Márcio Duarte

  • 4
    Shares
Márcio Duarte
Avalie esta Entrevista

O compositor, intérprete e multi-instrumentista Márcio Duarte “… nada será mais como antes, se o que passou foi o bastante… pra transformar o que restou, num lapidar de um diamante”. Esse é um trecho de “Sentido da Vida”, uma das canções dele, que compõe seu primeiro álbum – “Porto Seguro”, lançado recentemente.

Márcio Duarte é músico graduado, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, possui especialização em Percepção Musical, Harmonia Funcional e Regência pela Escola de Música Vila Lobos e também é especializado em Musicoterapia pela Escola de Música Liba Serra de São Paulo. Ele possui uma vasta e sólida carreira musical, como Diretor, Arranjador e Produtor Musical, tendo acompanhado vários astros da MPB e sendo muito respeitado por onde passa. Entre esse nomes, podem ser citados, as cantoras Alcione, Leci Brandão, além de Elymar Santos, Carlos da Fé, Neguinho da Beija-Flor e Orquestra Tabajara.

Foi também regente de Coral e da Banda Marcial, pelo Companhia Nacional de Escolas da Comunidade (CENEC), na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro.

Atualmente em carreira solo, o multi-instrumentista também se destaca como cantor, compositor e intérprete, possuindo um vasto repertório, que inclui ritmos e estilos variados da Música Brasileira. Suas canções emocionam tanto pelas mensagens das letras que expressam um profundo amor e respeito pela vida, convidando à reflexão sobre temas variados, como pelos belos arranjos e estilo apaixonado e harmonioso de cantar, que toca e emocionada profundamente os seus ouvintes.

Natural do Rio de Janeiro, hoje residindo na cidade de Juiz de Fora, tem se apresentado em espaços culturais que acolhem a boa música, em diversas partes do país, com um repertório rico e variado e em diferentes formatos. Márcio Duarte ainda tem um repertório para cerimoniais religiosos, casamentos, festas de aniversário, bailes de 15 anos, e eventos corporativos.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Márcio Duarte para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado com Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 15.10.2018:

 01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Márcio Duarte: Nasci no dia 28.03.1972 no Rio de Janeiro (RJ).

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música?

Márcio Duarte: Aos nove anos de idade quando comecei a ter aprender tocar o violão.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica fora da área musical?

Márcio Duarte: Sou músico graduado com especialização em regência improvisação e harmonia funcional e trabalho com musicoterapia.

 04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Márcio Duarte: Tenho influência da música gospel e MPB.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Márcio Duarte: Aos 15 anos de idade já dava aula e aos 18 anos já tocava como profissional nos clubes do Rio de Janeiro – RJ.

06) RM: Quantos CDs lançados, quais os anos de lançamento (quais os músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que entraram no gosto do seu público?

Márcio Duarte: Dois CDs gravados com participações de cerca de sete músicos: Teclado, Baixo, Violão, Bateria, metais. O perfil dos discos é bem popular, mas com um toque poético, filosófico e romântico. O público normalmente curte todas as canções, mas as de maiores sucessos são: “Porto Seguro”, “Sentido da Vida”, “Um novo Som”, “Esquina” e “Tudo ou nada”.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Márcio Duarte: Eclético.

08) RM: Você estudou técnica vocal?

Márcio Duarte: Sim.

09) RM: Qual a importância do estudo de técnica vocal e cuidado com a voz?

Márcio Duarte: É importante para ir além do que se imagina, mas não fazer além do que se deve.

10) RM: Quais os cantores(as) que você admira?

Márcio Duarte: São muitos. Mas vou citar apenas alguns: Djavan, Chico Buarque, Milton Nascimento, João Bosco, Caetano Veloso, Gonzaguinha.

11) RM: Como é o seu processo de compor?

Márcio Duarte: Reflexão e inspiração.

12) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Márcio Duarte: Por incrível que pareça não tenho parceiros musicais, embora esteja aberto pra experimentar.

13) RM: Quem já gravou as suas músicas?

Márcio Duarte: Vários cantores gospel e seculares. E de grande nome apenas o saudoso Emilio Santiago, gravou: “Pense Bem”.

14) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Márcio Duarte: Satisfação consciente. Carreira independente é bom, mas não trás retorno e reconhecimento a altura que um artista precisa.

15) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Márcio Duarte: Divulgação e preparação como ensaios.

16) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira?

Márcio Duarte: Apenas divulgo e vou à busca de espaço.

17) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

 Márcio Duarte: Prejudica em nada somente ajuda a divulgar.

18) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home estúdio)?

Márcio Duarte: Acessibilidade e um bom custo e benefício.

19) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Márcio Duarte: Sobretudo: Qualidade e originalidade.

20) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Márcio Duarte: Revelações Tiago Iroc, Maria Gadú. E Jorge Vercillo, eu não sei em que regrediu, mas sei que a música regrediu como um todo.

21) RM: Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

 Márcio Duarte: João Bosco.

 22) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Márcio Duarte: Sou bem discreto. Nada que posso atenuar.

23) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Márcio Duarte: Triste pela falta de reconhecimento. E feliz em fazer o que gosto e ser reconhecido pelos meus amigos e admiradores.

24) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Márcio Duarte: Juiz de Fora é uma cidade Normal. Não tem nada demais. E cada um buscando o seu espaço.

25) RM: Quais os músicos, bandas da cidade que você mora, que você indica como uma boa opção?

Márcio Duarte: Hoje não tenho quem indicar apenas três pessoas: Tiago Mirando, Luciana d’Ávila e Lu Toledo.

26) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Márcio Duarte: Quase impossível. Mas eu ainda acredito no impossível.

27) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Márcio Duarte: Vá em frente, mas não se iluda. Pé no chão!

28) RM: Quais os prós e contras do Festival de Música?

Márcio Duarte: Visibilidade, mas sem projeção futura.

29) RM: Na sua opinião, hoje os Festivais de Música revela novos talentos?

Márcio Duarte: Sim.

30) RM: Como você analisa a cobertura feita pela grande mídia da cena musical brasileira?

Márcio Duarte: Tão medíocre quanto mediocridade que a música tem se tornado.

31) RM: Qual a sua opinião sobre o espaço aberto pelo SESC, SESI e Itaú Cultural para cena musical?

Márcio Duarte: Boa, mas inda são os mesmos. Precisamos abrir novos espaços e apresentar novos talentos.

32) RM: O circuito de Bar de sua cidade como boa opção de trabalho para os músicos?

Márcio Duarte: Infelizmente ainda falta muito para um bom reconhecimento por conta de seus proprietários.

33) RM: Quais os seus projetos futuros?

Márcio Duarte: Trabalhar, trabalhar e trabalhar para conseguir meu espaço.

35) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Márcio Duarte: (21) 98249 – 6374 | |

www.facebook.com/psmarcioduarte

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.