Pedro Sampaio

pedrosampaio
  •  
  • 6
  •  
  •  
  •  
    6
    Shares

O cantor, compositor baiano Pedro Sampaio, é um legítimo representante das barrancas do Rio São Francisco, com as quais conviveu grande parte de sua vida até descambar pelas estradas poeirentas que o trouxeram a Salvador-BA.

Dono de uma bela voz, típica dos barranqueiros, assim que chegou a Salvador não perdeu a chance de mostrar sua veia musical. Em sua cidade natal Xique-Xique, na adolescência, estreou como Baterista de grupos locais, apostando depois suas fichas no seu velho companheiro, o violão, que o acompanha até hoje em suas afinadas e doces cantorias.

Em dois LPs e em seis CDs, além de ter participado de várias coletâneas, registrou parte de sua história nesses mais de vinte e cinco anos de caminhada musical pelo Brasil. Suas apresentações são sempre recheadas de admiradores que não economizam em aplausos. Seus discos tocam nos diversos rincões do Brasil.

Com a gravação do seu DVD, Pedro Sampaio deu um passo mais largo, um voo em alto e bom som, com uma rasante sobre grande parte de sua história. Este trabalho em áudio e vídeo foi muito sonhado e muito suado. É a síntese de uma grande parcela da vida do cantador forrozeiro dedicada ao canto regional e, não à toa, recebeu o título de Minha História. Aí está o registro de belas interpretações dos longos anos dedicados à música de sua terra, o sertão da Bahia, impecavelmente produzidas numa apresentação ao vivo. Com arranjos na medida certa, vocalizações afinadas e a participação de parceiros de inquestionável qualidade, o DVD – Minha História, gravado no Largo Pedro Arcanjo, do histórico Pelourinho, na Bahia, marca um momento de glória na carreira deste nordestino, sertanejo de boa cepa.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Pedro Sampaio para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 14.03.2016:

01) RitmoMelodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Pedro Sampaio: Eu nasci no dia 07 de setembro de 1959 na cidade de Xique-Xique-BA, que fica no Vale do São Francisco. Hoje adotei Salvador como meu porto seguro.

02) RM: Como foi o seu primeiro contato com a música?

Pedro Sampaio: Eu já nasci cantando (risos), meu pai tocava saxofone e tinha um grupo chamado Estrela Dalva. Com 10 anos de idade eu fiz a minha primeira Bateria de caixotes, couro de bode e tampa de doce de goiabada. Eu tinha um amigo japonês que era muito sabido e fez o pedalzinho legal, improvisou bacana com molas. Logo fiz um conjunto com os amigos: “Os Impossíveis”. Era eu na Bateria e mais quatro, Baixo, Violão, Sax e o cantor que tocava pente (risos). Tocávamos em brincadeiras, circos também de brincadeira, o povo ficava encantado.

03) RM: Qual a sua formação musical e acadêmica fora música?

Pedro Sampaio: Eu fiz no segundo grau, o curso técnico em Contabilidade, depois iniciei Filosofia na UFBA – Universidade Federal da Bahia e licenciatura em Música na Universidade Católica, não conclui nenhum dos dois, na época eu já era casado e com filho, trabalhava em banco e tocava nas noites, uma correria danada. Numa dessas noitadas de show me senti mal e o médico mandou que eu decidisse minha vida, caso contrário a corda iria partir. O banco me dava o sustento, a música nas noites era meu ideal, já tava com um LP – Natureza e os chamados eram muitos. Tranquei a faculdade e não voltei mais.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente? Quais deixaram de ter importância?

Pedro Sampaio: Eu morei no interior até meus 18 anos de idade, lá eu ouvia muito The Fevers, Renato e seus Blue Caps, Os Incríveis, Waldick Soriano, Nelson Gonçalves, Luiz Gonzaga, Altemar Dutra, Agnaldo Timóteo e muitos outros. Na verdade, ouvi tudo que vinha pela Rádio Globo e a Sociedade da Bahia, lá só pegava isso e através dos discos. Logo depois veio uma galera romântica, como Odair José, Reginaldo Rossi, José Ribeiro, José Augusto, Sérgio Reis, José Roberto, Nilton Cesar, Diana e Fernando Mendes, esse me encantou, foi uma referência para mim, até hoje adoro, cheguei a tocar Bateria com esse povo todo naquelas cidades da região de Irecê. Roberto Carlos foi outro que me influenciou e até hoje sou fã. Mas tarde veio uma grande influência que foi o Fagner, esse foi demais, fiz músicas inspiradas nas que ele cantava, era o cantor guerrilheiro com aquela boina. A primeira vez que assistir o seu show não dormi, foi aqui em Salvador no TCA. Vamos resumir: Fernando Mendes, Roberto Carlos e Fagner. Todos continuam sendo as minhas referências e todos que citei antes continuo ainda ouvindo, só acrescentaram.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Pedro Sampaio: Na minha cidade, Xique-Xique. Comecei a ganhar dinheiro com música aos 14 anos de idade, tocando Bateria em banda de baile, Conjunto: Os Bravos, depois Preces, foram quatro anos, pertencia a meu irmão mais velho, Bibi Sampaio. Nas vindas a Salvador para fazer cursinho, eu toquei em uma banda de Feira de Santana na época da gafieira. Em 1980 fiz parte de uma banda chamada Cigarra, tinha uns dez componentes e tocávamos toda sexta e sábado na Casa de Festejos, uma casa de show aqui em Salvador e rolava muita coisa nordestina. Depois voltava nas férias para o interior e tocava no conjunto do meu irmão. Essa banda durou quase 30 anos e tocou por vários Estados do Brasil. Em 1981 voltei para Salvador em definitivo pra trabalhar no Banerj, eu já tinha passado no concurso. De 1981 a 1987 foi um período de festivais. Ganhei vários como 1°, 2°, 3° lugar, melhor interprete; melhor letra, mas no meio do ano de 1987 eu retornei as noites fazendo Voz e Violão. Começou tudo de novo(risos).

06) RM: Quantos discos lançados e quais os anos de lançamento(quais os músicos que participaram das gravações)? Qual o perfil musical de cada álbum? E quais as músicas que você acha que caíram no gosto do seu público?

Pedro Sampaio: Hoje tenho 2 LPs, 6 CDs e um DVD e mais participações em coletâneas.

LP Natureza – 1989 – mais tarde virou CD. LP Revoar – 1993 – em 1995 virou CD com mais três músicas. CD Vida beija-flor – canções e forrós – 2005. CD É Tempo de Forró – 2006. CD Pelas Estradas do Forró – 2011. Muitas participações nesse tempo todo: Bule-Bule, Wilson Aragão, Tato Lemos, Xangai, Adelmário Coelho, Maciel Melo, Gilton Della Cella, Marcelo Nunes, Eugênio Cerqueira, Capitão Corisco. Comecei a gravar com uma galera mais amiga e depois os músicos que faziam parte da gravadora WR e mais tarde conheci uma turma de qualidade, hoje é um problema decidir quem eu quero (risos). As músicas que mais agradaram foram Verde Verdejante do primeiro LP, depois Alvorada de pássaros, Assobio do vapor, Fronteira das Aguadas, essas do CD – Revoar, depois vieram: Gritos da Terra, essa é meu hino, Vida Beija-flor, Amor de Raiz, são do CD – Vida Beija-flor. Forró no Velho Chico e muitas outras do CD – Pelas Estradas do Forró. E um trabalho regional, de cantoria, xotes, baiões, baladas.

08) RM: Como você define o seu estilo musical?

Pedro Sampaio: Faço uma música rotulada como regional, mas ultrapassa fronteiras, acho que é uma MPB de boa qualidade.

09) RM: Como você se define como cantor/intérprete?

Pedro Sampaio: Eu não sou de encher minha bola, as pessoas me definem como bom no que faço. Eu ainda canto em eventos para empresas, aniversários e no repertório são músicas autorais e MPB. E falam muito bem da minha voz, do meu trabalho, da qualidade.

10) RM: Quais os cantores e cantoras que você admira?

Pedro Sampaio: Muitos, gosto de coisa boa, de qualidade, admiro tanto o Roupa Nova, Roberto Carlos, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Alceu Valença, Elomar, Xangai, Fagner, Almir Sater, Renato Teixeira, Belchior, Zeca Baleiro, Lulu Santos, Maria Bethânia, Luiz Caldas, Chico César, Marisa Monte, Zizi Posse, essa eu sou fã. Também tenho muitos amigos músicos que adoro.

11) RM: Você compõem? Quem são seus parceiros musicais? 

Pedro Sampaio: Claro, sempre fiz isso, gosto de compor, geralmente componho sozinho. Meus parceiros são amigos músicos daqui da Bahia: Gilton Della Cella, Marcelo Nunes, Tato Lemos, Dirceu Regis, Milton Pereira, Chico Leite, Zé Henrique.

12) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Pedro Sampaio: Fazer uma carreira independente é uma realização de um sonho que você não conseguiu com uma produção, uma gravadora. Não existem prós; é você só contra todos.

13) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira musical dentro e fora do palco? 

Pedro Sampaio: Primeiro montei minha estrutura para trabalhar, bons instrumentos, computador, sonorização própria (para pequenos eventos), carro para locomoção, sempre com material pra me apresentar como CD, DVD, release, isso tudo faz parte de uma boa estratégia. Agora só partir para o campo. No palco sempre procuramos levar um trabalho de qualidade, quando há necessidade levamos uma boa equipe pra atuar em cada área, ali precisamos vencer e convencer um público as vezes diversificado.

14) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Pedro Sampaio: Eu procuro sempre inovar, pensar e agir de uma forma organizada agregando valores.

15) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira musical?

Pedro Sampaio: Graças à internet hoje eu continuo na música, sem ela seria impossível.

16) RM: Quais as vantagens e desvantagens do fácil acesso a tecnologia  de gravação (home estúdio)? 

Pedro Sampaio: Uma faca com dois gumes; hoje todo mundo grava e faz seu disco em casa, para nós que tínhamos dificuldade para gravar um CD hoje ficou mais barato e fácil. É o progresso, não podemos fazer nada contra.

17) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje grava um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Pedro Sampaio: Primeiro a qualidade e depois trabalho, muito trabalho para divulgar. Eu uso o computador por mais de 10 horas por dia, sempre buscando espaço, tenho sites que divulgo muito, faço as pessoas conhecerem a minha música. Sucesso = talento e trabalho.

18) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro? Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Pedro Sampaio: O cenário musical dos 60, 70 continua lindo, muitos músicos que vieram depois é um fracasso. A música foi rotulada de formas diferentes, o sertanejo não tem nada a ver de sertanejo, aqui conhecemos como breganejo. O pagodão é uma apelação, só letras que incentivam a baixaria e no popular, putaria mesmo. Algumas revelações como Chico César, Zeca Baleiro, Lenine, Marisa Monte, são poucos para o potencial que o Brasil tem. Muitos talentos desistiram de fazer música, é muito chato vê uma coisa ruim ganhando dinheiro a rodo. Gonzaguinha disse: “Começaria tudo outra vez, eu não recomeçaria tudo outra vez”. O que regrediu foi o gosto popular e a mídia empurrando merda na cabeça deles.

19) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Pedro Sampaio: Roberto Carlos, Gilberto Gil, o maestro Tom Jobim, Maria Bethânia, muita gente que faz com profissionalismo, o Brasil hoje tem uma boa estrutura para isso.

20) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado e etc)?

Pedro Sampaio: Tudo isso é normal na carreira do artista, já me aconteceu de tudo, com o tempo você vai ficando mais profissional, forma uma boa equipe e procura evitar essas coisas chatas e ruins. Mas sempre acontecem.

21) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Pedro Sampaio: É sem dúvida ser reconhecido, está sempre em atividade é muito bom, sem shows o artista não vive. A tristeza é vê esse arrastão da burrice assolando todo o país com coisas ruins, imorais e essa galerinha engolindo e aplaudindo.

23) RM: Nos apresente a cena musical na cidade que você mora?

Pedro Sampaio: Rapaz, Salvador (BA), é uma mistura doida, música para todo gosto, você que escolhe (risos). Da bela MPB, a bonita música regional, o forró, o axé até o arrocha e outras coisas que nem defino como música(risos).

24) RM: Quais os músicos ou/e bandas que você recomenda ouvir?

Pedro Sampaio: Dois artistas que resume tudo: Luiz Gonzaga e Dorival Caymmi.

25) RM: Quais os cantores e cantoras que gravaram as suas canções?

Pedro Sampaio: Sou pouco gravado, ainda não conseguir esse fio da meada, segundo as línguas, eu tenho até música que podem virar sucesso nacional(risos). Já fui gravado por Israel Filho, Gilton Della Cella, Ton Ton Flores, Madina, Dalmo Funchal, Neném do Acordeom.

26) RM: Você inscreve as suas músicas em Festivais de Música?

Pedro Sampaio: O último Festival de Música que participei foi o da Rádio Educadora da Bahia, em 2010, fui classificado entre os finalistas com a música Fronteira das Aguadas. Nível lá em cima, só maestros e bons poetas.

27) RM: O que acha da importância dos Festivais de Música para lançar novos talentos para um grande público?

Pedro Sampaio: Muito bom, como citei acima, participei muito e fui vencedor em vários. Foi, é e sempre será muito importante, a integração dos músicos, muito bacana.

28) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Pedro Sampaio: Claro que sim, uma prova é que recebo direitos autorais, pouco mas recebo, deveria ser muito mais pois tocam bem e em muitas rádios do Brasil. Falta organização e seriedade.

29) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Pedro Sampaio: Primeiro ter o dom, fazer com amor sem ter ambição em ganhar grana, isso é consequência e vem com o tempo, estudar muito, ser profissional e organizado.

30) RM: Quais as suas principais críticas a grande mídia?

Pedro Sampaio: Muitas, mas vou resumir aqui em poucas palavras: sem o pagamento do jabá nos programas de TV da grande mídia é difícil chegar ao povão.

31) RM: Quais os seus projetos futuros?

Pedro Sampaio: Divulgar meu DVD pelo Brasil e logo mais fazer um disco de canções lindas com bons arranjos.

32) RM: Quais os seus contatos para show e para os fãs?

Pedro Sampaio: (71) 9154-1241 (TIM) | 9924-6304 vivo | www.palcomp3.com.br/Pedrosampaio1 |                                   www.palcomp3.com.br/pedroetempodeforro


  •  
  • 6
  •  
  •  
  •  
    6
    Shares
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.