Marcello Dornelles

marcello dornelles
Marcello Dornelles
Avalie esta Entrevista

O cantor, compositor e produtor musical Marcello Dornelles gaúcho está a dez anos na carreira musical, mas iniciou seu contato com a música bem cedo, aos 11 anos de idade tocando violão e cantando MPB.

Na adolescência formou algumas bandas de Pop Rock em que era o cantor e guitarrista. E participou durante quatro anos como o guitarrista e vocalista de um conjunto de fandango, animando muitos bailes em todo o Rio Grande do SulSanta Catarina e Paraná. Em 1999, deu início à carreira de seus sonhos. Ser cantor e compositor de MPB. Suas principais influências musicais são: Caetano Veloso, Djavan, Lulu Santos, Tom Jobim e algumas bandas dos anos 80 comoOs Paralamas do Sucesso, Kid Abelha, Titãs, Legião Urbana entre outros. Em outubro de 2006 lançou seu primeiro CD – “Passageiro eu sou”.  Já finalizou o próximo disco que será lançado em 2010. Atualmente reside em Florianópolis – SC, onde se apresenta com freqüência na cidade.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Marcello Dornelles para  a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 07.03.2010:

01) RitmoMelodia: Qual sua data de nascimento e sua cidade natal?

Marcello Dornelles – Nasci em São Francisco de Assis – RS no dia 11 de janeiro de 1977.

2-) RM – Fale do seu primeiro contato com a música?

Marcello Dornelles – Quando eu era garoto, tinha uns cinco anos de idade, ouvia os ensaios de uma banda de música regional que meu tio tinha. Acho que isso despertou meu interesse e logo aos 11 anos comecei a aprender a tocar violão.

3-) RM – Qual sua formação musical e\ou acadêmica dentro ou fora música?

Marcello Dornelles – Meu tio  me ensinou uns dois ou três acordes. Depois fiz umas duas aulas de violão com um vizinho que tocava, e a partir daí comecei a estudar sozinho. No início usava as revistinhas de músicas cifradas, depois comecei a estudar pra valer. Aprendi a ler partituras através de métodos escritos e estudei um pouco de violão clássico. Um pouco mais tarde comprei os métodos do Almir Chediak e passei a aprender harmonia e improvisação. Também fiz umas aulas de canto em que aprendi a respirar de modo correto, depois disso criei meus próprios exercícios tanto para voz como para violão e guitarra. Como produtor musical, eu toco outros instrumentos: contrabaixo, piano, bateria e percussão.

4-) RM – Quais suas influencias musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Marcello Dornelles – As primeiras influências vieram da MPB como Fagner, Rosana, Roberto Carlos e bandas de rock: Os Paralamas do Sucesso, Titãs, Legião Urbana, Lobão, cazuza, Engenheiros do Hawaii e outras internacionais como Dire Straits, Pink Floyd e Eric Clapton. Mais tarde fui ouvir oCaetano Veloso, Djavan, Tom Jobim, Gilberto Gil, Chico Buarque, Elis Regina, Ivan Lins e muitos outros nomes da MPB que realmente me encantaram muito. Não existe nenhuma influência que tenha deixado de ser importante, considero todas muito importantes na minha formação musical.

5-) RM – Quando, como e onde você começou sua carreira profissional?

Marcello Dornelles – Comecei profissionalmente em 1994 como guitarrista de uma banda de Fandango no Rio Grande do Sul onde atuei durante quase 5 anos. Em 1999 dei início a minha carreira solo na música popular brasileira. Na adolescência fui guitarrista e cantor em algumas bandas de rock pop que eu tive, mas ainda não vivia exclusivamente de música.

6-) RM – Fale do seu primeiro CD (músicos que participaram nas gravações)? Qual o perfil musical do CD? E quais as musicas que estão entrando no gosto do seu público?

Marcello Dornelles – Meu primeiro CD foi gravado e produzido em meu home estúdio, também mixado e masterizado por mim. Alguns músicos amigos meus participaram do disco, entre eles estão: Fábio Maus (Baixo), Sito Lozzi (Piano) e Cacá Martins (Vocais). Eu não sei enquadrar o CD em um único estilo ou tendência, na verdade o disco é completo de vários ritmos como o samba, o reggae, baladas, blues pop e canções. As músicas que mais agradaram o meu público foram o reggae “Pra ser mais eu” e a canção “Mania”, mas outras não deixaram de ter seu destaque também como “Passageiro eu sou”“Demais pra mim” e “Que saudade”.

7-) RM – Como você define seu estilo musical?

Marcello Dornelles – Hoje em dia falam em nova MPB, mas eu costumo dizer que faço música brasileira, ou como disse o Lenine “Música Plural Brasileira”. Que em minha opinião deveria ser mesmo o real significado da sigla “MPB”, pois temos a vantagem de ser livres quanto a ritmos, melodias e harmonias.

😎 RM – Como é seu processo de compor?

Marcello Dornelles – Não tenho uma receita para compor, às vezes a música vem de um jeito e às vezes vem de outro. Geralmente nasce a linha melódica na minha cabeça. E, depois vou escrevendo a letra em cima e em umas demoram 15 minutos e outras em meses ou até anos.

9-) RM – Quais são seus principais parceiros musicais?

Marcello Dornelles – Meus principais parceiros até agora são: Lucas Serafim e Ranier, ambos compuseram comigo algumas as músicas do primeiro CD. E, depois disso ainda não tenho nenhuma parceria, gosto muito de compor sozinho.

10-) RM – Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Marcello Dornelles – Olha, acho que tem bem mais prós do que contras, uma carreira independente deixa o artista totalmente livre e isso é maravilhoso. A maior dificuldade é colocar o trabalho na mídia, mas acredito muito no novo mercado da internet, tenho conseguido ótimos resultados com essa ferramenta.

11-) RM – Como você analisar o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Marcello Dornelles – Acho o cenário musical muito legal no Brasil, apesar das porcarias de músicas descartáveis. Nas duas últimas décadas apareceram cantoras como Zélia Duncan, Adriana Calcanhotto, Ana Carolina e cantores como Jorge Vercilo, Lenine, Zeca Baleiro, Moska entre outros tantos. Acho que estes que eu citei são consistentes e vieram pra ficar. Aliás, já ficaram (risos). Quem regrediu? Eu não saberia dizer.

12-) RM – Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Marcello Dornelles – Ana Carolina e Jorge Vercillo são dois deles, seria difícil citar todos.

13-) RM – Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado e etc)?

Marcello Dornelles – Já aconteceram várias, acho que quase todas essas que você citou na pergunta, mas ir cantar e não ter público, eu acho que foi a pior de todas.

14-) RM – O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Marcello Dornelles – Apesar de todas as dificuldades posso dizer que tenho muito mais alegrias do que tristezas. Encaro sempre de modo muito positivo, dificilmente me abato. O que me deixa mais feliz é o fato de eu ter saúde para poder seguir fazendo o que eu mais gosto, que é cantar, tocar e produzir.

15-) RM – Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Marcello Dornelles – Moro em Florianópolis – SC, aqui a cena ainda caminha para a sua própria formação. Tem poucos artistas fazendo música própria, mas acredito que possa melhorar muito. Conforme a cidade se desenvolve a arte caminha junto, é mais ou menos por aí!

16-) RM – Você acredita que sua música vai tocar nas rádios sem o jabá?

Marcello Dornelles – Por incrível que pareça eu acredito sim. Aliás, aqui em Floripa já toca em algumas rádios. E em outras do Estado de Santa Catarina Rio Grande do Sul. Quem sabe está tocando em rádios que eu nem descobri ainda. Toca também em várias rádios na internet.

17-) RM – O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Marcello Dornelles – Em primeiro lugar estude sempre e se torne perito na profissão. Depois faça uma boa gravação de suas músicas e mãos a obra (risos). Mostre pro mundo! Estabeleça metas e cumpra-as na medida do possível.

18-) RM – Quais os projetos futuros?

Marcello Dornelles – Meu principal projeto agora é lançar em abril deste ano de 2010 meu segundo CD – “Você chegou”. Depois disso quero gravar um DVD ao vivo.

Contatos: www.marcellodornelles.com / www.myspace.com/marcellodornelles / [email protected]

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.