Tereza viúva de Accioly Neto

Tereza viúva de Accioly Neto 1 Entrevista - Música - Revista Ritmo Melodia
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Tempo de Leitura: 9 minutos

O cantor e compositor pernambucano Accioly Neto aprendeu a tocar violão aos oito anos, observando os seresteiros amigos de suas irmãs mais velhas. Chegou a passar no vestibular de Medicina, mas desistiu do sonho que era da sua família para seguir a paixão pela música.

Na estrada, fez grandes amigos e se firmou nacionalmente como compositor. Cantava os temas sociais, o amor, os sentimentos dos sertanejos, dos nordestinos, dos brasileiros. Iniciou sua carreira em 1975, como vocalista dos grupos “Bulldog” e “Big Som”, no Rio de Janeiro. Nesta época, também, deu início a participações em Festivais de Música.  No final dos anos 70, no Recife – PE liderou o grupo “Acalanto”, como baixista, cantor e compositor.

A década de 80 foi grandiosa para Accioly Neto, que foi finalista de importantes festivais, como o MPB – SHELL em 1981 da TV Globo, firmando o seu nome como cantor e compositor.  Em 1980 foi para São Paulo, e teve “Palavra de honra” gravada por Jessé e “Maria Maravilha” gravada por Vanusa. Em 1981 casou com Tereza, que se tornou também a sua produtora musical. Em 1986, lança o LP – Trancelim, que marca uma mudança em seu estilo musical, passando a fazer parte do grupo dos compositores de forró, reencontrando suas raízes nordestinas. Nos anos 90, após sofrer um grave acidente, Accioly Neto se dedicou principalmente às composições. Foram cerca de 800 músicas compostas, 300 delas cantadas por artistas de todo o Brasil. Faleceu em 29 de outubro de 2000, aos 50 anos de idade.

Em 22 de novembro foi lançado nas plataformas digitais o CD – “Natureza Sonhadora – Tributo a Accioly Neto” com 33 músicas, cantadas por artistas renomados, e da nova cena musical. O CD físico será lançado também em novembro. Um álbum duplo reunindo músicas inéditas e as que fizeram sucesso em todo o país, nas vozes de: Zélia Duncan, Romero Ferro, Zeca Baleiro, Fagner, Chico César, Almério, Clayton Barros, Elba Ramalho, Flávio José, entre outros artistas. Talitha Accioly, filha do homenageado é a idealizadora do projeto. Sob a direção musical do compositor e músico André Macambira e produção e coordenação executiva de Talitha Accioly, o álbum tributo contou com os arranjos de Yuri Queiroga, Juliano Holanda, Renato Bandeira e Júlio Cesar Mendes. “A ideia inicial era fazer um CD duplo, que teria 20 músicas, mas a gente ampliou e ainda faltaram muitas músicas, outros artistas que gostariam de participar, mas não tinha mais como comportar tudo isso”, explicou Talitha.  Ao todo, são 33 músicas em gravações realizadas por vários artistas. Coube a Mariana Aydar a colocar voz na música “Saudade da Boa”, o canto de Romero Ferro traz a poesia de “Engano Seu”, Zélia Duncan aparece em “A Natureza das Coisas”, “Lucy Alves” em “Espumas ao Vento”, entre tantas outras canções que marcaram a carreira de Accioly Neto.

“É uma relação sentimental e familiar, minha mãe, Tereza Accioly, participou como consultora. Meu marido, André Macambira, dirigiu e minha prima, Diana Lins, fez a parte gráfica como designer. Não poderia ser diferente, tem muito sentimento nesse projeto”, contou Talitha.

Segue entrevista exclusiva com Tereza Accioly para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 25.11.2019:

01) Ritmo Melodia: Qual a data de nascimento e a sua cidade natal de Accioly Neto?

Tereza Accioly: Nascido no dia 11.07.1950 Goiana, em Pernambuco. Registrado como José Accioly Cavalcante Neto. Radicado no Recife – PE desde os dois anos de idade. Era o mais novo de uma família de 12 filhos.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com Accioly Neto.

Tereza Accioly: Conheci Accioly Neto através de sua irmã, que trabalhava comigo, e rapidamente estávamos namorando.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica fora da área musical de Accioly Neto?

Tereza Accioly: Accioly Neto tinha o ensino médio e fez vestibular para medicina e passou, mas não se matriculou no curso para se dedicar exclusivamente à música. A mãe de Accioly ficou bem zangada como ele relata na sua música “Xote Universitário”. Aprendeu a tocar violão aos oito anos, observando os seresteiros amigos de suas irmãs mais velhas.  Eu (Tereza) formei-me em Administração de empresas, mas trabalho como Produtora Cultural há muitos anos. Sou presidente da Sociedade dos Forrozeiros aqui do Recife.

04) RM: Quais as influências musicais de Accioly?

Tereza Accioly: Luiz Gonzaga, Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Djavan.

05) RM: Quando, como e onde Accioly Neto começou a carreira musical?

Tereza Accioly: Em 1975 no grupo de rock “Bulldog”, depois em 1978, carreira solo no Festival Cantoria da Música Nordestina com a música “Severina Cooper”, que acabou gravada em 1978 por Paulo Diniz.

06) RM: Quantos CDs lançados? 

Tereza Accioly: Foram 4 LPS, 1 compacto e 3 CDs. CD – Accioly Neto – “Meu Forró” lançado em 2000 com as músicas de autoria de Accioly Neto: “Espumas ao Vento”, “Asas da Ilusão”, “Me dá Meu Coração”, “Saudade da Boa”, “Canção da Saudade”, “Chororô”, “Me Diz Amor”, “Minha Gata”, “Lembrança de Um Beijo”, “Gosto de Você”, “Quando Bate o Coração”, “Trancelim”, “Mel e Aveloz” (Nando Cordel – Accioly Neto), “Máquina de Fazer Doido”.

Accioly Neto – Compacto em 1986 pela Polydisc. As duas músicas de autoria de Accioly Neto: “Nhem nhem”, “Minha gata”.

Accioly Neto“Trancelim” em 1986 pela RGE com todas as músicas de autoria de Accioly Neto: “Trancelim”, “Que Fazer da Solidão”, “Indo e Vinhendo”, “Tingo-lingo”, “Mais Um Forró”, “Canceriano”, “Tão Bonito Que Embriaga”, “Por Causa Dela”, “Tem Gente Que Não Sabe o Que É Amor”, “Minha Terrinha”.

LP – Accioly Neto – Forró sexual em 1987 pela Rosicler. As músicas de autoria de Accioly Neto “Forró Sexual”, “Fogo de Solteiro”, “Muito Doido Por Você”, “Menina de Campina”, “Minha Doida”, “Fulô”, “Quero Me Amigar”, “Quero Me Amigar”, “Reggae-merengue” (João Lyra/Accioly Neto) e “Tempero do Pecado” de autoria de Nino e Capilé.

07) RM: Como você define o estilo musical de Accioly Neto?

Tereza Accioly: Ele era muito eclético, como você vai ouvir no CD. Nos últimos anos de carreira se dedicou bastante ao forró, mas sempre fez canções e musicas de vários gêneros musicais.

08) RM: Como era o processo de compor de Accioly Neto?

Tereza Accioly Neto: Ele compunha todos os dias, era um exercício mesmo. Às vezes a música já vinha com a letra, em outras vinha à melodia para ele colocar letra depois. O que se destaca mesmo é que ele compunha diariamente, exercitava isso, mesmo que não gostasse da música depois, mas fazia questão de trabalhar sempre.

09) RM: Quais são seus principais parceiros de composição de Accioly Neto?

Tereza Accioly: Ele compunha principalmente sozinho, mas teve algumas parcerias pontuais com Nando Cordel, Novinho da Paraíba, Sérgio Sá. Del Feliz colocou melodia em uma letra do Accioly quando ele já não estava conosco.

10) RM: Quem já gravou as músicas de Accioly Neto?

Tereza Accioly: De Elba Ramalho, Jessé, Vanusa, Elza Soares, Fagner, Flávio José, Del Feliz e Santanna, O cantador foi quem mais gravou música de Accioly Neto. Neste novo álbum teremos 34 artistas cantando as músicas de Accioly Neto.  Em 1978 o cantor Paulo Diniz gravou “Severina cooper (It’s not mole não)”. Em 1980, a cantora Vanusa gravou “Maria maravilha”. Em 1981 teve a música “Primavera”, parceria com Carlos Alexandre gravada pelo próprio. Em 1987, teve a sua música, “Dodói”, gravada por Roberta Miranda no CD – “Volume 2”, lançado pela Continental. Em 1988, teve a música “Engano seu” gravada por Vanusa na Discoban. Teve diversas músicas gravadas pelo cantor Flávio José, entre as quais, “Espumas ao vento”, “Saudade da boa” e “Quando bate o coração”, entre outras. Jorge de Altinho gravou “Raio de luar” e “Mal de amor”, essa última, parceria entre os dois. Em 1997, teve “Espumas ao vento”, gravada pelo cantor e compositor Fagner, no CD – “Teatral”, lançado pela BMG Brasil. Em 1998 o sanfoneiro baiano Edgar Mão-Branca regravou “Severina cooper”. Em 2001, teve “Vontade” e “A natureza das coisas” gravadas por Santana O Cantador, no CD – “Xote pé de serra”. Em 2003, teve “Canção da saudade” gravada pelo cantor e ator Jackson Antunes no CD – “Pé de serra”. Em 2006, teve “O que é o amor”, “A Natureza das coisas”, “Bom que chega dói”, “Vontade”, “Trancelim” e “Lembrança de um beijo” gravadas por Santana “o cantador”, no DVD – “Forró popular brasileiro”, lançado pelo selo Atração. Em 2007, “A natureza das coisas” foi gravada por Elba Ramalho no CD – “Qual o assunto que mais lhe interessa”, lançado pelo selo Ramax, da cantora. Em 2008, teve “Saudade da Boa”, “Que Nem Eu”, e “O Verbo Se”, dele com Santanna, gravadas por Santanna O Cantador no CD – “Forró a arte do abraço”, lançado pela Atração. Em 2009, teve “Me dá meu coração”, gravada por Fagner, no álbum “Uma canção no rádio”, lançado pela Som Livre. No mesmo ano, teve “Espumas ao vento” gravada pelo cantor Rick Vallen, no CD/DVD “Rick Vallen ao Vivo”, lançado pela Sony Music. Em 2010, Santanna O Cantador gravou “Bem que tentei”, “Um amor de mulher”, parceria dele com Santanna, no CD – “A Dança do Dia-a-Dia”, lançado pela Atração. Em 2012, realizou participação na coleção tripla de CDs – “Pernambuco forrozando para o mundo – Viva Dominguinhos!”, produzida por Fábio Cabral, cantando “Saudade boa”, de sua autoria. A coletânea trouxe forrós diversos, interpretados por 48 artistas, e que fazem referência aos 50 anos de carreira do seu inspirador: Dominguinhos. Interpretando músicas de compositores em sua grande maioria pernambucanos, fizeram parte do projeto: Adelson Viana, Dudu do Acordeon, Elba Ramalho, Hebert Lucena, Irah Caldeira, Liv Moraes, Petrúcio Amorim, Geraldo Maia, Sandro Haick, Spok, Jefferson Gonçalves, Chambinho, Joquinha Gonzaga, Maciel Melo, Luizinho Calixto, Silvério Pessoa, Walmir Silva, entre outros, além do próprio Dominguinhos. Durante a carreira, o sucesso “A natureza das coisas”, de sua composição, foi gravada por diversos artistas, entre eles Elba Ramalho, Santana O Cantador, Flávio José, Del Feliz, Targino Gondim, Cristina Amaral, Zeca Baleiro, Zélia Duncan, Flávio Leandro.

11) RM: Quais os prós e contras que Accioly Neto enfrentou em desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Tereza Accioly: Os prós são a liberdade de escolher o que vai gravar, mas por outro lado o investimento bem difícil.

12) RM: Quais eram as estratégias de planejamento de carreira Accioly Neto dentro e fora do palco?

Tereza Accioly: Ele investiu muito na composição, e isso permeou a sua carreira musical. Sempre teve muitas músicas gravadas por diversos artistas e isso deu suporte para a sua carreira como cantor. 

13) RM: Quais as ações empreendedoras que Accioly Neto praticava para desenvolver a sua carreira musical?

14) RM: Como Accioly Neto analisava o cenário do Forró nos anos 90?

Tereza Accioly: Nos anos 90, justamente por essa escalada do forró, das bandas como Mastruz com Leite, por exemplo, ele acabou sendo bastante gravado e montamos a Accioly Editora, que até hoje está ativa.

15) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na carreira musical de Accioly Neto?

Tereza Accioly: Uma história bem inusitada aconteceu logo antes da apresentação do Festival MPB em 1981, ele estava no Rio de Janeiro, com dor de dente na véspera da apresentação, mas por sorte sua irmã Irene, que é dentista, estava no Rio de Janeiro para um congresso e cuidou do dente dele no quarto de hotel.

16) RM: O que deixava Accioly Neto mais feliz e mais triste na carreira musical?

Tereza Accioly: A falta de espaço pra música de qualidade, que foi piorando ao longo do tempo.

17) RM: O que Accioly Neto dizia para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Tereza Accioly: Dizia que era difícil e tem que gostar muito do que faz, mas que trabalhando muito e se dedicando, os resultados aparecem.

18) RM: Quando Accioly Neto compôs a música “Espumas ao Vento”? Em que se inspirou? 

Tereza Accioly: A música “Espumas ao Vento” foi inspirada na historia de um casal de amigos que já haviam se separado algumas vezes, mas sempre voltavam…

19) RM: Quando Accioly Neto compôs a música “A Natureza das coisas”? Em que se inspirou?

Tereza Accioly: Ele viu uma reportagem que mostrava a princesa Diana subindo o morro da Rocinha, enxugando o suor, no Rio de Janeiro, foi o mote pra começar com a frase “seja princesa, seja lavadeira, pra ir mais alto vai ter que suar…”.

20) RM: Quais as músicas de Accioly Neto que foram mais regravadas e que rendem mais direitos autorais?

Tereza Accioly: “Espumas ao Vento” e “A natureza das Coisas”.

21) RM: Quais os projetos a serem realizados com a obra de Accioly Neto? 

Tereza Accioly: Talitha Accioly, filha do homenageado é a idealizadora do projeto. O Álbum teve a direção musical do compositor e músico André Macambira e produção e coordenação executiva de Talitha Accioly.

CD 01:

01 – Paraíso das hienas – Zeca Baleiro

02 – Me diz amor – Elba Ramalho

03 – Mel e aveloz  – Petrúcio Amorim

04 – Natureza sonhadora – Ylana Queiroga

05 – No nosso é refresco – Silvério Pessoa

06 – Só por teimosia – Clayton Barros

07 – Veneza, Veneza – Irah Caldeira

08 – Saudade da boa – Mariana Aydar

09 – Que nem eu – Zé Manoel

10 – Maracatulelê – Lucas dos Prazeres

11 – Vontade – Isadora Melo

12 – Desespero de causa – Maciel Melo

13 – Asas da Ilusão – Josildo Sá

14 – O trem e o Sol – Lucas Crasto

15 = Estorinha de Cacilda – Babi Jaques & Lasserre

16 –  Casa comigo – Fagner

17 – Lembrança de um beijo – Dois de Paus e Uma Dama (Nena Queiroga, Renato Bandeira e Bráulio Araújo)

CD 02:

01 – Espumas ao Vento – Lucy Alves

02 – Esse moleque não vai dar pra nada – Almério

03 – Quando bate o coração – Cristina Amaral

04 – Alguns minutos no céu – Sarah Lopes

05 – Diabólica Trindade – Chico César

06 – Severina cooper (It’s not mole não) – Santanna o Cantador

07 – No Quem Me Quer  – Carlinhos Veloz

08 – Avoante – Em Canto & Poesia e Bia Marinho

09 – Canção de saudade – Flávio José

10 – Relatório – Isabela Moraes

11 – Me dá meu coração – Rogério Rangel

12 – Revestrez – André Macambira

13 – Engano seu – Romero Ferro

14 – Saideira – Flaira Ferro & Maestro Spok

15 – Maria Maravilha – Talitha Accioly16 – A Natureza das Coisas – Zélia Duncan

22) RM: Quais os seus contatos?

www.acciolyneto.com.br | @acciolynetooficial (instagram)

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Tereza Accioly Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Tereza Accioly
Visitante
Tereza Accioly

Muito grata pela entrevista e você colocou em tempo recorde!! Parabéns pelo resgate dos nossos artistas da música popular nordestina 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

Tagged
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.