Clã Brasil

cla brasil
  • 5
    Shares
Avalie esta Entrevista

O Grupo musical paraibano Clã Brasil lançou cinco CDs e um DVD em cinco anos de existência. E já se apresentou nos principais palcos do nordeste brasileiro e no exterior. Com uma apresentação dessa quem não conhece não pode imaginar se tratar de um grupo de quatro meninas, que começaram ainda crianças e hoje adolescentes, têm um currículo musical de dar inveja.

Elas são: Lucyane Pereira AlvesLaryssa Pereira AlvesLizete Pereira Alves (três irmãs) e Fabiane Fernandes. Mas para quem acha que é mais um grupo exótico por ser formado meninas que começaram criança. Apresento as meninas virtuosas: Lucyane é universitária, sanfoneira e vocalista, iniciou os estudos de teoria e prática aos quatro anos de idade, na escola Antenor Navarro em João Pessoa – PB e no curso de extensão da UFPB. Estudou piano durante quatro anos. Toca outros instrumentos musicais como violino, fole de 8 baixos, contrabaixo, violão e cavaquinho. Laryssa cursa medicina – UFPB, Zabumbeira, violinista, percussionista e vocalista. Iniciou os estudos de teoria e prática aos quatro anos de idade, na escola Antenor Navarro e no curso de extensão da UFPB. Lizete 2ª série do 2º grau. Flautista e vocalista. Iniciou os estudos de teoria e prática musical aos quatro anos de idade, na escola Antenor Navarro e no curso de extensão da UFPB. Fabiane 3ª série do 2º grau. Cavaquista e vocalista. Iniciou os estudos com o seu pai, o maestro Chiquito e continua estudando guitarra na escola do Rotary. E faz parte da Orquestra “Metalúrgica Felipéia” como guitarrista. O grupo tem como músicos de apoio: José Hilton Alves (Badu) – Violão de 7 Cordas / Vocal e Maria José Pereira Alves – Triangulo \ Vocal, que são os pais de: Lucyane, Laryssa e Lizete. E Francisco Filho – Percussão.

Quando assisti o DVD das meninas fiquei surpreso com a desenvoltura, o carisma no palco e domínio dos instrumentos. E o amadurecimento artístico e profissional em dividir o palco com artistas consagrados como Marinês e Sivuca (falecidos esse ano). Elas transpiram alegria em viver, cantar, tocar e divulgar a música nordestina. Elas tocam o forró, baião, xote com tríade Sanfona – Zabumba – Triângulo acrescentando instrumentos (flauta, cavaquinho e violão de 7 cordas) que lembram os regionais de Choro. Essa formação mostra a pesquisa histórica delas em saber que esses instrumentos faziam parte das salas e salões de forró devido à popularização no passado dos regionais de Choro e grupos de Samba. Elas já têm régua, melodia, ritmo e compasso para continuarem encantando o nordeste e o mundo.

Segue abaixo entrevista exclusiva com o grupo Clã Brasil para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em Setembro de 2007:

01) Ritmo Melodia: Qual a cidade de origem dos membros do grupo e idade das meninas?

Clã Brasil: Elas nasceram em João Pessoa – PBLizete tem 16 anos de idade, Fabiane 18 anos, Laryssa 18 anos e Lucyane 20 anos (Lucy Alves). Têm mais três músicos de apoio: Badu e Maria são os pais de Lucyane, Laryssa e Lizete. Francisco Filho percussionista.

02) RM: Quais as influências musicais dos membros do grupo Clã Brasil?

Clã Brasil: As influências musicais, têm duas vertentes: a primeira de origem doméstica, através dos pais de três componentes que são de origem sertaneja (Itaporanga – PB e Santa Luzia – PB) são músicos com ancestrais forrozeiros e sempre tocaram músicas de raízes regionais protagonizadas por Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Marinês, Dominguinhos, Elba Ramalho, entre outros. E a segunda é erudita, adquirida através dos estudos no conservatório da UFPB.

03) RM: Como e quando surgiu o Clã Brasil?

Clã Brasil: O grupo surgiu de forma espontânea, em ambiente familiar, inicialmente tocando gêneros diversos, inclusive chorinhos e depois se concentrou em músicas regionais.

04) RM: Qual a formação musical dos membros do Clã Brasil?

Clã Brasil: Estudam música teórica e prática desde quatro anos de idade, sendo todas delas multi-instrumentistas.

05) RM: Quais os instrumentos tocados por cada membro do Clã Brasil e o porque da escolha desses instrumentos?

Clã Brasil: Lucyane (Acordeon, Sanfona de 8 baixos, contrabaixo, violão, cavaquinho, bandolim, violino); Laryssa (zabumba, violino); Lizete (flauta transversa, pífanos), Fabiane (cavaquinho, violão de 12 cordas, guitarra). A escolha dos instrumentos aconteceu de forma natural e experimental. Alguns deles são utilizados nos nossos shows, de acordo com o repertório.

06) RM: O que levou a trazer a Flauta Transversal, o Cavaquinho e o Violão de 7 cordas (fazendo a baixaria típica do choro) para formação do Forró – Pé – de Serra?

Clã Brasil: A inclusão desses instrumentos se espelha na excelente obra do Trio Nordestino e Luiz Gonzaga que eram auxiliados nas gravações dos seus discos por Dino no violão de 7 Cordas e completavam a triangulação com Altamiro Carrilho na flauta.

07) RM: O diferencial de vocês é fazerem um Forró dialogando com Choro, ou seja, unindo em um só grupo dos estilos regionais?

Clã Brasil: Para nós o Choro deveria ser estudado por todos que pretendem praticar música de qualidade, tamanha é sua riqueza melódica e a sua exigência nas aptidões musicais. O diálogo que você se refere de fato existe e sempre que temos oportunidade estamos nessa prática, o que não é novidade, pois o ícone chorão Waldir Azevedo já fez essa trilha, bem registrada no seu baião “Delicado”.

08) RM: Quando o Clã Brasil iniciou a carreira musical?

Clã Brasil: Em maio de 2001.

08) RM: Quantos CDs gravados?

Clã Brasil: São cinco CDs lançados, sendo o quarto uma coletânea dos três primeiros. Todos eles no perfil de releitura de sucessos consagrados de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino, Dominguinhos, Elba Ramalho entre outros e também com criações próprias. São eles: “A sedução do Clã Brasil” em 2002; “De onde vem o baião?” em 2003; “Forró pé de serra ao vivo” em 2004; “Coletânea” em 2005; “Clã Brasil – Forró pé de serra ao vivo” em 2006 e o DVD 01 – Clã Brasil – 1º DVD ao vivo em 2007.

09) RM: Quem são os compositores oficiais do Clã Brasil?

Clã Brasil: Lucyane e Badu (pai de três integrantes do grupo).

10) RM: Quais são as consagradas no cancioneiro nordestino que o Clã Brasil já gravou?

Clã Brasil: Já gravamos boa parte dos maiores sucessos de Luiz Gonzaga (Asa Branca, A volta da asa branca, a vida de viajante, Paraíba, ABC do sertão, Sabiá…), Jackson do Pandeiro ( Sebastiana, Coco do norte…).

11) RM: Qual foi à receptividade do público, da critica ao aparecimento do Clã Brasil?

Clã Brasil: Foi excelente, sentimos isso nas manifestações do público nos shows, matérias de jornalistas, os elogios pela internet.

12) RM: Como as meninas se sentem fazendo parte de um meio musical predominantemente masculino?

Clã Brasil: Muito à vontade, seguindo as trincheiras abertas por Marinês, Elba Ramalho, Anastácia, entre outras.

13) RM: Quem são os patrocinadores do Clã Brasil?

Clã Brasil: Ainda não existem, mas sentimos que sem eles é muito difícil alcançarmos nossos grandes projetos.

14) RM: Quais as experiências de shows do Clã Brasil fora da Paraíba?

Clã Brasil: Muito promissoras e, em algumas oportunidades, surpreendentes quando um ou outro público que não tem a nossa música nordestina em sua tradição se envolve, aplaude e participa. No Brasil, já nos apresentamos nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Rio de Janeiro. No exterior, já estivemos duas vezes a Portugal e uma vez na Itália (Milão e Veneza).

15) RM: Quais as raízes folclóricas que o Clã Brasil divulga no seu repertório e show?

Clã Brasil: Embora não sejamos um grupo essencialmente folclórico, sempre incluímos Coco e Maracatu no nosso repertório, pela riqueza de ritmo, conteúdo cultural e pelo convite que fazem à dança.

16) RM: Existe o receio do Clã Brasil ter o trabalho reconhecido e vinculado pelo caráter e estereotipo folclórico e exótico fora da Paraíba?

Clã Brasil: Não. Pelo fato de termos uma definição muito clara do nosso trabalho em todas as nossas manifestações.

17) RM: Vocês pensam como o Clã Brasil será quando todas estiveram adultas e perderem para o mercado o lado prodígio por serem hoje crianças e adolescentes?

CB: Pensamos que no futuro todos que conhecerem nosso trabalho irão nos encarar desta forma: O que passa a prevalecer a médio, em longo prazo é o conteúdo do que fazemos.

18) RM: Fale como foi a gravação do DVD e das participações especiais.

Clã Brasil: A gravação do DVD constitui-se no maior desafio para todos nós. Ele representa a síntese de tudo que fizemos até hoje. Além de adotarmos, com muito zelo e critério, um repertório com criações que se incluem nas mais belas do cancioneiro nordestino. Tivemos a grata satisfação de contarmos com as participações, ao vivo, de Sivuca, Marinês, Antônio Barros, Pinto do Acordeom, entre outros. Coroando tudo isso, estão os depoimentos de alguns dos maiores representantes da cultura nordestina: Antônio Nóbrega, Elba Ramalho, Dominguinhos e Flávio José.

19) RM: Como se deu o convite e a participação do Clã Brasil no CD e DVD do Sivuca?

Clã Brasil: Sivuca conheceu nosso trabalho e nos deu a honra de sermos incluídos entre os grupos que participaram da gravação da sua última e grandiosa obra. Foi para nós uma dádiva graciosa, essa convivência musical com um dos maiores gênios da música brasileira e mundial. Para completar esse presente Divino, ele participou da gravação do nosso DVD, como dito acima, nos enriquecendo musicalmente.

20) RM: Quais os projetos futuros do Clã Brasil?

Clã Brasil: Nosso único projeto para o futuro é o mesmo de hoje e do passado: Sermos encarados como um produto musical e cultural paraibano de qualidade, levarmos nosso trabalho a todos, sem limite de fronteiras, contribuindo sempre para o engrandecimento da cultura musical do nordeste brasileiro.

20) RM: Quais os projetos futuros do Clã Brasil?

Clã Brasil: (83)  99985 – 1652 \ [email protected] 

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.