Targino Gondim

  • 1
    Share
Targino Gondim
5 (100%) 1 voto



O sanfoneiro, cantor, compositor pernambucano Targino Gondim é o curador e criador do Festival Internacional da Sanfona (em Juazeiro-BA), Festival de Forró da Chapada (em Mucugê-BA), Conecta Chapada (em Andaraí-BA) e Festival de Forró de Itacaré (em Itacaré-BA).

O artista vencedor do Grammy Latino e do Prêmio da Música Brasileira tem mais de 20 anos de carreira. Tudo começou quando ainda era um menino. Em Juazeiro, aonde aprendeu a tocar sanfona e inspirado no maior ícone da sanfona, Luiz Gonzaga, já dedilhava acordes de “A Vida do Viajante” e “Numa Sala de Reboco”, além do clássico: “Eu Só Quero Um Xodó” de Anastácia\Dominguinhos, o mestre que tocou junto com Gondim em várias ocasiões. A música “Pra se Aninhar” foi lançada no primeiro álbum gravado tornando-se um sucesso. Venceu o Grammy Latino em 2001 (o Oscar da Música) com a canção de sua autoria “Esperando na Janela” (Targino Gondim \ Raimundinho do Acordeon \ Manuca Almeida), que também ganhou a voz de Gilberto Gil e deu ao artista espaço no filme “Eu, Tu, Eles”. Em 2001 lança pela Warner seu primeiro CD – “Dance Forró Mais Eu”, produzido por Roberto Sant’Anna, e com participação de Gilberto Gil. Durante turnê em Portugal, em novembro de 2007, Targino Gondim gravou especial para o canal – Música Brasil, exibido pela TVTEL da Rede Brasileira de Televisão Internacional (RBTI), para toda Europa.

Em 2009 lançou o projeto “Canções de Luiz”, trabalho que lhe rendeu o prêmio de Melhor Cantor no 21º Prêmio da Música Brasileira 2010 (antigo Prêmio Tim de Música). Durante o III Festival Internacional da Sanfona Targino lançou o seu primeiro CD instrumental “Chorando Mais Eu”, com músicas como Adios Nonino, Libertango, Wave entre outras, e com participações especiais de grandes acordeonistas como Hector Del Curto (Argentina), Oswaldinho do Acordeon e Renato Borghetti (Brasil).

Em 2015 lançou “Canções Divinas” incluindo música de sua autoria em homenagem ao Papa: “O Papa Francisco”, recebendo uma carta de agradecimento do Pontífice. Em 2017, Targino lança seu 27 CD – “Amor Que Apaixona” com destaque para “Refugiados”, outra de sua autoria com base na história de sofrimento dos refugiados da África e Oriente. Apresentou para o Canal Futura duas belíssimas series de TV: O Tom da Caatinga (2009) e Sou Forró (2017). Teve participação como personagem no filme “Eu, Tu, Eles” e no documentário “Viva São João” (ambos de Andrucha Wadingtton), na minissérie Amores Roubados (da Rede Globo), e no filme “Gonzaga – De Pai Pra Filho”. Em seus discursos defende o forró como a grande matriz (ao lado do samba) da Música Popular Brasileira. “O baião de Luiz influenciou todos os grandes nomes da nossa música”.

Em 2018, lança mais uma série “Sou o São João” (Canal Futura), realiza o 5° Festival Internacional da Sanfona, Conecta Chapada, Festival de Forró da Chapada, Festival de Forró de Itacaré e lança seus mais novos CDs: “Forró, Festa e São João” (com todos os grandes nomes do forró brasileiro juntos), trabalho produzido e dirigido por ele, e o CD – “Targino Sem Limites” com participações especiais de: Zeca Baleiro, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Mariene de Castro, Fagner, Gilberto Gil, Leonardo, Moraes Moreira, Bell Marques, Xandy Aviões e Baiana System.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Targino Gondim para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 11.06.2018:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Targino Gondim: Nasci no dia 07.101972 em Salgueiro (PE).

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Targino Gondim: Meu pai tinha um compadre que foi criado pelos pais de Luiz Gonzaga e morou e aprendeu a tocar sanfona com o Rei do Baião. Aprendeu o suficiente para me ensinar, eu já com meus 12 anos de idade. Nessa época já morávamos todos em Juazeiro da Bahia. Herdei do meu pai a paixão pela sanfona e pela obra de Luiz Gonzaga.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica fora da área musical?

Targino Gondim: Na música sou autodidata. E tenho segundo grau completo. E me formei na minha vida de viajante (risos).

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Targino Gondim: Todas as minhas influências musicais têm importância até hoje e sempre! Fui menino que escutava muito Luiz Gonzaga, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Chico Buarque, Gal Costa, Maria Bethânia, Raul Seixas, Lobão, Titãs, Elvis Presley.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Targino Gondim: Abracei a sanfona definitivamente como instrumento da minha vida em 02 de agosto de 1989. Quando Luiz Gonzaga faleceu, e vi pela primeira e única vez o meu pai chorar. Ali eu comecei a pensar e agir em prol da minha carreira musical.

06) RM: Quantos CDs lançados, quais os anos de lançamento (quais os músicos que participaram nas gravações).? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que entraram no gosto do seu público?

Targino Gondim: São mais de 30 CDs gravados até agora! Com participações especiais como: Xangai, Dominguinhos, Elba Ramalho, Gilberto Gil, Durval Lélis. Em cada trabalho sempre duas caíram no gosto do meu público, e são pedidas nos shows até hoje.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

Targino Gondim: Sou cantor, compositor e sanfoneiro. Mas meu estilo é Forró World Music.

08) RM: Como é o seu processo de compor?

Targino Gondim: Às vezes me inspiro em algo que vejo ou vivo. Mas, na maioria das vezes componho por prática.

09) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Targino Gondim: Manuca Almeida (In Memorian), Raimundinho do Acordeon, João Sereno, Zeca Baleiro, Carlinhos Brown e Moraes Moreira.

10) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Targino Gondim: Carreira independente você administra sozinho, de forma livre, mas sem todo o aparato de uma empresa (gravadora) que te posicione no mercado fonográfico ou shows. Mas, nos tempos de hoje, temos as ferramentas da internet para conseguirmos impulsionar o trabalho para um maior número de pessoas, na falta da grande mídia.

11) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Targino Gondim: Foco, determinação e a certeza do que faço!

12) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Targino Gondim: Todas possíveis. Uso minha credibilidade como artista pra impulsionar a nossa música, nossa sanfona e nossos artistas com alguns projetos criados por mim, como: Festival da Sanfona.

13) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento da sua carreira musical?

Targino Gondim: A ascensão da internet no mundo é um fato que não podemos desprezar. Eu me utilizo muito das ferramentas possíveis como redes sociais para projetar o meu trabalho, divulgando o que faço e aumentando minha rede de fãs e de relacionamento profissional.

14) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia de gravação (home estúdio)?

Targino Gondim: A tecnologia muda todos os conceitos em todas as áreas. E na questão do audiovisual também acontece. E pra melhor!

15) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Targino Gondim: Desde o início da minha vida artística, eu já buscava ser diferente, apesar da minha idolatria por Luiz Gonzaga. De lá pra cá só desenvolvi muito mais isso em mim. Com mais maturidade e conhecimento.

16) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Targino Gondim: Gilberto Gil e Dominguinhos.

17) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Targino Gondim: Recebi prêmios importantíssimos ao longo da minha carreira musical: Troféu Caymmi, Prêmio da Música Brasileira, Grammy Latino, mas o que me deixa mais feliz é receber um abraço apertado e carinhoso dos mais simples e humildes fãs. Geralmente aqueles que moram lá no interior do Nordeste. Esses sentem no coração as melodias e palavras das minhas canções. E o que me deixa mais triste é ver uma juventude sem contato com sua identidade, perdida em meio a tantas músicas de “gosto duvidoso” e com palavrões.

18) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Targino Gondim: Moro ainda em Juazeiro da Bahia, às margens do Rio São Francisco, celeiro de bons sanfoneiros autênticos, e de poetas como Manuca Almeida e Luiz Galvão (Novos Baianos), e artistas como João Gilberto (pai da Bossa Nova) e Ivete Sangalo. E hoje também conhecida por ser a minha cidade querida.

19) RM: Quais os músicos, bandas da cidade que você mora, que você indica como uma boa opção?

Targino Gondim: João Sereno, Nilton Freitas, Alan Cleber, Rennan Mendes, Raimundinho do Acordeon.

20) RM: Você acredita que sem o pagamento do Jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Targino Gondim: Tocam nas rádios porque o povo pede, o próprio locutor quer, mas só isso não faz uma música estourar nas paradas. Nos dias de hoje tem que haver um projeto bancado por alguém financeiramente.

21) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Targino Gondim: Que siga o seu coração, e não apenas o lucro. Seguindo o coração o seu sucesso lhe trará também a felicidade.

22) RM: Quais os sanfoneiros/acordeonistas que você admira?

Targino Gondim: Oswaldinho do Acordeon, Dominguinhos, Sivuca, Luiz Gonzaga, Gennaro, Mestrinho, Pernalonga, Gel Barbosa, Marquinhos Café, Beto Ortiz.

23) RM: Quais os compositores de Baião/Xote/Forró que você admira?

Targino Gondim: Acyoli Neto, João Silva, Antônio Barros, Flávio Leandro, Tato.

24) RM: Quais as principais diferenças entre as técnica do Acordeon e do 8 Baixos?

Targino Gondim: Todas. Tem que se aprender de novo (risos).

25) RM: Quais as principais técnicas que o aluno deve dominar para se tornar um bom Sanfoneiro/Acordeonista?

Targino Gondim: Postura das mãos, Puxada do fole e técnica nos baixos.

26) RM: Quais os Acordeons que você indica atualmente?

Targino Gondim: Hoje em dia temos mais de 10 marcas boas.

27) RM: Quais os principais vícios e erros que devem ser evitados pelo aluno de Acordeon?

Targino Gondim: Tocar com o dedilhado errado.

28) RM: Quais os principais erros na metodologia de ensino de música?

Targino Gondim: Não vejo erros. Vejo métodos diferentes.

29) RM: Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Targino Gondim: Sim. Tem gente que estuda muito e não consegue ser bem expressivo.

30) RM: Qual a definição de Improvisação para você?

Targino Gondim: Alma.

31) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical?

Targino Gondim: Os métodos são simples pontos de partida para que o improvisador entre em cena.

32) RM: Existe improvisação de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Targino Gondim: Na verdade o grande improvisador treina, treina, pratica, pratica, e fica livre pra utilizar todo o aprendizado quando o coração mandar.

33) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre o Estudo de Harmonia musical?

Targino Gondim: Sou autodidata. Não leio, não escrevo, e não tenho medo de tocar a minha música. Dominguinhos me admirava (risos).

34) RM: Nos apresente o Festival Internacional da Sanfona.

Targino Gondim: Criei com meu parceiro Celso Carvalho o maior evento de Acordeon de todas as Américas: o Festival Internacional da Sanfona! Realizei quatro edições com os maiores nomes da sanfona do mundo: Dominguinhos, Oswaldinho, Renato Borghetti, Frank Marocco, HECTOR Del Curto, Mirco Patarinni, entre outros. Evento gratuito realizado em Juazeiro da Bahia!

35) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Gilberto Gil?

Targino Gondim: Somos grandes amigos. Ele é um ser humano à frente de todos nós. Transcendeu toda a nossa compreensão humana. Gil é iluminado.

36) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Dominguinhos?

Targino Gondim: Meu amigo, mestre, que me deixou muitas saudades até hoje. Choramos, sorrimos, viajamos, fizemos músicas juntos. Tudo de bom! O maior sanfoneiro do universo!

37) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Oswaldinho do Acordeon?

Targino Gondim: Um gênio da sanfona! Amo Oswaldinho!

38) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Luiz Gonzaga?

Targino Gondim: Conheci Seu Luiz indo com meu pai assistir aos shows. Mas eu tinha 10,12 anos de idade. Seu Luiz não chegou a me ver tocando sanfona.

39) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Marinês?

Targino Gondim: Fomos bem amigos. Gostava de receber os amigos em casa, cozinhar pra gente. A nossa Rainha!

40) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Anastácia?

Targino Gondim: Somos amigos faz um tempão. Fizemos vários shows juntos, e tenho muito carinho por ela.

41) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Elba Ramalho?

Targino Gondim: Minha grande amiga! Adoro Elbinha demais! Estamos sempre juntos fazendo forró!

42) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Renato Borghetti?

Targino Gondim: Muito amigo! Fizemos muitos shows juntos! Deu-me até uma gaita de presente!

43) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Sivuca?

Targino Gondim: Conheci no Rio de Janeiro, em um show nossa na praia de Copacabana. De lá pra cá sempre falávamos por telefone. Sinto saudades!

44) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Hermeto Pascoal?

Targino Gondim: Pouca. Levei Hermeto pra o Festival da Sanfona em 2010. Depois não o vi mais.

45) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Flávio José?

Targino Gondim: Somos grandes amigos. Acabamos de lançar um projeto juntos: o CD – “Forró, Festa e São João”. Ele teve a ideia e eu gravei, produzi e dirigi o disco do maior time de forró do mundo! Mais de 30 nomes cantando juntos.

46) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Amazan?

Targino Gondim: Somos amigos faz bastante tempo.

47) RM: Quais os seus projetos futuros?

Targino Gondim: Ganhar o mundo mostrando o nosso Forró World Music! Targino Sem Limites.

48) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Targino Gondim: www.targinogondim.com.br | [email protected] | (74) 3612 – 4419 | 98806 – 9194 (Oi) | 99979 – 6372 (Vivo) | Minhas redes sociais: Instagram: @targinogondim_oficial
Facebook: www.facebook.com\targinogondimoficial

 

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.