Olivia Gênesi

olivia
  • 47
    Shares
Avalie esta Entrevista

A cantora, compositora, produtora musical, instrumentista, arranjadora, professora de canto e música, e técnica de áudio paulistana Olivia Gênesi tem em sua formação Piano e Canto erudito, jazz, música oriental, rock, música brasileira.  A combinação de todos estes elementos resultou num estilo eclético e ousado,presente em toda sua trajetória.

Assim, em seu disco de estreia (Olivia, 2000) e em seu segundo CD (Perto, 2003) ela já apresentava sua forte personalidade musical, resultado bem dosado de suas várias influências: Beethoven, Mozart, Bach, Debussy, Stravinsky, Cole Porter, George Gershwin, Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan, Led Zeppelin, DeepPurple, Frank Zappa, Hermeto Paschoal, Tom Jobim, Mutantes, Caetano Veloso, Maria Betânia, Gilberto Gil, entre outros.

Há ousadia em seu estilo de compor e de cantar. Não repetindo fórmulas, faz trilhar novos caminhos, e seu amor pela música mostra-se com clareza em suas interpretações singulares. Para consolidar a forte influência do Jazz e da Bossa Nova, ela apresentou o projeto “JazzyStuff”, dois CDs (2por2 e 12), lançados em 2004 e 2005 no Brasil, Japão e Espanha. No repertório tem clássicos do jazz, bossa nova e rock, em versões inusitadas, com arranjos sofisticados para sua voz doce, emocionante e envolvente.

Em seu quinto CD (Full Bloom, 2007) assinou novamente a produção musical, no estilo folk-rock, usando a tecnologia como parceira na aproximação entre a cantora e o compositor radicado no Texas – EUA, Frank Krischman.

Em 2009 lançou o CD -“Só a música faz”, voltando com toda a força de suas canções e mensagens marcantes, e abrindo espaço para outros compositores de sua geração.  Este novo CD resgata a sonoridade marcante e orgânica da década de 70 recheada pela textura dos timbres modernos, marca registrada do estilo da artista.

Em 2012 lançou o CD – “VintageFilter”, projeto autoral em parceria com o pianista e tecladista Adriano Augusto e participação especial de Bruno Balan na bateria. Este CD resgata as sonoridades analógicas das décadas de 70 e 80, envoltas em clima surrealista. Música para relaxar e viajar por ambientes fantásticos!

Em 2013 lançou novo CD autoral: Melodias de sol em pleno azul, um pop rock com pitadas de jazz, reggae e groove. Olivia Genesi confirma a expectativa de que alguns artistas independentes conseguem manter-se ativos, e, além disso, fazer música de boa qualidade, alheios aos modismos e sucessos fabricados que entopem a grande mídia. 2015 foi marcado por comemorações dos 15 anos de discografia e pelo lançamento do single “Eu acredito em você”.

Iniciou 2016 com o CD–“O Mar e outras águas”, parceria com a cantora e compositora Raquel Martins, uma reverência autoral à diversidade rítmica brasileira. Também em 2016 lançou o single “Tempo”, um dueto com o cantor carioca André Gabeh. No final de 2016 lançou seu primeiro DVD, infantil e autoral, Olivia e as Cores Vivas!que faz parte de um projeto social de musicalização infantil para crianças que frequentam creches e escolas municipais de ensino fundamental. Também em 2016, mais precisamente dia 30 de Julho, iniciou a transmissão de seu programa de rádio “Viver Música” com Olivia Gênesi, que vai ao ar todo sábado das 14h às 16h na webradio Lágrima Psicodélica.

Para 2017 ela está preparando o novo CD autoral, alguns singles em parcerias, e um projeto em que fará homenagem a um compositor nordestino que mudou a estética da música brasileira.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Olivia Gênesi para a www.ritmomelodia.mus.br  , entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 20.02.2017:

01) Ritmo Melodia : Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Olivia Gênesi : Sou paulistana (São Paulo) da gema nascida em 27 de outubro: escorpiana ascendente aquário e lua em libra.

02) RM : Fale do seu primeiro contato com a música?

Olivia Gênesi – Aos cinco anos de idade comecei a aprender música, ler partitura. Com nove anos de idade comecei a tocar Piano.

03) RM : Qual a sua formação musical e\ou acadêmica fora da área musical?

Olivia Gênesi : Minha formação é toda musical. Piano e canto eruditos.

04) RM : Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Olivia Gênesi : Minha formação é erudita, mas a paixão por rock dos anos 70, jazz e blues completou meu leque de influências. Sou uma mistura disso tudo, com pitadas de música brasileira (Bossa Nova, Samba e Baião) e de música oriental, especificamente árabe e indiana. Todas as influências se mantem vivas e importantes na minha transpiração musical.

05) RM : Quando, como e onde  começou a sua carreira profissional?

Olivia Gênesi : Minha carreira profissional começou nos anos 90, como cantora nas casas de jazz e blues da noite paulistana.

06) RM : Quantos CDs lançados, quais os anos de lançamento (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que entraram no gosto do seu público?

Olivia Gênesi : São dez CDs (sendo dois digitais), um DVD, três singles. Muitas parcerias incríveis,um grande e rico time de músicos instrumentistas acompanhantes, diversas participações especiais. Dos meus CDs,oito são autorais com algumas parcerias e dois CDs são um projeto de versões estilo Jazz e Bossa Nova para clássicos do rock, do jazz e da música brasileira. Esse projeto foi lançado também no Japão e na Espanha. Tenho mais de 100 composições autorais, e cada vez compondo mais.

07) RM : Como você define seu estilo musical?

Olivia Gênesi : Não tenho muita simpatia por rótulos musicais, mas havendo necessidade de uma definição de estilo, meu som é tão eclético quanto minha formação, passeando pelo rock, pop, folk, jazz, brasil.

08) RM : Como é o seu processo de compor?

Olivia Gênesi : Meu processo de composição é muito natural, intuitivo e constante. Basta iniciar um novo projeto e as músicas vêm à mente, letras também, muitas vezes durante a noite. Costumo compor ao piano e ao violão. Gosto também de musicar (colocar melodia) letras de outros parceiros e/ou de colocar letra em músicas (em melodia) de colegas. Aí já gravo o esboço para não esquecer nenhum detalhe.

09) RM : Quais são seus principais parceiros de composição?

Olivia Gênesi : Meu principal parceiro é o Paulo Preto que faz letras incríveis e trabalhamos juntos desde meu primeiro CD lançado em 2000. Também componho com o pianista/compositor Adriano Augusto, com o compositor/guitarrista Zé Luiz Marmou, e com a compositora/violonista Raquel Martins. Também fiz musicas lindas com Luca Batista, André Gabeh, e outros talentosos artistas que cruzam meu caminho musical.

10) RM : Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Olivia Gênesi : Para mim tem muito mais prós: Ter autonomia sobre o próprio trabalho, conduzir a carreira de acordo com minhas convicções e valores, selecionar músicos e repertorio. Ou seja, liberdade.

O contra todo mundo sabe: falta dinheiro e espaço na mídia. Ou seja, falta a valorização do artista!

11) RM : Quais as estratégias de planejamento da sua carreira musical dentro e fora do palco?

Olivia Gênesi : Muitas estratégias,planos e metas, que vão se adequando de acordo com os recursos disponíveis. O artista independente no Brasil vive a realidade de um país gerido pela grana e pela indicação. No meu caso, é um malabarismo diário para me manter fiel aos meus princípios mantendo a musica em primeiro lugar.

12) RM : Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver sua carreira musical?

Olivia Gênesi – Procuro sempre acompanhar mídias de jornalistas e amantes da música sérios e comprometidos, para poder divulgar meu trabalho. Procuro conhecer produtores honestos e competentes para vender meus shows e me preocupo que todos os músicos que me acompanham fiquem satisfeitos.

13) RM : O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Olivia Gênesi : A internet sempre me ajudou. Desde 2000 quando lancei o meu primeiro CD, uso a internet para divulgar e me aproximar do público. Além disso, em 2007 usei a internet para produzir o CD – Full Bloom, que foi uma parceira com Frank Krischman, compositor piauiense radicado no Texas – EUA.

14) RM : Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home estúdio)?

Olivia Gênesi : Eu tenho estúdio digital desde a década de 90, e acredito que a tecnologia da gravação digital apareceu para facilitar a vida do músico e garantir produções originais, fiéis à criatividade e com altíssima qualidade. Todos os compositores e produtores musicais hoje em dia, possuem uma ferramenta de produção musical profissional. É Imprescindível para a realização do trabalho.

15) RM : No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Olivia Gênesi : Eu acredito que não falta espaço, existe público para todos os artistas e isso não deveria ser uma preocupação. Mas passa a ser a partir do momento em que o acesso às pessoas/ouvintes está diretamente vinculado à verba para jabás e afins. E essa é uma das grandes vantagens da internet. Você pode dialogar diretamente com seu público, e ele vem diretamente a você.

16) RM : Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Olivia Gênesi : A grande mídia:a impressa, a radiofônica ou a televisiva, está total e diretamente ligada ao quando você tem para investir. Se tiver dinheiro, compra a mídia. Talento, conteúdo e competência não estão em jogo. Acaba sendo simples de entender se você não se revoltar contra este grande esquema. Portanto quem se destaca na mídia, em minha opinião, não tem absolutamente nada a ver com qualidade, com conteúdo, ou com talento.

Em cada artista existem duas personas: uma da arte, outra do marketing. A da arte é a que costumo apreciar, ouvir, prestigiar, conhecer. A do marketing aparece na mídia, e precisa dela para viver e divulgar sua arte.

Para ser um artista/músico consistente você precisa estudar muito, se reinventar e renovar, acreditar no próprio trabalho, e principalmente nunca esquecer que a música está sempre acima de nós! Nunca um músico se torna mais importante do que a música, somos apenas instrumento dessa maravilhosa arte.

17) RM : Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para o show, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado e etc)?

Olivia Gênesi : Em 20 anos de carreira, com certeza aconteceram todas essas citadas (risos).

18) RM : O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Olivia Gênesi : Feliz é viver para a música. Triste é não ter condições para realizar e produzir muito mais.

19) RM : Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Olivia Gênesi : São Paulo é um berço de arte urbana pulsante. A música aqui fervilha e se mistura com tudo, 24 h, ininterruptamente. São Paulo não pára, não perdoa, não dorme, não relaxa. É uma cena diversa, intensa e cheia de influências inusitadas.

20) RM : Quais os músicos, bandas da cidade que você mora você indica como uma boa opção?

Olivia Gênesi : Passear de metrô e ouvir os artistas de rua.Jantar num bistrô ao som de jazz.Terminar a madrugada num bar do centro ouvindo rock.

21) RM : Você acredita que sem o pagamento de jabá suas músicas tocarão nas rádios?

Olivia Gênesi : Minha música toca em diversas web rádios, que não trabalham com jabá. Tocam na rádio USP que não trabalha com jabá. Não gasto mais energia me revoltando com esses esquemas. Se um dia tiver condições também investirei na mídia para fazer minhas músicas alcançarem um público de massa. Não tenho nada contra isso.

22) RM : O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Olivia Gênesi : Nunca deixe de estudar. E faça música com a sua verdade para poder tocar o outro, e nunca deixe o ego superar sue amor e respeito pela música.

23) RM : Quais os Pianistas e Tecladistas que você admira?

Olivia Gênesi : MilchoLeviev, Oscar Peterson, Martha Argerich, Nina Simone, Herbie Hancok, Keith Jarret, Diana Krall, Art Tatum, ChickCorea, entre outros. No Brasil Hermeto Paschoal, Michel Lima, Adriano Augusto, entre outros.

24) RM : Quais os compositores Eruditos que você admira?

Olivia Gênesi : Bach, Debussy, Beethoven, Stravinsky, entre outros.

25) RM : Quais os compositores de Jazz que você admira?

Olivia Gênesi : Count Basie, Miles Davis, George Gershwin, Duke Ellington, entre outros.

26) RM : Quais os compositores de Bossa Nova que você admira?

Olivia Gênesi : Tom Jobim, João Gilberto, entre outros.

27) RM : Quais os compositores de folk-rock que você admira?

Olivia Gênesi – Ben Harper, Frank Zappa, Fiona Apple, entre outros.

28) RM : Quais os compositores da MPB que você admira?

Olivia Gênesi : Gilberto Gil, Chico Buarque, Caetano Veloso, Marisa Monte, entre outros.

29) RM : Quais os discos que você atuou como produtora musical?

Olivia Gênesi : São os CD: “Perto”- Olivia Gênesi em 2003; Cenas” – Meia hora depois em 2004; 2por2-JazzyStuff!– Olivia Gênesi em 2004; Estranhos desertos  – Zé Luiz Marmou em 2005; 12-JazzyStuff! – Olivia Gênesi  em 2005; Fullbloom – Olivia & Frank Krischman em 2007; A música que toca – Bruno Tedesco em 2008; Raízes voadoras – Zé Luiz Marmou em 2008; Só a música faz – Olivia Gênesi em 2009; Começo,meio e fim  – Luca Batista em 2010; VintageFilter – Olivia Gênesi e Adriano Augusto em 2012; MelodiasDeSolEmPlenoAzulOlivia Gênesi em 2013; Primeiro – Rodrigo Cemino  em 2014; Tupy Ácido Ita – Zé Luiz Marmou em 2014; EuAcreditoEmVocê (single)  – Olivia Gênesi em 2015; O Mar e Outras Águas  Olivia – Genesi e Raquel Martins em 2016; Tempo (single) – Olivia Gênesie e André Gabeh em 2016; OliviaEasCoresVivas (DVDinfantil) em 2016; Gente inteligente – Afrosul em 2017; No som (EP) – Olivia Gênesie e Zé Luiz Marmou em 2017;

 30) RM : Quais os cantores(as) e bandas que você já acompanhou como Pianista\Tecladista?

Olivia Gênesi : Algumas bandas de rock no começo da carreira.

31) RM : Nos apresente a sua metodologia como professora de Piano\Teclado?

Olivia Gênesi : Em mais de 25 anos como professora de música desenvolvi uma metodologia própria. Sou a favor de aulas particulares para trabalhar o repertório específico do gosto e intenção de cada aluno, ensinando e trabalhando conceitos e teoria dentro do universo musical de cada um.

32) RM : Quais as principais diferenças entre as técnicas de Piano e Teclado?

Olivia Gênesi : As diferenças são mecânicas e tecnológicas. As mecânicas como digitação e exercícios para adaptar a força e desempenho individual de cada dedo nos diferentes pesos e formatos das teclas. Tecnológicas porque o pianista trabalha no timbre de piano, enquanto o tecladista deve conhecer e usar os diversos efeitos e ferramentas que o teclado oferece. Desde timbres à programação, sequencer e samples.Todo instrumentista deve estudar muita rítmica para poder ter desenvoltura em diferentes estilos.

Não sou do tipo que fica acompanhando as últimas tendências. Gosto de me adaptar e usar um instrumento que sirva aos interesses que estou buscando em minha música.

Além de Piano e Teclado eu toco Guitarra, Violão, Contrabaixo, Percussão, Escaleta e Acordeom.

Para mim a tecnologia é uma ferramenta de trabalho que deve servir ao músico. Gosto de prestar atenção à música e deixar que ela me “peça” qual instrumento, qual solo, qual momento.

Da mesma maneira os estúdios para produção musical. Tenho estúdio desde a década de 90 e posso dizer que é mais importante um técnico conhecer e dominar o equipamento que possui e a acústica do espaço físico onde está inserido, do que equipamentos e ferramentas de última geração, que muitas vezes não são bem utilizados.

Já gravei em salas de casa, corredores, galpões, e também muitos estúdios construídos apenas para gravação. É a música que pede, não existe fórmula. Quando você está produzindo e define a estética que vai seguir de acordo com o que o artista busca, a criatividade e o envolvimento falam muito mais alto do que este ou aquele equipamento, instrumento, microfone ou sala.

33) RM : Quais os principais vícios e erros que o estudante de Piano e Teclado deve evitar?

Olivia Gênesi : Cada um deve encontrar em sua vida um bom professor de música. Alguém com sensibilidade suficiente para instruir e despertar o melhor na relação individual e espiritual do ser com a própria musicalidade. A teoria musical e as muitas técnicas tanto de instrumentos, quanto de voz, são complementos que devem ser inserido em cada contexto de vida. Não adianta uma pessoa que tem por objetivo tocar como hobbie investir tempo em técnicas de palco.

Quem busca se profissionalizar como músico deve ter além das aulas de música e instrumento, aulas de comportamento, de como lidar com o ego, com a expressão, com a intuição. Tudo faz parte da formação do artista.

34) RM : Quais os principais erros de metodologia de ensino de música?

Olivia Gênesi : O pior erro em minha opinião, não só no ensino musical, mas em todo o tipo de ensino, é ensinar e transferir conhecimento como se todos fossem iguais. O aprendizado é individual, a interação é social. A inspiração é individual, a transpiração é coletiva.

35)RM : Existe o Dom musical? Como você define o Dom musical?

Olivia Gênesi : Acredito que o dom musical é a ligação/conexão com o próprio ouvido, somada à ligação espiritual com a música. Não gosto muito de definições (risos).

36) RM : Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical? Qual a definição de Improvisação para você?

Olivia Gênesi : Improvisação é ter técnica e conhecimento musical suficiente para conseguir, durante a execução musical, se ausentar a ponto de só restar à música!

37) RM : Como chegar ao nível de leitura à primeira vista?

Olivia Gênesi : Exercitando, diariamente.

38) RM : Quais os métodos que você indica para o estudo de leitura à primeira vista?

Olivia Gênesi – Não tem segredo ou fórmula. Se quiser ler tem que treinar. É como a leitura em qualquer idioma.

39) RM : Quais as principais diferenças entre as técnicas do Canto Popular e o Canto Erudito?

Olivia Gênesi : Existem técnicas específicas para cada um, mas é importante estudar todas para usar aquela que quiser a hora que a música pedir.

40) RM : Qual a importância do estudo de técnica vocal e os cuidados da saúde vocal para o músico profissional?

Olivia Gênesi : Todos cantam, mas não são todos que são cantores. O cantor precisa se cuidar, exercitar, manter, prevenir, adquirir técnicas e estudar diariamente.

41) RM : Quais os prós e contras de um cantor fazer os exercícios de Solfejo sem acompanhamento de um professor?

Olivia Gênesi : Todos podem exercitar a voz, mas todo exercício precisa de indicação profissional. Existem sérios riscos para a saúde do indivíduo, e do aparelho fonador, principalmente das cordas vocais.

42) RM : Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI, CEUs e Itaú Cultural para cena musical em São Paulo?

Olivia Gênesi : Eu acredito que estes sejam atualmente os melhores espaços para as apresentações musicais profissionais, seja em relação à realização de projetos culturais, em estrutura física dos espaços, qualidade de equipamentos e profissionais (equipe técnica). Há uma grande dificuldade em agendar, pois são muitos profissionais para poucos espaços. Mas mesmo assim ainda são esses espaços que salvam a cena. Faltam mais espaços de tamanho médio patrocinados por empresas que patrocinem projetos culturais voltados para a música profissional.

43) RM : O circuito de Bar nos Bairros Vila Madalena, Vila Mariana, Pinheiros, Perdizes e adjacência ainda é uma boa opção de trabalho para os músicos?

Olivia Gênesi – Eu não gosto de me apresentar em Bares, porque são muito poucos que contratam, e desses, menos ainda os que trabalham com música autoral.

Salvo algumas exceções não são espaços que valorizam o músico profissional, e não raro temos problemas como atraso e falta de pagamento, além de más condições e equipamento precário. Por conta disso, muitos amadores e aspirantes acabam ocupando esses espaços, pois por não serem profissionais se sujeitam a todas essas dificuldades e precariedades.

44) RM : Quais os seus projetos futuros?

Olivia Gênesi : Em 2017 estou iniciando um novo projeto que homenageio o compositor e expoente da música nordestina Chico Science. O primeiro show será dia 09 de fevereiro no Sesc Santo André – SP. Eu na voz, piano e violão, e estarei acompanhada pelos excelentes Bruno Balan na percussão e Fábio Dregs na guitarra.

45) RM : Quais seus contatos para show e para os fãs?

Olivia Gênesi : Agradeço muito a oportunidade de participar da revista RitmoMelodia, especialmente ao Antonio Carlos, e desejo que a música chegue a todos os lugares do mundo, para que o amor e o respeito sejam um ar que todos possam respirar. Meu contato para shows: (11) 9.5746 – 1234 |[email protected] | www.oliviagenesi.com.br |www.youtube.com/oliviagenesi | www.youtube.com/oliviacantora |www.soundcloud.com/oliviacantorawww.soundcloud.com/oliviagenesiwww.facebook.com/oliviacantora | Twitter: Olivia_cantora | Instagram: @olivia_genesi

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.