Denise Mello

denise mello
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Avalie esta Entrevista

A cantora, compositora, violonista paulistana Denise Mello com 14 anos de idade defendeu a música do compositor e pianista Keco Brandão em um Festival. Ela acabou sendo aplaudida de pé por todos e conquistou o respeito, hoje Keco é um dos seus parceiros musical.

Não caiu na estrada já naquela época, porque os estudos falaram mais alto. Mesmo assim, no seu dia-a-dia, tudo conspirava para o caminho que a menina queria seguir. Na escola, participou do quarteto Quarto Crescente, e em seguida descobriu um estúdio católico ao lado de onde estudava. “Fui lá pra gravar uma demo para um festival e acabei fazendo minhas primeiras gravações: participações em discos dos padres, campanhas da fraternidade, fiz até uma rádio-novela”. Assim, ela foi ganhando experiência e fazendo os contatos certos para seguir carreira. Paralelamente à rotina de gravações, ela fez faculdade de Psicologia na USP. Denise foi construindo sua historia com jingles, locuções, corais, campanhas políticas. Entre sua vasta lista de clientes, estão Parmalat, Assolan, Avon, Helmann’s, Fisher Price, Nestlé, Carrefour, Natura, Banco Real, Rede Globo. Foi locutora oficial do canal Sci Fi Channel, daFox, durante três anos, e desde 2010 é a voz feminina do canal Cinemax, da HBO.

A partir de 2001, a cantora passou a se apresentar nos palcos, com diversas formações de instrumentistas. Em 2006, teve que optar por uma de suas profissões, parando de atender como psicóloga. Novos parceiros musicais surgiram, e aos poucos foi adquirindo mais experiência em palco. Com o tempo, Denise começou a pensar em voos mais altos, até que teve a ideia de gravar um CD que contasse uma historia de amor com início, meio e fim, o que se concretizou agora. Um CD com músicas românticas.

Assim como o amor – tema central de seu repertório, a vida profissional de Denise Mello tem seus caminhos inesperados e reviravoltas. Ela decide ser cantora ainda adolescente, mas por motivos diversos, acaba utilizando sua voz mais em campanhas publicitárias e afins, além de manter paralelamente uma carreira como psicóloga. Depois de muitos jingles, locuções e divãs, a antiga paixão pelos palcos reacende em Denise de uma nova forma: além de shows, desta vez ela resolve gravar CD e clipe.

Com o título Nada do que se sente é em vão, o primeiro CD de Denise traz 18 faixas, de variados autores, e arranjos assinados por Cássio Calazans, parceiro profissional de longa data. “Passamos um bom tempo fazendo um trabalho com a MPB em eventos e bares. Ele soube explorar os arranjos dentro da minha característica de voz. Cássio é também muito experiente, tocou anos com Carlinhos Brown”, comenta.

O CD é dividido em três momentos e faz um paralelo com as fases de uma relação amorosa. As primeiras canções abordam o tema DESEJO: a descoberta do interesse, a paixão, a construção do amor.  Em seguida, surge o CIÚME, simbolizando as dificuldades da relação. Por fim, chega a SAUDADE.

No show de lançamento do CD, Denise pretende apresentar alguns pequenos textos com essa temática, “locutados” por ela. Conseguirá, assim, unir no projeto suas várias paixões profissionais: a psicologia, a locução, o teatro e a música.

Tanto a concepção como a pesquisa de repertório para o CD são de Denise. Ela começa pelo compositor Marcelo Quintanilha. “O tema do CD foi desenvolvido em cima da música dele, Faz parte do amor. Aliás, o nome do CD também. Ele ainda assina a letra de Sintomático, sob encomenda”, conta. Há ainda canções de Keco Brandão, que a descobriu como cantora aos 14 anos e com quem divide a autoria de Na contramão, de Tito Bahiense e de Manuca de Almeida (co-autor do sucesso Esperando na Janela), entre outras.

Em alguns momentos, entre uma música e outra, há vinhetas que também seguem o tema amoroso. “Na cronologia da relação aqui descrita, as vinhetas representam pequenos hiatos de reflexão sobre o assunto, tendo a função tanto de “abre-alas” para a nova fase que virá, quanto de epílogo para a fase que passou. Tendo uma visão do CD como uma obra só ou uma sinfonia, as vinhetas funcionam como pequenos interlúdios entre uma parte e outra”, esclarece Cássio Calazans.

Denise conta que se divertiu muito durante a gravação do clipe de estréia, Espera, de Kleber Albuquerque, produzido sob os cuidados de uma equipe da agência DM9: “Tanto o cantor como o locutor têm um quê de ator. E de certa forma, crio uma personagem quando interpreto uma canção. No clipe, eu tinha em mente a personagem, então ficou mais fácil. ”

Amante da boa música brasileira, depois de anos gravando para os mais variados clientes, Denise se reinventa na arte de usar a sua voz, caminhos que só uma grande paixão a faria percorrer.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Denise Mello para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistada por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 01 de outubro 2013:

01) RitmoMelodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Denise Mello: Nasci no dia 03 de outubro (libriana) em São Paulo.

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Denise Mello: Aos 12 anos, quis aprender a tocar violão. Tocava e cantava na escola. Uma amiga de lá falou da minha voz para um colega dela (o compositor e pianista Keco Brandão) que estava precisando de uma cantora para defender as músicas dele em um festival. Ele adorou minha voz e ganhamos terceiro lugar. Fui considerada cantora revelação do festival com 14 anos de idade. Keco é meu parceiro em uma música do CD e toca atualmente com a Zizi Possi. Que orgulho.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica (Teórica)?

Denise Mello: Eu fiz vários cursos informais de música. O que sempre estudei foi técnica vocal. Além de percepção musical com Ricardo Bren e harmonia com vários professores de violão como Reinaldo Russo. E graduada em psicologia.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente. Quais deixaram de ter importância?

Denise Mello: Meu pai adorava Nélson Gonçalves e minha mãe Elizeth Cardoso, ouvíamos muito os dois. Meu primeiro professor de violão me apresentou a Noel RosaCartola, bem como Chico Buarque e Tom Jobim. Tive uma influência musical totalmente dentro da MPB. Até hoje é o que mais escuto.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Denise Mello: Comecei a cantar aos 18 anos de idade em uma produtora de áudio, gravando jingles. Mas somente assumi a música como profissão, e ela deixou de ser hobby, há uns 7 anos atrás quando deixei o consultório de Psicologia.

06) RM: Fale do seu primeiro CD (músicos que participaram nas gravações). Qual o perfil musical do CD? E quais as musicas que estão entrando no gosto do seu público?

Denise Mello: Meu primeiro CD foi produzido ao longo de três anos, independente, com a participação de muitos amigos músicos, inclusive compositores. Ele conta uma história amorosa. Eu o defino como um “Pop-Chique”. A maioria das pessoas fica com o refrão de “Sintomático” na cabeça: “Acho que peguei amor”. Gostam de “Espera” também. Reparei que adolescentes e crianças também curtem. O CD foi arranjado pelo Cássio Calazans. Músico, compositor, produtor e arranjador de Salvador – BA e teve o primeiro contato com a música dentro de casa, nas frequentes reuniões musicais promovidas pelo seu pai, Wadson Calazans, e seu grupo de choro. Aos sete anos de idade, começou a estudar violão e, aos oito, montou a sua primeira banda. Ainda na adolescência, decidiu levar mais a sério a música, iniciando estudos mais aprofundados que iam da eterna pesquisa autodidata até o curso de composição e regência, aos 17 de idade, na Universidade Federal da Bahia. No mesmo período, começou a viajar profissionalmente em turnês internacionais com o músico Carlinhos Brown, com quem trabalhou por seis anos, fazendo direção musical, tocando e arranjando. Além de BrownCássio vem atuando como músico, produtor e arranjador em diversas turnês nacionais e internacionais, gravações de CDs e DVDs de artistas como Ivete Sangalo, Luciana Mello, Marisa Monte, Daniela Mercury, Gilberto Gil, Margareth Manezes, Fafá de Belem, Cassia Eller e nomes como Salif Keita e Youss’n dour, entre outros – apresentando-se nos maiores palcos e festivais do mundo, dentre os quais, o Montreux Jazz Festival, Rock’n Rio, Tokio Pop, Lolapalooza, Le Trianon e Madison Square.

07) RM: Como você define seu estilo musical?

Denise Mello: Eu sou da MPB, do Pop, da Bossa Nova, da boa música brasileira.

08) RM: Você compõe? Como é o seu processo de compor?

Denise Mello: Às vezes. Gosto de fazer letra. Costumo compor com uma melodia na cabeça, mas na maioria das vezes não gosto e peço para alguém “musicar”(colocar melodia).

09) RM: Quais são seus principais parceiros musicais?

Denise Mello: No CD tenho dois: Keco Brandão, amigo da adolescência e Carlão Andrade, produtor musical, que, aliás, canta comigo no CD.

10) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Denise Mello: A vantagem é ter toda a liberdade de escolha. Fiz sem preocupação com demanda. A desvantagem é a dificuldade de colocar o CD a venda. As lojas querem um selo. Fora o trabalho que se tem de arcar com toda a produção. Mas valeu a pena.

11) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Denise Mello: No momento, meu investimento maior é dentro do palco. Quero levar minha arte às pessoas, interagir com elas. Mas pretendo gravar outros CDs.

12) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver sua carreira?

Denise Mello: Eu sempre cantei os compositores notadamente conceituados. No CD, apresento novos compositores. Além disso, o CD tem uma intenção, a finalidade de fazer pensar.

13) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira?

Denise Mello: Ajuda a divulgar. É uma divulgação que vai muito além das fronteiras, mas acho que ela acabou nivelando tudo e desfocando o conteúdo.

14) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home studio)?

Denise Mello: Tenho uma grande vantagem. Sou locutora, gravo em casa e mando minha locução para todos os cantos do país. A desvantagem é que o fácil acesso e facilidades nos programas levam muita gente despreparada a cantar, a “locutar”, a produzir. O resultado é a perda de qualidade musical, a queda de preço no mercado e a desvalorização do profissional.

15) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Denise Mello: Acho que é um trabalho de formiguinha, mas que de repente pode ser notado. Procuro fazer tudo com qualidade e com o coração. Tenho usado as ferramentas da tecnologia como o clipe no youtube e uma fan page no facebook. Acho que o que pode me diferenciar são a profundidade e a qualidade musical do trabalho como um todo.

16) RM: Como você analisar o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Denise Mello: Nossa, conheço tanta gente bacana com um trabalho consistente, mas que não aparece. Uma cantora que admiro muito e que foi evoluindo em interpretação, conteúdo e técnica é a Zizi Possi. Uma diva! Prefiro não responder a sobre quem regrediu.

17) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Denise Mello: Zélia Duncan é uma referência musical importante. Vi recentemente o show dela em homenagem a Itamar Assunção, por exemplo, e achei impecável.

18) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical (falta de condição técnica para, brigas, gafes, show em ambiente ou público tosco, cantar e não receber, ser cantado e etc)?

Denise Mello: Felizmente nunca tive problema em receber, às vezes no tempo de receber.

19) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Denise Mello: Cantar me faz feliz. A falta de oportunidade para realizar shows, para captar recursos, para conseguir entrar nos editais me deixa triste. Queria participar mais do cenário musical do país.

20) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Denise Mello: São Paulo é uma cidade com muita gente talentosa daqui, além das que vêm pra cá. Saraus maravilhosos. Poucos lugares para se apresentar. Muito público, de todo tipo, mas poucas oportunidades de ter acesso a ele e dele ter acesso a cultura como um todo.

21) RM: Quais os músicos, bandas da cidade que você mora que você indica como uma boa opção?

Denise Mello: Gosto da Tulipa Ruiz e da Fabiana Cozza.

22) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Denise Mello: Em algumas sim. Aqui em São Paulo toca na USP. Fiz um contato recente com a Eldorado, mas a Nova Brasil FM, está difícil.

23) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Denise Mello: Trate a sua arte como um trabalho que exige respeito, cuidados e preparos. Como a música está ligada ao lazer, muitas vezes acaba sendo desvalorizada. Então, o valor tem que começar da gente. O Dom é necessário, mas pode ser perder se não houver cuidados e disciplina.

24) RM: E quais os projetos atuais?

Denise Mello: Além do show do CD, chamado “Sintomático”, estou com mais dois outros projetos: o “Nós e o Tom” e o “Especial Interpretando Ivan Lins“. Em “Nós e o Tom”, Luiz Roberto Oliveira (violão), Flávio Franco Araújo (piano) e eu interpretamos canções de Tom Jobim. No show Luiz Roberto, amigo de Tom, conta histórias das suas canções e de seus parceiros. Confiram na nossa página: www.facebook.com/noseotom . No Especial Ivan Lins, divido o palco com Elaine Morie (voz e violão), Gerson Oikawa (voz e violão) e Tustão Cunha(percussão).

25) RM: Quais os seus projetos futuros?

Denise Mello: Estou batalhando a captação de recursos para um projeto musical teatral com a temática do CD. Além do show do CD, chamado “Sintomático”, estou desenvolvendo outros projetos na MPB, como “Nós e o Tom”, cantando Tom Jobim. Que está lindíssimo!!

26) RM: Quais seus contatos para show e para os fãs?

Denise Mello: (11) 99622 – 0455

Clipe: http://www.youtube.com/watch?v=6rzwHwsPsxc 

CD: https://onerpm.com/#/disco/album&album_number=832006336

Fan Page: www.facebook.com/dadenisemello

Locuções: www.clubedavoz.com.br/denisemello 


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.