César Nascimento

cesar nascimento
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Tempo de Leitura: 5 minutos

O cantor e compositor piauiense César Nascimento desenvolveu sua formação e trajetória musical pelo norte e nordeste.

Conviveu com a tribo musical de São Luis – MA e pulsa em suas veias o reggae de salão, o bumba – meu –boi e o tambor de crioula. A sonoridade singular do seu trabalho é resultado do convívio com esses ritmos maranhense, a levada peculiar do seu violão e outros ritmos urbanos. Suas letras deságuam na fonte poética. Aos 16 anos de idade no Rio de Janeiro começou a sua carreira na banda de Rock “Vale do Som”. Participou de diversos Festivais de Música e de volta ao maranhão em 1982 foi consolidando a sua carreira fazendo diversos shows na capital e interior. Em 1998 voltou ao Rio de Janeiro e juntou-se a Carlinhos Velos numa parceria chamada: “Baião de 2” realizando shows dentro e fora do Estado fluminense e fora do Brasil. César Nascimento em 2002 lançou o quinto CD – “Serenin” da sua carreira retomando suas raízes musicas e matando a saudade de São Luís.

Segue entrevista exclusiva com César Nascimento para a www.ritmomelodia.mus.br , entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em Novembro de 2004:

01) RitmoMelodia: Fale do seu primeiro contato com a música. Qual a sua cidade de origem e data de nascimento?

César Nascimento: Fui formatado e criado em Caxias (MA), nascido em Teresina (PI) em 09 de junho de 1961 e faço parte da tribo musical de São Luís do Maranhão. Cresci ouvindo minha mãe cantando as músicas da época do rádio, os discos de rock dos meus irmãos misturados aos de samba (Martinho da Vila etc.) da minha tia e sintonizado nas rádios AM caribenhas que eu pegava na madrugada fria de Caxias.

02) RM: Quais as suas influências musicais?

César Nascimento: Sou influenciado por tudo que é percussivo e tribal. Tenho uma ligação muito forte com os ritmos do Maranhão, e muito amor pelas coisas do Brasil. As minhas levadas de violão traduzem esta relação. Tenho composições com base no tambor – de – crioula (Maranhão), no maracatu (Pernambuco), no samba (Rio de Janeiro) e tenho influência de ritmos estrangeiros como o reggae, que é muito forte em São Luís.

03) RM: Qual a sua formação musical ?

César Nascimento: Sou autodidata, embora tenha cursado por seis meses a Escola Vila Lobos, no Rio de Janeiro. Toco violão com o prazer e o instinto de quem está descobrindo um instrumento que produz sons. Tenho uma oficina de percussão chamada “Crivador, matraca e pandeirão: uma viagem pelos ritmos do Maranhão”, na qual divido os meus conhecimentos rítmicos a respeito do tambor – de – crioula e do bumba-meu-boi com os participantes. Também tenho um hume estúdio, em que exercito arranjos e estudo um pouco de técnica de gravação.

04) RM: Fale da sua iniciação na carreira musical.

César Nascimento: Na minha adolescência, morei no Rio de Janeiro, onde tive uma banda de rock chamada “Vale do Som”. Em seguida fui para São Luís, quando participei de vários Festivais de Música, discos coletivos e comecei a fazer shows em teatros criar meu próprio público.

05) RM: Quantos discos lançados ? Quais os títulos e ano de lançamento? Quais as músicas de destaques?

César Nascimento:  Gravei sete discos solo e três coletivos: Em 1985 – PROJETO VIVA – LP COLETIVO  – música (s): “FORROCKEANDO”. Em 1989 – ILHA MAGNÉTICA – LP SOLO – música(s): “ILHA MAGNÉTICA” E “NORDESTE DE FULÔ”. Em 1990 – SEGUNDA DE ARTE – LP COLETIVO. Em 1992 – CÉSAR NASCIMENTO  – LP SOLO -música(s): “BOLHA DE SABÃO”. Em 1993 – REGGAE SANFONADO – CD SOLO – música(s): “REGGAE SANFONADO”.  Em 1995 – O RADINHO  – CD SOLO  – música(s): “O RADINHO” e “MAGUINHA DO SÁ VIANA”. Em 1997 – [email protected]  – CD SOLO  – música(s): “ILHA MAGNÉTICA” E “NORDESTE DE FULÔ”. Em 1998 – BAIÃO DE 2  – CÉSAR NASCIMENTO – CARLINHOS VELOZ . Música(s): “BAIÃO DE DOIS”. Em 2000 – PESCADOR DE SEREIA  – CD SOLO  – música(s): “TODO VERÃO”. Em 2002 – SERENIN – CD SOLO  – música(s): “SERENIN”.

06) RM: Fale da sua carreira musical no Maranhão e nordeste.

César Nascimento: É a minha “base”, pelo fato de, lá, eu ter feito uma maior divulgação.Principalmente no Maranhão e arredores, a minha música é bastante conhecida e apreciada. Fiz um show, recentemente, numa praça central de Fortaleza-CE, antes do Geraldo Azevedo, e foi uma festa. No Pará fiz muitos shows em função do estouro da música “O Radinho”. O Maranhão é a fonte, aonde vou renovar minha energia criativa em todo período de Carnaval e de São João. É lá que tenho um público cativo para o qual faço questão de apresentar as novidades.

07) RM: Fale da sua experiência profissional no Rio de Janeiro. E por que escolheu o Rio?

César Nascimento: Tenho uma relação antiga com o Rio de Janeiro, pois aqui vivi parte da minha adolescência. Além disso, o Rio é também uma cidade inspiradora por sua beleza e sua efervescência cultural. Por aqui estou tendo a oportunidade do acesso a uma mídia de grande alcance, além de poder ser um divulgador da beleza e da cultura de um Brasil chamado Maranhão. Bem como de conhecer e conviver com outros brasileiros que também fazem arte por aqui.

08) RM: Quais os prós e contras no “Sul Maravilha” ? O que você acha da cena musical e cultural no Rio de Janeiro?

César Nascimento: Apesar de não tolerar o grande engarrafamento, violência e poluição, inclusive a sonora, viver numa cidade grande, que nos apresenta os mais diversos caminhos da alma humana, me permite o contato direto com as mais diferentes manifestações culturais, ampliando a minha percepção do mundo. O que é essencial para o meu trabalho. Quanto à cena musical atual, acho que tem muita coisa acontecendo. Pena que nem sempre a grande mídia abre espaço para que o grande público tome conhecimento.

09) RM: Você pensa em morar em São Paulo ou em outras cidades do sudeste?

César Nascimento: Já morei em São Paulo dos quatro aos seis anos de idade. Dessa época só lembro das brincadeiras de menino. Nesse momento estou de mudança para Petrópolis (cidade linda) que acho ser um ótimo lugar para se morar pelo fato de oferecer uma excelente qualidade de vida e ser central. Dessa forma, precisando me deslocar para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais etc., será mais prático. Já fiz alguns shows em São Paulo e achei o público super – receptivo. Tenho plano e vontade de dar continuidade a esta relação.

10) RM: Defina o seu trabalho musical ?

César Nascimento: Um som universal que passa pelo tambor do Maranhão-Brasil.

11) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

César Nascimento: Olha, se eu estiver pescando e tiver apetite, eu separo um peixe e como. Se eu estiver com alguém, divido. E é desta forma que conduzo minha carreira musical e minha vida. Todo desafio, quando superado, é prazeroso. Assim, os prós e os contras se confundem com os caminhos percorridos.

12) RM: Quais são os projetos futuros?

César Nascimento: Estou na fase de pré-produção do novo CD. Farei parte, como instrutor de ritmos do Maranhão, de uma oficina internacional, com base na França. Participarei de um curta-metragem da Bia Mauro, aqui no Rio de Janeiro, sobre bumba-meu-boi e está sendo produzido um documentário pela Gisa Gonsioroski, da Lupa Produções, também do Rio de Janeiro, sobre a minha relação com a cultura popular do Maranhão. Fui convidado pela TVE pra fazer um programa de cinco episódios sobre a minha música. É isso aí, pescando e comendo peixe..

Contatos: [email protected] | (21) 99271 – 1769

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Tagged
Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.