Karin Martins

Karin Martins
  • 14
    Shares
Karin Martins
Avalie esta Entrevista

A cantora, compositora paulistana Karin Martins apresenta o seu primeiro CD – “Quem é Você?” e mostra os novos caminhos da MPB

O primeiro álbum da artista, produzido por Paulo Vaz – tecladista da banda Supercombo – chega com composições maduras e conta com a participação especial de Graça Cunha.

A MPB precisa se reinventar. Essa é a opinião de grande parte dos artistas e produtores no Brasil recentemente. Mônica Salmaso, por exemplo, chegou a dizer que “na maior parte das vezes, a porta de entrada é algo que nada tem a ver com o artista”. Em um momento em que o gênero parece patinar em sua própria identidade, a jovem cantora Karin Martins apresenta um disco promissor: “Quem é Você?”.

Disponível em todas as plataformas digitais, o disco chega com sete faixas autorais, que abraçam as referências musicais de Karin, desde a sua adolescência até as inspirações recentes. “Quem é Você” também é a música de trabalho e faz referência a um questionamento comum a todas as pessoas.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Karin Martins para a www.ritmomelodia.mus.br  em 28.11.2016:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal? 

Karin Martins: Nasci no dia 17.06.1986 em São Paulo – SP.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Karin Martins: Meu primeiro contato foi na minha infância, onde em todas as festas de família meus tios tocavam violão, cantavam.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica fora da área musical? 

Karin Martins: Sou formada em violão e Canto Popular e finalizando em Fonoaudiologia.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente? Quais deixaram de ter importância? 

Karin Martins: Minhas grandes influências são: Caetano Veloso, Lenine, Los Hermanos, Jorge Drexler. Acredito que todas essas influências ainda são muito fortes em mim, não acredito que alguma tenha deixado para trás.

05) RM: Quando, como e onde  você começou a sua carreira musical?

Karin Martins: Desde novinha, comecei tocando em um restaurante (amigo de minha mãe) tinha 15 anos de idade e foi lá que aprendi a montar um repertório e interagir com público.

06) RM: Fale do seu primeiro disco(quais os músicos que participaram das gravações)? Qual o perfil musical de cada CD? E quais as músicas que entraram no gosto do seu público?

Karin Martins: O meu primeiro CD – Quem é você? foi lançado em Julho de 2016. É um disco, Pop MPB, mas que tem elementos do Rock alternativo principalmente pelas participações dos integrantes da banda Supercombo: Léo Ramos e Paulo Vaz. Como participação no vocal, eu tive a honra de dividir a música Castelo de Cartas com Graça Cunha. De todas acredito que “Quem é Você” é a mais cantada nos shows.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

Karin Martins: Nova MPB.

08) RM: Como é seu processo de compor?

Karin Martins: Quase diariamente faço laboratórios de composições para estudar harmonia, escritas e tal, mas às vezes nesses dias me bate inspiração e saio compondo letra e melodia ao mesmo tempo (risos).

09) RM: Quais são seus principais parceiros de composição?

Karin Martins: Léo Nogueira tem sido um grande parceiro, mas, ultimamente tenho feito canções só de minha autoria.

10) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente? 

Karin Martins: Prós: é de não se prender a ninguém nem taxas abusivas, e contras: que se perde muita força de impacto em mídias em geral.

11) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira musical dentro e fora do palco? 

Karin Martins: Não sei muito falar sobre estratégias, até porque hoje tenho uma equipe que define os rumos junto comigo. Deixo o barco seguir e foco mais em divulgação do trabalho em mídia.

12) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Karin Martins: Atualmente foco em Preparação vocal para atores e cantores, o que me ajuda a sustentar parte da minha carreira musical.

13) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento da sua carreira musical? 

Karin Martins: Acredito que ela só me ajuda, pois é um caminho muito interessante para divulgar meu trabalho, principalmente para pessoas que ainda não conhecem meu trabalho.

14) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home estúdio)? 

Karin Martins: Gosto muito para preparar uma Pré produções.

15) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Karin Martins: Trabalho uma personalidade diferente, hoje apesar de ser MPB trago elementos do Rock Alternativo.

17) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística? 

Karin Martins: Lenine, Zélia Duncan, Maria Gadú.

18) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical? 

Karin Martins: Tenho uma história engraçada. Há muito tempo atrás me confundiram em um show com a Maria Rita, isso lógico no início de carreira dela.

19) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Karin Martins: Feliz por trabalhar com o que amo. E infeliz talvez por ter que lutar tanto por um espaço no Sol (risos).

20) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora? 

Karin Martins: São Paulo tem um bairro fortíssimo em cultura musical que é Vila Madalena, tem de tudo e sobre tudo, é muito bom!

21) RM: Quais os músicos, bandas da cidade que você mora  que você indica como uma boa opção? 

Karin Martins: Projeto Capella, Anna Trea, Anelis Assumpção, Priscila Amorim, Alex Prata entre outros…

22) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios? 

Karin Martins: Sim, inclusive em algumas rádios já tocam.

23) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical? 

Karin Martins: Persistência!

24) RM: Quais cantores(as) que você admira? 

Karin Martins: Lenine, Caetano, Marcelo Camelo, Maria Rita.

25) RM: Quais os compositores eruditos que você admira?

Karin Martins: Não conheço muito de música erudita.

26) RM: Quais os compositores populares que você admira?

Karin Martins: Elis Regina, Tom Jobim, Cazuza, Cartola…

27) RM: Quais os compositores da Bossa Nova você admira? 

Karin Martins: Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Baden Powell.

28) RM: Quais as principais técnicas para se dominar e se tornar um bom cantor(a)?

Karin Martins: Respiração e interpretação.

29) RM: Quais os principais vícios e erros deve ser evitado pelo estudante de técnica vocal? 

Karin Martins: Abuso vocal, gritos, rouquidões em geral.

30) RM: Quais as principais diferenças das técnicas do Canto Erudito em comparação ao Canto Popular? 

Karin Martins: São muitas precisaria de um dia para responder só isso (risos).

31) RM: Quais os principais erros de metodologia de ensino de música?

Karin Martins: Acho isso muito particular, difícil apontar um erro em metodologias que nem conheço, não posso generalizar. Acredito que manter muita prática seja ótimo.

32) RM: Existe o Dom musical? Como você defini o Dom musical?

Karin Martins: Acredito mais em força de vontade, aquele que sonha faz por merecer tudo que quer.

33) RM: Quais os prós e contras dos métodos sobre Improvisação musical? 

Karin Martins: Só vejo Prós, pois quando se chega ao ponto de improvisação, normalmente já se tem muito conhecimento para lhe servir de base.

34) RM: Qual a definição de Improvisação para você? 

Karin Martins: Usar de bases e conceitos estudados para driblar/levar a melodia como se quiser levar.

35) RM: Existe improvisação de fato, ou é algo estudado antes e aplicado depois?

Karin Martins: Existe e se torna ótimo quando se existe uma boa base de estudos para definir limites dentro da improvisação.

36) RM: Como chegar ao nível de leitura à primeira vista? 

Karin Martins: Estudando cerca de duas horas por dia, esse meio quanto mais se estudar melhor. Eu estudava em media de oito horas por dia.

37) RM: Quais os métodos que você indica para o estudo de leitura à primeira vista? 

Karin Martins: Têm muitos, acredito mais em métodos voltado a músicas conhecidas.

38) RM: Quais os prós e contras de orientação vocal para ator?

Karin Martins: Prós saber usar a saúde vocal, contra não ultrapassar barreiras tornando Abuso vocal.

39) RM: Quais os seus projetos futuros? 

Karin Martins: Continuar Gravando discos, Compondo, buscando parcerias novas…

40) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Karin Martins: [email protected] | [email protected] | (1) 5044 – 5558 – Escritório e Assessoria  de imprensa  Tudo em Pauta.

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.