Raimundinho do Acordeon

  • 5
    Shares
Raimundinho do Acordeon
5 (100%) 1 voto

O cantor, compositor e acordeonista baiano Raimundinho do Acordeon, aos oito anos de idade já fazia parte de um grupo regional tocando pandeiro e cantando composto pelos primos. Tomou gosto pela música passando a compor música.

Aos 16 anos de idade ganhou uma linda sanfona (Acordeon de 80 baixos) presente de sua querida mãe Dona Santa, a sua primeira fã e incentivadora do garoto e grande artista. Em 1977 formou o seu primeiro trio de forró com seus irmãos, animou festinhas, tocou o seu primeiro São João em Juazeiro (BA) e conheceu o pessoal do Trio Nordestino que o incentivou a procurar os grandes centros para desenvolver sua arte. Ele em 1978 sem a companhia dos irmãos partiu para São Paulo em busca de melhores oportunidades animando as noites paulistanas. Ele em 1984 foi o sanfoneiro convidado para participar da novela “CORPO A CORPO” da TV Globo e lançou o seu primeiro disco – “Forró pra Dona Santa” em vinil pela agravadora TOCANTINS. Em 1989 lanço seu segundo disco: “Mistura Gostosa” pela gravadora HERMISON. Em 1991 lançou seu terceiro disco: “Só Quero Você” pela agravadora CONTINENTAL que teve com destaque o Pout porri “UM ADEUS A MARIANA” / “O DESTINO NOS SEPAROU”. Em 1993 lançou o quarto disco: “À MODA DE LUIZ” pela agravadora Rosas. Em 1994 lançou seu quinto disco “Sanfona Brasileira”. Em 1996 já morando na Bahia com banda formada e sempre na criação de novas composições lançou o seu primeiro CD – “SUTILMENTE” contratado pela FOR ALL MUSIC, por onde lançou mais quatro CDs consecutivos. Em 1997 lançou o CD – “FORRÓ PRA SE DANÇAR”. Em 1998 lançou uma coletânea “FORRÓ BRASIL” e o CD – “VINTE ANOS DE JANELA”. Em 2000 em um novo projeto independente lançou um Instrumental o CD – “TOQUE DE ARRAIÁ”. Em 2000 a música “ESPERANDO NA JANELA” de sua autoria, com os parceiros Targino Gondim e Manuca Almeida foi sem dúvida um grandioso sucesso na voz de Gilberto Gil na trilha sonora do filme: “EU, TU, ELES” proporcionando-lhe o reconhecimento nacional como autor. Raimundinho do Acordeon mantém a sua tradição e raízes. Em 2000 lançou o CD – “FRUTO DA NATUREZA” pela a gravadora Somzoom para as festas juninas e logo após participou também da novela “Marcas da Paixão” em companhia de Tânia Alves na TV RECORD. Mas, a maior surpresa foi saber que a sua música: “ESPERANDO NA JANELA” é indicada ao grande prêmio da música Latina, o que lhe trouxe o premio DO GRAMMY LATINO em 2001 de melhor canção Brasileira. Do Sudeste, Norte e Nordeste, Raimundinho do Acordeon conquistou o seu espaço. Em 2002 gravou o seu primeiro CD ao Vivo. Em 2003 em seu retorno da festa de Exu (PE), ele traz na bagagem o xote: “NO MUSEU DO GONZAGÃO” que virou uma das principais músicas do CD – “DO JEITO QUE EU GOSTO”. Vieram gravação de CDs ao vivo e participações em vaquejadas e produções com outros artistas etc. Em 2006 gravou o primeiro show para CD e DVD “O HOMEM DA MARIANA”. Em 2008 Gravou o seu segundo show para CD e DVD: “O SHOW DE FORRÓ PÉ DE SERRA”, na produção independente trabalho que lhe rendeu participação no primeiro Festival Internacional da Sanfona em março de 2009 em Juazeiro (BA). No mesmo ano foi gravado o CD – “DO JEITO QUE EU GOSTO” e obteve um bom resultado e recurso para o projeto de gravação do CD ao vivo “FESTA DE ARRAIÁ” para os festejos juninos de 2010 na continuação o sanfoneiro e poeta já consagrado, acaba de gravar o seu novo trabalho para 2012 CD – “100 ANOS DE LUIZ” em homenagem ao centenário do “Rei do Baião” Luiz Gonzaga, com participação Targino Gondim. Em 2013 lança o DVD gravado no “São João 2012 de Petrolina (PE)”. E lança para 2015 o CD “DIA DE FESTA”.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Raimundinho do Acordeon para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 05.11.208:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Raimundinho do Acordeon: Nasci no dia 30.05.1959 Juazeiro (Bahia). E registrado como Raimundo Nonato dos Santos.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Raimundinho do Acordeon: Meu primeiro contato com a música, eu ainda estava na barriga de mãe, pois o meu pai era músico.

03) RM: Qual a sua formação musical e formação acadêmica fora da área musical?

Raimundinho do Acordeon: Estudei pouco, não tenho formação, sou apenas um sujeito prático. A minha influência musical vem dos melhores intérpretes da música nordestina e creio que meu aprendizado é mais por dom.

04) RM : Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Raimundinho do Acordeon: Eu não classifico nenhuma das minhas influências musicais sem importância até o momento.

05) RM : Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Raimundinho do Acordeon: Comecei a minha carreira musical ainda na infância tocando pandeiro acompanhando alguns parentes sanfoneiros por boa parte do Vale do Rio São Francisco nos “forrós de latada”. E aos 16 anos de idade ganhei uma sanfona (Acordeon de 80 Baixos) da minha mãe e daí aos 17 anos em junho de 1977 toquei nas festas juninas nas Quadrilhas. E abri o primeiro show de palco para o Trio Nordestino e fui elogiado por eles e me aconselharam para seguir em frente!

06) RM: Quantos CDs lançados (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que se destacaram?

Raimundinho do Acordeon: Muitos lançamentos foi em disco de vinil, depois CD e agora música em plataforma digital. Eu creio que já passam de 20 lançamentos, vários músicos participaram. Os sanfoneiros foram: Cesar do Acordeon, Targino Gondim e Pernalonga e 90% dos arranjos eu mesmo que faço. Eu vejo meus trabalhos com o perfil popular. E as músicas que mais se destacaram foram as de minha autoria: “Menina do timtim”, “Devagarinho”, “Um Pedido a São João”, “Sanfoneiro bom”, “Só quero você” e o pot-pourri: “Adeus a Mariana” / “O destino nos separou” de: Pedro Raimundo / Cosme Carrara / Geraldo Nunes. Em1984 lancei o disco – “Forró pra Dona Santa” em vinil pela agravadora TOCANTINS. Em 1989 o disco – “Mistura Gostosa” pela gravadora HERMISON. Em 1991 o disco: “Só Quero Você” pela agravadora CONTINENTAL. Em 1993 lançou o quarto disco: “À MODA DE LUIZ” pela agravadora Rosas. Em 1994 o disco: “Sanfona Brasileira”. Em 1996 o CD – “SUTILMENTE” pela FOR ALL MUSIC, por onde lançou mais quatro CDs consecutivos. Em 1997 o CD – “FORRÓ PRA SE DANÇAR”. Em 1998 a coletânea “FORRÓ BRASIL” e o CD – “VINTE ANOS DE JANELA”. Em 2000 lançou um Instrumental o CD – “TOQUE DE ARRAIÁ”. Em 2000 o CD – “FRUTO DA NATUREZA” pela a gravadora Somzoom. Em 2002 gravou o seu primeiro CD ao Vivo. Em 2003 o CD – “DO JEITO QUE EU GOSTO”. Em 2006 o CD e DVD “O HOMEM DA MARIANA”. Em 2008 gravou o seu segundo show para CD e DVD: “O SHOW DE

FORRÓ PÉ DE SERRA”. Em 2009 o CD – “DO JEITO QUE EU GOSTO”. Em 2010 o CD ao vivo “FESTA DE ARRAIÁ”. Em 2012 o CD – “100 ANOS DE LUIZ” em homenagem ao centenário do “Rei do Baião” Luiz Gonzaga, com participação Targino Gondim. Em 2013 lança o DVD gravado no “São João 2012 de Petrolina (PE)”. Em 2015 o CD – “DIA DE FESTA”.

07) RM: Como é o seu processo de compor canção?

Raimundinho do Acordeon: Minhas canções nascem da minha inspiração.

08) RM: Quais são seus principais parceiros musicais em composição?

Raimundinho do Acordeon: Meus parceiros são sempre aqueles que gravam minhas obras: Targino Gondim, Erivaldo de Carira, Henrique Rios, Alan, Aluízio Cruz e em saudosa memória Manuca Almeida.

09) RM: Quem gravou as suas músicas?

Raimundinho do Acordeon: Eu tenho músicas gravadas por: Flávio José, Adelmário Coelho, Targino Gondim, Zezinho da Ema, Trio Sabiá, CHAMBINHO e Erivaldo de Carira.

10) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Raimundinho do Acordeon: Os prós a carreira independente são aqueles que acreditam no talento e prestigiam direto ou, indiretamente. E os contra são os concorrentes e obstáculos que a gente já mais imagina que existem (risos).

11) RM : No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Raimundinho do Acordeon: Meu diferencial é me manter no meu estilo, criar meu próprio repertório e seguir com muito respeito, amor e dedicação ao que faço sempre! E não deixo de aproveitar alguns momentos entre compor, divulgar e até vender alguns shows em parceria.

12) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso à tecnologia  de gravação (home estúdio)?

Raimundinho do Acordeon: As vantagens de se ter acesso à tecnologia de gravação (home estúdio) são de poder apresentar as gravações com a qualidade atual sempre! As desvantagens ficam para quem não consegue se atualizar nos programas utilizados nos estúdios.

13) RM: Como você analisa o cenário do Forró. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Raimundinho do Acordeon: As revelações das últimas duas décadas foram: Falamansa, Targino Gondim, Lucy Alves e Fulô de Mandacaru. Todos com músicas consistentes. Targino com a nossa canção: “ESPERANDO NA JANELA” (Targino Gondim \ Raimundinho do Acordeon \ Manuca Alameida) e mais algumas até regravadas por alguns parceiros e o grupo Falamansa que está sempre uma canção nova. Quanto aos regrediram, eu não vou citar nomes, pois a gente se sustenta.

14) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Raimundinho do Acordeon: Situações inusitadas como: tocar e não receber; levar cantadas; falta de condições técnicas para o show e até cancelar a participação no evento sem explicação. Tudo isso e muito mais já aconteceu.

15) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Raimundinho do Acordeon: O que me deixa mais feliz é os aplausos da galera e quando nos seja meu ou dos colegas eu ouço minhas musicas no ar! e o que me deixa pra baixo é a falta de espaço para o nosso forró tradicional no mercado em geral e até nossos direitos autorais se arrastando. porque o forró só é mais tocado  entre os meses de abril e junho.

16) RM : Você acredita que sem o pagamento do Jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Raimundinho do Acordeon: Sem pagar o jabá para tocar uma música nas rádios. É 1% de chance de tocarem a minha música ou de qualquer músico!

17) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Raimundinho do Acordeon: Eu já mais desanimo uma pessoa que sonha trilhar uma carreira musical. Pois a cima de tudo está o sonho de ser um dia o que eu ou o seu ídolo é, ou, foi.

18) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Raimundinho do Acordeon: Os prós do Festival de Música são aos que ouvem, tocam, dançam, empreendem etc. Os contras? Eu ainda não conheço.

19) RM: Na sua opinião, hoje os Festivais de Música ainda revela novos talentos?

Raimundinho do Acordeon: O Festival de Música tende revelar. Mas, tem que ter por traz uma gravadora multinacional para garantir o suporte.

20) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Raimundinho do Acordeon: Eu vejo na grande mídia muito pouco do que o povo realmente gostaria de ouvir. A boa musica está em baixa!

21) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Raimundinho do Acordeon: Eu ainda não tive o conhecimento para comentar sobre esses espaços aberto a cultura musical, pois infelizmente ainda não me usufruo deste apoio de SESC, SESI e Itaú Cultural.

22) RM: O circuito de Forró na sua cidade?

Raimundinho do Acordeon: Só existe circuito de forró em Juazeiro (BA) nas festas juninas.

23) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Targino Gondim?

Raimundinho do Acordeon: Minha relação pessoal e profissional com Targino Gondim sempre foi ocasional.

24) RM: Qual a sua relação pessoal e profissional com Manuca Almeida?

Raimundinho do Acordeon: Minha relação pessoal e profissional com o saudoso parceiro Manuca Almeida, já falecido, sempre foi ocasional.

25) RM: Como foi a participação de sua filha Mari Ribeiro no The Voice Kid em 2017?

Raimundinho do Acordeon: Minha filha Mari Ribeiro aos 15 anos de idade participou do The Voice Kids em 2017 e no Episódio 6: Audições às Cegas, em 12 de fevereiro de 2017, ela não foi escolhida pelos jurados: Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Victor & Leo.

26) RM: Como está a carreira musical de sua filha Mari Ribeiro.

Raimundinho do Acordeon: Minha filha Mari Ribeiro está bem de composições e contratada da SOARES PRODUÇÕES que deve lançar o seu primeiro trabalho em breve.

27) RM : Quais os seus contatos para show e para seus fãs?

Raimundinho do Acordeon: (74) 3611 – 0898 | 99197 – 2477 | [email protected] | www.facebook.com\raimundinhodoacordeon

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.