Carlos Mahlungo

Carlos Mahlungo
  • 23
    Shares
Carlos Mahlungo
Avalie esta Entrevista

O cantor, compositor, violonista mineiro Carlos Mahlungo com uma carreira artística apurada. Ele tem 20 anos de carreira ganhando significativo destaque nos shows em Clubes, Bares e Saraus, em São Paulo e cidades do interior do Estado. Ele vive uma fase muito feliz na carreira, sendo ovacionado pelo publico presente nos seus Shows e recebendo críticas favoráveis ao repertório e performances no Palco cantando as músicas dos seus quatro CDs e clássicos da MPB em diferentes, tais como Reggae, Blues, Samba e música regional mineira. Ele atribui à aprovação do publico e da crítica à maturidade que conquistou ao longo de uma carreira “feliz”, que proporciona alegria indescritível, mas que não é nada fácil; com as dificuldades vividas pela maioria dos artistas de carreira independente e DEPENDENTE, que dispõe de estrutura modesta.

Carlos Mahlungo é um artista competente nas duas funções que escolheu para sua vida: compor e interpretar a boa música, além de ser uma pessoa simples, apaixonado por boas causas. Ele confessa-se um idealista e um militante da cultura e dos direitos humanos.

Segue abaixo entrevista exclusiva de Carlos Mahlungo para a www.ritmomelodia.mus.br , entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa em 01.09.2015:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e sua cidade natal?

Carlos Mahlungo: Nasci no dia 13 de Setembro de 1958 em Água Comprida em Uberaba – MG.

02) RM: Como foi o seu primeiro contato com a música.

Carlos Mahlungo: Minha Mãe que cantava e meu Pai que tocava acordeon, ai comecei.

03) RM: Qual a sua formação musical e acadêmica fora música?

Carlos Mahlungo: Fiz aula de Violão em alguns Conservatórios. E fiz dois anos na UNINOVE – SP o curso de Pedagogia.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente? Quais deixaram de ter importância?

Carlos Mahlungo: Da música Sertaneja Raiz até a música japonesa. Nos Saraus ouve-se muita coisa de qualidade. A música de época, tipo de Discoteca.

05) RM: Quando, como e onde  você começou a sua carreira musical?

Carlos Mahlungo: Na escola no Colégio em Uberaba – MG, lá também nos Festivais de Música da Escola.

06) RM: Quantos discos lançados e quais os anos de lançamento(quais os músicos que participaram das gravações)? Qual o perfil musical de cada álbum? E quais as músicas que você acha que caíram no gosto do seu público?

Carlos Mahlungo: O primeiro disco – “Fato Consumado” em 1978 com a música: “O Profeta”. Em 1982 o segundo disco – “Canto Livre” com quatro músicas. Em 1995 o terceiro disco “Terra Mãe”. Em 2013 quarto disco – “Seres”.

07) RM: Como você define o seu estilo musical? 

Carlos Mahlungo: MPB, Reggae e Romântica.

08) RM: Como você se define como cantor/intérprete?

Carlos Mahlungo: Tento aprender ouvindo outros cantores e interpreto as músicas que componho.

09) RM: Quais os cantores(as) e cantoras que você admira?

Carlos Mahlungo: São vários e várias, Elis Regina, Elizeth Cardoso, Nina Simone, Mercedes Sosa, Alaíde Costa. Os cantores são: Djavan, Milton Nascimento, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, etc.

10) RM: Como é seu processo de compor? Quem são seus parceiros de composição?

Carlos Mahlungo: Eu sempre só compunha. E meus parceiros; gente da melhor qualidade como: Antonio Carlos, Messina Messina, Júlio C. Costa, Costa Senna, Márcia Gamba, Nicanor Jacinto,  Frederico Barbosa, Pedro Osmar e mais alguns.

11) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro? Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Carlos Mahlungo: O Cenário está nas mãos de alguns comerciantes da Cultura. Nos últimos tempos pouca coisa apareceu. E revelação: eita palavrinha difícil, não é? Tudo é de repente, aparece e logo some.

12) RM: Qual ou quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Carlos Mahlungo: Aqui em Sampa é complicado fazer contato com eles, Agnaldo Timóteo, Toninho Nascimento.

13) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Carlos Mahlungo – Gafes, eu acho que não cometi ainda, mas tocar e não receber ou demorar receber, isso já aconteceu.

14) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Carlos Mahlungo: Feliz é quando alguém canta comigo a minha música. Triste: Procuro entender as pessoas, mas se elas não me querem, então não querem.

15) RM: Nos apresente a cena musical na cidade que você mora?

Carlos Mahlungo: São Paulo têm os cantores de rua, acho isso maravilhoso. Eles saem por aí mostrando suas músicas, querendo ouvir ou não, eles cantam.

16) RM: Quais os músicos ou/e bandas que você recomenda ouvir?

Carlos Mahlungo: Uma banda de músicos amigos meus que faz JAZZ, são eles Denis Cristian, Manoel Cruz e Doglas Las Casas.

17) RM: Quais os cantores e cantoras que gravaram as suas canções?

Carlos Mahlungo: Cantores (as) ainda não gravaram. Mas alguns dos meus parceiros músicas já gravaram. O mais recente é o meu parceiro musical Antonio Carlos, que gravou a nossa parceria “A Canção Comuna” no segundo álbum da Reggaebelde Project.

18) RM: Quais os prós e contra de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Carlos Mahlungo – Os prós é ter liberdade de cantar o que quer, gosta e acredita, ou seja, fazer sua história. Os contras é que fica mais difícil na divulgação, na Rádio o Locutor compra o horário, e faz o que quer, ou seja, escolhe a Programação. Fazer um CD e encaminhar material para divulgação demanda custos altos. E ainda ter que fazer música mais Comercial.

19) RM: Quais as estratégias de planejamento da sua carreira musical dentro e fora do palco?

Carlos Mahlungo: Meu planejamento fora do palco é trabalhar nos Correios, já que fica muito corrido tocar na noite, já que os Bares estão sem espaço para música autoral. No palco eu quero tocar e cantar músicas que eu sempre gostei, grandes sucessos da música Brasileira, principalmente da música Nordestina. 

20) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Carlos Mahlungo: Minha principal estratégia hoje é melhorar na divulgação na Internet, que é minha parte fraca, hoje em dia a internet ajuda na divulgação, eu preciso melhorar, e vou melhorar.

21) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento de sua carreira musical?

Carlos Mahlungo: A internet é muito rápida, em tempo real. Agora ela prejudica quando simplifica as informações em excesso, mas teremos que conviver com ela, ela veio para ficar, temos que aprender a usá-la.

22) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia de gravação( home studio)?

Carlos Mahlungo: Em qualquer situação da vida, temos vantagens que chegamos mais rápido nas pessoas e as desvantagens também é a rapidez, mas temos que aprender com o que é o novo. E ficou mais barato para gravar.

23) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para ser diferenciar dentro do seu nicho musical?

Carlos Mahlungo: Na verdade eu procuro está lendo a poesia dos amigos mais próximos ou nem tão próximos, saber de seus assuntos, suas histórias, seus quereres.

24) RM: Como você analisa o papel da grande mídia em relação ao mercado musical?

Carlos Mahlungo: A grande mídia no Brasil fica assim colocada, quem paga tem a preferência, então não tem nenhum respeito pela cultura musical brasileira. O dono da emissora compra ou vende o horário, e aí a população fica a reboque do que tem ou não qualidade. E mídia não se preocupa em buscar o que vale ou tem qualidade…

25) RM: Quais as suas principais críticas a mídia?

Carlos Mahlungo: Não gosto da palavra crítica, mas observação, respeitar o artista, ouvi-lo.

26) RM: Qual a motivação em criar e/ou cantar canção com letra relevante com a propagação e popularização nas Rádios e TVs de música de letra descartável ou banal?

Carlos Mahlungo: Quando eu ouço uma música quero ouvir novidade, qualidade não importando se Brasileira ou não. O que vale é a qualidade, ou respeito aos meus ouvidos e das pessoas…

27) RM: Qual a importância de Festival de Música para a carreira musical? Você já participou? Você acredita que ainda revela novos talentos?

Carlos Mahlungo: O Festival de Música é muito importante para nossa carreira, ajuda a divulgar para outro público, a música sendo analisada de outra maneira. Os Festivais são uma coisa boa, eu gosto para estar em contato com outros músicos. Já Participei e gostei muito, e quero participar outras vezes, na medida do possível. A forma de revelar novos talentos está um pouco diferente de outros tempos, mas é sempre bom, para revelar outras maneiras de compor, gosto muito… Hoje estou um pouco parado sem me inscrever em Festivais.

28) RM: Você acredita que sem o pagamento do Jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Carlos Mahlungo: Eu tenho um amigo que faz o Programa “Solo Tango” na Rádio Trianon já fiz várias entrevistas com ele. E dia 03 de Agosto de 2014 participei com ele do aniversário do programa na “Casa de Portugal”.

29) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Carlos Mahlungo: A pessoa tem que gostar do que faz. E se enturmar, se juntar.

30) RM: Quais os seus projetos futuros?

Carlos Mahlungo: Divulgar o novo CD – SERES. E gravar mais e mais minhas músicas. Eu tenho muitas músicas boas e parceiros bons.

31) RM: Quais os seus contatos para show e para os fãs?

Carlos Mahlungo: (11) 3313 – 0185 | 98547 – 9503 | [email protected] | www.facebook.com/cmahlungo

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.