Alquimides Daera

alquimedes dera
  • 15
    Shares
Alquimides Daera
Avalie esta Entrevista

O cantor, compositor, instrumentista, arranjador, produtor musical paraibano Alquimides Daera, em 1970 iniciou seus estudos de Composição e Regência de coral, Violão e Canto. E começou apresenta-se em Bares, Casas de shows, Festas populares, mostrando o que há de melhor da música brasileira.

Em 1977 gravou o CD – “Identidade Nordestina” e fez seus primeiros shows em São Paulo. De 1977 a 1979 participou das bandas: “Os Natos” de Itaporanga – PB; “Os Invictos” de Piancó – PB; “Terraço de Som” de Campina Grande – PB; “Metalúrgica Filipéia” em João Pessoa – PB; “Eucalipto” em São Paulo – SP. De 1979 a 1980 participou do Coral da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo como tenor. E gravou o CD – “Coral das Águias Marinhas” em parceria com Geraldo Vandré. Em 1982 participou do Projeto Pixinguinha, apresentando o show Voz e Violão “Caminho dos Ventos” que foi gravado ao vivo no Teatro Severino Cabral Campina Grande – PB. Em 1988 gravou o CD – “Amor Sublime”. Em 1990 fez shows pelos Bares, Casa de show da Paraíba. Em 1993 gravou o CD – “Geografonauta” em parceria com o poeta Silvestre Almeida Filho. De 1994 a 1998 produziu o CD – “50 canções de Amor e um Poema de Espera” do poeta e político (falecido) Ronaldo Cunha Lima. E dentre essas 50 canções, ele escolheu algumas que mais se identificou reunido elas no CD – “Enigma”. De 1998 a 2001 residiu em Florianópolis (SC) e apresentando o show Fortaleza Interior pelo estado de Santa Catarina. E produziu a banda Fishiman. Em 2001 voltou à Campina Grande – PB e foi o produtor musical e participante do CD – “Conexão 200” / coletânea com artistas do estado da Paraíba. Em 2002 no Clube do Jazz Paraíba Brasil gravou o CD – Jazzbaião. Em 2003 gravou o CD – duplo – “Simples Paz”, com a banda Simples Paz formada por: Irivan Lima, Tupy e Edson Vidigal Filho. Em 2004 gravou o CD – “Um Amor Quase Exemplar” em parceria com o ministro e poeta Edson Vidigal, baseado no livro de poesia Um Amor Quase Exemplar. Em 2005 gravou o CD – “Software do Destino” em parceria com o médico e poeta Ajalmar Maia. Em 2006, 2007 e 2008 foi o produtor e participante dos CDs – Campina Jazz Festival; CD – Campina Jazz Festival ll e CD – Campina Jazz festival III. Em 2010 morando em Londrina – PR gravou o CD – “Memorial”, uma coletânea de clássicos da Bossa Nova, com letra e as mesmas músicas no formato instrumental. E fundou a Associação de autores e compositores do Paraná – PR. Em 2011 voltou à Campina Grande – PB e gravou ao vivo o CD – “Projeto Autoral” com vários compositores paraibanos. Em 2012 gravou o CD – “Amores & Blues” no formato Voz e Violão. Começou em 2013 gravar o CD – coletânea com suas canções.

Segue abaixo entrevista exclusiva com Aquimides Daera para a www.ritmomelodia.mus.br, entrevistado por Antonio Carlos da Fonseca Barbosa  em 01 de fevereiro 2014:

01) Ritmo Melodia: Qual a sua data de nascimento e a sua cidade natal?

Alquimides Daera: Nasci no dia 27/12/1957 – Itaporanga (PB).

02) RM: Fale do seu primeiro contato com a música.

Alquimides Daera: Foi com o meu pai que era músico.

03) RM: Qual a sua formação musical e\ou acadêmica (Teórica)?

Alquimides Daera: Cursos de composição e regência de coral, violão e canto.

04) RM: Quais as suas influências musicais no passado e no presente.

Alquimides Daera: São muitas, mas a que mais me influenciou foi o Chorinho, mas todas tiveram importância na minha vida.

05) RM: Quando, como e onde você começou a sua carreira musical?

Alquimides Daera: Em 1970 em Campina Grande – PB.

06) RM: Quantos CDs gravados?

Alquimides Daera: CDs não foram lançados, mas gravados foram:

1977 – CD – Identidade Nordestina.

1980 – CD – Coral das Águias Marinhas em parceria com Geraldo Vandré.

1988 – CD – Amor Sublime.

1993 – CD – Geografonauta em parceria com o poeta Silvestre Almeida Filho.

De 1994 a 1998 produziu o CD – 50 canções de Amor e um Poema de Espera do poeta e político (falecido) Ronaldo Cunha Lima. E dentre essas 50 canções, ele escolheu algumas que mais se identificou reunido elas no CD – Enigma.

2001 – CD – Conexão 200 / coletânea com artistas do estado da Paraíba.

2002 no Clube do Jazz Paraíba Brasil gravou o CD – Jazzbaião.

2003 gravou o CD – duplo – Simples Paz, com a banda Simples Paz formada por: Irivan Lima, Tupy e Edson Vidigal Filho.

2004 – CD – Um Amor Quase Exemplar em parceria com o ministro e poeta Edson Vidigal, baseado no livro de poesia Um Amor Quase Exemplar.

2005 – CD – Software do Destino em parceria com o médico e poeta Ajalmar Maia.

2006, 2007 e 2008 foi o produtor e participante dos CDs – Campina Jazz Festival; CD – Campina Jazz Festival ll e CD – Campina Jazz festival III.

2010 – CD – Memorial, uma coletânea de clássicos da Bossa Nova, com letra e as mesmas músicas no formato instrumental.

2011 – CD – ao Vivo – Projeto Autoral com vários compositores paraibanos.

2012 – CD – Amores & Blues no formato Voz e Violão.

2013 – começou a gravar o CD – coletânea com suas canções.

07) RM: Como você define o seu estilo musical?

Alquimides Daera: Jazz fusion, a mistura do jazz, bossa nova, baião JAZZBAIÃO.

08) RM: Como é o seu processo de compor?

Alquimides Daera: Componho o que acontece todos os dias na minha vida, transformando cotidiano em música. E já coloquei melodias em muitas poesias.

09) RM: Quais são seus principais parceiros musicais?

Alquimides Daera: Geraldo Vandré, Ajalmar Maia, Ronaldo Cunha Lima, Silvestre de Almeida filho.

10) RM: Você estudou técnica vocal?

Alquimides Daera: Sim.

11) RM: Quais as cantoras(es) que você admira?

Alquimides Daera: Maria Rita, Elis Regina, Gal Costa, Zizi Posse, Dalva de Oliveira, Leni Andrade, Leila Pinheiro, Marisa Monte.

12) RM: Quais os prós e contras de desenvolver uma carreira musical de forma independente?

Alquimides Daera: Prol é ter amor pela música. E Contra, querer ser sucesso de uma cultura de massa, que não sabe o que é musica, faço música para os amigos e familiares.

13) RM: Quais às estratégias de planejamento da sua carreira dentro e fora do palco?

Alquimides Daera: Está sempre compondo músicas com sentimento e alma musical.

14) RM: Quais as ações empreendedoras que você pratica para desenvolver a sua carreira musical?

Alquimides Daera: As redes sociais e no clube do jazz Paraíba Brasil.

15) RM: O que a internet ajuda e prejudica no desenvolvimento da sua carreira musical? 

Alquimides Daera: Ajuda na divulgação e prejudica porque qualquer um tem o mesmo acesso e ferramenta para divulgar música de qualidade duvidosa.

16) RM: Quais as vantagens e desvantagens do acesso a tecnologia  de gravação (home Studio)?

Alquimides Daera: Poder gravar em casa é muito bom. A desvantagem é que qualquer um que não estudou música grava qualquer coisa e diz que é compositor.

17) RM: No passado a grande dificuldade era gravar um disco e desenvolver evolutivamente a carreira. Hoje gravar um disco não é mais o grande obstáculo. Mas, a concorrência de mercado se tornou o grande desafio. O que você faz efetivamente para se diferenciar dentro do seu nicho musical?

Alquimides Daera: Tenho os sites de músicas, que me recebe muito bem tenho mais de 15.000 amigos no myspace, etc…

18) RM: Como você analisa o cenário musical brasileiro. Em sua opinião quem foram às revelações musicais nas duas últimas décadas e quem permaneceu com obras consistentes e quem regrediu?

Alquimides Daera: O Brasil está perdido quanto à música de qualidade. A cada dia perde o encanto da canção popular, depois de Gilberto Gil só mesmo Djavan e Marisa Monte.

19) RM: Quais os músicos já conhecidos do público que você tem como exemplo de profissionalismo e qualidade artística?

Alquimides Daera: Egberto Gismonti, Hermeto Paschoal, César Camargo Mariano, Victor Biglione, Nelson Aires, Léo Gandelman.

20) RM: Quais as situações mais inusitadas aconteceram na sua carreira musical?

Alquimides Daera: Adormeci na hora do show.

21) RM: O que lhe deixa mais feliz e mais triste na carreira musical?

Alquimides Daera: Só felicidade, a tristeza vai embora quando a música chega.

22) RM: Qual músico que você tem como exemplo profissional?

Alquimides Daera: Geraldo Vandré.

23) RM: Nos apresente a cena musical da cidade que você mora?

Alquimides Daera: Moro em João Pessoa – PB, e é igual a qualquer capital, temos os mesmos problemas, quem manda é a cultura de massa, nosso público é bem resumido.

24) RM: Quais os músicos, bandas da cidade que você mora , que você indica como uma boa opção?

Alquimides Daera: JP Sax, Quarteto de Trombone, Quinteto da Paraíba, Will Gomes, Roberto Araujo, Gabriel Caminha.

25) RM: Você acredita que sem o pagamento do jabá as suas músicas tocarão nas rádios?

Alquimides Daera: Não.

26) RM: O que você diz para alguém que quer trilhar uma carreira musical?

Alquimides Daera: Só entre na carreira se for mesmo por amor.

27) RM: Qual o seu contato pessoal e profissional com Geraldo Vandré?

Alquimides Daera: Somos amigos e parceiros, temos contato permanente desde 1976.

28) RM: O que é verdade e lenda sobre a pessoa e profissional Geraldo Vandré?

Alquimides Daera: Geraldo inventou Vandré para a sociedade e condenou seu invento, por que a sociedade não sabe o valor que tem a sua invenção.

29) RM: O que falta para a cena musical da Paraíba ser relevante no cenário musical brasileiro? 

Alquimides Daera: Produção mais profissional.

30) RM: Quais os seus projetos futuros?

Alquimides Daera: Projeto Autoral vocal e instrumental –  http://autores.ning.com/forum/topics/projeto-autoral-vocal

Paraíba Jazz festival:

(CD – Caos) em parceria com Ajalmar Maia

(CD – Enigma) em parceria com Ronaldo Cunha Lima

(CD – Amores & Blues) composições inéditas

(CD – Coral das Águias Marinhas) em parceria com Geraldo Vandré.

31) RM: Quais os seus contatos para show e para os fãs?

Alquimides Daera: [email protected] | [email protected]

www.autores.ning.com | (83) 8889 – 6640 – OI | 9689 – 4870 – TIM | 8358 – 8471 – Claro

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Antonio Carlos Da Fonseca Barbosa

Criador e Editor Responsável pela revista Ritmo Melodia desde 2001, músico, letrista e poeta paraibano Antonio Carlos da Fonseca Barbosa, sempre se preocupou em divulgar a música (popular, regional, instrumental e erudita) com entrevistas e artigos sobre os músicos e artistas brasileiros.