ou Violão, Cello, Violino, Sopros. A sonoridade lembra o bom Jazz ou regional de Choro. Por sua proximidade geográfica e influência direta da fronteira latina que tem o Rio Grande do Sul traz a pegada da guitarra flamenco em algumas execuções. Entrega-se no palco em interpretações que o faz entrar em transe colocando o Violão como uma extensão do seu corpo e alma. Bem humorado e habilidoso na improvisação preparou em Novembro de 2003 o segundo CD em show Ao Vivo no teatro Crowne Plaza em São Paulo. Esse novo CD mostra a atmosfera dos shows em descontração e improvisações.

Segue a entrevista exclusiva com Yamandú Costa para a www.ritmomelodia.mus.br , entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa  em 01/12/2003.

01) RitmoMelodia: Fale do seu primeiro contato com a música e sua formação musical.

Yamandú Costa: Totalmente caseira desde criança. Meu pai (Algacir Costa –Trompetista e Violonista) era músico e minha mãe (Clarin Marson – cantora). Meu pai era líder de um conjunto folclórico “Os Fronteiriços” (Regional gaúcho) e tinha boa formação musical e me passou o básico de leitura de partitura e técnica de Violão. Mas não tive formação musical acadêmica. O que sei aprendi tocando em bares e como autodidata.

02) RM: Você acha que por tocar música instrumental aberta aos ritmos regionais em suas apresentações o faz conquistar público em diversa faixa etária e classe sócio – cultural ?

Yamandú Costa: Acho fundamental e faço música para as pessoas. Tem músicos que acham que as pessoas são obrigadas a ouvir algo chato e hermético e aplaudir. Faço música para compartilhar com as pessoas e aprender com o calor delas. Sem tocar músicas ruins nem fazer apelações. Mas levando uma cultura brasileira adiante e o violão como um instrumento de informação e cultura. Um país tão rico como o nosso não pode ficar  dependente de cultura internacional o tempo todo, principalmente em matéria cultural.

03) RM: Quantos CDs lançados e o perfil deles ?

Yamandú Costa: São dois CDs. O primeiro com meu mestre argentino que mora em no Brasil há 25 anos. O primeiro solo foi lançado em 2001 pela radio Eldorado depois que ganhei o prêmio Visa. Esse CD eu gosto por ser bem eclético. Acompanha-me um quarteto um tanto estranho (Violão Calo, Violino, Flauta e Clarinete) que soa como uma mini orquestra. E com composições próprias. Ate o final de 2003 vou lançar um ao vivo com o clima de improvisação do palco.

04) RM: Você acredita que esta popularizando o Violão como instrumento de acompanhamento e solo por não ter presença do canto?

Yamandú Costa: A música instrumental sempre teve seu espaço. A fase que passo não posso me queixar por ter muito convite para se apresentar e contando com bom publico.

05) RM: Você acha que o despertar de um público heterogêneo para música instrumental não tem haver com a falta de um modismo musical popular no novo milênio?

Yamandú Costa: Não. Eu não acho que esses modismos tenham culpa da música instrumental não ter um maior número de público. Foi natural o que aconteceu comigo e fico feliz por terem respeito pelo meu trabalho. E na estrada o artista vai criando seu público fiel.

06) RM: Como você define o seu trabalho musical?

Yamandú Costa: Não dar para ter uma definição exata por tocar muitos ritmos.  Seria algo como Violão regional brasileiro. Levando a música brasileira e gaúcha radiante para outros lugares.

Contatos: www.yamandu.com.br

Produção Yamandú Costa

Fone: (11) 3044-9551
Rua Quatá, 746/103
Vila Olímpia – São Paulo – SP
CEP: 04546-044 Email: [email protected]


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.